Posts Tagged ‘1×10 Glee-Ality’

Glee-Ality, o delicioso e surpreendente final de The Glee Project

Agosto 24, 2011

Fiquei tenso porque não consegui assistir online ao season finale de The Glee Project, que aconteceu no domingo. Decidi esperar o Paolo Torrento trazer o episódio pra mim (o que ele costuma fazer na segunda ou terça), mas como fazer para evitar os spoillers até lá?

Recorri a toda a minha habilidade adquirida com o meu curso de leitura dinâmica por correspondência e passei a ler todas as páginas que eu visito diariamente, apenas batendo o olho e evitando as iniciciais “TGP”, rs. Tudo isso para evitar spoilers até eu de fato conseguir finalmente assistir o episódio.

O JJ mesmo fez questão de postar o resultado no domingo, entregando o nome do vencedor. Fiquei coçando para não clicar “acidentalmente” no link e descobrir quem ganhou. Mas resisti bravamente a minha auto sabotagem, rs. Assim como resisti também a assistir os 4 min finais do episódio, que como sempre acabou vazando por ai.

E a partir de agora, vc que ainda não assistiu ao episódio final de The Glee Project (1×10 Glee-Ality) deve parar a sua leitura por aqui pq vou começar a revelar spoilers e eu recomendo seriamente que vc evite de ler esse post até o fim, para não perder a experiência da total surpresa com o resultado da competição. Vale a pena, fikdik

* Mesmo assim, não vou colocar nenhuma imagem que entregue o vencedor, assim como as imagens do grande momento final, para não estragar a experiência de quem ainda não assistiu ao ep (que eu sei que esta dramático de achar)

Em outro post, eu já revelei para todos vcs o meu encantamento com o programa, apesar do fato de ter torcido o nariz sobre a idéia a princípio. Pois bem, realmente eu mordi a minha língua.

Não só The Glee Project é um excelente reality, como talvez tenha se tornado o meu preferido. Isso porque nesse caso estamos falando de talento e só isso eu já acho um ponto forte a favor do programa. Mas como se não bastasse vc ter jovens talentosos, carismáticos e que poderiam muito bem representar eu ou vc no high school antigo, tivemos tmbm excelentes jurados, sem aquela aura bitch que ronda as mesas de todo jurado de reality show, do tipo que adora humilhar os concorrentes a troco de nada. Sério, eu não sei como os concorrentes que entram nesse tipo de competição conseguem aguentar tanta humilhação. Eu por muito menos, sairia chutando tudo e gritando umas verdades na cara de quem fosse.

Mas no reality show que escolheria um novo personagem para entrar em Glee por 7 episódios, tudo foi diferente. Além de lidar com o sonho de muitos jovens, alguns realmente muito talentosos e outros mais dispostos a ganhar o seu momento em Hollywood, logo de cara, eles já me pareceram mais interessados em pessoas de verdade, em personagens da vida real e isso ficou bem claro durante toda a competição em diversos momentos.

Apesar de algumas predileções óbvias dos jurados, como o encantamento geral pelo Cameron por exemplo (e quem não se encantou por esse menino que atire o primeiro crucifixo), eles estavam mesmo interessados na caça ao “underdog”, termo muito utilizado no programa para descrever quem seria o merecedor de um papel na série. Sim, para vencer a competição vc precisava pertencer ao universo de Glee e não apenas ser o mais talentoso.

Glee é uma série que representa as minorias, e muito bem por sinal. Todo mundo esta cansado de ouvir falar disso e o assunto já virou até piada para os menos humorados sobre o assunto ou aqueles ainda magoados por tanta atenção que eles recebem, mas a verdade é que nenhuma série até hoje exaltou tanto como qualidade a identidade própria de cada um, e ainda mais mostrando o quanto eles sofrem apenas por ser quem são. Ser diferente não é fácil, é simples, mas não é encarado dessa forma e geralmente quem não estende esse tipo de colocação na série, geralmente é porque pertence ao outro grupo de pessoas, o oposto e tidos como “normais” pela sociedade. Eu me sinto representado, de verdade e certamente fui um underdog no meu own high school antigo. (o que pode servir de esperança para alguns, ou como um pesadelo para outros, sobre o que vc ainda pode vir a se tornar, fikfik)

Enfim, voltando ao programa, achei que eles conseguiram encaixar muito bem a dinâmica da série no reality. Personalidades bem definidas, o climão de escola antiga que a gente ama em Glee  e aquele momento de dizer adeus a cada eliminado, que era de partir qualquer coração ao som de “Keep Holding On”, música que eu ando cantando muito no chuveiro ultimamente por conta disso, rs.

Sem dúvidas, mais do que as apresentações, os videos, ou a última chance ao vivo no auditório, aquele momento em que os três possíveis eliminados caminhavam pelo corredor da escola, para saber quem não seria chamado para voltar para os testes, foi o momento mais emocionante de todos os episódios, além de ser sempre uma surpresa, algumas vezes também de partir o coração (Oh Hannah!). Muito mais do que um drama qualquer que tenha rolado, ou todo aquele mimimi de sempre de qualquer programa de tv apelativo.

No final, para a surpresa de todos (que esperavam apenas 3), tivemos 4 finalistas. Alex, Lindsay, Samuel e Damian, todos com a sua estrela dourada na lista que garantiu seus lugares na final.

Pausa: o que foi a participação do Kevin McHale no penúltimo episódio? Pura foufurice foufa, ainda mais quando ele tirou o seu pente da sorte e deu para a Lindsay, que venceu o desafio da semana. Howcuteisthat? (e todas ficaram com inveja, humpf!)

Dos 4 finalistas, o único para quem eu torci desde o começo foi o irlandês mais foufo do mundo: Damian. Ele não tinha a melhor voz, não tinha os melhores movimentos, nem as melhores caras, mas sempre foi um foufo e fazia por merecer a sua estadia. Sabe aquele tipo de personagem que vc torce logo de cara? Além do que, ele penou para chegar até a final e o melhor de tudo, sem fazer mimimi.

Do Samuel eu sempre gostei. Até o dia em que ele roubou o rap da Hannah. Nesse dia ele se revelou com um vilão pra mim. Apesar de que, desde o começo, a sua voz sempre foi a minha preferida.

Dentre aqueles que não estavam na final, a minha torcida sempre foi para a Hannah, que além de ruiva magia tinha um humor delicioso e eu preciso dizer que ela ficava maravileeeandra toda produzida para os videos, Höy, e também o Cameron, o representante nerd magia mais foufo desse mundo, que me lembrou muito um certo blogueiro ae com o seu fundamento (tisc tisc). Até hoje eu acho que se ele não tivesse desistido, ele teria levado o primeiro lugar no programa. Mas Cameron ainda é novinho e esta na hora certa para fazer as escolhas erradas. Mesmo assim, achei que ele foi tolo, ou nunca assistiu ao programa antes.

Linday e Alex eu sempre achei divonas demais. Ela perfeccionista, chata, arrogante e sempre tentando chamar mais atenção do que qualquer outra pessoa. A perfeita nova Rachel. Ele tão arrogante quanto, venenosa, com aquele tipo de humor que sobrevive de colocar os demais para baixo, só para se sentir melhor. Mas Alex tinha a coragem ao seu favor, e quando ele se vestia de cosplay da Dra Bailey (rs), toda a sua arrogâcia ganhava o escudo do seu talento, que era indiscutível, apesar do excesso de firula que eu não gosto muito.

A final foi cheia de surpresas e teve alguns clichês é claro, como a participação de todos os ex participantes, que todo mundo já esperava, mas que acabou resultando em uma foufurice a mais para o episódio. E vai dizer que não foi sensacional ter todos os ex participantes fazendo coro para os 4 finalistas aos som de “Don’t Stop Believing”? Fiquei até arrepiado!

O video do episódio foi meio assim, como quase todos os videos da temporada. Acho que merecia mais atenção nesse caso, pq eu quase não gostei de nenhum. E essa é praticamente a minha única crítica quanto ao programa.

Agora vamos ao momento das 4 apresentações finais, que definiriam o vencedor do projeto. Cada um deles, pela primeira vez pode escolher o que cantar. Algo que poderia funcionar com um arma para alguns, ou tmbm um tiro no pé para outros.

Todos optaram por algo dentro da sua zona de conforto, decisão que eu considerei inteligente, uma vez que chegou a hora de mostrar a sua bagagem e não ser desafiado como até então. Nesse momento, eu achei que a única prejudicada foi a Lindsay, que escolheu um clássico dos musicais, mas que sempre parecem longos demais, mesmo com a duração de 2 min. Zzzz. Algo que não se repetiu na apresentação do Alex, que tmbm escolheu uma trilha de musical, de “Dreamgirls”, mas como ele tem mais “camadas” e trejeitos ao cantar, além do fato de estar vestido de mulher, sua apresentação acabou emocionando muito mais.

Os dois outros meninos apelaram para a magia. Samuel recuperou o seu lugar no meu coração ao escolher “Jolene”. Para quem ainda não sabe, é o nome do meu croqui feminino preferido e minha personagem durante os 4 anos de faculdade de moda, que me acompanha até hoje. Até os meus professores conhecem a magia Jolene e devem se lembrar dela (convencido…). E esse tmbm é o nome da minha alma feminina, uma ruiva magia poder, rs (vulgo, meu nome na noite, euri).

Mas o Damian, ahhhh o Damian conseguiu deixar todo mundo suspirando na platéia, com toda a foufurice da dedicatória da sua música final para os seus melhores amigos no programa, Hannah e Cameron. Howcuteisthat?

Nesse momento eu achei que o prêmio era dele. Tinha certeza disso…

Até que o Ryan Murphy resolveu tecer merecidos elogios para os 4 participantes, todos visivelmente emocionados, além da platéia que tinha todos os envolvidos no programa até então, além dos participantes eliminados e os convidados especiais durante a temporada (menos o McHale).

Nesse momento, aconteceu o primeiro anúncio: Alex e Lindsay, não foi dessa vez.

Apesar de ficar triste com a derrota alheia, meus dedos continuavam cruzados, enquanto o coração quase saia pela boca. E eu falava baixeeenho para mim memso: Damian! Damian! Damian!

Me volta o Ryan Murphy, que fez mais alguns elogios para os dois meninos que sobraram para a vaga, dizendo que o Damian era o candidato para quem todo mundo estava torcendo, até mesmo o elenco da série e o Samuel era a estrela, aquele que tinha o fator “it”. Todo mundo estava visivelmente aflito nesse momento, inclusive o diretor de elenco e o coreógrafo. Até que sem rodeios ele anunciou: Samuel, vc venceu o The Glee Project. PÁ!

Apesar de ter ficado com o coração partido pelo Damian não ter levado, fiquei feliz pela escolha não ter sido óbvia, além do que o garoto era bem talentoso. Mesmo triste com a derrota do meu queridinho, eu aplaudi, pq sou um garoto educado.

Com toda aquela emoção da revelação do vencedor do programa, o Ryan Murphy pediu para o Damian descrever o que ele estava sentindo naquele momento e ele  generosamente elogiou o vencedor e disse (com um nó na garganta que só era maior do que o meu nessa hora) que é muito difícil chegar tão perto e não levar o prêmio. Awnnnn (glupt)

E foi nesse momento que o Ryan sambou na cara da sociedade e revelou que na verdade, o Damian também havia ganhado o programa. PÁ! BOOM! BANG! KABOOM! Damian! Damian! Damian! CATAPLOFT!

Nesse momento eu até derramei uma lágrima. Pode parecer idiota, lame, mas eu fiquei bem emocionado com aquele irlandês das sobrancelhas dançantes, pulando de um lado para o outro, além de ter ficado emocionado tmbm ao ver a Hannah, toda emocionada na platéia, feliz pela vitória do amigo boy magia do coração. Awwwnnnn!

Sim, tivemos um empate, nada mais do que justo e os dois vencedores terão os seus 7 episódios garantidos na próxima temporada de Glee. Howfairisthat? E eu já estou bem ansioso para isso.

E quando a gente acha que de emoção já era o suficiente para uma final, titio Ryan Murphy estava se sentindo generoso naquela noite e de brinde, ainda disse que vai escrever 2 episódios para a Lindsay e para o Alex também. Howcoolisthat?

Ai a comoção foi geral, apesar de sentir que uma das ex participantes da platéia estava rezando para que eles todos tivessem essa chance.

Ou seja, The Glee Project se revelou  uma delícia de competição que pode resultar em uma carreira além de tudo, nada óbiva, do tipo que eu não consegui acertar quase nenhum dos eliminados e me senti surpreendido até o final. Só senti falta da participação do elenco principal da série, que eu jurava que iria aparecer em peso na final para receber o seu novo colega de trabalho. Mas quem sabe na próxima temporada, hein?

Porque para quem não sabe, já estão abertas as incrições para o The Glee Project 2 e vc pode se inscrever aqui, que se eu fosse bem mais afinado, eu até me arriscaria hein? rs

O melhor de tudo é não ter me decepcionado com o final. Achei justo, achei foufo, achei sincero e achei generoso. Clap Clap Clap Ryan Murphy!

E com esse resultado final surpreendente e delicioso, eu já garanto o meu lugar no sofá todo domingo para a próxima temporada. E o que vai ser delicioso ver esses rostinhos conhecidos na próxima temporada de Glee hein? Com certeza, uma experiência que quem não assistiu ao TGP, não vai poder aproveitar tanto quanto a gente. Sorry!

ps: por esses dias saiu o episódio 1×00 (eu pelo menos não tinha visto antes), com o processo de seleção, que eu também recomendo e já estou na torcida para a entrada do namorado da Becky na série, rs. Mas a pergunta que não quer calar é: foi ele o par da Becky na formatura? Hein?


%d bloggers like this: