O último Harry Potter – não adianta, agora chegou a hora de se despedir…

Má-gi-co. Estou meio que sem palavras para começar esse post então, resolvi começar pela parte mais difícil: a despedida.

Na semana de lançamento tive milhões de motivos para não conseguir assistir ao filme e por isso, acabei assistindo “Harry Potter And The Deathly Hollows – Part 2”  apenas nessa semana. Tive que conter toda a minha ansiedade é claro, mas depois, pensando com calma, eu senti que de certa forma eu estava tentando boicotar o inevitável, que seria a tal despedida. Pois bem, chegou a hora…

10 anos se passaram desde que fomos apresentados a toda a magia de Harry Potter. Crescemos e ficamos cada vez mais apaixonados por toda a história por trás daquele garoto de óculos arredondados e o seu universo de magia um tanto quanto sombrio, mas encantador. Algumas pessoas até adquiriram o gosto pela leitura através de Harry Potter e esse mérito é todo da J.K. Rowling.  Mas chegou a hora de encarar essa despedida. Como muitos descreviam nos comentários dos trailers do filme no Youtube antes dele ser lançado, chegou a hora de crescer. Humpf!

E Harry Potter cresceu como ninguém, em todos os sentidos e esse episódio final da sua história não poderia ser mais grandioso.

No filme, de tudo acontece e em cenários conhecidos e queridos do público que acompanhou essa história dividida em 8 partes. Nesse momento acho que vale a pena alertar que se vc não se lembra muito bem dos longas anteriores, vale a pena encarar uma maratona, algo que eu penso em fazer assim que o último filme for lançado em DVD (eu e todos os fãs de Harry Potter, neam?), mesmo porque não faz muito tempo que eu assisti do 1 ao 7 de novo. Mas não se apavore, porque em vários momentos somos relembrados de fatos importantes que já aconteceram na história e isso facilita para não deixar ninguém muito confuso.

A fotografia do filme anterior que é a primeira metade dessa reta final é mais especial e isso eu preciso dizer, mas esse final não fica muito atrás não. Talvez tenha perdido por conta da maioria dos cenários estar em ruinas ou a beira da destruição, o que só de lembrar já me dá aquele aperto enorme no coração. (glupt)

Os figurinos também mudaram e os uniformes da escola, agora tomada pelo lado negro da força, ganharam um peso maior em preto. Cabeças baixas e uma disciplina quase que militar, essa é a nova Hogwarts (que eu gosto e insisto em chamar de Hugrats, rs)

Nesse capítulo final da história reinam as sequências de ação. Vôos em dragões brancos, algumas quedas em “abismos”, vassouras mágicas, tapas na cara da sociedade com feitiços mil e a luta interminável entre o bem e o mal se instala de vez na trama para um confronto final.

Lindas são as cenas de luta na escola, com os dois lados muito bem divididos e cuidando dos seus interesses. Aquela cena em que todos os vilões lançam seus feitiços contra Hogwarts é maravileeeandra e o resultado final tem um efeito belíssimo de ser visto. Well done!

O ponto forte do filme pra mim foi a maior participação dos personagens secundários, que dessa vez ganharam o seu merecido destaque. Chegou a hora de lutar por Harry Potter e nesse momento, ganhamos a participação de vários personagens menores na trama durante todos esses anos, que finalmente ganharam a sua chance. Nada mais justo.

Dentre eles, eu gostaria de destacar a professora Minerva, que esteve ótima nesse último filme, defendendo Harry com toda a sua magia e a sua participação como protetora da escola foi importante para o desenrolar da história. E naquela cena em que ela usa aquele feitiço que ela mesmo reconheceu entusiasmada que sempre sonhou em usar, foi uma das minhas preferidas do filme. Cool!

O segundo grande destaque do longa ficou por conta do menino Neville, que cresceu e se tornou um jovem corajoso, disposto a lutar até o fim para defender aquilo que acredita. Ele que em alguns outros filmes da saga acabou ficando de lado (e todo mundo sabe o porque que ele ficou de castigo), dessa vez também ganhou o seu momento de destaque. Ou melhor, nesse caso podemos usar o plural então, ganhou os seus momentos de destaque. Cool!

E de quebra, ele ainda ganhou a Luna, uma das personagens mais foufas de Harry Potter, de quem eu invejo até hoje aquele chapéu de juba de leão, rs. Luna também teve o seu momento e quando precisou, falou mais alto para que Harry a ouvisse e conseguisse completar a sua missão de destruir todas as horcruxes.

O filme ainda guarda uma série de surpresas e várias revelações, mas isso só funciona se vc conseguiu fugir dos spoilers de quem leu os livros e fez questão de te contar, o que não foi o meu caso e nessa hora eu me senti prejudicado porque o impacto da surpresa foi bem menor. Humpf!

Difícil também é conter as lágrimas em alguns momentos, mas foi aqui que eu senti uma falha no filme. Existem vários momentos emocionantes no longa, alguns relacionados ao passado e outros sobre fatos que aconteceram durante o próprio filme, mas em alguns deles o drama ou a emoção não foi muito bem explorado, talvez pela pressa de tudo aquilo que eles ainda tinham para contar até o fim. Mas no final das contas isso acabou prejudicando um pouco o lado emocional da história. Já tinha sentido isso durante o filme anterior, o que acabou se repetindo agora no final.

Mas o maior momento deles, acaba arruinado de alguma forma, com a revelação precoce de que tudo aquilo não passou de um truque (…). Não vou contar exatamente o que, só para não estragar a experiência de quem ainda não assistiu ao filme, mas vou dizer que teria funcionado melhor se tivesse sido mantido em segredo até o final. Mesmo porque, aquela sequência com o Harry sendo carregado pelo Hagrid a caminho de Hogwarts, já é de cortar o coração, mesmo que vc ainda tenha alguma esperança quanto a sequência da cena. Nesse momento eu senti que a revelação do que aconteceu na floresta deveria ter sido feita depois…

Hellena Bonham Carter sempre rouba a cena, não? Sua enlouquecida Bellatrix se faz presente, mesmo quando esta ao fundo e é sempre uma delícia ver uma atriz como ela em ação.

Hermione e Rony ganharam um momento de demonstração de afeto foufo mil e não teve quem não suspirasse na sala de cinema durante esse momento. Ai ai…

Mesmo com o clima de ação intenso nessa última parte da história, tivemos também vários momentos divertidos e quase todos eles por conta do Rony Weasley, que sempre foi o alívio cômico da franquia. Mas além do lado cômico, Rony ficou até mais inteligente nesse final viu?

Além disso, vale a pena ressaltar aqui que a magia ruiva se fez presente em peso nessa reta final de Harry Potter, hein? Todos apareceram para defender o jovem bruxo, ou seja: Confirmou! (rs)

Hermione sempre foi a melhor aluna de Hogwarts e ainda tem quem ache que não há motivos para ser um nerd (rs). Sem ela por perto, aqueles meninos não teriam ido tão longe nessa história. Será que ela tem um blog onde a gente possa aprender o feitiço de deixar a bolsa maior por dentro? Todas sonham com isso, rs

Além da falha no momento “emoção” que eu meio que descrevi anteriormente para vcs, eu também achei outras duas falhas no filme, pequenas, mas notáveis. A primeira, contida na memória da lágrima do Snape e a conversa dele com o Dumbledore. Achei que vilanizaram um pouco o velho e querido bruxo, não sei se foi a interpretação exagerada em um certo momento, onde ele joga na cara do professor Snape que ele “se apegou” demais ao garoto (Harry), ou se realmente foi um erro de tradução, porque eu não prestei atenção no que ele falou exatamente. Se foi um simples ato de vilania, achei desnecessário. Mas talvez tenha sido apenas a minha interpretação (só minha não, que outras duas pessoas que assistiram o filme tiveram essa mesma impressão).

Sejamos justos e agora que esta liberado falar o seu nome, que trabalho excelente fez o ator Ralph Fiennes na pele do Lord Voldemort, o vilão mais temido e odiado do oeste, hein?  Tudo bem que toda aquela caracterização dramática e pavorosa (morro de medo dele até hoje, rs) acaba ajudando, mas a sua interpretação esteve excelente por todos esses anos e para esse final épico não poderia ter sido diferente. Clap Clap Clap!

Outra cena maravileeeandra que eu acho que vale a pena comentar é ele andando de pés no chão coberto de sangue, enquanto percebe que esta perdendo a sua força, ao lado de sua cobra inseparável. Me-do.

Mas agora chegou a hora de falar dele: Harry James Potter (ou para vc que leu os livros em português: Harry Tiago Potter, rs). Foi uma delícia acompanhar o crescimento do ator Daniel Radcliffe através desses anos todos, em todos os senntidos. Radcliffe não apenas cresceu, como o seu personagem amadureceu ao longo dos anos, ganhando cada vez mais profundidade e carga dramática ao longo do tempo, exigindo cada vez mais da sua atuação. E apesar disso, o ator não perdeu a doçura que a capa da Entertainment Weekly de semanas atrás nos lembrou com toda a doçura desse mundo e se tornou um jovem ator promissor e talentoso. Acho que não resta dúvidas de que ele realizou um excelente trabalho na pele do bruxo mais adorado de todos os tempos e depois de vê-lo na Broadway (no Youtube), acho que ele terá uma carreira brilhante pela frente. Todas torcem!

Nesse último filme, apesar do clima emocionante em alguns momentos e com todas as descobertas, temos um Harry correndo contra o tempo, em busca de destruir de uma vez por todas o seu maior inimigo, a quem por uma injustiça do destino ele acaba ligado e a carga dramática da história fica mais em segundo plano, para dar espaço ao climão de adrenalina para as suas cenas de confronto. Mesmo assim, alguns momentos ainda são de partir o coração, como quando ele encontra as almas das pessoas que “morreram por ele” a caminho da floresta, ou quando o próprio Harry encontra o seu fim. (glupt)

Como resolução final para essa história, temos uma incansável batalha contra o mal, apoteótica, onde no final só resta espaço para um dos lados da força. E vc arrisca um palpite de quem acabou ganhando a melhor nessa história?

O final, apesar de feliz e parecido como tudo começou, só que em forma de flashforward, foi ótimo, mas eu achei que poderia ter terminado em Hogwarts, com alguns deles como professores da escola de magia, além de um certo chapéu definindo o futuro de um certo novo personagem dessa reta final. Sei lá, algo por ai…

E o mais emocionante dessa história toda foi mesmo ter que se desperdir de uma vez por todas de Harry Potter. Na minha concepção, ter acompanhado o crescimento do garoto (e de todos eles) foi a maior experiência disso tudo. Harry sempre teve o seu caráter muito bem definido ao longo de todos esses anos e isso nos fez torcer por ele até o final. Apesar da bondade sem tamanho, Harry Potter não caiu no limbo dos mocinhos que a gente desiste pelo meio do caminho, coma a aura bondosa demais. Nesse caso, todo a magia acabou contribuindo para que a gente se envolvesse cada vez mais com a história, torcendo sempre para que o nosso bom Harry escapasse de um final trágico e injusto. E isso desde 2001, quando ele recebeu a sua carta, foufo mil!

Não sei quanto a vcs, mas toda vez que eu vou assistir o final de algo que eu gosto, já vou sofrendo por antecipação durante o processo. E com “Harry Potter And The Deathly Hollows – Part 2” não foi diferente. Passei o filme todo pensando que estava se aproximando do final e apesar desse fato trazer algo bom, como a conclusão dessa história, a sensação de ter a certeza de que esse seria o fim não é nada boa.

Chegando ao final dessa história, Harry Potter se torna um clássico da nossa geração, do tipo que todo mundo vai se lembrar com saudades para sempre. Sabe aquele livro querido que vc vai pegar de vez em quando da estante para matar a saudade, ou que vc vai passar adiante por gerações? Sabe aquele filme que vc vai fazer questão de sentar para assistir com os seus filhos ou quem sabe seus 12 netos (rs)? Então, esse é o legado de Harry Potter. E para finalizar e nos despedir de vez, só nos resta agradecer mesmo.

Obrigado por toda a magia Harry! (tears)

Etiquetas: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

9 Respostas to “O último Harry Potter – não adianta, agora chegou a hora de se despedir…”

  1. Letícia Florence Orsi Says:

    eu gostei do filme, mas como sou bem mais fã dos livros achei que inventaram coisas nada a ver, e o que tinha que explicar direito fizeram meio assim. A coisa do Neville gostar da Luna por ex, totalmente desnecessário, e não existe no livro. e a parte do Snape não explicaram tudo! GRRR (aquelas bem raivosas hehehe) Acho que podiam ter falado tb que o Neville vira professor de herbology em Hogwarts, acho isso super cool e foi ignorado! GRRRR
    Mas fazer o que né, filme nunca é igual a livro mesmo

    • Essy Says:

      Algumas pessoas me falaram mesmo isso…
      Tá vendo como eu disse que faltou mostra-los em Hogwarts 19 anos depois. Certamente alguém deles teria virado professor daquela escola e mesmo que isso não estivesse escrito nos livros, eu acharia ótimo.
      De resto eu gostei tmbm, tirando uma falha aqui e ali. E achei foufo o romance do Neville + Luna, hein?
      Mas é isso mesmo, filme de livro é sempre meio assim mesmo…
      Agora, difícil uma franquia se manter tão digna como Harry Potter por todos esses 8 filmes, não? Eu pelo menos gosto de todos (até do criticado 4º filme)

  2. Cris Says:

    Olha, achei o post perfeito pro que eu to sentindo desde que vi o filme semana passada… é exatamente isso! Total sentimento de perda.
    E não vejo a hora de chegar em DVD pra poder assistir umas milhões de vezes seguidas.
    Mesmo que o filme tenha coisas diferentes dos livros, o que é impossível não acontecer, ficou maravilhoso e correspondeu a quaaaase tudo que eu esperava.
    Aliás, acho que vou no cinema novamente, antes que saia de cartaz, hehehe
    Beijao! E parabéns. =D

    • Essy Says:

      Thnks! Fiquei mesmo com essa sensação de despedida durante todo o filme. E assim que terminou eu já fiquei com saudades. Demorei até para sair da sala, rs
      E o melhor vão ser as várias maratonas que a gente vai poder fazer assim que tivermos todos dos DVDs em mãos. O pior é que provavelmente eles ainda vão lançar um super box, com vários extras inéditos, só para acabar com as nossas vidas. Euquero! rs
      Tmbm não me incomoda o fato de alguns detalhes serem diferentes do livro. E apesar de ter apontado algumas falhas no filme (pra mim), eu tmbm sai completamente satisfeito do cinema.
      E o bom e detalhe único que diferencia Harry Potter de qualquer outra franquia de sequências, é a quantidade de filmes excelentes. 8 para ser mais preciso, que todos nós amamos cada um deles por um motivo diferente.
      Quero ver alguém conseguir chegar perto desse feito…
      Smacks! E obrigado pelo comment foufo

  3. The Modern Guilt Awards 2011, a premiação mais aguardada do ano! « The Modern Guilt Says:

    […] “Like Crazy”, “Melancolia”, “Drive”, nos despedimos do Harry Potter, além de “Last Night”, que eu também AMEI e “Blue Valentine”, que também […]

  4. marjoriematsue Says:

    =’)

  5. Negro Ébano Says:

    Não li os livros, mais achei de mais a saga harry, a única coisa que me deixou triste foi o fato de não haver mais. Acredito que o produtor terá mais sagas com o mesmo estilo. Adoro MAGIAS!!!!!1

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: