Posts Tagged ‘2012’

Maratonas que todos deveriam ter feito em 2012

Dezembro 27, 2012

ewan-mcgregor-covers-menswear-magazine-03

Estava eu triste comigo mesmo, fazendo um balanço sobre tudo o que eu assisti durante essa ano que passou, achando que não tinha me dedicado o suficiente a minha vida televisiva (talvez fosse apenas o efeito do hiatus falando mais alto nesse atual momento), quando resolvi fazer a matemática das maratonas que acabei encarando em 2012 e não é que eu fiquei até surpreso com o resultado?

De um total de 8 séries, apenas apenas 2 já estavam completas (para não dizer canceladas) e as outras 6 foram acrescentadas a minha agenda de sempre, todas excelentes e muito bem vindas por sinal. Desse total, 3 delas são americanas, 4 inglesas (meu atual fraco) e 1 delas canadense. Fazendo um cálculo básico na minha calculadora científica da Hello Kitty, foram 21 temporadas, somando um total de 226 episódios. Ou seja, na verdade, somando esse número a tudo que eu já assisto normalmente (e vocês sabem que não é pouca coisa), na verdade, eu realmente não tenho muito do que me envergonhar em relação ao meu desempenho em frente a TV durante o ano de 2012. (na verdade, talvez eu tenha que me envergonhar pelo total de horas gastas apenas nessa tarefa, rs #SHAMEONME)

Para encerrar o ano, resolvi fazer uma lista reunindo todas as maratonas sensacionais que nós dividimos aqui no Guilt durante esse ano de 2012 , aproveitando esse período de marasmo na TV que é sempre essa época de hiatus, na esperança de quem sabe assim acabar influenciando mais alguém a assistir a pelo menos uma dessas séries que merecem e muito serem vistas por todos. Isso pensando em quem eu não consegui convencer ainda… porque em todas elas, eu já trabalhei bastante nesse plot, rs

 

Doctor Who

DOCTOR WHO

A essa altura, já não é mais segredo para ninguém o meu amor por Doctor Who. Apesar da ter começado a assistir a série através da sua Season 5, a primeira com o 11th Doctor e na companhia dos Ponds, me apaixonei tanto por esse personagem e por toda a sua mitologia, que prometi para mim mesmo que eu precisava conhecer mais dessa história fantasiosa e tão especial.

Assim, me aventurei em uma maratona deliciosa nas quatro temporadas anteriores dessa nova fase da série (a partir de 2005), onde acabei conhecendo e também me apegando bastante aos outros dois doutores que ajudaram a criar a mitologia desse personagem que sem a menor dúvida é o que justifica toda a grandeza da série, que está prestes a completar 50 anos agora em 2013. SIM, eu disse 50 anos!

Realmente não é a toa que Doctor Who vem conquistando cada vez mais fãs pelo mundo todo com suas histórias, que tem um universo riquíssimo a ser explorado, onde essa jornada passa a ser uma verdadeira delícia deliciosa, seja lá qual for a sua idade.

E foi bem importante fazer essa volta ao passado recente da série, para conhecer e aprender um pouco mais sobre o personagem, além de compreender melhor algumas situações nas quais o Doutor se encontra até mesmo hoje em dia, no alto da atual Season 7, por exemplo. Algo que eu recomendo para todo mundo que for fã da série atual. Sem contar a experiência de conhecer e se despedir das companions todas ao longo desses últimos anos, além de vivenciar como é difícil nos despedir de um doutor, quando chega o momento da sua regeneração. Ambos momentos importantíssimos para a série, além de lindos e bastante especiais, é claro.

Apesar de já ter dito por várias vezes que o 11th Doctor é o meu Doutor, também é impossível enfrentar essa maratona na série antiga e não acabar se envolvendo e se apegando completamente aos outros dois Doutores dessa nova fase, aprendendo a gostar de cada um deles por motivos diferentes, conhecer e se apaixonar pelas diferenças de cada um e esse tipo de relação eu mais uma vez atribuo a grandeza desse personagem, que é realmente muito especial. Sem exageros.

Doctor Who passou a ser exibida em 2012 pela TV Cultura aqui no Brasil, que ao longo desse ano já exibiu pelo menos duas vezes cada um de seus episódios até a Season 6. Esse ano também foi lançado por aqui o box da primeira temporada da série, com o 9th Doctor e segundo a Log On Editora, os demais serão lançados em breve.

Season 1

Season 2

Season 3

Season 4

 

 

Sherlock

sherlock2

Assistir a Sherlock chega a ser uma covardia com qualquer um dos demais que tenham se aventurado dentro do já tão explorado e conhecido universo de Sherlock Holmes. E por mais que atualmente tenhamos alguns bons representantes (e bem diferentes) para o mesmo personagem, é difícil não conseguir reconhecer logo de cara que sem muita dúvida, o Sherlock Holmes interpretado pelo excelente ator Benedict Cumberbatch é muito melhor do que qualquer um dos outros. A partir da série, acabei decidindo então que esse é o meu Sherlock Holmes e não aceito outro. Pelo menos não com tanto amor, rs. (♥ – Sorry Downey Jr, Lee Miller)

Muitas pessoas torcem ao nariz para a duração de cada um dos episódios da série, com cerca de 1h30 cada, mas ao deixar esse detalhe de lado e se atentar a excepcional forma que eles escolheram para nos contar suas histórias nessa série de TV,  é bem fácil perceber que realmente esse tempo a mais para cada episódio acaba fazendo toda a diferença, de tão excelente que a Sherlock consegue ser e sem fazer com que eles pareçam arrastados demais ou qualquer coisa do tipo. Tudo dentro desses muitos minutos acaba se fazendo necessário. Tudo.

Personagens queridos, muito bem “recriados”, uma parceria espetacular entre os atores Benedict Cumberbatch e o Martin Freeman, Sherlock é sem dúvidas um dos melhores produtos da TV atual, em todo e qualquer sentido. Uma série muito bem construída, muitíssimo bem cuidada por todos os lados, cheia de referências visuais e um estilo que já se transformou em uma identidade própria (e quem copiar vai ficar com cara de cópia, não tem jeito) e que com certeza vai te deixar de queixo caído de tão boa que essa versão inglesa consegue ser. Sem contar, a especialíssima participação de um dos melhores vilões da história, Moriarty, que não deixou nada a dever para o nível do seu pior inimigo. Sério, outro dos melhores personagens da TV atual, sem a menor dúvida.

Até agora, foram exibidas duas temporadas com apenas 3 episódios cada e uma terceira já confirmada, está sendo aguardada apenas para o final de 2013, começo de 2014, devido a agenda dos dois atores principais (Humpf). Uma pena ter que esperar tanto para ter algo novo da série, mas para quem se animar, os DVDs das duas temporadas de Sherlock já se encontram disponíveis por aqui, também pela Log On Editora. Um ótimo investimento indeed.

Season 1

Season 2

 

 

Being Erica

D4CAC942E787187E92F4F8F897CA9B

Assistimos um monte de séries na TV o tempo todo e isso já faz parte da nossa rotina desde sempre. Algumas duram muito, outras pouco, mas somente algumas acabam ficando com a gente para sempre, seja por uma memória afetiva ou por qualquer outro detalhe, mas geralmente, quando isso acontece, é porque elas foram realmente especiais.

E esse é o caso de Being Erica, uma surpresa deliciosa que eu tive durante esse ano de 2012, quando decidi encarar uma maratona dentro dessa série canadense que eu sempre acabava deixando para depois, por um motivo ou outro. Talvez estivesse esperando inconscientemente pelo momento certo…

Being Erica é mesmo muito especial porque além da jornada pessoal da personagem ser uma delícia deliciosa, ela é um convite para terapia ao lado da própria Erica. E detalhe, essa não é um terapia chata ou comum, algo que deixa a série ainda mais especial. Ao lado do Doctor Tom, o terapeuta dos sonhos de qualquer um  (quem eu espero encontrar até hoje, toda vez que abro uma porta qualquer. Sério. , vamos abrindo portas e mais portas juntamente com a personagem e todas elas acabam nos levando para momentos importantes da vida da Erica e que são todos momentos muito fáceis de se relacionar com a nossa própria vida, independente das nossas diferenças.

Sério, nunca uma série havia se relacionado tanto com a minha vida (e meio que serve para todo mundo) e apesar de soar extremamente clichê  o que eu tenho a dizer sobre ela, eu realmente acabei fazendo terapia durante essas quatro deliciosas e mais do que especiais temporadas da série. Também não me lembro de ter ficado tão emocionado com um series finale por todos os motivos possíveis e imagináveis. Chorei, chorei, chorei e saí renovado. WOO!

O tipo de série para se levar para a vida e recomendar para quem a gente gosta de verdade (♥). Talvez eu a reveja pelo menos uma vez por ano, para sempre! (aquele que acha que nunca será liberado da terapia)

São quatro temporadas curtas, com uma média de 12 episódios cada, que você deve assistir acompanhado da sua caixa de Kleenex, porque é difícil conter as lágrimas. Por aqui, dizem que a série será exibida pelo recém chegado canal da BBC HD…

Season 1

Season 2

Season 3

Season 4

 

 

Downton Abbey

downton-abbey-new-top1

Todo mundo sempre falou muito bem de Downton Abbey, algo que naturalmente acabava me deixando bastante curioso a respeito da série inglesa. Confesso que histórias de época nunca foram o meu forte na TV, mas Downton Abbey acabou mudando completamente a minha visão com a sua história, que é sim antiga e apaixonante.

E tudo isso sem precisar ir muito fundo em nada, apenas aproveitando uma época distante que não vivemos e nos trazendo o dia a dia da família Crawley em Downton e a rotina de seus empregados. Apesar do tema parecer ser simples, as histórias são todas muito especiais, cheias de acontecimentos, reviravoltas e acaba acontecendo de tudo naqueles muitos cômodos daquela casa grandiosa, além dos acontecimentos históricos da época que acabam se fundindo com a história em determinados momentos. E o elenco também acaba fazendo toda a diferença para a qualidade da série, que chega a ser absurda.

Desde que a conheci, em pouco tempo a série conseguiu se transformar no meu novo novelão, daqueles onde a gente consegue encontrar de tudo um pouco do que mais gostamos. E apesar de se tratar de um drama daqueles, Downton Abbey é também uma série bem leve, sobre coisas simples como eu já disse anteriormente e recheada com momentos de pura doçura, uma inocência de outros tempos e muito daquele humor típico inglês que nós gostamos tanto.

Atualmente com três temporadas já exibidas na terra da rainha e com os DVDs recém lançados por aqui das duas primeiras temporadas, foi anunciado recentemente que a série será exibida pelo GNT a partir de Abril de 2013 e na sequência das Seasons 1 e 2.

Ainda falta falarmos da recém encerrada Season 3 aqui no Guilt (estava esperando o especial de Natal para poder fazer uma review completa da temporada), eu sei, mas logo resolveremos esse problema indeed…

Season 1

Season 2

 

 

The It Crowd

The-IT-Crowd-the-it-crowd-20584011-760-505 (2)

Como nem só de dramas e Sci-Fi se vive o homem moderno e cheio de culpa (rs), estava faltando uma comédia para começar a alegrar os meus dias durante a maratona de 2012. E foi na comédia nerd The It Crowd que eu encontrei a minha diversão garantida ao lado desses três personagens adoráveis, presos em um porão no departamento de TI da Reynholm Industries.

A série tem aquele típico humor inglês que nós adoramos, esse bem escrachado e bem politicamente incorreto em vários momentos. Sem contar todas as situações do cotidiano daquela equipe de TI, que apesar de bem simples e comum, são recheadas de piadinhas nerds e momentos de puro pastelão.

Uma típica comédia do absurdo inglesa, que é uma pena que tenha sido cancelada tão cedo. Humpf!

São quatro temporadas com apenas 6 episódios cada uma delas, do tipo que você consegue assistir sem ter que fazer muito esforço e de quebra, ainda acaba se divertindo e muito.

Já tentou desligar e ligar de novo? (♥)

ps: se alguém souber em que porão dos bastidores da TV inglesa que se encontram os toys todos utilizados no cenário da série, por favor entre em contato para que possamos planejar esse roubo do século nerd, rs.

Seasons 1,2,3,4

 

 

Awkward

AwkwardSeason1e12b

Awkward é um tapa na cara bem dado e usando o anel do humor para quem achava que uma série produzida pela MTV não poderia ser realmente boa. Tapa na cara que eu mesmo acabei tomando, quando vivia torcendo o nariz para a série mas, devido a muita insistência e comentários positivos por todos os lados, acabei dando uma chance para a mesma e isso para a minha sorte, claro, porque Awkward é realmente muito boa.

Primeiro que a série tem cara de filme da década de 80, se passa em um high school bem pé no chão, com cara de possível e tem personagens sensacionais, aproveitando muito bem essa onda do humor do “perdedor” que todo mundo sabe que ironicamente ou não, é quem mais vem se dando bem atualmente. Suck it!

Apesar de ter achado a primeira temporada bem mais especial do que a segunda, Awkward continua sim sendo uma ótima opção para que estiver a procura de uma nova “dramédia”. Ainda inédita no Brasil, a série é da MTV já recebeu a encomenda de uma terceira temporada, essa com o dobro de episódios que estavam sendo exibidos normalmente.

“Sorry, but i’m not sorry. You’re welcome” (queixo para frente + cara de megabitch)

Seasons 1 e 2

 

 

Happy Endings

HAPPY-ENDINGS-1

Outra série americana que eu havia decidido ignorar por pura implicância boba, até que um belo dia resolvi dar uma chance e acabei me vendo completamente apaixonado por quase todos os seus personagens e com raiva imensa de mim mesmo por não ter assistido essa comédia sensacional antes. Damn you Essy!

Seis amigos que vivem na mesma cidade e que acabam dividindo uma série de eventos do dia a dia que garantem a nossa diversão a cada novo episódio. Onde é que nós já vimos isso mesmo antes, hein?

E antes mesmo de você pensar em dizer Friends, saibam que eles mesmo já fizeram essa piada e ela não poderia ter sido mais descarada ou especial. Uma típica sitcom americana, mas muito bem escrita e editada, cheia de referência as séries do mesmo gênero e com personagens divertidíssimos e completamente apaixonantes. Amauzing!

Exceto pela filha do Jack Bauer, que continua a mesma insuportável e que não consegue ter a menor graça, até hoje. Ahhh se aquele puma antigo estivesse com um pouquinho mais de fome e ou sorte…(24)

Atualmente em suas Season 3 (que anda meio irregular, confesso…), Happy Endings pode ser uma boa pedida para você que está a procura de novos amigos, rs.

Seasons 1 e 2

 

 

The Newsroom

029566-the-newsroom

O drama que estava faltando na nossa TV. Apesar de ser uma série nova, lançada esse ano, acabei deixando para assistir a primeira temporada da estreante The Newsroom quando ela já havia se encerrado e por isso a considerei como uma maratona juntamente com as demais.

A série que marcava a volta do texto sempre excelente do Aaron Sorkin a TV, mas que já chegava dividindo opiniões. Alguns odiaram. Outros morreram de amor. Apesar de um piloto excelente, a série deu sim algumas deslizadas ao longo da temporada, principalmente na questão da construção da vida pessoal dos personagens e até mesmo de suas histórias. Demorou para deslanchar no começo, mas assim que eles descobriram o caminho certo a ser percorrido, meio que como uma fórmula, ganhamos uma sequência de episódios sensacionais, do tipo para se aplaudir de pé. Como esquecer aquele momento “Fix You” de um dos episódios mais especiais dessa primeira temporada, por exemplo?

Apesar da série ser sobre o núcleo de jornalismo de um programa de TV, deixando de lado a parte mais ideológica da coisa, que na prática, nós todos entendemos e já aprendemos que na vida real não é bem assim que as coisas funcionam, ainda assim, The Newsroom acaba servindo de inspiração para todos que sonham em se tornar grandes profissionais, seja lá qual for a sua área de atuação. E também, apesar de se tratar de um drama, a série tem seus momentos de pura comédia (alguns bem divertidinhos, outros nem tanto), assim como seus momentos que são só amor. (alguns funcionam melhor, outros nem tanto assim)

Já renovada para uma Season 2, a série é da HBO.

Season 1

 

E essas foram as nossas deliciosas maratonas do ano de 2012. Quem diria que a gente daria conta de assistir tantas séries e no meio de tudo isso, encontrar tanta coisa boa, hein?

Estou bem feliz com as minhas escolhas para 2012. E que venha o próximo ano!

 

ps: em 2013, começo a assistir a já encerrada Merlin (que eu pretendo começar logo) e finalmente decidi assistir Queer As Folk como eu deveria ter feito adequadamente no passado. Não prometo nenhuma review. Mentira, prometo sim. E por enquanto, para o próximo ano é isso… sugestões?

♥ Já está seguindo a magia do Guilt no Twitter? Ainda não? @themodernguilt

Segundo o calendário milenar de boy magia, 2012 é o ano do Lenhador

Janeiro 6, 2012

Höy!

ps: como se todos os outros anos não fosse neam? rs

Que 2012 seja um ano menos bunda mole!

Janeiro 1, 2012

Porque saúde, paz, felicidade, amor, prosperidade, esperança, todo mundo pede e deve ser por isso que está ficando cada vez mais difícil conseguir qualquer uma dessas coisas. (e só para garantir, é bem capaz de alguém já ter até pedido por vc, então…rs)

Por isso, o que eu desejo mesmo para 2012 é que esse novo ano seja bem menos bunda mole do que 2011. WOO!

Que a gente se importe mais com as coisas realmente importantes para cada um de nós, que a gente tenha cada vez mais bom humor para rir das bobagens ou dos problemas do dia a dia e que seja tudo mais leve, mais possível, mais permitido e menos chato, preguiça e cheio de bundamolismo, como tem sido os últimos anos.

E se no meio de tudo isso a gente ainda conseguir ficar rico, se manter lindo e garantir alguma magia que valha a pena, está tudo certo!

Que 2012 seja maravileeeandro para todos nós! Höy!

The Dark Knight Rises – o teaser trailer

Dezembro 20, 2011

Sabe quando vc fica completamente arrepiado e sem palavras?

Então…

Ansioso é pouco!

E mais uma vez, a lista preguiça dos indicados aos prêmios da Tv do Globo de Ouro

Dezembro 16, 2011

Todo ano é a mesma coisa. Sai a lista dos indicados ao Globo de Ouro e é só decepção. Humpf!

Sim, mais uma vez eles ignoraram Community, Sons Of Anarchy, e até Breaking Bad, para se ter uma ideia do drama.

Ou seja, confirnou! A associação da imprensa estrangeira não deve mesmo assistir tv…

Mas ok, agora é hora de engolir o choro e engolir as injustiças da lista de indicados desse ano (e o ♥ é só para quem eu vou torcer) :

 

Melhor série de drama

American Horror Story – É boa, mas está longe de ser a melhor, ainda mais justificando tudo no pobre Tate. 

Boardwalk Empire – Confesso que eu pulei a Season 2 que acabou de acabar. Talvez eu veja depois, ou não. 

Boss – Preguiça…mas dizem que é boa. Eu passo. 

Game of Thrones – Muito muito boa. Grandiosa. Uma forte candidata. (♥)

Homeland – A melhor novidade do ano, sem dúvidas. Me lembra Damages antigo até. Mas estou atrasado e preciso colocá-la em dia logo. (♥)

 

E faltou Breaking Bad, o que eu acho um crime. Assim como Sons Of Anarchy poderia estar no lugar de AHS, por exemplo. 

 

Melhor série de comédia ou musical

Enlightened – preguiça. Não ouço muita gente falar bem. Zzzz

Episodes – NÃO! NÃO! NÃO! Uma das coisas mais chatas que eu já vi em toda a minha vida. Sério!

Glee – É bonitinha, mas raramente consegue fazer uma sequência de episódios bons, portanto…

Modern FamilyO que Modern Family não mereceu ser indicada por sua temporada anterior, eu acho que eles ficaram constrangidos e finalmente resolveram e conseguiram fazer novamente uma temporada digna como a primeira, uma Season 3 que até agora está perfeita! (♥)

New Girl – Eu não gostei de New Girl no começo, depois os nossos pés se alinharam e eu passei a gostar da série. Mas é muito cedo para dizer que foi a melhor comédia do ano. Muuuito cedo. 

 

Posso incluir por minha conta mais 3? OK:

Community – Eles estão pobres, correndo o risco do cancelamento, e mesmo assim conseguem fazer uma comédia boa toda semana. Isso quando eles não fazem um episódio genial, que acontece com muita frequência em Greendale. (♥)

Parks And Recreation – Até agora, eu acho que PAR esta empatada com Modern Family na corrida da temporada perfeita. Uma pena ter sido ignorada. Uma pena nada, um CRIME! (♥)

Raising Hope – #TEMCOMONAOAMAR? Continuo me divertindo e muito a cada semana. (♥)

2 Broke Girls – Se fosse para apostar em uma série nova, eu substituiria fácil New Girl dessa lista por 2BG. Fácil! #MissYouChestnut! (♥)

 

Melhor ator de drama

Steve Buscemi, Boardwalk Empire – Então, ele é o novo queridinho neam? Mas o cara é bom, logo…

Bryan Cranston, Breaking Bad – Sempre arrasando. Mas eu acho que nessa lista caberia o Aaron Paul tmbm, porque o Jesse esteve especial nessa temporada, hein? (♥)

Kelsey Grammer, Boss – Zzzz

Jeremy Irons, The Borgias – Zzzz (mas me lembro que alguém me recomendou. Devo ver?

Damian Lewis, Homeland – EXCELENTE! O novo ruivo da tv. E como eu tenho uma ligação forte com ruivos, acaba torcendo por ele também… (♥)

 

Melhor atriz de drama

Claire Danes, Homeland – SUPER MERECIDO! Bipolar, malucona, a policial que não segue regras mais sensacional do momento. (♥)

Mireille Enos, The Killing – Ela só tem uam cara e essa cara nem é lá muito dramática. Esta mais para uma cara de alface, sabe?

Julianna Margulies, The Good Wife – Zzzz. Tenho uma preguiça enorme dela e da série, que eu tentei assistir mas acabei descobrindo que a boa mulher era boazinha demais pra mim…

Madeline Stowe, Revenge – Dizem que é ruim mas é bom. 

Callie Thorne, Necessary Roughness Zzzz

 

Melhor atriz de comédia ou musical

Laura Dern, Enlightened – Zzzz

Zooey Deschanel,  New Girl – NÃO. Eu te amo Zooey e ainda quero entrar para a sua banda de formar o She & Him & Him, mas ainda precisa acertar o tom…

Tina Fey, 30 Rock – Não entendo essa lista. Mas faz tanto tempo que nem tem 30 Rock novo, hein? É tipo uma indicação pelo conjunto da obra? Se for, tudo bem então. (♥)

Laura Linney, The Big C – Sempre boa, nunca a melhor, porque a série é uma dramédia, o que a deixa em desvantagem, sempre. 

Amy Poehler, Parks and Recreation – THE VERY BEST EVER! Já disse que a Leslie tem que ser a presidente dos EUA. (♥) (♥) (♥) (♥) (♥)

 

Melhor ator de comédia ou musical

Alec Baldwin, 30 Rock – Mesmo caso da indicação da Tina Fey. Porém, sempre sensacional! (♥)

David Duchovny, Californication – Não neam?

Johnny Galecki, The Big Bang Theory –  Qualquer objeto do cenário de TBBT é mais engraçado do que o Leonard. Talvez até a chata da Bernadette. Ele só perde para a sua ex namorada indiana, que a gente espera que esteja ardendo no mármore do inferno. (Sorry Raj)

Thomas Jane, Hung –  Não neam? Mas Hung tem mais humor do que Californication, fato. Tá, tem um humor diferente vai…

Matt LeBlanc, Episodes –  NÃO! NÃO! NÃO! NUNCA! (quer ver que ele vai ganhar?)

 

Melhor minissérie ou filme feito para a TV

Cinema Verite

Downton Abbey

The Hour – (preciso terminar de ver…) (♥)

Mildred Pierce (preciso começar a ver…)

Too Big to Fail

 

Melhor atriz em  minissérie ou filme feito para a TV

Romola Garai, The Hour

Diane Lane, Cinema Verite

Elizabeth McGovern, Downton Abbey

Emily Watson, Appropriate Adult

Kate Winslet, Mildred Pierce

 

Melhor ator minissérie ou filme feito para a TV

Hugh Bonneville, Downton Abbey

Idris Elba, Luther

William Hurt, Too Big To Fail

Bill Nighy, Page Eight

Dominic West, The Hour

 

Melhor atriz coadjuvante

Jessica Lange, American Horror Story – Sempre excelente. Morro de medo dela na série. BOO! (♥)

Kelly MacDonald, Boardwalk Empire 

Maggie Smith, Downton Abbey

Sofia Vergara, Modern Family – As pessoas tendem a valorizar o drama, mesmo reconhecendo a dificuldade que é fazer alguém sorrir, humpf! (♥)

Evan Rachel Wood,  Mildred Pierece 

 

Melhor ator coadjuvante

Peter Dinklage, Game of Thrones – O maior ator da série, sem trocadilhos. 

Paul Giamatti, Too Big to Fail

Guy Pearce, Mildred Pierce

Tim Robbins, Cinema Verite

Eric Stonestreet, Modern Family – Mesmo caso da Sofia Vergara. E nessa temporada, quem está merecendo mais é o Phil, ou o Luke. (♥)

Lady Gaga começando 2012 ainda mais maravileeeandra na capa da Vanity Fair

Novembro 30, 2011

Rica, porém simples, rs.

Lady Gaga maravileeeandra na capa de janeiro de 2012 da revista Vanity Fair.

Essa foto nua ao lado do Tony Bennett é de deixar qualquer um de cara com esse corpo, Höy! Mas essa do look branco e preto no Hudson River, apesar de simples, também é sensacional. Além da capa é claro, com esse look que é um sonho em vermelho.

Deliciosas fotos da Annie Leibovitz, como sempre.

Para começar o ano mais maravileeeandra do que nunca, não é mesmo mother monster?

Dita Von Teese e o seu acessório magia poder

Abril 1, 2011

Todo esse fundamento em negro para a inauguração da loja a Vivienne Westwood em LA, tsá?

Mas bem que a Dita poderia ter pedido para ele trocar esse sapato hein?

Ainda assim, um acessório magia que é o poder! rs

E a pergunta que não quer calar: tinha dress code na festa?

Porque estava todo mundo de preto neam? Olha só a Christina Hendricks, que é a garota propaganda da linha de jóias da Vivieenne Westwood, tmbm de preteeenho só que bem mais básico, tmbm na inauguração da loja de LA.

Nesse caso, valia um pouco mais de fundamento neam Christina?

Vai ver é a tristeza, de só ter uma nova temporada de Mad Men em 2012, humpf!

Quer dizer que vamos ficar até 2012 sem Mad Men novo?

Março 30, 2011

Sim, é isso mesmo e foi o próprio AMC quem disse. Dra-ma!

Diz que tá um drama as negociações entre o elenco, o criador da série Matthew Weiner e o canal AMC e por isso a Season 5 de Mad Men foi adiada para 2012.

Ou seja, nada de Don Draper durante todo o ano de 2011, tsá? Fom forom fom fom

Recomendo a todos uma maratona então, para relembrar a série e para quem não assistiu ainda não perder mais tempo.

E eu fico aqui, em crise de abstinência…humpf!

ps: na américa antiga, acaba de ser lançado o box da sensacional Season 4, enquanto por aqui nessa terra de ninguém, acabaram de lançar a Season 2. Zzzz


%d bloggers like this: