Guilt apresenta: Doctor Parnassus, o homem que quis enganar o diabo

Uma viagem lúdica. Acho que poderia começar a descrever assim toda a loucureeenha que rola no filme “The Imaginarium Of Doctor Parnassus” do diretor Terry Gilliam.

O filme conta a história do Dr Parnassus, um homem que prega a liberdade da imaginação e que em uma constante e viciosa aposta com o diabo (que é um de seus vícios), acaba perdendo a sua filha para o tinhoso, que passará a ser o seu dono assim que a moça completar os seus sweet sixteen. E tudo isso em troca de se tornar imortal.

O filme é uma viagem a um mundo imaginário único, que me lembrou bastante o universo criado por Tim Burton emCharlie And The Chocolate Factory, entre outros. Mas talvez a participação do Johnny Depp tenha contribuído ainda mais para essa associação. Juro que quando ele entrou em cena, mesmo ainda sem ter visto que era ele, todo o seu gingado saltando naquelas flores foi o suficiente para eu reconhecê-lo na mesma hora.

O mundo mágico do Dr Parnassus é incrível, uma realidade de exageros onde através de uma viagem por um espelho, que nesse momento faz as vezes de “portal mágico” para uma viagem absurda dentro de sua imaginação. Talvez o espelho tenha sido escolhido por tratar-se de uma viagem pessoal dentro de vc mesmo, onde é preciso se enxergar como vc realmente é para poder fazer parte desse outro universo, onde os seus maiores desejos e sonhos se tornam reais, de uma forma bem exagerada é claro.

Os cenários são de deixar qualquer queixo caído, fato. A começar pelo “Teatro Ambulante”, que além de ser o transporte é também casa e o palco das apresentações do espetáculo do Dr Parnassus. É como se fosse um grande amontoado de cacarecos, que de alguma forma louca faz todo o sentido e todas as peças se encaixam perfeitamente dentro daquela loucura toda.

Quando estão em cena, os cenários são sempre referentes a obras de arte, com referências das mais variadas, mas de uma forma conceitual, cheio de sucatas e improvisos, tornando assim aquele pequeno espaço em um infinito de possibilidades para assim chamar atenção do público para o espetáculo, que mesmo com toda essa beleza diante de seus olhos, insistem em ignorara-lo.

As viagens através do espelho são maravileeeandras tmbm, mas aqui já entra a tecnologia, efeitos e os recursos técnicos neam? Ainda assim, só de pensar que alguém foi o responsável por pensar em todos aqueles universos de absurdos, já fico até emocionado. E é claro que eu fiquei imaginando como seria o meu próprio universo através dos olhos do Dr Parnasssus. Talvez isso sirva de inspiração para trabalhos futuros meus…quem sabe neam?

Johnny Depp, Jude Law e Colin Farrell emprestaram os seus respectivos carismas e talentos para finalizar o filme, que não pode ser concluído por seu ator principal, o admirável Heath Ledger, por motivos que todo mundo já sabe bem porque (tears).

E vc pode até pensar: nossa, mas que confuso, outros 3 atores para interpretar o que estava sendo feito por apenas 1? Sim, é isso mesmo que acontece no filme, mas a solução que eles encontraram para encaixar três homens diferentes em um mesmo papel foi ótima. Achei que o resultado ficou no mínimo divertido, além de belíssimo de se ver. E ainda tem a historia foufurice foufa de que os 3 atores doaram os seus cachês para Matilda, a filha de Ledger (snif) que eu bem já contei por aqui para vcs.

Confesso que o filme me deixou com saudades do talento de Heath Ledger, que era indiscutível. Em alguns momentos vc consegue enxergar a entonação do seu mais famoso e premiado personagem The Joker em “Batman” , em outros momentos um cara atrapalhado e encantador como em “Grimms Brothers” (que é o mesmo diretor de Dr Parnassus), nos deixando um excelente último trabalho da sua vida. Para ser lembrado com saudades por todo o seu talento, sempre.

Corajosa a escolha da Lily Cole para o papel principal hein? Um risco que quase passa sem ser percebido devido ao carão dela que completa muito bem o cenário. Mas fica visível a sua falta de preparo, fato. Nada que umas boas aulas não possam resolver, talvez neam? Fikdik

Agora, pra mim que roubou a cena do filme foi Andrew Garfield, que além do sobrenome foufo, nos mostrou que a sua foufurice não se garante apenas nisso. Seu personagem (Anton) é delicioso, divertido e bem engraçado. Um foufo! Espero vê-lo mais vezes no cinema! Torci por ele do começo ao fim e olha que para bater o Heath pra mim precisa ser muito bom mesmo!

Agora, o que são aqueles figurinos? Báfu! Um dos mais criativos de tudo que eu tenho visto ultimamente nos cinemas hein? Com cara de teatral mesmo, reciclado, vintage, criativo e com uma cartela de cores que vai dos tons pasteis até as cores fortes e chamativas como complemento. Devo confessar que essa é a minha cartela de cores preferidas de trabalho, seja em moda ou design, eu sempre quando estou fazendo algo autoral, acabo indo por esse caminho.

Outro figurino que me chamou bastante a atenção foi o do personagem Percy (Verne Troyer ou “minime” para as íntimas), super engraçado e com um toque clássico oldschool perfeito. Me diverti com a piada do anão, fatão!

O filme é teatral e leva essa linguagem a risca. As entradas do Diabo são tentadoras e ao mesmo tempo bastante divertidas tmbm, assim como o seu universo caótico, que tmbm tem uma beleza escondida. Talvez o filme tenha sido injustiçado por conta da tragédia da morte de Heath e chegou até  ser considerado não ser finalizado após o acontecido, o que seria um absurdo na minha opinião e uma completa falta de respeito com o trabalho do artista e de todos envolvidos no projeto. Ainda bem que isso não aconteceu, assim tivemos a chance de conhecer esse novo universo de fantasia incrível. Agora vou ter que esperar ansiosamente para garantir a minha versão dupla edição de colecionador do DVD, que eu espero que venha com pencas de extras sobre a produção, que é um assunto que muito me interessa sempre.

E se vc é daqueles que tem uma imaginação descontrolada e maluca, vale a pena entrar nessa viagem do Dr Parnassus que eu garanto que será no mínimo maravileeeandra!

Etiquetas: , , , , , ,

7 Respostas to “Guilt apresenta: Doctor Parnassus, o homem que quis enganar o diabo”

  1. Jana Says:

    Só essa imagens todas já são uma grande viagem

  2. Leo Says:

    Não consegui assistir ainda acredita? E vc nem me esperou…que pena! Eu pagava até a pipoca

  3. Meyre Says:

    O filme é lindo de se ver, mas eu achei meio fraco

  4. Muito bem acompanhado nessas férias « The Modern Guilt Says:

    […] The Imaginarium of Doctor Parnassus Höy!Gostar disto:GostoBe the first to like this . […]

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: