Posts Tagged ‘3×15 Subject 13’

A sensacional volta de Fringe aos 80’s

Março 2, 2011

No último episódio indédito de Fringe (3×15 Subject 13) voltamos a 1985 , em  mais um episódio sensacional e revelador.

O episódio já começou tenso, com Peter ainda criança, desesperado e querendo voltar para casa (o outro universo)  em uma versão suicida, tentando acabar com a sua vida no lago congelado perto da casa da família, com direito a corda com pedra, amarrada no pescoço e tudo mais. Howcoolisthat?

Seis meses se passaram depois do sequestro e Peter continuava nem um pouco convencido de que aquela era de fato a sua família (espertão!) e Walter planejava devolve-lo, mas ainda não sabia como.

Do outro lado, o lado vermelho da força, vimos Walternativo tendo o seu casamento se acabando devido ao sequestro e a sua obsessão por achar uma resposta para o desaparecimento de Peter. Ten-so.

Honestamente? Um dos melhores episódios de Fringe ever ever ever! Na verdade, eu bem havia lido spoillers essa semana e já sabia que o episódio seria novamente nos 80’s, mas ver aquela abertura antiga de novo foi bem legal hein? Sinal de coisa boa pela frente, sinônimo de revelações importantes. Ahhh, que série boa hein?

Episódio cheio de referências, com um dos brinquedos que Peter escolhe na loja, a nave de Battlestar Galactica. Howcoolisthat?

E aquele quebra-cabeças impossível de ser montado, era o mesmo de Alias não? Aquele que no final, a filha da Sydney Bristol também conseguiu montar? Bem achei…

Mas além do drama do Peter e a família Bishop, tivemos algumas outras revelações muito importantes…

Podemos ver  Olivia, também na versão kiddo, ainda recebendo os “cuidados” das experiências de Walter, ao lado das demais crianças que também faziam parte do experimento. Cool!

Percebemos então que Olivia sempre foi meio triste e além de tudo sofria em um violenta relação com o seu padrasto. Algo que justifica muito do seu comportamento atualmente, não?

Acho que com esse episódio, eles tentaram também justificar um pouco do lado do Walter e o seu trabalho em experiências com crianças, algo que nós já vimos que até o Walternativo condena. Embora ele estabeleça uma relação de afeto com aquelas crianças, o que eu nunca duvidei, afinal Walter sempre foi um foufo, em seus experimentos e no desespero de reparar o seu erro com o sequestro de Peter, ele acabava se excedendo em alguns casos, em nome da Ciência, o que no final das contas parece justificável. (ou será que só eu, fã #1 do Dr Bishop, que acho isso?)

Falo isso porque achei um pouco cruel aquele experiência de ter colocado a Olivia sozinha no escuro , onde de repente uma luz se acende e o seu melhor amigo aparece coberto de sangue, aparentemente morto, dentro da mesma sala, que em seguida é tomada por um clarão e BANG! Olivia faz a sua viagem para o outro universo.

Tudo bem que depois descobrimos que tudo não passou de um truque, combinado entre Walter e o pequeno garoto para assustar Olivia e revelar a fórmula que possibilita o seu passo livre entre os dois universos: AMOR + TERROR

Ok, o susto foi justificado, embora ainda me pareça um tanto quanto cruel. Mas no fim, vc acaba entendendo Walter e por isso o perdoamos (isso e o fato dele ser puro carisma)

Tivemos nesse episódio também a volta de um icone importante em Fringe: as tulipas brancas. E que lindo aquele campo cheio delas, não? Tulipa é a minha segunda flor preferida (a primeira são as Margaridas)

E a maior revelação ainda estava por vir: Olivia e Peter se conheceram no passado. Howcoolisthat?

Sempre achei provável que isso tivesse acontecido e descobrimos que de fato aconteceu. E o interesse entre os dois já dava as suas primeiras pistas desde aquela época, no primeiro encontro, quase que uma atração inexplicável.

Tanto que devido a todo esse interesse de Peter e Olivia (principalmente dele), foi o que acabou sendo a chave para que ele conseguisse encontra-la após o seu desaparecimento (depois do BANG!, rs). E onde ela estava? No campo de tulipas brancas. Outra vez, Howcoolisthat?

Para quem não sabe, as tulipas brancas um dia já significaram na série que bem lá no fundo, Walter precisa ter alguma esperança além da Ciência, que é o que algumas pessoas procuram na religião e que para ele, tem como símbolo dessa esperança (ou fé) as tulipas brancas. Achei ótimo o detalhe, desde a primeira vez que elas apareceram.

No final do episódio, tivemos little Peter começando a se acostumar com as mentiras da família Bishop, o que com o tempo acabou levando sua mãe ao suicidio. E mesmo sem querer, Olivia acabou revelando ao Walternativo o verdadeiro paradeiro de Peter,  em uma de suas incontroláveis viagens do tempo. Muito, mas muito bom mesmo! Terminei o episódio e aplaudi de pé: Clap Clap Clap!

Só para não perder o costume de pegar no pé da Olivia: precisava manter o corte desde 1985? Precisava? Vamos dar um tapa nesse cabelo? Euri

Agora vou fazer uma mea culpa aqui. Eu que torci o nariz para a justificativa de que Peter teria que escolher entre as duas Olivias para salvar um universo e que comecei a achar muito bocó essa relação de amor entre ele e Olivia e todo o drama que ela estava carregando para a série, acabei achando muito bem justificado, com uma delicadeza absurda e maravileeeandr em Subject 13, que essa relação de amor é muito mas importante do que a gente imagina, ou talvez imaginava até então.

Não costumo gostar desse tipo de justificativa, mas nesse caso, com a sutileza e coerência que eles conseguiram contar essa história no episódio de Fringe dessa semana, acabei achando excelente e confesso que o coração no final do episódio anterior ganhou um peso ainda maior para esse blogueiro que aqui escreve. (♥)

E no momento, nada me deixa mais ansioso do que a espera por um novo episódio de Fringe toda semana, que a essa altura é a minha série querida do momento.


%d bloggers like this: