Breaking Bad, uma série para quem tem culhões

Quando eu decidi assistir a Breaking Bad, muito dessa minha decisão se deu pela grande quantidade de elogios que eu havia lido sobre a série em diversos lugares, muito embora eu tivesse pouca informação sobre a história, os personagens ou qualquer outra informação do tipo.

Paolo Torrento me trouxe as 3 temporadas existentes até então e logo eu comecei a assistir a Season 1, que é do tipo curta, com apenas 7 eps.

E que 7 eps hein?

Terminei de assistir em 2 dias, o que significa que a série é mesmo muito, mas muito boa mesmo, do tipo que ao final de cada episódio, você já quer logo ver o próximo para saber o que irá acontecer. Eu diria que em muitos momentos ela chega a ser inclusive aflitiva. Fato.

E sabe aquelas séries óbvias que você acaba prevendo o que esta por vir? Esqueça! Em Breaking Bad, a minha cabeça muito bem treinada cheia de cultura pop e anos de episódios de TV dos mais variados possíveis, mesmo com essa vantagem,  não conseguiu acertar nenhum palpite a respeito da série. E como eu gosto quando isso acontece, yupie!

Eu não fazia a mínima idéia que o clima da série era assim tão “pesado”, apesar do tema e de saber que tratava-se de uma série onde um professor de química que descobre que está com câncer nos pulmões, decide começar a produzir metanfetamina para tentar garantir um futuro melhor  para a sua família (e também para pagar o seu tratamento). Mas eu não fazia ideia que essa história seria assim tão pesada, com direito a assassinatos, explosões, perseguições e tortura. Realmente, trata-se de uma série pra quem tem culhões.

O episódio piloto é sensacional, com cara de filme de suspense, com a adrenalina lá no alto. A direção de arte da série é algo a se mencionar também de tão boa que é. E o cenário, para fugir do que estamos acostumados a ver na TV, agora é o New Mexico, onde eu acabei descobrindo que também é onde a série é produzida. Tudo é meio verde, meio laranja com detalhes em amarelo e as vezes um ponto vermelho. Acho chic!

Breaking Bad é o tipo de história que mexe com a sua cabeça, onde o vilão faz as vezes de mocinho e você acaba perdendo a noção clara de certo ou errado, ou até mesmo a sua própria  lógica.

E quem iria suspeitar de um professor de química que tem uma dupla jornada de trabalho entre a escola e um lava rápido, casado, pai de um filho que teve paralisia cerebral e prestes a se tornar pai pela segunda vez, hein? Ninguém neam? A vida do cara para a maioria das pessoas da sociedade moderna que só pensa em se dar bem na vida, pode parecer até patética e jamais alguém suspeitaria que um homem tão comum esconderia uma parcela da sua vida tão cheia de adrenalina como aquela situação toda em que ele acaba mergulhando de cabeça ao longo da temporada.

Bryan Cranston vive o personagem principal, Walter White, ou Mr White, que ao descobrir a sua doença passa a fazer parte do mundo do crime ao lado de um de seus ex alunos. E o cara é tão bom, tão convincente, que você passa a torcer por ele o tempo todo, mesmo quando ele se torna um assassino. E tudo na série é tão justificado, faz tanto sentido, que você realmente se sente perdido ao passar a torcer para o assassino. Afinal, ele precisava fazer o que fez.

Um belo dia, Mr White que era apenas um professor de química, se vê apenas de cueca e avental verde, no meio do deserto e com uma arma apontada para ele. Howcoolisthat?

Completamente discrente de uma possível cura e entregue cada vez mais ao negócio que ele chama de “to cook”, ou cozinhar, Mr White acaba de alguma forma aproveitando mais a vida, relevando menos fatos que talvez no passado ele ignorasse, antes de saber de sua doença. E a partir do momento em que ele acha que não tem mais nada a perder, ai ninguém segura! Tudo passa a se tornar uma questão de honra, algo como “Um dia de fúria”.

As cenas são todas excelentes também, bonitas de serem vistas. Desde os dois (e White só de cueca) em seu trailler, realizando o trabalho sujo em meio ao deserto, até o tratamento contra o câncer. Well done!

E a violência é outro ponto alto e super presente na série o tempo todo. Brigas, pancadarias, Mr White explodindo o escritório de um dos traficantes mais poderosos do pedaço… nesse nível.

Sério, quando isso aconteceu (a explosão) eu nem poderia imaginar que esse seria e desfecho do episódio. Dei um pulo da cadeira e pensei: whataman?

Afinal, o que ele tem a perder mesmo em sua atual condição?

Sem contar que a qualquer momento ele e seu parceiro podem ser pegos e por ninguém menos do que o seu próprio cunhado, que é o chefe da polícia local e que investiga esses casos específicos de tráfico e produção de drogas. Aliás, os diálogos entre os dois é algo fora de série, sempre com um duplo sentido, mesmo com o cunhado nem sonhando em saber do que se trata tudo aquilo ou do verdadeiro segredo de Walter White. Coisa fina!

Agora, o coadjuvante da série é sem dúvidas um dos melhores personagens ever. Jesse Pinkman, vivido pelo ator Aaron Paul, é um jovem perdido, viciado e que tenta se dar bem na vida traficando, o que ele faz até que bem neam? O seu personagem além do humor que agrega para a série, vem carregado de dramas pessoais e tentativas frustradas de ser salvo por seus pais da vida em que vive. Mas não adianta, Jesse é mesmo um junkie, do tipo que não parece ter muita salvação.

Mas de certa forma, ele enxerga no Sr White uma espécie de exemplo e a relação entre os dois vai crescendo e ganhando novas proporções a medida que a história é contada. A forma com que ele descobriu que o seu parceiro estava com câncer eu achei muito digna. Sem dramas, ou exageros, tudo muito prático e bem resolvido entre os dois. E para a surpresa de todos, por motivos pessoais, Jesse tem alguma experiência e conhecimento em lidar com o assunto.

Gosto muito também da cena quando em casa, Mr White aparece com a cabeça raspada pela primeira vez. Badass daddy!

E os dois vão se envolvendo cada vez mais no mundo do crime, sendo forçados a lidar com situações sérias e definitivas sobre o assunto. Como manter um dos traficantes como refém no porão, ou ter que desintegrar um corpo usando reagentes químicos. Ew! Aquela cena com a banheira caindo do andar de cima da casa, cheia de pedaços e sangue humano (Ew!)  foi incrível e forte demais neam? E depois os dois tendo que limpar toda aquela sujeira? Ew, Ew, EW!

Outro lado da série que é muito bom é a forma com que eles misturam a ciência com o crime, mostrando que se fossem mais inteligentes, os bandidos de hoje em dia seriam ainda mais impossíveis. (rs)

Pausa: eu adoro o filho do Mr White, acho ele um querido!

Sendo assim, tive uma excelente experiência com essa Season 1 de Breaking Bad , fiquei tenso, emocionado, angustiado, aflito, com medo (rs) e agora vou me jogar na Season 2.

Série para comprar o box e guardar no santuário. E se você realmente tem culhões, assista AGORA!

Anúncios

Etiquetas: , , , , , , ,

6 Respostas to “Breaking Bad, uma série para quem tem culhões”

  1. Breaking Bad: é impossível assistir um só « The Modern Guilt Says:

    […] como a primeira temporada, acabei assistindo a Season 2 da sensacional Breaking Bad em tempo recorde! (3 dias eu acho e olha […]

  2. Marcia Regina Says:

    gostaria de saber como adquirir os episódios: 2, 3. 4 temporadas de breaking bad.

    • Essy Says:

      Marcia, Breaking Bad só tem até agora 3 temporadas.
      A Season 4 só vai estrear no segundo semestre de 2011. Humpf! E ficaremos carentes de eps novos até lá. Parece que para tentar diminuir essa carência, os caras vão produzir uns mini eps para o Youtube, mas nem sei direito se isso vai acontecer mesmo.
      Agora para achar as 3 temporadas já existentes, ou vc pede para o Paolo Torrento (Torrent) ou joga no google Breaking Bad Rmvb e a sua vida estará realizada, rs. Existem vários sites especializados em séries, alguns muito bons até.
      Recomendo que vc assista bem devagar aos eps, para que a sua crise de abstinência depois a espera de eps novos seja menor do que a minha , fatão!

  3. Jesse e Walter fechando a firma no final da Season 4 de Breaking Bad « The Modern Guilt Says:

    […] esses dois por 1, 2, 3, 4 temporadas até agora, e estamos caminhando para a conclusão da série, que acontecerá […]

  4. Breaking Bad volta hoje. Mas será que lembramos de tudo que já aconteceu na série até agora? « The Modern Guilt Says:

    […] ♥  Season 1 […]

  5. Breaking Bad termina hoje e você reclamando que não tem coisa boa na TV | The Modern Guilt Says:

    […] Season 1 […]

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: