A polêmica do vestido curto (eu nem achei tão curto assiam, já fiz piores mas nunca para ir para a aula tmbm, fikdik, o que eu não acho nenhum crime, fikaoutradik)

balmain-fall-2009-sexy-mini-dresses

Sorry, nenhum desses modelos é de fato o vestideeenho polêmico porque eu não sou lá muito fã daquele modelão e já que vamos falar de vestido curto, que seja um bem báfu neam? Balmain entre por favor!

Pouco antes do finde fui pego (acho que todo mundo foi neam?) pela notícia a jovem que foi agredida verbalmente e quase linchada em sua faculdade (Uniban – SBC) por estar com um micro vestido durante as aulas.

Claro que eu achei aquilo um absurdo, fiquei indignado mas nem dei muita importância e nem fiquei chocado e vcs sabem porque? Porque esse tipo de comportamento não é novidade para ninguém, isso acontece há anos em escolas, a única diferença é que agora os bárbaros estão munidos dos seus celulares e widgets de última geração que permite que eles registrem a sua barbaridade. Burrice? Fazer o que neam? Um pouquinho mais de inteligência seria exigir demais dessas espécie.

O que me assusta e me deixa nude é pensar que esse tipo de comportamento ainda exista e seja permitido e o que é ainda pior, por uma maioria, porque aquela quantidade de gritos, vaias e palavrões que estavam sendo ditos naquela noite não estava sendo dito por meia dúzia de pessoas corrreto? Portanto com isso podemos afirmar que a maioria a humanidade ainda é ignorante, fato. E quando reclamamos da falta de educação no nosso país é também desse tipo de educação que estamos falando.

Um comportamento desse tipo deveria ser inaceitável por parte das demais pessoas, tanto para a jovem que estava sofrendo a agressão naquele momento, quanto para as demais pessoas que não concordam com tamanha falta de civilidade, mas isso quase nunca acontece e mais uma vez essas pessoas covardes que se fortalecem por ainda ser maioria ganham o prêmio que merecem: o torféu intolerância! Sério, como alguém se presta a esse papel? Evolução, cadê vc?

Digo isso pq já passei por momentos constrangedores em transportes públicos, escolas, shoppings, ou qualquer outro tipo de lugar que tenha uma aglomeração de pessoas sortidas, tudo por talvez não usar o mesmo jeans largo mostrando metade da underwear de quinta, camisetas com estampas baratas e vulgares com palavras em língua estrangeira que no geral eles deconhecem, moletom com print do surf ou qualquer coisa relacionada a um tipo de esporte qualquer além do boné que coroa o uniforme dos bárbaros. E não estou generalizando não, é fato, essa é uma espécie de camuflagem deles, uma segunda pele praticamente. E essa é apenas a descrição da espécie masculina, porque a feminina tmbm é de doer e vem crescendo a cada dia tornando-se tão assustadoras quanto a versão macho predador. Não foi 1, nem 2 vzs que isso aconteceu, esse tipo de agressão é quase diária, acontece o tempo todo e cada vez mais eu me revolto e não tolero tal comportamento. É uma pena estar geralmente só nesses momentos e ter que enfrentar isso tudo sozinho, mas nem ligo porque diferente de genteeenha eu tenho uma coisa que eles não tem: coragem! E nem confiança! É claro que o passar dos anos me deu mais confiança e muito mais jogo de cintura para passar por esse tipo de situação, mas o constrangimento e a tortura pscicológica que vêm junto com isso tudo é muito dolorosa para quem é covardemente agredido, fato!

Fico pensando o que se passa na cabeça vazia de uma pessoa que acha que tem o direito de ridicularizar o próximo por ele ser diferente, por se vestir de forma “estranha”, ou por simplesmente não ser igual a maioria. Gostaria de entender mas acho impossível pq eu jamais faria uma coisa dessas. Fatão!

Se eu e os meus amigos que temos gostos parecidos resolvermos um dia sair por ai apontando o dedo para a cara de todo cafonão que a gente encontra pela rua e começarmos a gritar palavrões ou até mesmo agredir essas pessoas, digamos que no mínimo teríamos muito trabalho pela frente. Euri! Além de que nos tornariamos ridículos como os próprios. Fail!

Mas isso jamais aconteceria pq somos dignos e no máximo comentamos entre a gente, o que pode levar a uma discussão incrível, um bate papo solto ou até mesmo a uma mesa redonda fashion, isso tudo sem humilhar ninguém é claro. Contrastes, diferenças servem para isso neam? Para levantar debates, comentários, conversar e pensamentos mas nunca para esse tipo de agressão.

Momento historeeenha Guilt!:

Como todos vcs sabem eu fiz faculdade de moda neam? E pelo menos 1 vez a cada semestre rolava um desfile, lá no campus mesmo, com os melhores trabalhos de todos os anos da graduação de moda realizados durante o semestre. Mas como a faculdade insistia em fazer uma coisa popular e grotesca, os desfiles quase sempre eram realizados no mezanino, uma espécie de “praça de alimentação”, digamos assiam. E ai começava o inferno, usavamos a sala de modelagem como camarim, porque era grande e tinnha espelhos o que facilitava bem a montação e todo mundo se reunia lá para se vestir para o desfile.

O báfu é que a sala era uma sala de aula qualquer e eu imagino a briga que rolava entre os seguranças para escolher quem seria o “premiado” para ficar de guarda na porta do tal camarim e esse escolhido quase sempre fazia muita questão de demonstrar toda a sua masculinidade grotesca com olhares indiscretos e desnecessários para cada pedaço de carne que ele conseguisse avistar. Fora isso, uma fila de jovens babões que não deveriam ter uma vida sexual muito movimentada se formava em frente a sala de aula e mais olhares indiscretos. Não se contendo com os pedaços de carne que eles conseguiam ver toda vez que alguém abria a porta do camarim, durante o próprio desfile uma verdadeira chuva de comentários grosseiros, gritos e tentativas frustradas de cantadas para as “modelos” na passarela (que na maioria das vzs eram as próprias alunas) poderiam ser ouvidos até mesmo da Consolação. Vergonha alheia! Eu sempre me sentia constrangido com esse tipo de reação, tudo bem que poderia ser novidade para a maioria deles e ninguém é obrigado a saber se comportar num desfile de moda neam? Mas educação tem seus pricípios básicos que são infáliveis, fikdik.

Em pensar que a maioria desses agressores adoram uma boa vulgaridade, afinal, quem são os consumidores desse tipo de material hein? Eles mesmo neam? Então não entendi a reação quando a garota resolveu usar o vestido da buatchy na sala de aula, alguém ae me explica? Pra mim ela poderia andar nua pela faculdade que ninguém jamais teria o direito de toca-la, mesmo estando completamente exposta.

Fikdik garota do vestido curto, o mundo diz que evoluiu mas as coisas não são bem assim não viu? Ainda existem certas regras que eu acho que todos devemos repensar e talvez lutar para quebra-las!

E todo mundo achando um absurdo jovens universitários agindo dessa forma, mas vamos parar para pensar…de onde esses jovens universitários vieram anteriormente? Das escolas certo? E nessa escola, esse tipo de comportamento foi rebatido com severas punições? Errado, é tudo permitido e tido como normal, a mãe/professora/educadora diz: ah, isso é só uma implicância, eles brigam hj e amanhã esta tudo resolvido! Fom forom fom fom! Errado de novo, se vc não fizer algo para acabar com esse tipo de comportamento assim que ele é percebido ele vai se repetir na rua, na universidade, no trabalho, no senado, na lua! Temos que impedir esse tipo de atitude sempre e jamais permitir qualquer tipo de agressão ou ofensas gratuítas seja elas a quem for, mesmo que vc não esteja envolvido com o problema. Fikdik!

O pior de tudo isso é que nesse tipo de ocasião, quando alguém sofre algum tipo de agressão como essa, a maioria das pessoas que realmente poderiam tomar alguma atitude para tentar diminuir cada vez mais esse tipo de abuso na verdade se tornam aliados aos agressores com comentários repressores e compactuando desse comportamento selvagem e sujo.

Acho tudo isso um absurdo, seu eu fosse ameeega dessa garota combinava de ir todo mundo de vestido curto no outro dia e ai de quem fizesse um comentário grosseiro ou intolerante a forma que estivessem vestidas! Cadeia neles!

ps: e no outro dia eu iria vestida de freira! Ah, e da próxima vez bora repensar esse vestido curto neam amiga? Afinal já que é para dar báfon que seja então com um curto que mereça ser visto em todos os cantos do país neam? Fikfik de um nome: Balmain

Etiquetas: , , , , ,

12 Respostas to “A polêmica do vestido curto (eu nem achei tão curto assiam, já fiz piores mas nunca para ir para a aula tmbm, fikdik, o que eu não acho nenhum crime, fikaoutradik)”

  1. Leo Says:

    Essa história toda é muito absurda!

  2. Jana Says:

    Tirando o vestido que era o erro, achei um crime o que fizeram com essa menina

  3. Diego Says:

    Praticamente um estupro coletivo! Vergonha!

  4. Meyre Says:

    Não era o lugar para aquele vestido, mas nada justifica essa violencia msmo

  5. Murilo Says:

    Foi no minimo um crime realmente isso que aconteceu

  6. Mike Says:

    Eu ficaria com vergonha de estudar naquele lugar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: