Vamos falar de coisa mais ou menos boa, vamos falar da Season 2 de The Walking Dead

The Walking Dead começou muito bem, com a promessa de ser uma das coisas mas legais na TV afinal, não é todo dia que surge uma série sobre zombies baseada em uma HQ de sucesso, não é mesmo? Não, não é.

A primeira temporada teve seus altos e baixos e acabou terminando bem meio assim, é verdade. Mas a esperança permaneceu, uma esperança de que talvez pelo tamanho do sucesso que a série vinha alcançando em seus altos índices de audiência, que eles poderiam muito bem se recuperar facilmente.

Esperamos, esperamos e finalmente tivemos o começo da Season 2, que começou até que bem, mas logo depois foi perdendo a força, mais ou menos como aconteceu durante a Season 1, o que já indicava que eles talvez estivessem trilhando um caminho muito semelhante ao que nós já havíamos visto antes e isso não era um bom sinal…

Até que chegou um momento onde a temporada chegou a ficar quase insuportável, recheada de personagens com quem a gente pouco se importava, a ponto de não conseguir decorar os seus nomes (problema que eu sempre associo a uma história com personagens fracos), plot  sobre um aborto levado super a sério, isso em meio a um apocalipse de zombies (Zzzz) e a caça interminável a Sophia, que sempre me deu vontade de fazer aquela piadinha infame de tio sem graça de meia idade, que certamente diria “Sofia da P*ta”, rs. (sorry, mas não resisti, rs).

Nesse meio tempo, um personagem que já deveria estar morto faz tempo segundo a história das HQs, Shane, continuou como um bravo sobrevivente, chutando portas, vomitando umas verdades e atirando farpas para todos os lados, roubando a cena e tornando-se uma espécie de herói que seguia pela contramão. Apesar da sua forma de lidar com os problemas não ter sido nunca a mais adequada, quando Shane disse que ele manteve o grupo vivo em momentos mais importantes do que o próprio Rick (esse sim, tido como herói desde o princípio), ninguém poderia dizer que ele não estava falando a verdade. Nascia um ótimo aspirante a vilão, algo que até já estava faltando para a trama dessa história.

Terminamos essa primeira parte da nova temporada com um momentão excelente que eles estavam devendo já fazia tempo. E isso covardemente, nos minutos finais do episódio, para o nosso total desespero. E para os sobreviventes na audiência até esse momento, a cena em que a pequena Sophia saiu cambaleando das pernas de dentro daquele celeiro cheio de outros zombies medonhos, acabou novamente animando a quem ainda estava assistindo The Walking Dead, deixando mais uma vez a esperança de que tudo ainda poderia melhorar.

Nesse momento, que sejamos justos a ponto de reconhecer que foi um dos poucos momentos realmente bons dessa primeira parte da Season 2,  eu já mantive pouca esperança quanto ao futuro da série, considerando uma possível desistência ao final da Season 2. Ai eles voltaram com alguns episódios medianos, a eterna briga pelo título de macho alpha do bando entre Rick e Shane e a Lori, ganhando ares de vilã, exigindo a cabeça do próprio ex amante, o que me levava a considerar a realmente desistir da série de uma vez por todas, por pura preguiça desses plots todos pouco ou nada interessantes.

Até que novamente eles recuperaram o fôlego e os quatro (ou três) últimos episódios da temporada (depois da troca de roteiristas) foram muito bons, animadores até, mesmo considerando todos os seus defeitos. Mas seria isso o suficiente?

De uma temporada de 13 episódios você conseguir destacar 4 ou cinco que realmente valeram a pena e um momento solto em um episódio mediando aqui e ali, é um resultado no mínimo insatisfatório, que não chega nem ao empate dos 50%.

Eu vejo vários problemas em The Walking Dead desde o seu começo, coisas que eu não consigo deixar passar batido, mesmo que corpos fétidos e apodrecidos acabem sempre ganhando a minha atenção, detalhe que certamente foi o que até hoje me manteve assistindo a série. Durante a primeira parte dessa temporada, cheguei até a fazer uma lista, com as 10 coisas que andavam me irritando na série, e antes que alguém me pergunte, vou falar um pouco sobre essa segunda parte da temporada, sobre o que eu não consegui entender ou que não fez muito sentido na minha cabeça ou ainda que talvez eu também tenha esquecido de mencionar na primeira lista. Lá vai:

  • O garoto, filho do Rick, levou um tiro, passou por uma cirurgia complicada e com recursos mínimos e nos episódios seguintes, já caminha livre, leve e solto pela floresta. Sério?
  • Andrea (que eu tenho que reconhecer que até que melhorou) aprendeu a atirar depois de treinar em 5 latinhas? Muito convincente…
  • E a munição do grupo, não sempre foi super limitada?
  • Aliás, todos estavam com a pontaria bem em dia, principalmente no episódio final, não desperdiçando uma bala sequer. Seria o medo operando milagres?
  • T-Dog teve quatro falas durante a temporada inteira e continua vivo para que mesmo? (para o irmão do Judas/Daryl voltar e se vingar na próxima temporada, já que o ator foi confirmado no elenco da Season 3)
  • Randall estava preso naquela lança e o Rick e o velho fazendeiro chegaram até a considerar uma amputação. Sério? Isso com o agravante de que 2 segundos antes, o cara estava tentando matar todos eles sem a menor piedade. Vai ser bonzinho assim lá no Sítio do Pica Pau Amarelo, hein?
  • Depois eles trouxeram o garoto para a fazenda, o fizeram de refém, levaram ele de volta para um outro lugar apenas como desculpa para provocar o excelente confronto Rick vs Shane (que foi ótimo como proposta, mas o motivo que os levou até aquele lugar comum foi meio assim…) e depois voltaram a fazê-lo de refém. Dafuck? Se fosse ele, teria implorado para ter sido deixado com os zombies, que pareciam ser gente de melhor qualidade ou que pelo menos tinham a desculpa de não estarem no seu estado normal para agirem daquela forma “selvagem e diabólica”, rs
  • Lori fazendo mimimi quando o Rick contou que finalmente matou Shane, sendo que ela foi a primeira a encomendar a sua alma para o marido que tudo perdoa. Zzzz. Sério? Sabe aquela bala que a gente estava guardando para a Andrea desde a temporada anterior? Podemos gastá-la com a Lori sem a menor piedade, que esteve merecendo bem mais dessa vez, se tornando a nova insuportável da série…
  • Dale bancando Deus no episódio de sua morte, a consciência coletiva que ninguém mais tem em um momento caótico daqueles. Preguiça neam? Já foi tarde
  • Dia e noite no season finale. Não amanheceu rápido demais naquela cena, ou eles passaram 8 horas dirigindo no escuro no meio do nada e foram parar logo ali do lado?
  • E por falar em velocidade, eles precisam definir uma velocidade para os zombies. Em alguns momentos eles  são rápidos demais, como no episódio em que o Shane ficou preso em um ônibus escolar, onde alguns pareciam correr até, mas em outro momento como  no season finale, aqueles errantes que estavam chegando na fazenda quando Rick e seu filho se encontravam sozinhos, esses estavam muito lentos para não conseguir pegar aqueles dois em completa desvantagem, não?

E esses são apenas alguns dos detalhes irregulares dessa segunda parte da série (alguns até da primeira) que eu consigo lembrar sem fazer muito esforço, porque se fizesse, tenho certeza que apareceriam mais…

O season finale temos que admitir que dessa vez foi bem melhor do que o anterior, em um cenário conhecido e com o aguardado ataque à fazenda. Com aquela  sequência inincial desesperadora de uns bons 15 minutos, com uma frota gigantesca de errantes seguindo para o seu novo destino certo. Mas porque? O que levou todos eles de uma hora para a outra para aquele lugar? Ou melhor, e aquele helicóptero do começo do episódio que pareceu ser o que guiou todos eles para o novo destino? Hein?

Bom, a hipótese em que eu aposto as minhas fichas  é a que talvez isso tenha a ver com aquele cenário que nos foi revelado ao final do episódio, que dizem ser o de uma prisão (cenário importante segundo quem leu as HQs, como foi a fazenda por exemplo), para onde talvez aqueles vários errantes estavam sendo atraídos e por isso vimos o helicóptero no começo do episódio (mas se for isso mesmo, as pessoas na fazenda não teriam ouvido o seu barulho também?). Mas isso é apenas o que eu acho, uma suposição, lembrando que eu não cheguei a ler as HQs. (e também não pretendo mais fazer isso até que a série termine…) Mas algo precisa explicar essa mudança de território repentina dos errantes…

Outra coisa que não fez muito sentido nessa reta final, foi o porque daquelas pessoas todas não entrarem dentro de seus carros enquanto ainda havia tempo e os zombies ainda estavam longe. Sendo que tudo era uma questão de matemática, um problema simples até. Tenho 10 balas para matar 1314 zombies. Devo ficar no mesmo lugar e tentar matar apenas 10 mortos vivos, que é o que eu conseguiria com muita sorte com as minhas 10 balas, ou devo correr como se não houvesse amanhã?

Pra mim, a resposta parece ser muito simples e óbvia até, rs. Além do que, essa alternativa poderia ter poupado muitas vidas naquele momento. Mas ok, dizem que The Walking Dead não é uma série sobre zombies, dizem que é um drama e blah blah blah e mimimi…Zzzz

Mas tudo bem, eles decidiram ficar, queimaram tudo, tentaram fazer o que foi possível, inclusive o Rick usou o garoto aleatório da fazenda apenas como escada para sair do celeiro e pouco se importou com o seu destino trágico. Uma atitude um pouco cruel para um herói, não? …

Até que chegamos a outro momento importantíssimo da série, a revelação de um plot que todo mundo já imaginava o que seria depois de termos recebidos algumas pistas nos últimos episódios, que foi quando Rick finalmente revelou o que havia sido sussurrado em seu ouvido, ainda no final meio assim da Season 1, lá no passado. Se é que a essa altura, alguém ainda se lembrava desse detalhe…

Momento esse que perdeu totalmente a força porque com as pistas que já haviam nos sido dadas durante essa parte boa do final da temporada, com novos zombies surgindo sem nenhuma mordida e depois com o Shane se transformando em um deles em questão de segundos, logo depois  de ter morrido (um momento bem bom para a série e uma perda que será sentida. R.I.P on hell, Shane). Aliás, foi muito rápida essa transformação, não? Me lembro que no passado, para quem fosse mordido, a coisa era bem diferente e mais demorada. Mas enfim, com isso descobrimos que estão todos infectados e que basta morrer para se transformar em zombie. BOOM! …(climão)

Uma informação que seria importante que o Rick tivesse dividido com todo mundo, porque imaginem o cenário de um deles morrendo por um motivo qualquer, como bem poderia acontecer e segundos depois, enquanto alguém ainda estivesse se despedindo do corpo do seu ente querido, ele acabasse se transformando em um zombie do meio do nada e… NHAC! (pausa dramática)

Seria um drama completamente desnecessário, não? Ou seja, uma informação valiosa que Rick mais uma vez errou ao não dividir com os demais. Aliás, quando o assunto são decisões, digamos que Rick tem um dedinho podre em suas escolhas, ou não é muito inteligente e a sua trajetória na série até agora só tem provado isso.

O final da temporada ainda foi marcado com o mimimi incabível da Lori quando Rick revelou o final trágico do Shane, que foi completamente fora de propósito em todos os sentidos, ainda mais se você lembrar que em um dos episódios anteriores, a própria Lori terminou vestindo a carapuça de vilã e falando ela mesma ao pé do ouvido do Rick em um momento de intimidade (aproveitadora de homens fracos…) que a única forma de se livrar de Shane seria colocando um fim em sua vida. Ou seja, decida-se Lori, você quer ou não quer a cabeça do seu amante entregue na ponta de uma lança? Rick poderia ter usado isso e ter jogado esse pequeno grande detalhe na cara dela, que estava merecendo ouvir algumas verdades. Mas esse é o Rick, o político da boa vizinhança…

Além disso, tive a sensação de que quando o Rick contou esse plot para a sua amada megabitch, a forma que ele utilizou para abordar o assunto fez com que parecesse que ele decidiu fazer aquilo por ele e não por ter sido levado até aquela situação, que foi totalmente planejada e arquitetada pelo próprio Shane, detalhe que  faria toda a diferença para a história contada por ele. Achei que ele tentou parecer ser mais corajoso do que ele realmente foi e isso não foi bom para o seu personagem, trazendo mais um ponto negativo para ele que já carregava vários outros. Vários. O mesmo vale para aquele climão dos minutos finais, com ele assumindo o posto de vilão, ainda tomado pela culpa de ter matado o seu melhor amigo, decretando o fim da democracia,  jogando coisas na cara (mas a mãe da Sophia mereceu…tisc tisc), dizendo que nunca escolheu ser o líder do grupo (e usa a roupa de Xerife do velho Oeste porque mesmo?) e dizendo que quem não quisesse seguir com ele, poderia seguir adiante. Sinceramente, eu esperei que os sobreviventes tivessem um pouquinho mais de personalidade nessa hora, se olhassem e dissessem em uma só voz, sem o menor drama: “Ok Rick, estamos indo. Boa sorte ae, asshole!”, rs.

Vale a pena dizer também que nesse episódio final ganhamos a entrada de Michonne, uma das personagens mais aguardadas pelos fãs dos quadrinhos. Ela que apareceu em um momento importante para salvar a vida da Andrea, essa que em um dia não tão distante já foi tão odiada por esse blog, mas que atualmente já se tornou um pouco mais aceitável, passando  o posto de nova Tara em True Blood  para a Lori. Mas tudo bem, pela sua entrada triunfal, ainda mais  acompanhada de seus escravos zombies, vc está perdoada Michonne. Pelo menos por enquanto…

Chegando ao final dessa Season 2 de The Walking Dead, 19 episódios depois desde a sua estreia, não tem como dizer ou afirmar que a série foi genial até então, porque até agora, com uma série de episódios irregulares, essa afirmação não seria nada honesta, pelo menos da minha parte. Mas  vejam bem, também não foi de todo ruim e isso também é honesto de se reconhecer. Mas, com uma série de falhas por todos os lados, plots pouco interessantes e personagens com quem a gente pouco consegue se importar, a série só conseguiu de firmar como uma série bem mediana, do tipo meio assim. Entretanto, The Walking Dead vem quebrando recordes de audiência no AMC, o que fez com que a série garantisse já faz tempo a sua Season 3, temporada essa que será até maior, com 16 episódios. Ou seja, o AMC continua apostando suas fichas nos mortos vivos…

Mas mesmo assim, também seria injusto dizer que a série merece ser deixada de lado e não há a necessidade de se desesperar e abandonar The Walking Dead a essa altura, algo que já estava quase certo para mim depois da primeira metade dessa Season 2 (isso talvez porque eu seja melhor em fazer um bom drama do que próprios roteiristas da série, rs). Fato é que a série, mesmo sendo tão irregular, continua sendo algo viciante, do tipo que é bem difícil abandonar, mesmo nos dando motivo. E também, considerando as demais porcarias que todos nós assistimos com ou sem nenhuma vergonha, The Walking Dead continua sendo uma opção pelo menos OK de divertimento semanal. E outubro está logo ai e quem sabe eles não voltam mais animados? (em outubro estreia a Season 3)

Só não sei até quando essa esperança de uma melhora vai nos segurar diante da TV… Será que já nos transformamos em mortos vivos e nem percebemos? NHAC!

Etiquetas: , ,

10 Respostas to “Vamos falar de coisa mais ou menos boa, vamos falar da Season 2 de The Walking Dead”

  1. Dani Z Says:

    Ah Essy, é série de zumbi. Tem que se levar mais livre…Eu amei os 2 últimos episódios, fiquei muito empolgada. O Rick anunciando que não rola mais democracia me arrepiou. Mas eu concordo com muitos dos pontos que voce questionou alí, e acrescento a minha maior dúvida: como existem tantos zumbies de corpinho inteiro se eles se comem? Não era pra ter apenas partes? Ou nem sobrar nada? Eles mordem e interrompem a refeição? Me explica!

    • Essy Says:

      Será que eu estou overthinking The Walking Dead? …
      O problema é que os zombies nem me incomodam tanto (tirando a variação da velocidade deles), mas o problema mesmo é o drama da série que não convence e nunca convenceu…
      E agora vc me deixou com uma dúvida enorme com essa sua pergunta hein?
      Mas acho que é porque eles são dispersos, talvez? Na cena inicial do episódio por exemplo, eles estão se alimentando e do nada largam o prato principal para seguir o barulho do helicóptero.
      Talvez seja isso, ou talvez seja o orçamento reduzido, rs.

      E eu tenho uma ideia…Se for todo mundo morar em um navio, eles não estariam a salvo em alto mar, ou os mortos vivos resistiriam a água e seguiriam boiando até o seu destino? rs

  2. gera Says:

    concordo. a serie fica meio morna am alguns capitulos, mas o argumento de se viver num mundo devastado com gente morta que anda é mto bom. o HQ é bafo… aconselho. tem um link pra baixar todos até a ultima temporada e montar tipo revistinha no meu twitter

    • Essy Says:

      E é esse argumento que nos mantém grudado feito zombies na frente da TV, rs. Porque a história em si está mesmo bem morna, quase esfriando.
      Pior que eu detesto coisa morna (tipo café, por exemplo). Pra mim, ou é quente, ou é frio, rs.
      Tenho vontade de ler a HQ, mas a falta de tempo e a intenção de evitar spoilers sobre a série ainda falam mais alto por enquanto pra mim.
      Quem sabe se algum dia eu conseguir deixar TWD de vez? Ou se a série ficar realmente boa a ponto de eu não conseguir controlar a minha própria ansiedade…Veremos!

  3. Cleo Says:

    Concordo que estou viciada e é que nem droga não consigo largar. Mas que tem personagem chato de doer é incontestável: Lori, Mãe da Sophia, estas os zombis poderiam pegar.

    • Essy Says:

      Uma drama, fico nessa também, ainda mais com essa sequência de episódios melhores na reta final.
      E eu jurando que a mãe de Sophia teria o seu fim no momento em que ela ficou encurralada. Pronto, volto a dar um ponto negativo para Andrea, que não tinha nada que salvá-la…Humpf!

  4. Dani Sá Says:

    Eu desisti de Lost na segunda temporada justamente por achar que estavam me enrolando…mas vou dar uma chance a TWD , olha aí vai a minha duvida Essy : se os zumbis estão podres e tals , como tem forças pra morder uma pessoas como se fossem um pedaço de pão??? não era pra a pele deles , e não a dos atacados se desfazer , dentes cairem e etc ??? Pq vamos combinar que carne mesmo é difícil de comer sem faça ..imagina crua e na dentada….

    • Essy Says:

      Sorte sua que conseguiu descobrir isso antes em Lost, pq eu resisiti bem até a Season 4, passei um sufoco na arrastada Season 5 e me decepcionei por completo com a Season 6, temporada que eu tenho esperança que seja refeita um dia.
      Quanto a sua dúvida, acho que eles ficam tomados por uma força fora do comum que vem sei lá de onde, porque eles conseguem morder cabeças como quem come um pedaço de pão (rs) e também eles conseguem abrir corpos com as próprias mãos sem fazer muito esforço. Vai saber…

  5. The Walking Dead voltando a nos animar com a interminável caminhada dos mortos ou quase mortos vivos « The Modern Guilt Says:

    […] fato que desde o final da Season 2 eu já estava bem desanimado com The Walking Dead. Um desânimo que na verdade já vinha de antes, […]

  6. A temporada do aguardado acerto de contas em The Walking Dead | The Modern Guilt Says:

    […] pairavam no ar em relação a sua mitologia. E se essa dívida já existia desde então, durante a Season 2 podemos dizer que ela pelo menos triplicou, porque tudo o que já não estava bom na série […]

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: