Ma-ma-ma-marry Ma-ma-ma-marry Ma-ma-ma-marry the night

Tá pensando que é simples se tornar uma estrela?

E a Lady Gaga prova que esse caminho não é nada simples com o seu novo vídeo “Marry The Night”, do qual ela assina a direção e aproveita para contar um pouquinho da sua história pré sucesso, de tudo que ela passou até casar-se com a noite.

Claro que essa história é uma versão artistica e inventada dos fatos, que é como a Lady Gaga prefere enxergar a vida, como a própria anuncia no prelude do video.

Mas digamos que ficou longo não? 13 minutos e o single começa mesmo pra lá dos 8 minutos. Difícil enxergá-lo passando na integra em canais de música por exemplo, mas acho que esse nem foi a sua maior preocupação, porque o maior palco dela sempre foi mesmo o Youtube, e esse espaço ela domina como ninguém. O que a garante a Mother Monster  o status de uma artista dos novos tempos.

Achei o vídeo delicioso, por vários motivos diferentes, desde o fundamento do make e do figurino, até o bom humor dela tirando sarro dela mesma em alguns momentos. Dela e de outras, fikdik.

Minha cena preferida sem a menor dúvida é uma Lady Gaga enlouquecida, em seu momento de transformação para um estrela, onde ela encontra-se lindamente descontrolada  enquanto aproveita para tingir o cabelo de “mint” dentro de uma banheira. #TEMCOMONAOAMAR?

Agora, também não tem como ignorar o bom humor do momento em que ela fiz que “fez o que toda garota fez” e com a boca, faz um gesto conhecido de todas. Euri

Gosto de artista debochado nesse nível, mas o que eu gosto mesmo é do comprometimento que ela tem com suas performances e com os seus videos, onde é possível enxergá-la se entregando completamente a favor de um resultado impecável.

Pra mim isso significa respeito, com ela, com a sua arte e também com as pessoas que admiram o seu trabalho. Além de significar que os seus aparentes delírios do passado “internada” em uma clínica psiquiátrica se confirmaram e ela hoje é sim um estrela, das maiores que temos atualmente.

ps: e eu continuo não cabendo dentro de mim mesmo com o final apoteótico desse single. Não há espaço suficiente para Essy no mundo quando chega esse momento. Expressão Corporal e o sonho de ser Billy Elliott definem, rs

ps2: como estamos franceses hoje por aqui, hein? Oui, oui!

Etiquetas: , , , , , , ,

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: