O filme é do Kick-Ass, mas quem quebra tudo mesmo é a Hit-Girl

Uma grande violência divertida. Imaginem se pessoas comuns, sem nenhum poder especial e poucos recursos ($$$)  resolvessem virar super-heróis…hein?

É extamente isso que acontece em “Kick-Ass”, filme do diretor Mattew Vaughn (que trabalhou com produtor em “Snatch” e será o novo diretor do “X-Men First Class”), sobre um jovem nerd, viciado em histórias em quadrinhos e cultura pop, que um dia resolve se transformar em super herói, sem ter muita noção do que isso pode significar e mudar completamente a sua vida…

O mais legal de todo o filme (além das cenas de luta é claro) é que eles tiram o sarro o tempo todo dos mitos que conhecemos sobre os super-heróis mais famosos. Referências mil ao Superman, X-Men, Fantastic 4, Batman, Spider Man, são feitas o tempo todo, sempre com uma sacada inteligente ou apenas tirando o sarro puro e simplesmente desses estereótipos de heróis. Até o medo de morrer antes do final de Lost aparece como piada no filme, rolei!

Embora o longa esteja dentro de um universo jovem, muitas vezes até “infantil” pelo grande apelo que essa temática tem com esse público, “Kick-Ass” é um filme adulto, para gente grande, que mistura essa linguagem tão popular que é o mundo dos quadrinhos, com a realidade do mundo em que vivemos atualmente. E esse é o charme do filme. Well done!

Porque as histórias todas de super-heróis que conhecenos são sempre absurdas demais ou impossíveis, mas no filme a realidade se faz presente quase sempre, em momentos como quando ele, o jovem Dave Lizewski faz a sua primeira empreitada como Kick-Ass e acaba se dando mal, sendo esfaqueado e atropelado por um carro quase que ao mesmo tempo, tendo que ficar meses internado para a sua recuperação.

Por mais ficção que tudo isso seja e tenha sido retratado anteriormente nos próprios quadrinhos da série, achei bem bacana esse lado mais pé no chão de se construir um herói, algo que até então nós não tinhamos visto  ainda no cinema, fato.

Outra questão que é muito bem abordada no filme é a violência, que todos nós sabemos que faz parte do nosso dia a dia (humpf!). Em muitas vezes até presenciamos um cena de violência e não fazemos nada, com medo da reação que isso pode causar em nossas vidas. Acho que isso prova que uma vida de herói é para poucos, fato.

E é bem legal tmbm quando o Kick-Ass finalmente se torna um herói e começa a combater o crime, onde ele vai se metendo em assuntos de gente grande, provocando a ira de assassinos e traficantes de verdade, que acabam querendo a sua cabeça em uma bandeja de prata. (euri com a referência)

Outro ponto positivo do filme foi a forma com que o novo herói se tornou popular, utilizando as redes sociais como sua maior arma para a divulgação do seu “trabalho”. Quantas vezes nesses últimos 4 anos (pelo menos) nós vimos alguém virar uma celebridade instantânea do dia para a noite na internet? Pois bem, é exatamente assim que a carreira de sucesso do nosso herói começa.

Mas outros dois personagens me chamaram (e muito) a atenção nesse filme: Nicolas Cage como Big Daddy (em uma roupa parecida com a do Batman, euri)  e a sua filha no filme Hit-Girl (que é a mais fodona de todas ever!). E quando Kick-Ass os encontra pela primeira vez, ele percebe que não esta sozinho nessa e que ainda precisa aprender e muito o que de fato é ser um herói.

Juntos, pai e filha vivem em um mundo quase que paralelo, em um constante treinamento em busca de uma vingança pessoal para eles. Alé disso, eles vivem em um lugar com paredes repletas de armas das mais variadas e potentes. Completamente sur-ta-dos!

E divertidíssimos tmbm! O treinamento dos dois é sensacional, assim como a vocação para o assunto. Uma bela dupla!

As cenas de luta de Kick-Ass são sensacionais tmbm, com efeitos de luz e câmera bem incríveis, algo bem moderno. As minhas preferidas são as da Hit-Girl é claro (que é quem mais luta no filme) e sem contar que não é todo dia que temos uma garota de 11 anos lutando contra o crime e sedenta por sangue  neam? (ainda bem, ufa!)

É dela na minha opinião o papel de heroina do filme. E é dela tmbm o papel mais polêmico da trama, onde um doce menina dá lugar a uma assassima, mesmo que isso seja em nome da justiça. Sangue para todo lado, espadas, facas, muita munição e pontaria fazem parte do dia a dia dessa menina que é sem dúvidas um prodígio no mundo dos super-heróis (sorry Robin!)

O filme é repleto de violência do mais alto nível, muito sangue, gente sendo assassinada de forma fria e cruel, no mercy! É pesado  sim, ainda mais para a temática que insiste em idealizar os heróis como alguém quase perfeito. Em “Kick-Ass” a coisa é diferente e como estamos falando de pessoas de verdade, quando eles se dão mal, é pra valer e o herói termina a cena com os olhos roxos, com a cara coberta de sangue e ferimentos por todo o corpo.

A cena em que a menina invade a casa do inimigo é sensacional! Um combo “Fight Club” + “Snatch” + “Kill Bill”, certamente fontes de pesquisa e até mesmo referência para a construção do filme.

Que o Tarantino tenha visto esse filme e decida fazer logo o “Kill Bill Vol.3”, com a vingança da menina ainda bem jovem e precoce, fikdik

Mas o prórpio Kick-Ass tmbm é só carisma, seja quando ele é um simples nerd ao lado dos seus amigos inseparáveis, ou até mesmo quando ele coloca o seu uniforme verde e amarelo e sai pelas ruas em busca da justiça. E como jovem nerd metido a herói (#Peter Parker feelings), sua vida amorosa começa como um desastre, com a sua amada achando que ele é gay (euri). Mas logo ele se declara para ela e conta toda a verdade (e leva uma surra tmbm), e ai, os hormônios da adolescência entram em ação e Höy!

O vilão do filme fica por conta do Frank D’Amico, traficante barra pesada e milionário e seu filho Chris D’Amico, que no meio da história vira a sua própria tentativa de herói (ou vilão) na pele do Red Mist.

Só achei que ” Kick-Ass” me pareceu meio corrido para os seus poucos  110 min de filme e achei mesmo que ficou corrido para tanto assunto que eu ainda gostaria de ver no filme. Mesmo assim, as resoluções finais foram satisfatórias e o anúncio de uma sequência do filme para 2012 só me deixa ainda mais ansioso para ver o que esses jovens nerds metidos a super herói ainda vão aprontar.

Outra coisa que me deixou aliviado assistindo Kick-Ass, é que como o diretor do filme será o novo diretor do próximo X-Men, eu sinto cheiro de coisa boa por ai hein? Finalmente, pq aquele último filme foi de doer neam?

Etiquetas: , , , , ,

Uma resposta to “O filme é do Kick-Ass, mas quem quebra tudo mesmo é a Hit-Girl”

  1. Muito bem acompanhado nessas férias « The Modern Guilt Says:

    […] Kick-Ass […]

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: