Escolhability: Quem deve ganhar a segunda temporada de The Glee Project?

Porque Ali deve ganhar a Season 2 de The Glee Project?

Ali não nos conquistou logo de cara não e vamos ter que ser sinceros em dizer que a sua voz lá no começo não era das melhores, mas desde sempre ela foi se posicionando como uma das participantes com mais carisma dentro da competição. O que também sempre me chamou atenção nela foi toda a habilidade que Ali demonstrava ter enquanto cadeirante, algo que sempre foi notável e admirável na sua personagem desde que ela apareceu pela primeira vez no vídeo, sempre competindo no mesmo nível dos demais participantes, inclusive quando o assunto era coreô. Mas Ali tinha algo que ainda me incomodava, que era uma “felicidade” exagerada”, que a princípio me parecia meio que forçada demais…

E o tempo transformou Ali dentro dessa segunda edição de TGP e a medida em que ele foi passando, fomos vendo a transformação da garota em uma forte candidata ao prêmio. E foi quando eu comecei a entender que Ali era sim dona de toda aquela felicidade, que durante todos esses episódios até agora, ela conseguiu manter firme e forte e com um certa naturalidade, provando que aquele positivismo todo é mesmo dela. Talvez o start dessa “nova Ali” tenha começado durante aquela sua apresentação ao lado do Abraham, onde ela não só salvou o candidato daquele fiasco (acho até que ele deveria ter sido eliminado naquela ocasião, embora tenha ficado bastante feliz com o eliminado daquela vez também) como acabou roubando a cena, dando os primeiros indícios de que ela tinha sim um grande personagem para nos entregar dentro da série, mesmo com o seu plot não sendo mais nenhuma novidade.

Daí por diante, Ali se transformou para melhor. Começou a garantir cada vez mais o seu espaço vencendo as tarefas da semana e foi se destacando cada vez mais, onde até a sua voz que no começo não era das minhas preferidas (pelo contrário), acabou melhorando e muito, a ponto de começarmos a enxergar a cantora dentro dela, que pode não ser o mais importante para vencer a competição (e há quem ainda não tenha entendido isso. Beijo Shanna!), mas também tem o seu peso. Além disso, Ali foi transbordando carisma do meio para o final dessa temporada, ganhando o carinho de todos os jurados (e de nós todos também) e mostrando que além de tudo isso, ela ainda guardava um excelente talento para a comédia, que talvez seja o seu ponto forte enquanto atriz. Se bem que, adoro ela revoltada, nervosa & demônia em momentos como a sua parte em “You Oughta Know”.

Mas nada disso que eu já disse até aqui foi o que mais me chamou a atenção para a personagem de Ali a ponto de me fazer passar a torcer também por ela nessa reta final da competição. Diferente de outros personagens que disputaram um vaga para entrar em TGP e que conseguiram de fato o seu lugar entre os 14 escolhidos da vez, Ali foi a única que nós não vimos se “apoiar” na sua condição para tentar garantir a sua vaga até o final, que é o que eu considero como o seu maior mérito. Muito pelo contrário, dentro de todas as suas limitações, a participante acabou demonstrando uma vontade de não ser tratada diferente desde o começo, sem criar caso ou chamar demais a atenção para esse “detalhe” da sua vida, mesmo que isso nunca tenha sido muito evidenciado na edição, com um discurso qualquer de superação que no final das contas poderia até parecer meio que apelativo demais.

Nada disso. Ali mergulhou na piscina quando necessário, pediu para levar as slushies na cara como todo mundo e quase morreu congelada, dançou, pulou e o fato dela ser uma cadeirante acabou praticamente desaparecendo dentro da competição, se tornando apenas uma mero detalhe de tudo que ela representava. E por essa postura que ela veio se apresentando dentro da competição até aqui, exigindo competir de igual para igual e não fazendo questão de um tratamento diferencial por conta da sua condição e nunca usando isso como desculpa para quando ela acabou não se saindo tão bem assim (Beija Tyler, Abraham, Mario, Nellie e Lily), por esse motivo, hoje nos encontramos assim, dispostos a torcer por ela e até ficarmos felizes caso ela saia como a grande vencedora dessa edição de TGP. (apesar dela não ser a #1 no meu coração e todo mundo que acompanha o Guilt já estar mais careca do que a Naomi de saber disso).

 

Porque o Blake deve ganhar a Season 2 de The Glee Project?

Sinceramente? Eu não vejo porque. Sorry.

Me desculpe quem for da torcida do Blake, mas desde o começo da competição eu não consigo enxergar a grande estrela que muitas pessoas enxergam nele. Simplesmente não consigo.

Sim, eu vejo um garoto lindo, forte, grande & atlético (Höy), do tipo que as garotas vão se apaixonar e alguns garotos também. Até a Nikki se apaixonou (e o Darren também, rs). Sim eu vejo uma boa voz que canta direitinho e tudo mais, mas que se vc fechar os olhos poderia ser de qualquer outro cantorzinho desses que surgem por aí todo dia. Sim, eu vejo um ator que consegue entregar o que está sendo pedido sem precisar fazer muito sacrifício, mas nada demais também, nada que emocione ou que me faça torcer por ele. Mas o que eu mais vejo dentro de tudo isso é um candidato apenas OK dentro da sua própria zona de conforto, o que eu considero fácil demais e por isso não vejo ele como um merecedor da vaga em Glee. E entendam, acho ele um bom rapaz, do tipo foufo e tudo mais, mas isso eu também sou e talvez vcs também sejam (quem lê sempre o blog eu sei que é… quem estiver chegando agora ainda precisamos nos conhecer para eu poder dizer alguma coisa…) e nem por isso vamos todos ser os novos personagens de Glee. (se bem que eu poderia, hein? rs)

Blake tem tudo para ser uma estrela conforme eu disse acima, preenchendo tudo o que é preciso para isso, mas falta aquele algo mais que poderia diferenciá-lo de tantos outros garotos bonitões fortões e que sabem cantar e atuar e que existem em toda e qualquer esquina de Ohio e muito provavelmente do mundo todo. E esse algo mais eu não consigo enxergar nele, não tem jeito. Dentro da competição, até acho que ele merecia menos estar nessa final do que o Michael e o Charlie por exemplo, mas isso alguém poderia considerar tendencioso, desde que a minha torcida entre os meninos sempre foi declarada para esses dois. Mas tudo bem, deixando esse meu lado fã passional de lado, eu preciso dizer que o que tanto o Michael quanto o Charlie conseguiram fazer durante o tempo que cada um deles permaneceu dentro do programa em termos de surpresa, Blake ficou nos devendo até hoje. Me conte uma cena em que vc ficou emocionado com a atuação do boy magia (de alguns…) dessa edição, ou que tenha pelo menos te surpreendido?

Não existe. Blake foi corretinho do começo ao fim, mas é só isso.

Desde o começo ele foi o mesmo, sem nenhuma surpresa ou um grande momento. Pra mim, Blake é a versão masculina da Shanna por exemplo, que foi o fantasma dessa edição, com a diferença de que pelo menos ele tinha um certo nível de magia que não o fazia passar tão despercebido assim. Esteve ali, confortável na sua posição de galã, esperando ver quem iria sair por último para competir com ele na final e só. Até acho que ultimamente ele não foi tão bem assim e o seu nervosismo nas duas últimas apresentações diante do uncle Ryan talvez denunciem que ele não esta muito preparado para ser uma estrela. Não agora. Não em Glee. Mas desde o começo eles disseram que estavam a procura do novo Finn, o que para essa exata posição, Blake realmente parece perfeito.

Mas a pergunta que fica no ar é a seguinte: será que queremos mesmo ver o novo Finn sendo praticamente a mesma caricatura do Finn antigo? (NOT)

O bonitão da escola, esportista, que poderia ficar com qualquer garota do colégio, que namora a menina mais linda do pedaço e que um dia se vê apaixonado pela talentosa e menos popular da turma. Sério. Até quando?

Esse é um estereotipo que já foi muito usado na TV americana, com bons e péssimos exemplos do gênero, mas em uma série como Glee, já está mais do que claro que quem acaba fazendo mais sucesso dentro daquele coral são os underdogs e Blake não é um e nem nunca foi um deles (nem quando disse que foi um garoto magrelo no passado…) e talvez por isso não mereça ganhar essa edição de TGP, por representar uma maioria que sempre vimos aos montes na TV. Desculpa qualquer coisa Blake, mas preferimos o que não é tão óbvio assim.

 

Porque Aylin deve ganhar a Season 2 de The Glee Project?

Aylinda apareceu como mais uma daquelas meninas que nós conhecemos muito bem, do tipo que parece mais interessada nos meninos do que qualquer outra coisa. Mas isso de um jeito até que legal e super assumido desde sempre, o que a gente até aceita de coração aberto de vez em quando. Até já tivemos uma representante bem parecida na edição passada, que acabou indo para a casa bem mais cedo. Com a diferença de que Aylin tinha algumas camadas ainda para serem reveladas com o tempo. E em um curtíssimo espaço de tempo, digamos assim…

A participante tinha algo mais na sua personalidade que foi nos conquistando aos poucos, uma garota com um nível de carisma absurdamente absurdo. Primeiro pela sua voz, totalmente diferente das demais competidoras dessa edição e a que mais me agradou logo de cara. E segundo que qualquer pessoa que tenha coragem de falar para sabe-se lá quantos milhões de pessoas  no mundo e para o dono de tudo aquilo que vinha de uma família muçulmana, que não fazia a menor ideia do seu “sucesso” com os meninos e que a sua mãe não deixava nem ela usar absorvente interno com medo de qualquer coisa (rs), já merece todo o nosso respeito, não? Se naquele momento o próprio uncle Ryan reconheceu que ela o ganhou por essa declaração tão sem vergonha, para todos nós também não foi diferente. E isso lá no começo de tudo, hein?

Depois disso, a nossa história de amor só foi crescendo pela alma livre que  Aylin demonstrava ter a cada novo episódio e que ia totalmente contra ao estereotipo de uma garota muçulmana que todos nós já temos construído “preconceituosamente” na nossa imaginação. E isso não só por ela ser atirada, decidida, por se jogar para cima do boy magia que ela escolheu dentro da competição (Charlie) e sim pela forma como ela sempre tratou tudo aquilo, sempre com uma naturalidade muito rara de ser vista em participantes de  qualquer reality, que tendem a ser sempre tão apelativos e pouco honestos ou até mesmo sinceros.

Seu momento decisivo durante essa Season 2 foi quando ela teve que enfrentar o seu Charlie nos três piores da semana ainda no meio da competição. Drama. Naquele momento, percebi que Aylin fez a decisão certa, optando pelo seu grande sonho e fazendo o Zach até se levantar para aplaudi-la de pé durante a sua melhor apresentação dessa temporada, que eu não me canso de ouvir em looping até hoje e antes não ligava a mínima para a música da Riwanna. Sério. Após essa apresentação, que começou com as risadas dos jurados em coro ao ver aquela menina entrar toda saltitante no seu vestido vermelho curtíssimo e cheio de babados, com uma doçura absurda no olhar e que acabou com lágrimas nos olhos de todos eles (fora o orgulho que transbordava naquele momento) com o potencial daquela voz, que naquela hora perceberam a força que Aylin tinha dentro da competição. Nesse mesmo episódio, ela acabou recebendo o feedback mais sincero do Ryan Murphy durante essa temporada, que a fez despertar para a sua grande chance de sair como a vencedora dessa edição.

E sinceramente? Gosto de tudo na Aylin. TU-DO. Deixando um pouco de lado a sua personalidade, que é difícil de não se apaixonar ou ignorar, ela consegue reunir tudo o que a gente espera de um personagem em Glee: tem uma voz linda, atua bem, parece ser uma ótima pessoa fora do personagem, o que é sempre muito importante e é o que nos faz ter vontade de torcer por um participante, daquele tipo que a gente sente vontade de ser amiga e tudo mais e somado a tudo isso, é dela o melhor personagem pronto dessa temporada, sem a menor dúvida.

A força desse personagem que ainda não vimos em Glee (ou em qualquer outro lugar) talvez tenha ficado mais do que evidente na imagem daquela garota que parece ter lutado tanto pela sua liberdade, se vendo completamente presa dentro de um estereotipo que deve trazer uma série de memórias fortes e importantes para ela (e tantas outras meninas dentro dessa mesma situação), isso no penúltimo episódio dessa temporada. Agora, deixando de lado também o meu lado de grande fã declarado da Aylin durante toda essa temporada, preciso dizer que de uma perspectiva de alguém que gosta muito de séries de TV e que AMA Glee desde sempre (mesmo quando não é tão boa assim), nada foi mais impactante do que essa imagem do conflito da participante com parte de suas raízes que ela como boa representante de uma garota moderna e dona do seu próprio nariz, se recusa sabiamente a aceitar. NADA!

Talvez esse momento só empate com o discurso dela mesmo sobre estar pronta para aceitar esse fardo de ser a primeira representante de uma nova geração de garotas que assim como ela, tem que enfrentar uma dura batalha apenas pela chance de ser livre ou poder demonstrar quem elas são de verdade e quais são suas verdadeiras vontades. Um discurso que não foi nada pedante, nada apelativo e que mesmo assim me faz escrever esse parágrafo com lágrimas nos olhos, só de lembrar desse momento.

De todos os 14 participantes dessa segunda temporada de The Glee Project, Aylin é sim quem tem o personagem pronto mais interessante de todos eles e seria verdadeiramente uma delícia ver na TV mais um estereotipo ser quebrado, como Glee vem conseguindo fazer tão bem ao longo de suas três temporadas até agora e de uma forma sempre tão bacana, como poucas vezes vimos na TV.

Mas não só por isso ela merece ser a grande vencedora da Season 2 de TGP e sim porque além de ser uma personagem inédita e interessantíssima, ela sempre se mostrou com uma pessoa adorável, do tipo que te faz torcer por ela sem precisar de muito esforço, sem contar que levando tudo isso em consideração, Aylin é a participante mais completa em todos os sentidos para vencer essa edicção de The Glee Project e por isso a nossa torcida vai com mais força para ela na próxima terça-feira, que é o dia da grande final e que a gente espera ouvir o seu nome sendo escolhindo pelo uncle Ryan na hora da decisão final. (♥²)

E agora só nos resta torcer, tentar fugir dos spoilers (por favor hein?) e voltar aqui para escrever sobre a season finale, que a gente espera que tenha um final bem feliz (Aylin) ou pelo menos feliz (Ali) neam e que não seja nada injusto (Blake).

 

ps: querido Ryan Murphy, já que vc manda nisso tudo e mesmo tendo declarado desde o começo que dessa vez apenas um deles iria ganhar, seria lindo ver uma final totalmente feminina, com Aylin e Ali saindo como as grandes vencedoras dessa edição hein? Pense nisso… (e quem sabe reconsiderar o Charlie? Too far? OK, considere apenas a dupla vitória feminina então que todos nós já vamos ficar mais do que felizes! (só não escolha o Blake, pleeease! Desculpa qualquer coisa de novo, Blake. Juro que não é nada pessoal)

ps2: sim, as imagens estão meio assim porque é tudo GIF e eu não sei se esse é um problema meu aqui, mas o WordPress aqui no Guilt não abre a imagem em movimento, a não ser que ela  é clicada. Humpf!

 

♥ Já está seguindo a magia do Guilt no Twitter? Ainda não? @themodernguilt

Etiquetas: , , , , , , ,

7 Respostas to “Escolhability: Quem deve ganhar a segunda temporada de The Glee Project?”

  1. marjoriematsue Says:

    Tá abrindo gif normal aqui. Concordo muito e admiro demais a posição da Ali de nunca se justificar diante de uma anotação (como já foi dito no programa), ou, pior, usar sua particularidade para este fim! =)

    • Essy Says:

      Aqui nunca abre na página principal. Humpf!
      Ali sempre me chamou atenção por esse motivo e por isso, nem quando eu não gostava da voz dela, eu não conseguia torcer contra. Go Ali! (acabei de ver a finale mas não vou contar nada até o último post)

  2. Jaci Carvalho Says:

    Poize, acabei de ver a final e vim aqui, pra ve se já podia comentar, titio Ryan me deve um presente de aniversário.

    • Essy Says:

      Nem me fale. Ainda preciso escrever sobre a finale, mas falta assistir os 20 primeiros minutos, que eu acabei perdendo.
      Ryan está me devendo uma… Finn tmbm, rs

  3. Glee-ality « The Modern Guilt Says:

    […] sei, eu sei que fiz um discurso recentemente dizendo o porque de dentre os três, Blake era o único que não deveria vencer essa […]

  4. David Ferrer Says:

    Não vejo a razão por que o Blake ganhou, pois ele é igual ás outras personagens, um menino atlético bonito. Acho que deveria ter sido a Aylin a ganhar. Mas já agora, Blake ganhou, por isso entrou no glee, mas a Ali entrou no episódio 14 “I Do”.

    • Essy Says:

      Na época, eu pensava exatamente assim, até entender que na verdade, Blake representava tudo aquilo que o uncle Ryan sempre esperou que o Finn alcançasse e que nunca aconteceu, por isso ele acabou ganhando.
      Apesar de já aceitar a sua vitória hoje em dia, continua achando que a Aylin teria sido algo a mais importante para Glee, ainda mais nessa altura.
      De qualquer forma, como vimos a Ali participando do último ep, quem sabe Aylin ainda não ganha a sua chance?

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: