A auto aceitação de Glee

Ao contrário do que foi anunciado como spoiller, o episódio dessa semama em Glee (2×18 Born This Way), não foi um episódio temático e exclusivo da Lady Gaga e sim um episódio um pouco mais profundo, sobre auto aceitação onde eles aproveitaram a letra de Born This Way para fechar com chave de ouro esse episódio tão especial.

A verdade é que a gente nunca esta contente com o que tem e sempre quer mais. Se é baixo, gostaria de ser alto, se é gordo, gostaria de ser magro, só não vi ainda alguém que é lindo querer ser feio. É, isso realmente eu nunca vi, rs. (já vi gente que não sabe valorizar a sua beleza, mas ai é outra história)

Eu mesmo já tive várias crises de identidade e vou confessar: já cheguei bem perto de querer mudar o meu nariz. Fatão! Nem tenho um nariz enorme, nem de bruxa, nem de tucano, mas na época eu queria que ele fosse menor. Hoje entendo que ele combina perfeitamente com toda a magia da harmonia do meu rosto (euri), mas já me senti meio “gonzo”, daquele tipo que não se enxerga como realmente é.

Outro momento que eu me identifiquei a ponto de ficar com vergonha foi no momento OCD, ou para nós aqui também conhecido como TOC. Sim, eu tenho TOC, vários. Vou trocando ao longo do tempo, quando eu me sinto bem rídiculo fazendo repetidamente e constantemente alguma coisa, mas fato é que eu não consigo ficar sem nenhum. E eu sei que não é uma mania tola, que é uma doença, porque realmente eu perco bastante tempo do meu dia fazendo coisas das quais eu não me orgulho e não preciso revelar. E minha vida seria bem simples se eu não tivesse que cumprir todos esses “rituais” todos os dias, humpf!

A volta de Kurt foi linda, com a música roubada (sim, pq eu já ganhei essa música no passado, fikdik) “Somewhere Only We Know” do Keane, que foi um dos momentos mais foufos ever. Mas aquele número musical solo dele foi um pouco longo demais, não? Perfeito para a ocasião, mas longo demais. Isso me incomoda um pouco em Glee no personagem dele e da Lea Michelle, que sempre ganham números “Boradway” demais. Por mais que a gente ame musicais, toda vez interpretados pelas mesmas pessoas acaba cansando, fikdik.

E esta na cara que o Blaine virá para a escola deles, neam? Poderia aproveitar para trazer mais uma meia dúzia (AMO um loiro magia grandão empolgadão e de bochecha rosa do coral de meninos, AMO!) , pq a coisa por ali não esta fácil hein?

AMEI tmbm a história da Quinn com o seu passado assombroso. Ela até merecia ser rainha, se na mesma escola não estudasse o Kurt neam? Kurt for Prom Queen!

Glee pode ser uma série teen considerada meio bobeeenha por alguns, leve, mas acaba tratando se assuntos sérios com uma dignidade, que nenhuma outra série do gênero consegue.

Welcome back Kurt!

ps: meu momento preferido do episódio, além do flash mob ala Barbra é claro (rs) foi o mash up de Unpretty/I feel pretty que ficou maravileeendro, musicalmente e plasticamente também. E eu AMO “Unpretty” do TLC, me senti até adolescente no colégio de novo, sofrendo dignamente, rs. E outra delas que sempre foi meu hino é “No Scrubs” que eu ouço no iPod até hoje. 

Etiquetas: , , , , , , ,

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: