Trair e flertar, é só começar (pelo menos segundo Grey’s Anatomy)

Tem mais ou menos umas duas semanas, que o assunto em Grey’s Anatomy foi o ato de flertar (8×17 One Step Too Far), que segundo eles, nós realizamos diariamente, de uma forma ou de outra, pautando esse ato com uma característica do ser humano.

Na época, o assunto me incomodou bastante, por vários motivos que eu considerei meio assim. Cheguei até a escrever algo a respeito, mas que obviamente eu esqueci de publicar. Mas aqui está o meu pensamento perdido a respeito do assunto naquele momento:

Flertar ou não flertar?

O episódio dessa semana em Grey’s Anatomy me levou a pensar seriamente sobre o assunto: flertar ou não flertar?

Passamos a vida tentando nos relacionar uns com os outros, tentando ser profissionais, nos tornarmos pessoas bacanas e quem sabe um dia, ser alguém legal para outro alguém.

Em nosso dia a dia, acabamos nos deparando em algumas situações onde flertamos descaradamente, ou recebemos algo do tipo, fato. Flerte, simpatia,  gentileza, tudo facilmente confundível, até que você se permita dar o passado adiante, que é o que diferencia o flerte das demais opções,  o que pode ser um grande perigo dependendo da sua atual situação.

Sempre me senti estranho quando o assunto se torna realidade no trabalho, por exemplo, onde nunca sei com reagir. Na verdade, sei bem como reagir e no lá no fundo, acabo sempre decepcionado quando um elogio ou uma gentileza vem acompanhado de segundas, terceiras ou quartas intenções.

Mas vejam bem, como qualquer outra pessoa, é claro que gosto de ser admirado, mas com a intenção mais honesta possível, mesmo que seja para algo que dure menos do que o tempo que eu utilizo para me arrumar antes de sair de casa para um encontro por exemplo, rs.

Eu sei que pode parecer meio ridículo, além de entregar claramente a minha dificuldade em me relacionar, entregando o porque do meu atual status (rs), mas sempre acabo perdendo o interesse quase que totalmente quando alguém escolhe se aproximar dessa forma, ainda mais quando envolve qualquer assunto ligado ao lado profissional. (sejamos honestos e reconheçamos que de vez em quando, a oferta pode ser irresistível, por isso meu lema é: mantenha o fundamento, mas nunca deixe de ser inteligente e avalie muito bem as oportunidades, porque elas podem nunca mais aparecer! rs)

A gente sabe que é uma tática comum, que as pessoas não precisam ser super criativas o tempo todo  e se utilizam dessa opção comum para facilitar as coisas em uma tentativa qualquer de aproximação, agindo quase que por extinto (o que justifica Grey’s afirmar que essa é uma característica do ser humano), repetindo exemplos que elas viram da certo por ai. Mas seria bacana se isso tudo não envolvesse elogios vazios e sentimentos disfarçados. Estou errado?

É bem possível que sim, mas enquanto eu trabalho esse meu own issue, sigo pensando que esse flerte do dia a dia poderia ser bem mais prático. Está interessado? Diga, sem rodeios, ou muletas. E elogie quanto tiver que elogiar, principalmente quando a sua intenção for no mínimo honesta.

Existem pessoas que não precisam desse tipo de elogio para se animar. Talvez eu seja uma delas, rs.

E o que na série começou como um flerte nesse episódio, terminou com a declaração do Owen de que ele havia traido a Cristina e com a discussão sobre o assunto no episódio dessa semana (8×19 Support System).

Logo ele, um homem tão sério, que sempre se mostrou apaixonado e que já segurou várias ao lado dela, um personagem que pelos menos nos dava alguma esperança. Humpf! (leia-se homem como qualquer outro gênero, e esse texto aplica-se a toda e qualquer tipo de relação amorosa)

Tudo bem que ele usou a velha justificativa do casal estar em crise, de que foi apenas sexo e blah blah blah. Depois tivemos a Cristina jogando o cereal na cara dele (Go Girl!), mais tarde sem conseguir sair da cama, chorando pelos cantos na tentativa de entender o que aconteceu com eles para que a relação chegasse a essa ponto. E logo ela, uma mulher tão profissional, dura com os seus próprios sentimentos, se entregando daquela forma a um assunto do coração. Parece mesmo que Cristina falhou na tentativa de construir um novo coração… (uma metáfora lindíssima que eles utilizaram no episódio anterior a esse)

Talvez, para uma mente brilhante para a medicina como a de Yang, ela tenha chegado a conclusão dos fatos um tanto quanto tarde demais, porque estava meio que na cara o porque do Owen ter feito tudo aquilo e essa é uma resposta para uma teoria que pode servir para todo mundo: quem traí e conta, só quer magoar. Não existe outra opção. Ou melhor, até existe, mas os cenários não são dos melhores…

Se o seu boy magia te traiu mas quer terminar, ele te conta, na tentativa de magoá-la o suficiente para quem sabe assim vc assinar a sua carta de liberdade, que ele não teve coragem de exigir por ele mesmo. E nesse cenário, ele ganha o status na nossa lista de “boy magia negra nebulosa”, um tipo que não vale a pena, por isso, deixe ele ir…

Há também a opção de que ele te traiu e está se sentindo super culpado (tadinho my ass) e quer continuar com vc, mas precisa se sentir melhor com ele mesmo te contando sobre o que vez, só para se sentir menos culpado e em paz com a sua consciência de bom homem honesto. E nesse outro cenário, ele ganha em nossa lista o status de “boy magia negra nebulosa do tipo covarde”, o que pode ser pior ainda e muito provavelmente também não valha a pena insistir, ainda que a honestidade seja um valor nobre que nós ainda valorizamos muito.

Aprenda a lidar com a culpa, seu covarde! Traiu mas quer continuar? Bico calado. Ca-la-do. É sempre a melhor opção. Porque magoar alguém que vc tenha qualquer intenção de seguir adiante? Para se sentir menos culpado? Para tentar ser honesto pelo menos uma vez, já que antes vc não foi capaz? Zzzz

Nesse caso, a honestidade de “dizer a verdade” realmente só vai servir para que a outra pessoa chegue exatamente a conclusão que a Yang finalmente chegou ao final do episódio, de que o Owen só queria magoá-la, o que pode ser muito pior do que apenas uma simples traição.

Sendo assim, o meu conselho é que se vc traiu mas reconheceu o erro e pretende manter o seu relacionamento, seja desonesto (infelizmente, esse parece ser o melhor caminho nesse hipótese)! Algo que para vc pode não ser tão difícil assim para vc, segundo os seu histórico recente.

E reze, para aquela que vc nem se lembra mais o nome, não resolver aparecer do meio do nada, quando vc achar que a sua vida já está resolvida. E viva com a culpa da sua own burrada. WOO!

Etiquetas: , , ,

5 Respostas to “Trair e flertar, é só começar (pelo menos segundo Grey’s Anatomy)”

  1. Denise Says:

    É difícil opinar qdo não é com a gente. Se me coloco no lugar da Yang, nem haveria conversa. Mas eu gosto tanto desse casal e acredito no sentimento do Owen, então estava torcendo para que eles resolvessem e continuassem juntos.
    Só sei que a cada episódio que termina, eu desejo ter uma máquina do tempo para adiantar uma semana e assistir o próximo episódio! E fico triste só de pensar que é a última temporada…

    • Essy Says:

      Tmbm acredito no sentimento do Owen, de verdade, por isso acho que ele não deveria ter contado. Deveria ter trabalhado essa culpa dentro dele mesmo e simplesmente cuidar para não fazer mais, além de rezar para a Yang nunca descobrir. (rs)
      Mas de fora, fica mais fácil enxergar tudo isso mesmo, algo que eu não conseguiria achar com tanta felicidade no caso de ser comigo essa história toda.
      Mas preciso dizer tmbm que eu AMEI a reação da Cristina ao perceber o papelão que ela estava se prestando naquele momento, deixando toda a sua vida de lado por conta desse único (porém bem importante) issue…
      E que temporada boa, não? AMO quando chega a semana e tem ep novo de Grey’s, AMO! (e detesto esses intervalos que ele andam dando agora de um ep para o outro. Humpf!)

      • Denise Says:

        Nossa, está ótima essa temporada! Só falta arrumar alguém para o Avery, pq tanta magia não pode ser desperdiçada!

      • Essy Says:

        Mas vc sabe que o par do Avery é o Mark neam? AMO o bromance dos dois, rs
        Ainda acho que eles precisam arrumar o Derek… (sinto que ele está meio de lado para a Season Finale, que Shonda anda prometendo)
        E a Shonda precisa voltar a gostar da Dr Bailey, que anda com uns plots meio assim já faz tempo!

  2. Como destruir uma temporada quase perfeita usando apenas um season finale bem trágico. Estrelando: Shonda Rhimes « The Modern Guilt Says:

    […] Yang ainda passou por várias durante essa temporada e como se o drama de ter “matado” o marido da sua chefe/mentora não fosse o suficiente, ela ainda teve que lidar com os olhares de desejo da Sarah Connor para cima do seu homem, que mais tarde revelou que a traiu, mas não com a Terminator. Ufa! Logo o Owen, um homem ruivo que resistiu a guerra (rs), caindo nesse tipo de tentação sempre tão estúpida. Vai entender. Mas tudo bem também, porque com isso ganhamos uma discussão sensacional entre Cristina e o Owen, do tipo D.R daquelas bem boas sabe? E melhor ainda foi quando a Yang conseguiu perceber a tempo o quanto ela estava colocando de lado todos os outros plots da sua vida, apenas por uma situação, apenas por um homem. Algo que obviamente não valeria a pena e que bom que ela conseguiu perceber isso. Tudo bem que ele poderia ser o homem da sua vida, mas ela também é a mulher da sua vida e nesse empate, Owen acabou perdendo alguém que segundo o próprio, ele só queria magoar. […]

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: