Danceability + Vulnerability

SIM, The Glee Project continua sendo o nosso reality de verão (deles de lá) e por isso, mesmo com algum atraso (bastante na verdade), resolvi comentar os dois últimos episódio do The Uncle Ryan Show.

Começando pelo segundo episódio da temporada (2×02 Danceability) que testou o talento na pista dos nossos competidores. Nele, podemos reafirmar até o que eu havia percebido anteriormente e já havia mencionado: Lily é mesmo  a megabitch da vez, não tem jeito.

Dessa vez ela colocou as suas manguinhas de fora batendo boca com o Zach, dizendo que não foi dirigida como deveria (só faltou dizer como uma estrela) e por isso estava ente os 3 concorrentes com o pé mais perto do lado de fora da competição. Zach que estava demônio naquele episódio e visivelmente desapontando com o desempenho do grupo dentro da sua disciplina, que cá entre nós, foi bem ruim mesmo, e foi o que o fez colocar para fora toda a sua mágoa de professora de balé de tipo bem má. Mas até que ele foi bem leve e ficou mais magoado do que demônia, pelo menos com eles…

Como convidado da semana tivemos Samuel, ele que sabia exatamente a sensação de estar do outro lado do jogo e foi um foufo com os participantes, deu conselhos e de quebra ainda soltou a line que ele roubou da Hannah durante a temporada anterior. Que vilãozinho, não? (rs – precisava andar descalço?)

E mais uma vez meu coração acabou partido em 2545554 mil pedaços com a eliminação da semana, quando Dani não foi convocada para voltar. (glupt)! Mas como assim? Logo ela? E é em horas como essa que a gente fica bem irritado com um reality show, que prefere candidatos que movimentam a turma, mesmo que eles sejam descartados mais para frente (Lily e até mesmo o Tyler), do que quem realmente tem algum talento para a coisa. E me fala, que voz foi aquela do Tyler cantando “Daniel” do Elton John? PA-VO-RO-SA!

Até cheguei a achar que ninguém seria eliminado naquela semana por conta da desistência da participante que saiu porque estava com saudades da mãe. Sério, não tenho paciencia para os fracos e por isso nem lembro o nome dela, ZzzZZ. Mas não teve jeito e uncle Ryan não conseguiu enxergar o que todos nós vimos na Dani, que para mim já era uma das favoritas ao prêmio… (não sei porque, mas sinto que eles querem um menino como vencedor – na verdade, sei bem porque… rs)

No episódio seguinte (2×03 Vulnerability), chegou a hora dos participantes colocarem suas vulnerabilidades para fora e como ferramenta para isso, eles tiveram que usar o bullying  para entregar suas verdadeiras fraquezas e traumas do passado. Só não concordo quando o diretor do vídeo disse que hoje em dia “o bullying é uma epidemia”, porque na verdade ele sempre existiu, muito provavelmente na mesma proporção e só não tinha uma nomenclatura ainda.

Não sei quanto a vcs, mas eu sempre acabo gostando muito mais das apresentações deles todos no começo do episódio do que do video da semana, que eu sempre acabo achando meio assim, ainda mais para o volume de participantes que ainda temos nesse começo de temporada e nesse caso não foi diferente, achei o vídeo uma grande porcaria. Sorry!

E nesse episódio encontramos as famosas cenas de briga que eles já haviam nos mostrado no preview da temporada durante o primeiro episódio, que como eu disse para vcs anteriormente, não passava de cena para o video da semana. Nele tivemos alguns momentos imporantes, como quando Charlie perdeu a linha e tirou a bengala do Mario, considerando o ato apropriado para a cena naquele momento. O que de certa forma até foi, mas ele poderia ter combinado com ele antes de realmente fazer o que acabou fazendo, o que lhe custou uma indicação entre os três que deveriam se apresentar para o Ryan naquela noite. (mas eles mantiveram a tal cena no vídeo, ou seja, vai entender…

Mais uma vez, umas das vagas entre os três piores foi ocupada pela Lily, que eu sinto que está sendo colocada nessa posição propositalmente, sendo provocada para que ela acabe estourando, o que eu até acho que esteja bem perto de acontecer. Tudo bem que ela é talentosa e sabe disso, é uma gordinha que tenta parecer ser segura em relação ao seu corpo, o que nem sempre me convence, mas como mecanismo de defesa ela acaba se escondendo atrás de uma armadura de megabitch que não tem tamanho, botando medo nos demais e tentando ganhar no grito e essa sua postura meio assim sempre acaba chamando muito mais atenção do que qualquer outra coisa que ela tenha para mostrar e talvez por isso, suas lágrimas após ao final da sua apresentação não tenham sido muito convincentes. (não foram nada convincentes na verdade…)

Agora, outro que andou ganhando ares de megabitch foi o Mario, participante que eu até já havia alertado vcs para esse detalhe da sua personalidade. Ele que parece seguro demais do seu talento vocal e muitas vezes soa como arrogante ou maldoso e isso ninguém pode negar. Mas nessa hora, a sensibilidade do uncle Ryan Murphy acabou falando mais alto e ele conseguiu enxergar uma pessoa que ainda está descobrindo como se expressar dentro da sua deficiência, o que olhando por esse lado, até justifica um pouco de como vimos o participante se comportar ao ser criticado pela Nikki, que grávida e com os hormônios explodindo, também ficou ofendida demais naquele momento, não?

Mas realmente seria muito difícil eliminar qualquer um daqueles três depois de suas apresentações ao final do episódio, todas muito bem realizadas (a versão de “Fix You” do Coldplay cantada pelo Charlie então foi maravileeeandra e bem diferente da original). Por isso Ryan já gastou o bônus de poder não eliminar ninguém nesse momento, gastando a vaga que acabou sobrando com a participante que acabou abandonando a competição no episódio anterior.

Ahhh e ainda nesse episódio, a Lily revelou que foi a Queen B do seu colégio, o que obviamente não surpreendeu ninguém e de quebra ainda deu um cala boca na hora certa para o Mario, que Mario?. Mas a grande surpresa do ficou por conta da Abraham, que revelou que não é gay, mas ficou completamente  enlouquecida quando achou que o convidado da semana seria o Kurt. Sei… se entrasse o Blane, eu queria ver quem é que iria conseguir segurar toda essa alma in rainbows HT. (rs)

E isso foi o que vc perdeu em T-h-e-U-n-c-l-e-R-y-a-n-S-h-o-w (rs)

 

♥ Já está seguindo a magia do Guilt no Twitter? Ainda não? @themodernguilt

Etiquetas: , , , , , ,

3 Respostas to “Danceability + Vulnerability”

  1. Jubs Says:

    The Glee Project o melhor reality EVER.
    Eu amo o Sam, mas precisava ele soltar a frase da Hannah? Eu fiquei bem chateada com ele, agora imagina a Hannah vendo isso? Será que o Damian também vai dar o ar da graça nessa temporada?
    Dani Shay (♥) Como eu chorei com a saída dela. Só vou perdoar o uncle Ryan quando ele colocar a Lily para correr, rs. E quem lembra o nome daquela fraca? Quem? Nem ela deve lembrar. Muita preguiça de gente fraca que sai na segunda semana.
    Eu até que gosto dos vídeos da semana, mas esse foi tão sem graça. Acho que gosto de vídeos mais agitados (olhei o da semana que vem e gostei, achei até o final engraçado).
    Achei injusto terem mandado o Charlie para a repescagem por conta disso. Tá, foi perigoso? Foi! Mas mantiveram no vídeo… Assim ficou sem coerência.
    Eu não gostei da apresentação da Lily.Pra mim deveriam ter tirado ela e aquelas lágrimas não me convenceram nem um pouco. Tá forçando para tentar mostrar que ela faz a megabitch para esconder que é vulnerável. Sei lá, pode até ser verdade, mas já vi isso na Lindsay e não cola. #FORALILY
    E o Mario, hem? Ele consegue ser super arrogante e super fofo em segundos. E você falou da Nikki, que ela parece ser falsa, agora não consigo mais vê-la como antes, hehe. Mas ainda gosto dela, um pouco.
    Eu teria eliminado a Lily, e provavelmente porque isso está se tornando pessoal, rs.
    Abraham se dizendo não gay, será? Mas me diz quem não daria pinta com o Blane (♥)?

    • Essy Says:

      #NHÉ!
      Também achei tão desnecessária aquela line. Olha que a gente já tinha até esquecido dessa sua atitude de megabitch do passado. Não precisava… (também não precisava andar descalço)
      Acho que o Damian aparece também. Acho que todos os principais da série vão dar o ar da sua graça, já que TGP é um sucesso. Já ouvi sobre a participação da Santana, que acho que é a próxima.

      E está demorando para eles colocarem Lilybitch para correr, não? Acho que estão segurando de propósito, porque sabem que ela vai explodir a qualquer momento e isso pode render. Além disso ela fica entre os piores toda semana, só para dar uma baixada em toda a sua postura de grande Diva. Quero que ela saia humilhada, perdendo para o Tyler e que dê um barraco, como ela já vem ensaiando (que é uma ofensa permanecer como cantor dentro daquele grupo, vai?)

      Foi bem injusto o que fizeram com o Charlie, que é o meu candidato para o novo Finn (embora eu AME o Michael, que eu sinto que estão deixando de lado para não dar na cara que ele vai vencer…), mas aquela apresentação dele foi SENSACIONAL! Fiquei morrendo de orgulho!

      Já a Lily repetiu o que ela já havia feito na semana passada. Parecia a mesma apresentação,só que como uma música diferente. E ela é quem se coloca na postura de gordinha sexy, ninguém força ela a ocupar essa posição. E aquelas lágrimas, foram bem falsas mesmo, tanto que depois, na sala de espera, ela bem deixou a entender que forçou as emoções para agradar. #FORALILY

      Mario deve ser bipolar, só pode. Mas aquele final da música dele, me fez chorar, assumo. Achei que foi tão apropriado para o que ele representa na série, sabe?
      Só não estou gostando muito dessa postura dos deficientes da série, estou achando que eles estão muito convencidos, só porque são diferentes do que já existe na série e se sentem com vontade. Adorei que a Kikki meio que colocou todo mundo no seu devido lugar com o seu comentário.

      Mas não aguento os olhares da Nikki. Tem um apertadinho que eu acho super de megabitch e tem outro que eu acho de desejo, quando entram os meninos, rs

      Abraham vai perder nessa (mas vai saber se é verdade…) E realmente, quem não daria pinta com o Blaine? (eu daria mais pinta ainda com o irmão dele e com a Kurt. HÖY!)

  2. Glee-ality « The Modern Guilt Says:

    […] temporada tivemos os temas Individuality, Dance-ability, Vulnerability, Sexuality, Adaptability, Fearlessness, Theatricality, Tenacity, Romanticality e […]

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s


<span>%d</span> bloggers like this: