Posts Tagged ‘Battlestar Galactica’

Uma declaração super honesta em relação ao novo Robocop

Maio 15, 2013

joel-kinnaman-robocop

E ela é a seguinte: o Joel Kinnaman está ou não está nos fazendo olhar o personagem com outros olhos, if you know what i mean?

Já imagino a gente a bordo da Galactica (porque eu gosto de um crossover e tudo fica melhor na Galactica. Lidem com isso!), Adaminha de comandante em cenas no chuveiro com o Helo e opção para interação com “convidados especiais” (só eu sonho em jogar Halo com o Helo até hoje?), Kinnaman que nos nossos sonhos vai para sempre se chamar Holder (blame The Killing) e sua armadura de Robocop, nos protegendo dos cylons todos, que nesse roteiro ganharão uma new generation e serão 24 modelos (____________________ inclua aqui seus nomes preferidos para cada um deles), com direito a paradas para abastecer no universo e outros plots de crossover envolvendo Star Trek (novo e antigo por motivos de fundamento antigo, Pine e Quinto) e Star Wars (esse só o antigo por motivos de Han Solo), claro. Höy!

E se alguém lançar esse porn (que não será soft porque já está muito badass, rs) algum dia, vocês já sabem de onde surgiu a ideia.

 

ps: trabalhamos com advogados (e máfia) e caso um plot semelhante surja na indústria dos filmes adultos, entraremos em contato imediatamente, exigindo nossos direitos… 

♥ Já está seguindo a magia do Guilt no Twitter? Ainda não? @themodernguilt

Helix, o primeiro trailer

Abril 18, 2013

Tendo como plot central uma equipe de cientistas no Ártico trabalhando contra o tempo para descobrir a cura de uma doença capaz de se alastrar rapidamente, a nova série do canal SyFy chama atenção por ser o novo trabalho do excelente Ronald D. Moore (da excelentíssima Battlestar Galactica – da qual nós já falamos aqui e aqui e a nada boa, Caprica – da qual nós também já falamos, só que aqui) e mesmo sem ter um elenco definido ainda, já garantiu até uma primeira temporada de 13 episódios, que tem previsão de estreia para o segundo semestre de 2013.

Curiosos?

 

♥ Já está seguindo a magia do Guilt no Twitter? Ainda não? @themodernguilt

A chance de ter a nossa own Galactica ou um Viper

Novembro 27, 2012

E esses modelos pintados a mão  já chegam pré-montados, o que facilita muito a vida de quem não tem muito talento para montar essas maravilhas.

Euquero!

 

ps: sonho até hoje em pilotar um Viper. #MIRANDONATESTADATORRADEIRA

♥ Já está seguindo a magia do Guilt no Twitter? Ainda não? @themodernguilt

Battlestar Galactica: Blood and Chrome, o trailer

Novembro 8, 2012

Projeto de série já cancelado, mas que será disponibilizado pelo canal SyFy no Youtube, divido em 10 websódios de 12 min cada. O primeiro deles sai amanhã (9/11) e os demais deverão entrar nas próximas quatro semanas. O episódio completo, com duas horas de duração ainda deverá ser exibido em 2013, também pelo SyFy.

Nele, a história se passa durante o décimo ano da primeira guerra cilônica, 40 anos antes do que conhecemos da série (Battlestar Galactica, que todo mundo já deveria ter visto. E pulem Caprica. ZzZZZ) e nela veremos o cadete William Adama (nessa versão, interpretado pelo Luke Pasqualino, que muitos podem não reconhecer a princípio, mas que foi o Freddie na segunda geração de Skins), recém formado e recebendo a tarefa  de servir a bordo da Galactica.

Ansiosos? (é claro que eu bem vou ver…)

 

♥ Já está seguindo a magia do Guilt no Twitter? Ainda não? @themodernguilt

Alguém me ensina a jogar Triad?

Novembro 10, 2011

Triad é uma espécie de pôquer que eles jogavam em Battlestar Galactica, que eu adoraria aprender, por isso preciso de um nerd mais nerd do que eu para me ensinar. Alguém?

Já que agora temos o baralho hexagonal disponível para compra, só falta mesmo aprender a jogar neam?

Euquero!

Um Dexter “religioso” para a Season 6?

Julho 26, 2011

Martelo é a nova Machete?

Ao som de “Personal Jesus” parece que Dexter vai mesmo enfrentar a igreja nessa Season 6 hein?

E por um acaso nesse trailer eu vi o Almirante Adama de Battlestar Galactica?

Sim, ele estará na Season 6 de Dexter como o Professor Gellar.

Ansioso mil!

The Killing e Game Of Thrones deixando todo mundo com o coração na boca essa semana hein?

Junho 16, 2011

Que semaneeenha mais sensacional foi essa para as duas séries hein? Isso para quem acompanha as séries de acordo com a tv americana e se esse não for o seu caso, é melhor fugir dos spoilers! (PÉÉÉM Spoiler Alert)

Assisti ambos eps no mesmo dia, algo que eu não deveria ter feito pq acabei ficando com toda a minha carga de ansiedade+curiosidade acumulada em uma dose cavalar.

Começando por The Killing (1×12 Beau Solei), depois do ep da semana passada, que tentou dar uma humanizada forçada na agente sem expressão e que nos levou a compreender um pouco mais do porque de toda aquela frieza, chegamos perto do final da temporada e com isso estamos a um passo de saber quem é o assassino de Rosie.

O episódio foi recheado de clichês, como a série vem sendo até agora, fato, mas todos muito bem resolvidos e com aquele climão de suspense que a gente tanto gosta. The Killing pode mesmo se orgulhar desse fato, porque por mais clichê que a série possa ser, a sua qualidade é inquesti0nável e uma coisa acaba compensando a outra, ou como nesse caso pode até superar.

Na hora em que a agente da depressão (Linden) chegou no apartamento do político que até então tem uma história muito distante de todo o resto da série e pouco interessante (outro fato), eu senti que ela estava na casa do seu inimigo e senti também que nessa hora as duas histórias tão distantes (política + assassinato) se encontraram para o seu desfecho. Um clichê clássico de filmes policiais, ou de suspense, com o vilão saindo de cena por um motivo qualquer, na sequência o mocinho acaba descobrindo a prova do crime e em seguida, o vilão volta revelando o seu lado negro da força. Clássico! Mas quem se importa quando tudo isso é criado dentro de uma série policial com a assinatura do canal AMC, que possui hoje algumas das melhores séries da tv, hein?

Pode até ser mesmo clichê ou óbvio, a policial durona, o parceiro que não segue regras, mas a série também no entrega um tipo de investigação oldschool, com a polícia seguindo as pistas óbvias mesmo, meio que brincando de “Detetive” e nada comparado com toda a tecnologia de qualquer CSI da vida. Cool!

Terminamos o ep com a foto do possível assassino de Rosie nos muros da cidade: Darren Richmond. Mas será que foi ele mesmo? Ou será possível que os dois assessores tmbm usem aquele computador, hein? (barulho de email chegando, rs)

Isso nós só vamos descobrir no próximo episódio com o final da temporada, que deve terminar com a revelação do assassino e se eles forem bem clichês como estão acostumados até agora, é possível que já tenhamos um novo gancho para o caso da próxima temporada. Mas tudo isso com muita qualidade e se vc não viu ainda, eu recomendo pegar um guarda-chuva (porque como chove naquele lugar hein?) e grudar os olhos na tv NOW, ou vc vai ficar de fora da rodinha do escritório na segunda feira, onde todos vão estar falando sobre o assassino da Rosie, menos vc. Vai por mim…

Mas o grande destaque dessa semana pra mim foi a discussão na cadeia entre os pais da Rose, com a mãe se fazendo de vítima e o pai dando um cala boca nela, dizendo que ela nem é tão vítima assim, apenas covarde. Sensacional! Clap Clap Clap! Suck it Maryann!

pausa: e o pai do filho da agente sem expressão que é o Helo de Battlestar Galactica hein? Howcoolisthat?

E isso prova que ele tem mesmo um padrão e gosta de mulheres robóticas. Apaixonado por um cylon novamente hein Capitão? rs

Agora, Game Of Thrones que esta seguindo a linha AMC com episódios lentos e mais elaborados, acabou deixando toda a ação da série (que estava meio que em falta)  para o episódio dessa semana hein? (1×09 Baelor)

Tudo aconteceu, de rituais de magia negra com direito a gritos e uma tenda se chacoalhando toda (medo), à aguerra com milhares de mortos, até uma adolescente arrogante (sim, eles sempre existiram, rs) exigindo a cabeça do pai de sua amada (amada nada neam?). Aliás, que núcleo jovem bom esse da série hein?

Achei maravileeeandra aquele sequência pós guerra, com o Tyrion sendo carregado pelo seu mais novo amigo e enxergando o mundo por outro ângulo. Cool!  (guerra essa que não foi mostrada, provavelmente por conta do orçamento, mas que eu achei bem digna a solução que eles encontraram para nos mostrar o drama todo)

O episódio terminou em tom fúnebre, com os passáros voando e um silêncio desesperador. Será que o Eddard Stark perdeu a sua cabeça?

Ou usaram aquela espada gigante só para dar uma aparada naquele picumã? Euri

Todo amor dessa vida para a filha menor dele (aquela que esta aprendendo a lutar, sabe?), que é sensacional e eu ainda quero vê-la como rainha! E eu torço pela morte em todos os episódios daquela outra filha, a ruiva meio bitch.

Agora nada e nem ninguém na série é melhor do que o Tyrion Lannister! Que personagem sensacional não? Grandioso eu diria! (sem piadeeenhas, por favor…)

A série tem eps longos, de quase 1 hora, pencas de personagens e talvez por isso eu não consiga lembrar os nomes de quase ninguém. E mesmo assim, essa quase 1 hora acaba passando tão rápido, que o episódio acaba e vc já fica com a sensação de quero mais.

Ansioso mil para a reta final das duas…

É, também achei Caprica meio assim…

Maio 18, 2011

Depois da minha maratona bem tardia de Battlestar Galactica do ano passado, resolvi que eu tinha que ver como tudo começou e por isso deveria dar uma chance para Caprica.

A principio a série me pareceu ser bem feita, com fundamento, uma direção de arte boa. Mas a ilusão durou pouco…

Eu não sei se foi a história fraca e um tanto quanto confusa, ou a falta de um personagem que realmente me chamasse a atenção, mas fato é que eu não consegui gostar da série. Sorry SyFy!

Mesmo usando pencas de referências de Battlestar Galactica, mesmo com um climão meio Inception/Matrix/Sin City (New Caprica)/Kill Bill/Laranja Mecânica/Poderoso Chefão/Gossip Girl Underground (V World), eu achei tudo exagerado demais e mal resolvido, confuso, com muita referência batida e pouco original.

Me pergunta o nome de um personagem? Só lembro da Zoe e da família Adama, pq de resto, não consegui me apegar, Sorry!

A idéia da Holoband é bem bacana, mas tem um fundamento Second Life, não? Second Who? (rs) Agora, quem duvida que no mundo real, as coisas ficariam ainda pior no V World? Eu não duvido…

E o que eu acho que pesou mais na série foi aquele climão de terrorismo no ar, em quase todo o episódio. Eu AMO o Tarantino por exemplo e sou capaz de assistir todos os seus filmes mais sangrentos 20 vzs seguidas, mas esse clima de terrorismo, de adolescentes bombas e malucos fanáticos religiosos e violentos demais é um pouco demais pra mim. Outro ponto fraco em Caprica é que em nenhum momento fica bem claro quem é quem, ou melhor, quem esta de que lado, ou melhor ainda, quem é o mocinho daquela história toda? Até agora, eu não consegui decidir o que eu acho de cada um dos lados dessa história e isso não me parece bom…

E não estou falando aqui de uma ambiguidade interessante, que deixa todo mundo na dúvida, estimulando a curiosidade. Falo mesmo de personagens sem profundidade, sem carisma, sem definições. A sensação que eu tive foi a de que ninguém por ali era boa coisa, rs

Sem contar que eu não confio naquela atriz que faz a mãe da Zoe na série (Paula Malcomson). Não sei pq, mas acho que ela tem cara de falsa (sei tmbm que é horrível dizer isso, mas é o que ela imprime fazendo sempre os mesmos papéis), de pessoa falsa e não de cara de vilã, sabe? Triste, não? Deve ser por conta do seu passado duvidoso em Fringe, Sons Of Anarchy, Lost. Eu não confiava…

Quando eu não gosto muito de uma série, não sinto vontade de escrever, por isso vou parar por aqui…e continuo preferindo os Cylons antigos, fikdik

Acho que dá para ficar apenas com Battlestar Galactica, fikdik

So say we all – Finalmente terminei de ver Battlestar Galactica

Fevereiro 16, 2011

Com um enorme atraso (eu sei…), finalmente consegui terminar a minha jornada em Battlestar Galactica e quer saber? Acabo de ver uma das melhores séries ever.

Sei que ultimamente eu tenho dito muito isso por aqui, mas fato é que ando fazendo excelentes escolhas ultimamente, rs

Foram 4 temporadas, além da mini série, e tudo é tão bom, tão coerente, que eu já me sinto orfão por não ter nenhum episódio novo para ver. Que puxa!

E olha que estamos falando de Sci-Fi, um tema difícil para a grande maioria (não pra mim que sou apaixonado por ficção científica), mas a popularidade que Battlestar Galactica alcançou prova que somos um público e tanto, não? Nerd Power!

Um pena a série preencher mais uma espaço naquela lista interminável de séries injustiçadas das grandes premiações da tv. Humpf!

Continuo afirmando que a Season 2 é a minnha temporada preferida, mas as duas seguintes não ficam muito atrás não. Tudo acontece, pressão o tempo todo e ainda temos o climão de suspense até a descoberta dos 5 Cylons restantes e ainda desconhecidos por todos. Ten-so!

Em um certo momento eu confesso que me perdi entre tantos modelos de 6 e 8 vagando pela Galactica, fiquei confuso em vários momentos, mas no final, tudo se encaixou na minha cabeça.

Quando a gente fala em Sci-Fi, todo mundo já pensa em algo extraordinário, impossível, em algo bem distante da realidade. Mas em Battlestar Galactica, embora a história se passe no espaço, entre um salto e outro a procura do planeta Terra, nós encotramos uma mitologia aceitável, que é explicada até o final da série e embora pareça confusa a princípio, vc acaba conseguindo entender tudo no final. Uma pena que outras séries, como Lost, não tenham seguido o mesmo caminho para fazer uma série de pessoas + uma mitologia digna. Realmente, uma pena…

Entre os meus personagens preferidos até o final da série  restaram o Almirante Adama, e o seu amor comovente por Galactica, a presidente Laura Roslin que cumpriu o seu papel anunciado desde o começo, Helo, que foi o meu herói preferido na série embora nem tenha tanto destaque assim e ela, é claro, Starbuck! A mulher mais fodona da tv ever.

Lee e Gaius eu achei que se perderam um pouco do meio para o final e por isso acabaram saindo da minha lista, sorry!

O meu episódio preferido foi aquele com a luta de boxe e todo mundo resolvendo os seus issues no ringue. Descobrimos o porque da mágoa entre Lee e Starbuck (ele que foi ficando cada vez mais chateeenho na série) e com uma luta absurda de homem vs mulher, vimos os dois resolvendo os seus problemas e se reconciliando a base de muita porrada e sangue para todo lado, terminando com um ensanguentado “I miss you”.

Achei excelente a forma como descobrimos os 5 cylons finais, ao som de uma música ouvida apenas por eles, primeiramente 4 dels foram se encontrando e a partir disso aceitando a sua nova condição. Sensacional!

Já do 5º Cylon eu esperava mais…só não queria que fosse a Starbuck, para não acabar com a magia.

Gosto muito do episódio da “morte” da Starbuck também, que foi muito bom e esta entre os meus momentos preferidos da série. Comovente! Mas outro ep que me fez chorar e ficar tão emocionado quanto os personagens da série,  foi aquele em que finalmente eles  encontram a Terra, completamente em ruinas e que tem uma fotografia absurda de tão maravileeeandra. Cho-rei litros.

Não vou ficar me prolongando demais porque a série já é antiga e provavelmente os meus leitores mais nerds já devem ter assistido (rs), mas gostaria de mencionar que aquele final de série, foi muito, mas muito digno. Tudo se resolveu, eles enfim encontraram o novo planeta para viver (a outra Terra ,ou a nossa Terra), todos cumpriram os seus propósitos e o final na minha opnião foi perfeito. E o homem se achando muito esperto hoje em dia, não? Tolos!

O que é aquela cena na pista de decolagem, onde o Almirante Adama coloca uma faixa no chão e pede para que a inteira triupulação da Galactica escolha um lado, se eles vão ou não participar da missão suícida de resgate da Hera, hein? Chorei de novo. Quer mais um momento? As naves indo em direção ao Sol e o adeus a Galactica (glupt). Ai ai, que série boa não?

No final, achei que o Helo tinha mesmo morrido na nave dos Cylons, mas para a minha surpresa, lá estava ele, caminhando nos campos verdes do novo planeta ao lado da Hera e de sua mulher Cylon. Cool!

E por último, fiquei mais uma vez emocionado com as cenas de despedias do episódio final entre Lee e Starbuck e principalmente com o casal Presidente + Almirante Adama (glupt glupt glupt = nó na garganta)

Série excelente, coerente, que fala sobre pessoas (euri), mas é Sci-Fi, que tem uma mitologia complicadíssima, mas que se resolve muito bem no final, amarrando brilhantemente toda a sua trama. Clap Clap Clap!

É claro que eu recomendo Battlestar Galactica, não só para quem ama Sci-Fi (e esses eu acho que já viram), mas também para quem gosta de coisa boa, de uma série sobre pessoas (rs), que trata das complicadas relações dos seres humanos e que no meio disso tudo,  as vezes vc até esquece que está em uma nave no meio do espaço.

So say we all!

O meu sonho agora é pilotar um Viper em Battlestar Galactica

Fevereiro 4, 2011

Eu sei que o que eu vou dizer aqui e agora não é nenhuma novidade para qualquer nerd que se preze, mas preciso deixar registrado aqui no Guilt que Battlestar Galactica é muito, mas muito cool!

Demorei pencas para começar a assistir a série, muito mesmo. Preguiça, falta de tempo, aquelas desculpas de sempre. Anunciei no ano passado que eu começaria a assistir série, mas em um ritimo menos acelerado do que normalmente. Já vou adiantando até que eu ainda não terminei, acabei de chegar exatamente ao final da segunda temporada, onde a história ganha uma força inimaginável, pelo menos por mim.

Sinceramente, senti vergonha de mim mesmo por não ter assistido a série antes, fatão! Imperdoável!

A essa altura, estou completamente apaixonado pela tripulação da Galactica, por todos e sou completamente apaixonado e fã do Comandante Adama e da Presidente (ex)  Laura Roslin. Sem contar todo o resto da tripulação, que é sensacional.

Até chorei quando o Billy (uma espécie de assistente da presidente) acabou não seguindo em frente com ela em sua missão em busca da Terra. Chorei de novo quando ele foi busca-la em Kobol e chorei mais ainda quando ele acabou morrendo naquela cena idiota de briga na buatchy. E olha que ele nem era um dos personagens principais da trama hein? rs

AMO o Lee, mesmo ele sendo o certinho da turma. AMO o Helo, Höy! AMO o Gaius, mesmo quando ele me irrita profundamente com toda a sua filosofia! Mas quem eu amo mesmo é a personagem com quem todos os meninos  gostariam de ter uma chance e que todas as meninas querem ser: Starbuck!

Sério, ela é sensacional! Só nunca vou perdoa-la por não ter quebrado a cara daquela outra piloto meio mala que resolveu um dia começar a pegar no seu pé.

Depois de não ter aceitado o pedido de casamento do Billy (R.I.P) e ainda ter usado ele para fazer ciúmes para o Lee, torço pela morte da Dualla. Bitch!

E apesar do assunto parecer meio exótico para alguns, que não são grandes fãs de Sci-Fi como eu, Battlestar dentro do seu universo e de uma forma bastante inteligente trata de assuntos sérios como questões políticas, preconceito, religião e as relações humanas em geral e isso só colabora para deixar a série ainda mais especial. RECOMENDO em caixa alta!

Outro detalhe sobre a minha aventura em Battlestar Galactica é que eu morro de medo dos Cylons. Juro para vcs, morro de medo! Prontofalei…

Fora que é quase poético que na série a condição seja  ” A raça humana, longe de casa, lutando por sobrevivência”, não? Falando, ou nesse caso escrevendo, parece até meio clichê demais, mas garanto que na série estamos longe disso.

Juro que quando eu termino de assistir a um episódio, fico morrendo de vontade de me alistar para ser um piloto da Galactica, rs (na vida, eu só me alistaria para entrar em Battlestar Galactica, Star Trek ou em Star Wars e tenho dito!). Depois que eu comecei a assistir a série, as missões que eu recebia no meu jogo antigo, Spore (alguém aqui jogava?) fazem bem mais sentido. Aliás, saudade de jogar Spore (sim, eu gosto de jogos tolos com gráficos maravileeeandros e personagens foufos e dai?)

Como eu já disse, cheguei agora ao final da segunda temporada da série, que eu também assisti em tempo recorde (coisa que só acontece quando a série é muito boa mesmo) e desde já reforço o time que considera essa Season 2 como uma das melhores ever. Digna de ir para a prateleira especial. O que foi aquele final com a chegada dos Cylons em peso, dominando a New Caprica? Me-do!

Para mim por exemplo, agora faz todo sentido a obsessão dos meninos de Big Bang Theory com essa sensacional temporada de Battlestar Galactica. Mal vejo a hora de assistir com os comentários, rs.

Agora ainda tenho mais duas temporadas pela frente, que eu vou tentar ver mais devagar, mas eu duvido que consiga. E depois disso: Caprica!

Ansioso mil!


%d bloggers like this: