Como não se emocionar com o John Noble em dobro em Fringe?

Não é de hoje que o trabalho do John Noble vem sendo sensacional em Fringe. Desde o começo da série, ele conseguiu achar exatamente o ponto de equilíbrio entre a loucura, a genialidade e a doçura, que fazem de Walter Bishop até hoje, quatro anos depois, um dos melhores personagens da TV.

É difícil entender como um ator que vem entregando um trabalho excepcional como esse, ainda consiga ser ignorado por toda e qualquer premiação. Acho que se os fãs de Fringe (e nessa turma eu mesmo me incluo) fizeram campanha para que a série permanecesse viva até hoje e nesse caso com êxito, já passou da hora dessa campanha se voltar para o merecido reconhecimento desse ator sensacional. Queremos John Noble no Emmy e no Golden Globe, NOW!

E mais uma prova disso foi o lindíssimo episódio da semana passada em Fringe (4×20 Worlds Apart) que fechou a ponte entre os dois universos, numa tentativa de dificultar os planos de David Robert Jones, que nos trouxe mais um dos grandes momentos de emoção dentro da série, algo que eles sempre conseguem fazer com maestria e muito disso não só devido a sua excelente história, mas também pelas sensacionais interpretações de seus atores, que com apenas um olhar, conseguem transmitir todo o sentimento de um momento como aquele, como é o caso do John Noble e o seu adorável Walter.

Na hora da despedida, foi quase impossível acreditar que tratava-se do mesmo ator interpretando dois papeis tão diferente, onde Walter e Walternativo dividiram um momento difícil para ambos, deixando a rivalidade de lado, despidos de qualquer tipo de sentimento negativo, apenas um reconhecendo a genialidade e coragem do outro, quase nos fazendo realmente acreditar que estávamos assistindo dois atores diferentes em cena. E como não se emocionar com os dois, sentados ali no meio do caminho, lamentando o futuro que teriam que enfrentar daqui para frente, uma vez que o processo de cura do Lado B seria interrompido de vez após o fechamento da ponte entre os dois universos e ainda, contando com a possibilidade de que com isso, Peter acabasse sumindo novamente.  DRA-MA!

Não sei vcs, mas eu não consegui conter as lágrimas naquele momento de despedida do Lado A e B, com cada um deles ganhando o seu momento para aproveitar e destruir os nossos corações com aquela despedida. Ponto também para Olivia, que teve um ótimo momento com Folivia, com um diálogo super emocionante entre as duas, assim como a dobradinha Aspirin + Aspirin se despedindo com um tímido sinal, sempre tão foufas. Sem contar o Lincoln, que escolheu permanecer do lado vermelho da força, que com o fechamento da ponte e com a nossa visão do futuro na série no excelente episódio anterior (onde aparentemente eles estavam do lado azul) nós não temos a menor ideia ainda de como irá ficar. (glupt)

Mas apesar de todo esse climão de saudade, eu credito quase toda a emoção desse episódio ao John Noble, que com um simples olhar de culpa pelo que ele fez no passado com as vítimas dos seus experimentos com Cortexiphan, que voltaram para um participação fundamental nesse episódio, ou quando ele tocou no Peter após o fechamento da ponte, talvez para acreditar que o seu filho ainda continuava ao seu lado, um ator que com gestos simples como esses, consegue nos transmitir toda a emoção de um momento importantíssimo para a mitologia da série. Sem apelação e sem grandes dramas forçados, apenas emoção.

Realmente, um ator que merece ter mais reconhecimento. Se tem um personagem que eu iriei sentir falta de Fringe quando a série enfim terminar (e contando com a próxima temporada, temos apenas mais 15 episodios pela frente), esse será Walter Bishop, que consegue nos emocionar como ninguém com toda a sua genialidade e ao mesmo tempo, consegue ser o alívio cômico perfeito para a série.

Coisa de bom ator neam? Clap Clap Clap!

I ♥ John Noble

E na próxima semana, a primeira parte do aguardadíssimo Season Finale (4×21 Brave New World – Part 1)

#ALIVE

ps: alguém mais desconfia que Belly está por trás disso tudo?

Etiquetas: , , ,

Uma resposta to “Como não se emocionar com o John Noble em dobro em Fringe?”

  1. A temporada âmbar de Fringe « The Modern Guilt Says:

    […] Noble conseguiu nos emocionar ainda mais com a sua interpretação primorosa, com o encontro do Walter e o Walternativo, em um momento que nós ainda não havíamos vivenciado, não daquela maneira. E que ator […]

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: