Posts Tagged ‘Charlize Theron’

Jovem (insuportável) adulto

Maio 9, 2012

Um filme que tinha tudo para ser bom: diretor + roteiro + atores. Só faltou ter uma personagem protagonista no mínimo aceitável…

“Young Adult” é mais um daqueles filmes que os nomes por trás da produção nos convencem logo de cara a assisti-lo. Nesse caso, temos a direção de Jason Reitman (“Juno”, “Up In The Air”), um roteiro da Diablo Cody e a Charlize Theron no papel de protagonista. Uma combinação perfeita para gerar pelo menos algum interesse pelo longa, vai? Mas não se animem, ou cometam o mesmo erro da voz por trás desse blog.

Nele temos a história de Mavis (Charlize Theron) uma escritora de trinta e poucos anos aparentemente bem sucedida, que passou os últimos anos da sua vida se dedicando a uma série de livros voltada para o público “jovem adulto”, o que “justifica” o título do filme.

Prestes a encerrar a franquia com o seu último volume, ela se encontra em um impasse criativo para terminar essa história, ainda mais porque a personagem vem sendo assombrada pelo fantasma de um ex namorado da época do colégio, de quem ela recebe um email inesperado, contando sobre o nascimento de sua primeira filha. Ele, Buddy (Patrick Wilson, Höy!), que hoje se encontra casado com a mãe da sua filha recém nascida, vivendo uma vida também aparentemente feliz, ainda em sua antiga cidade, cenário onde no passado ambos dividiram alguns momentos juntos.

Acreditando com todas as forças que aquele é o amor da sua vida e isso do meio do nada, sem que a gente enquanto audiência tenha algum material para acreditar nesse amor todo, Mavis segue em uma viagem até sua antiga cidade, encarando de frente um passado que passamos a conhecer aos poucos enquanto a trama é desenrolada, com o encontro de diversas figuras daquela época que ela acaba esbarrando durante essa sua missão de reconquistar um amor antigo.

E o problema já começa por ai, porque esse tal amor é um homem casado, com uma filha recém nascida e tudo mais, detalhe que já deixa a sua missão completamente meio assim. Além do que, como eu já disse antes, pouco sabemos sobre o que esses dois dividiram naquela época que fosse capaz de fazer com que ela acreditasse até hoje que aquele amor ainda seria possível, mesmo com ela tendo uma total noção de como anda a vida do seu projeto de boy magia atualmente e sem ele ter demonstrado qualquer tipo de interesse da sua parte naquele email d0 começo do filme, que foi o ponto de partida para essa história toda, por exemplo.

Mas esse é apenas um dos detalhes que colaboram para que a história não tenha a menor força, mas a grande responsável por isso é realmente a personagem de Mavis, que é uma total megabitch super convencida e com zero carisma, isso para poupá-la de mais adjetivos pouco agradáveis. E vamos tomando conhecimento do seu nível de megabitch à medida em que vamos conhecendo um pouco mais da personagem ao longo do filme, que vai nos dando cada vez mais motivos para não ir muito com a sua cara, tornando essa experiência algo nada agradável, tão pouco engraçada e nem sequer ok. Sério, Mavis é impossível de se digerir. Sério, IMPOSSÍVEL!

Uma mulher pavorosa, com hábitos alimentares poucos saudáveis (olha quem fala, rs), visto o seu café da manhã a base de goles diet Coke direto da garrafa (o que me lembrou pessoas do meu own passado. Xocotô!). Mavis também é uma viciada em programas de TVs de gosto duvidoso, onde ela passa boa parte do seu tempo sozinha acompanhada da família Karsdashian por exemplo, detalhe que já poderia muito bem nos dar algumas dicas certeiras do tipo de pessoa que estávamos lidando. Fora isso, ela também revela um certo vício que é o ato de arrancar os cabelos compulsivamente, o que já indica um outro lado da sua personagem, deixando cada vez mais claro que apesar do perfil gratuito de megabitch (o que é sempre ainda pior), talvez algo não esteja muito bem com aquela mulher, de fato. (algo que mais tarde no filme até acaba sendo justificado de onde vem esse hábito pavoroso, ou pelo menos o porque dele)

Mas o problema é que a personagem é fria demais e como ela mesmo chega a reconhecer no filme, parece que Mavis não consegue sentir nada. Absolutamente NADA e isso é possível de se perceber inclusive pelo seu olhar, por isso acredito que essa tenha sido a intenção do personagem desde o começo. Assim, fica ainda mais difícil comprar essa sua idéia (absurda) de reviver esse grande amor, além de ser impossível de se adquirir qualquer tipo de simpatia pela personagem, a qual eu pelo menos só consegui torcer contra durante os pouco mais de 100 minutos de duração do longa. (100 longos minutos de pura irritação, rs)

Começando pela ideia de querer reconquistar um homem que já tem uma vida feliz e em andamento com alguém, o que por si só já é algo que funciona bastante contra a personagem, mas depois, além disso, vamos percebendo que o problema parece ser ainda maior e aquela mulher realmente só pode mesmo é estar sofrendo de sérios problemas. Mas mesmo assim, mesmo aceitando o fato de que ela talvez tenha algum problema, o que poderia justificar muito do seu comportamento meio assim, nada na história a deixa mais humana a ponto de fazer com que vc se relacione melhor com a personagem, mesmo quando alguns plots dramáticos do seu passado são revelados por exemplo e essa é uma das maiores falhas na construção do personagem.

Outro pornto que me incomodou bastante foi o seguinte, quando comprei a ideia de assistir “Young Adult”, confesso que fui enganado pelo título do filme. Logo, quando eles deram a explicação sobre o título estar relacionado com a classificação do público alvo para quem ela escrevia, acabei achando até que ok a justificativa, mesmo estando ela com uma t-shirt da Hello Kitty, muito rosa e o que me pareceu ser “pijamas” no poster e imagens de divulgação do filme, o que reforçava a minha ideia inicial sobre a sua temática. Mas o problema é que depois, observando melhor o próprio poster, me deparei com a frase “Everyone Gets Old. Not everyone grows up” e me lembrei do porque eu ter comprado a personagem de uma outra forma, antes mesmo de assistir ao longa, imaginando que ele tratasse de alguém que se recusasse crescer, ou algo do tipo.

Algo que eu senti que acabou funcionando como uma propaganda enganosa, porque Mavis em nenhum momento me pareceu ser uma mulher que se recusava crescer, apesar da sua t-shirt com estampa da Hello Kitty na imagem do poster. No filme, ela não me pareceu uma mulher infantilizada e a personagem chega até a tirar o sarro de um outro personagem que coleciona bonecos, da forma mais preconceituosa possível, algo que vai totalmente contra a tal frase mencionada acima ou a ideia dela ser uma mulher infantilizada. Em outro momento do longa, ela escuta algo mais ou menos como “vc escreve para jovens adultos porque é do que entende, porque vc é uma mulher que não cresceu” e blah blah blah, algo que eu discordo totalmente. A impressão que eu tive ao assistir “Young Adult” foi a de que Mavis cresceu sim, mas ela só não foi modificada pelo tempo e continuou sendo a mesma megabitch do tempo de high school, só que agora, em sua versão envelhecida e isso talvez porque aquele seja o seu verdadeiro eu, o que não significa necessariamente que ela não tenha crescido. O que eu tenho certeza que deve acontecer com muita gente, porque nós sabemos muito bem que nem todo mundo necessariamente se modifica ao longo da vida, infelizmente (crescer é diferente de evoluir). Por isso considero esse um outro ponto negativo do filme, no qual eu me senti totalmente enganado e por duas vezes.

E esse comportamento de megabich não vem de hoje, o que é ainda pior, como nos é revelado no filme através da memória das demais pessoas que dividiram esse passado em comum com a personagem, onde dentre eles, quem acaba se destacando é o personagem Matt (Patton Oswalt), um nerd meio loser, que além de ter sido perseguido pela própria durante todo o high school, ainda carrega as marcas da violência de um crime de ódio daquela época.

No longa, Matt tem a função de consciência da personagem (algo que por ela mesmo parece não existir), permanecendo o tempo todo tentando convencê-la da grande bobagem que ela estava fazendo ao perseguir um homem casado. Mesmo porque, Buddy não parece corresponder a nenhuma das expectativas dela, que passa o filme inteiro interpretando de forma errada toda e qualquer reação do personagem. Algo que vai além do olhar cego de uma mulher apaixonada, que poderia estar completamente a parte da realidade, idealizando aquela situação de uma forma mais conveniente para ela mesmo e a impressão que fica é mais a de que a personagem carrega mesmo uma forte obsessão, como se ela achasse que aquela seria a sua única chance de ser feliz na vida e talvez por esse motivo, ela não medisse esforços para alcançá-la. Mesmo que para isso, algumas pessoas fossem magoadas no meio desse caminho, como a própria reconheceu em um de seus textos.

E todas as suas investidas para cima do seu ex namorado são de dar pena, dela e de qualquer pessoa que se preste a esse tipo de papel (recado dado, rs). Além de deixar qualquer um totalmente constrangido com o quão baixo alguém pode jogar para conseguir o que deseja. Algo que mais tarde, percebemos que aquele seu comportamento atual vergonhoso, nada mais era do que um reflexo do seu antigo comportamento, que refletia até hoje na sua forma de encarar a vida e de se relacionar com ela. (o que não significa necessariamente que ela não tenha crescido)

Não sei se a cena foi mal conduzida, ou se essa era realmente a intenção, mas ao meu ver, naquele momento em que ela foi ao bar acompanhada do ex boy magia para assistir a mulher dele tocar com a sua banda e a “concorrente” acaba dedicando uma música para o marido, que é a mesma que ele gravou no passado para Mavis, em uma mixtape antiga que ela ouve em looping enquanto viajava até a cidade no começo do filme, mas exatamente naquela hora, eu senti que ela entendeu direitinho o recado de que ela não teve a mesma importância que ele teve para a vida dela e a partir disso, eu sinceramente achei que ela seguiu em frente com o seu plano por pura maldade e inveja, por não ter uma vida que ela gostaria para ela, mas que naquele momento pertencia a outra pessoa. Deixando a loucura de lado, se ela conseguiu de fato enxergar esse detalhe naquela hora como pareceu no longa, além da inveja que ela deixou transparecer no olhar, nada justificaria as suas investidas depois disso, a não ser o mais alto nível de maldade. Sabe aquele tipo de gente escrota (as vezes psicótica) que acha que “se não é meu, não vai ser de mais ninguém”? Então,  mais ou menos por ai…

Apesar de ficar bem claro também que Mavis não está em seu estado normal durante o filme e de tudo de certa forma ser justificado com um drama qualquer do seu presente ou passado, ambos pouco felizes, fica impossível ter pelo menos pena da personagem, porque ela carrega um perfil extremamente arrogante e muitas vezes até agressivo, onde a sua sinceridade e a falta de freios no seu caráter a tornam insuportável. Sério, eu não consegui sentir pena, eu não consegui torcer por ela, além de já ter dito que eu não consegui nem gostar da personagem, em nenhum momento e eu não sinto a menor culpa em admitir isso, mesmo AMANDO a Diablo Cody. Mesmo porque, percebemos pela história contada que Mavis de certa forma sempre teve tudo aquilo que quis, a vida inteira. Foi uma garota popular no colégio, das mais desejadas e tirou muito bem o proveito dessa situação, chegou a se casar (mas já se encontra divorciada) e mantém uma carreira de sucesso hoje em dia (até a página dois). Ou seja, tinha poucos motivos para se tornar a mulher que ela de fato era hoje (e que na verdade sempre foi), mesmo estando infeliz com a sua trajetória ou com as suas conquistas. A não ser a sua confissão de que “nunca foi feliz”, o que também diz muito do seu comportamento diante da vida, mas que nem por isso justifica a sua postura atual de total megabitch sem causa.

Engraçado também como a personagem, mesmo tendo traçado o objetivo de reconquistar o ex namorado do colégio, circulava pelas ruas da cidade sempre em trajes com cara de largado, tudo meio que desleixado, largo demais, como se ela tivesse se arrastando, quase que sem forças. E se ela encontrasse com o boy magia daquele jeito, hein? Afinal, ela encontrou todo mundo naquela cidade… E só por esse detalhe, eu respeito ainda menos uma personagem insuportável como Mavis, que além de tudo não era das mais inteligentes e preparadas para qualquer surpresa ou “oportunidade” da vida, rs.

Nesse caso, acho que vale a pena dizer que é bacana ver uma mulher como a Charlize Theron se depreendendo totalmente da vaidade, aparecendo de cara limpa em boa parte do filme. Nem acho que a sua atuação tenha prejudicado a história, porque todos nós sabemos que ela é de fato uma ótima atriz e nesse caso, ela me pareceu ter entregue exatamente o que lhe foi proposto. O problema nesse caso seria realmente o personagem, que com todo aquele histórico negativo a seu favor, somado a toda a sua problemática e o seu atual estado apático, fizeram com que ele implorasse por algum carisma durante todo o longa, algo que acabou não acontecendo, mesmo com aquele final “feliz”, dela pelo menos ter finalmente acordado para a vida, aceitando que do jeito que estava, não dava para continuar.

O que é uma pena, porque o texto em alguns momentos chega a ser bem bom, como no diálogo super sincero entre Mavis e Matt a respeito do cadeirante do colégio, que por parte dela chega a ser de uma cretinice que beira o mau gosto, mas que por parte dele é salvo pelo confronto com uma outra forma de encarar um problema que ambos (ele e o deficiente) compartilhavam na vida.

Confesso que fiquei bastante constrangido pelo personagem ao final do filme, com aquele fora homérico que ela acaba tomando do ex namorado e na frente de todo mundo (super merecido), no ápcice do seu total descontrole, quando Mavis acabou entendendo finalmente que todo mundo naquele lugar, que ela considerava inferior e medíocre, que todos naquela cidade haviam entendido perfeitamente que ela só poderia mesmo estar com algum problema e por isso estavam todos sendo pelo menos simpáticos com ela, sem serem reativos à suas provocações, por sentirem pena e não por covardia ou por se sentirem intimidados com a sua presença. E que mesmo tendo conquistado coisas “menores” na vida, todos eles alcançaram de alguma forma a sua felicidade, algo que ela do alto da sua própria arrogância de ser uma mulher bem sucedida (em decadência, diga-se de passagem) combinado com a sua postura que ultrapassava até mesmo a barreira do insuportável, ainda estava longe de encontrar, tomando consciência de que continuando desse jeito, talvez ela nunca encontre a felicidade, que é o ponto comum de chegada para todo mundo.

Uma história até que boa (apesar de irritante em diversos momentos), só que para o personagem errado.

Regabofe dos Obamas

Maio 2, 2012

Sim, no finde tivemos aquele famoso “jantar com o presidente” (2012 White House Correspondents’ Association Dinner), onde vários artistas e celebridades são convidados para um regabofe daqueles (AMO essa palavra e esperava ansiosamente para usá-la)

Digamos que esse ano, a lista não estava assim no seu mais alto nível de prestígio, mas os Obamas garantiram pelo menos o elenco dos seus seriados preferidos, fato. (quero saber quem é que assiste True Blood, hein presidente?)

Não chegou a ser um show de horrores, como a maioria dos red carpets, mas ficou na cara que ninguém fez muita questão se esforçar para sentar à mesa da casa do presidente…

Charlize Theron foi uma das poucas maravileeeandras da festa (apesar das imagens não favorecerem muito), nesse seu vestido inteiro rendado no truque.

Só não gostei muito do cabelo, achei preguiça…

Kate Hudson até que nos surpreendeu e foi com esse vestido todo no fundamento do brilho.

Achei phino, gostei da cor… mas vamos falar do que não tem como não reparar?

Esse penteado não foi feito para vc Kate…sorry!

E com tanta coisa que elas aplicam na cara, fora o investimento no estica & puxa que todos nós sabemos que ela já fez, Kate nunca pensou em consertar esses dois grandes problemas? Hein?

Elizabeth Banks também estava linda com o seu vestido tipo preplum, na versão tímida do fundamento do momento.

Vamos dizer que o elenco de Modern Family (que deve ser um dos seriados preferido dos Obamas, porque esteve em peso no jantar), não estava assim muito inspirado…

Primeiro a Claire (que eu não sei porque a America ainda acha essa mulher tão engraçada, ainda mais com a Sofia ao seu lado), que se estivesse com mais preguiça do que isso, teria ido de pijama. E o maxilar travado no sorriso tenso? Sei…

E segundo a Gloria que na pressa, pegou um vestido emprestado da Haley neam?

Achei juvenil demais… (apesar dela ser xóvem ainda)

O único que representou muito bem a família moderna no jantar desse ano foi ele, Phil (♥), que desde já, tenta uma vaga no nosso curso da escola de lenhadores nerds.

Na verdade, eu bem acho que quem foi de curto, acabou sendo prejudicada…

Exceto pela Eva Longoria, que apesar de ter escolhido um modelão curto, investiu no poder de um tecido de rica, o que de certa forma acabou compensando.

E quem liga para o vestido da Ginnifer Goodwin… (que eu até gosto, mas não gosto muito)

… quando ela me chega no evento com um carregador de guarda-chuva do tipo encantado?

Josh Dallas = Höy!

As duas grávidas da noite apostaram no sempre bom pretinho básico, que nem sempre é regra e abaixo vcs vão entender o porque…

Reese Witherspoon, que me pareceu ter sido uma das poucas que se esforçou um pouco mais, pensando no combo todo e a Anna Paquin, que estava mais básica, mas ainda assim maravileeeandra, ambas de preto.

Não disse que a máxima do pretino básico não é regra?

No caso de LiLo, faltou poder neam? Que ticidinho mais meio assim era esse? 47º aluguel?

E essa barra super marcada?

Só espero que ela não tenha comido nenhuma sobremesa com açucar de confeiteiro, porque vcs sabem que o povo fala neam? NHÁ!

Claire Danes (que foi outra das escolhidas diretamente da listinha do Tivo dos Obamas) foi uma das que não estava em um bom dia…

O que é isso Carrie? Não se entregue assim tão fácil, nem mesmo pela desilusão com uma magia ruiva … Stay Strong! (mas todas nós entendemos essa barra)

Já a Dakota Fanning também  estava maravileeeandra com esse longo todo bordado de ricah!

Daniel Radcliffe, Darren Chris, Ryan Kwanten, que foram os boys magia da vez que também compareceram ao evento. (dá próxima vez Michelle, exija um “Ryan Gosling” na own sua lista)

Odeio convidado que não se manca e não respeita o plus 1 do convite, insistindo em carregar gente a mais em tudo quanto é festa. Como a Rosario Dawnson, que insistiu em levar os gêmeos para a festa. WOO!

Muito decote para a sobriedade de um regabofe com o presidente, não?

Alguém precisa ensinar a Zooey Deschanel qual é o tamanho certo do seu vestido. E nem adianta fazer carinha de foufa, que #NAOTABOMNAO

Aprenda Bey

Abril 17, 2012

Dá para continuar carregando sua Blue Ivy, assim coberta para protegê-la de qualquer coisa e isso sem precisar deixar a menina nessa situação claustrofóbica. Não acredita?

Basta seguir bons exemplos, como a Charlize Theron, que anda circulando iluminadíssima com o seu filhote, Jackson, também muito bem protegido porém, sem o exagero claustrofóbico que vc insiste em manter com a sua pequena.

Jackson que chegou recentemente, nós ainda não o conhecemos, mas já sabemos que a sua chegada acabou deixando a Charlize ainda mais maravileeeandra!

2012 Golden Globes Awards – Um red carpet preguiça, com pouco fundamento, porém até que surpreendentemente bom

Janeiro 16, 2012

Fiquei bem surpreso com os looks do 2012 Golden Globe Awards, viu?

Não que tenha chovido fundamento no red carpet, nada disso, mas digamos que quem quase sempre aparece meio assim, até que surpreendeu esse ano, hein?

Vamos conferir começando sempre por quem a gente achou meio assim…

 

Ninguém aguenta mais:

Ninguém aguenta mais o look “sai correndo do motel e me enrolei no primeiro lençol com mais de 180 fios que eu achei pela frente, só porque eu sou ricah!”, nem quando esse look chega em rosa e foi a escolha da Natalie Portman.

#NAOTABOMNAO

Ninguém aguenta mais esses tecidos pesadões demais e que de quebra ainda fazem aquele volume que ninguém precisa.

O que vale tanto para o Zac Posen da Reese Witherspoon, tanto quanto para esse pretão Monique Lhullier (que com esse volume todo, não dá para chamar de pretinho neam?) da Debra Messing.

Ainda falando em volumão, o nosso próximo exemplo, apesar de também se encaixar no quesito “volumão”, o seu pecado maior ficou mesmo por conta do peso no make

Que é o caso do look da Ariel Winter (Modern Family) que tem 13 anos, mas que com esse combo make + cabelo poder, acabou ficando pesado demais para ela, além de imprimir mais idade.

E nesse caso, como o vestido tem fundamento, o volumão desse Dolce & Gabbana nem me incomoda tanto.

Ou seja, ninguém aguenta mais criança com a mão pesada no make e querendo imprimir adulta antes da hora.

Aproveitando que estamos falando do elenco de Modern Family, também ninguém aguenta mais essa escolha de sempre da Sofia Vergara, que funciona, sempre também, como no caso desse modelão da Vera Wang que ela escolheu, mas que deixa a gente morrendo de preguiça.

Vamos evoluir do look sereia? Bámos?

Outra coisa que ninguém aguenta mais e nem precisa, é look nude sem gracinha, como esse aqui by Donna Karan da Katharine Mcphee, neam?

E ninguém aguenta mais também tanta simplicidade neam? Pelo menos não nesse caso.

Não que a Kate Winslet não estivesse maravileeeandra, porque ela estava. Höy!

Mas esse bicolor by Jenny Packham dela, ficou simples demais perto das outras e imprimiu duas peças, deixando o look ainda mais simples.

Linda, só que simples demais

 

Sereia exótica

E o look sereia foi o queridinho de todas nessa edição do Golden Gobes. Só que algumas optaram por uma versão do vestido um pouco mais exótico, como esse Oscar de la Renta com um super volume completamente desnecessário do vestido da Tina Fey, que cá entre nós e que ela não nos ouça, quase nunca acerta em red carpet, fato.

Agora, falando em exótico, o que era o shape do vestido Chanel da Julianne Moore?

Não cheguei a achar pavoroso, apenas achei difícil. Bem difícil.

Agora, esse modelo da Evan Rachel Wood precisa decidir se é sereia, ou pavão neam?

Confuso e exótico demais para o meu gosto.

E a cor? EW!

NEXT!

 

Ursula, é vc?

Ainda não decidi se a Kelly Osbourne foi de Ursula da Disney, ou se ela foi mais a fundo na referência e foi mesmo é de Lula Lelé (euri), só sei que esse vestido era tão pavoroso quanto a cor atual do seu cabelo. (e esse modelo também entraria na categoria “sereia exótica” fácilmente)

By Zac Posen

E eu já disse: cadê o Fashion Police trabalhando nessa intervenção, hein?

#NAOTABOMNAO

 

Jodie Foster toda feminina

A primeira surpresa da noite:  Jodie Foster foi toda feminina e de Armani. Euri (tá, não resisti e tive que fazer essa piada)

Mas não dava para exigir muito neam?

Feminina e com bom gosto, seria exigir demais. (mas teve quem conseguiu, mas vou deixar vcs curiosos por enquanto…)

 

Pílulas de Nanicolina

Gente, a Salma Hayek tomou ou não tomou pílulas de nanicolina antes de ir para o Golden Globes?

Não sei, mas o resultado final da sua escolha nesse Gucci, acabou diminuindo ela, pelo menos uns 37 cm no meu conceito, rs.

Vale mandar a sua versão em miniatura para representar em noite de premiação, hein produçán?

 

Agora, vamos falar de peitos?

Primeiro, o clássico do peito espremido no vestido Reem Acra que a  Madonna escolheu, que apesar de ter esse top bem fundamento, ele esta visivelmente apertado.

Aposto que ela passou boa parte da noite sentindo um aperto no coração, rs.

E o modelo se acabou mesmo foi  nessa saia com recortes quadrados neam? Imprimiu Projeto Fashion.

E ela combinou ou não combinou com a colega, as formas geométricas da saia, hein? (pelo menos o da Andrea Riseborough era um Vivienne Westwood)

Ainda falando sobre o assunto peitos, o segundo clássico da noite é o peito espalhado, que foi o que imprimiu esse vestido Versace  escolhido pela Nicole Kidman, que ultimamente esta ficando cada vez mais difícil para ela, tadinha.

Primeiro que eu sempre acho que esse tipo de alça e decote, sempre deixam o peito meio caído, até mesmo para quem não tem o peito nada caído.

E nesse caso, como o busto do vestido tem esse fundamento de “folha” que vai até possívelmente as costas, acabou  imprimindo como se o seu peito acompanhasse a silhueta do vestido.

Ou seja, #NAOTABOMNAO.

E encerrando o assunto peitos, vamos para o drama de todas: o peito caído!

E o que foi que faltou para o look by Naeem Khan da boa esposa?

Um bom sutiã!

E sustentação também seria uma boa palavra nesse caso.

 

Um frozen Yogurt natural com calda de blueberry, por favor!

E esse vestido da Sarah Michelle Gellar simboliza em imagem, esse vestido by Monique Lhuillier é exatamente como fica o meu frozen yogurt, quando eu falo mais com as amigas do que me divirto com o meu próprio pedido delícia. (rs)

E pra que tanto tecido hein? Dava para fazer pelo menos mais uns 5 modelos com tanto excesso, aff…

#BOLOLÔ

 

Não foi o melhor domingo das irmãs Deschanel

É, não foi…Humpf!

 

Look  gira gira Pombagira

E a Dianna Agron passou o não passou em uma encruzilhada com o seu vestido by Giles antes de seguir seu rumo na noite de ontém hein?

WOO!

 

Chega uma hora, que a gente começa a esconder o que já não esta mais tão bom assim

E essa hora chegou para vc Heidi Klum, infelizmente.

Vamos cobrir essas costas?

Obrigatô!

 

A mais desavisada da noite

Connie Britton que se confundiu quando ouviu noite de Golden Globes e achou que tinha sido convidado para a noite do clube do livro para discutir sobre “O Segredo”, rs.

E sempre tem uma desavisada para matar a gente de vergonha, não?

Diz que é italiano e vintage by The Way We Wore, mas acho que eu já vi alguém batendo uma roupa na beira do rio lá na Itália antiga, vestida assim hein?

 

Agora vamos fazer uma pausa, antes de falar de quem estava maravileeeandra na noite de ontém, isso porque nós não sobrevivemos sem um pouco de magia em nossas vidas, não é meso?

Höy!

Tudo bem que o elenco de Glee e o boy magia psicótico de American Horror Story não contam muito neam?

Isso porque eles ainda são tipo café com leite no quesito magia (alguns sem açucar) mas a pergunta que não quer calar é: o que aconteceu com o Puck, hein? EW!

Continuando com quem interessa mais…

Tá difícil encontrar magia em Hollywood hein? E a gente pensando que é só por aqui que está cada vez mais puxado…

E como lidar com o bronzeamento terracota light do Bradley Cooper, hein?

Enfim, mas eu acho que esse Jean Dujardin de “The Artist” tem bem uma cara de galã antigo, hein? Höy!

E como levar a sério uma premiação entediante como todas as outras, quando a gente não tem nem a possibilidade da aparição de pelo menos a sombra do Ryan Gosling?

Humpf…

Mas essa pausa serviu mesmo para duas coisas e a primeira é:

Que o Gerard Butler saiu da sua fase magia negra e voltou a ser boy magia!

Ok Gerard, pode comemorar. Höy!

E conta pra gente o que tinha nessas gift bags da premiação tsá? (Euquero! rs)

E em segundo lugar, essa pausa também serviu para a gente chegar até ele, o mais bem vestido dos meninos no Golden Globes 2012:

Joseph Gordon Lewitt, que vem conquistando o meu coração depois de ter soltado a voz no ano novo (e vcs viram aqui) e é claro que depois de “500 Days Of Summer”, neam?

Mas o prêmio vai para ele, por conta da melhor gravata borboleta da noite. Höy!

 

E agora já podemos voltar a falar delas, as mais bem sucedidas no red carpet de ontém a noite. Separei 10, pq o post já estava ficando interminável. Então lá vai:

 

10 – Nicole Richie

Linda de metalizado, com um cabelo poder e a tattoo naquele lugar que todas elas fizeram  no final dos anos 90 e c0meço dos anos 2000 e que hoje em dia significa neam? rs

Maravileeeandra by Julien Macdonald 

 

9 – Amber Riley

Amber Riley é uma gordinha esperta e que geralmente acerta nas suas escolhas.

E eu AMEI esse cabelo, acho que ela deveria adotar para a vida!

By  Badgley Mischka 

 

8 – Sarah Hyland 

Sarah assim como a sua irmã em Modern Family, também foi de Dolce & Gabbana. Mas ela se deu melhor e escolheu um vestido que a deixou maravileeeandra!

 

7 – Lea Michele

Lea Michele anda acertando por esses dias, não?

Apesar do seu vestido Marchesa ter um fundamento de apresentação de patinação no gelo ou ginástica artística (rs), eu achei fundamento esse metalizado e além disso, ele tinha um decote maravileeeandro nas costas.

 

6 –  Claire Danes

E a nossa torcida valeu a pena, pq não só ela levou o prêmio de melhor atriz em série dramática por seu papél sensacional em Homeland, como ela ainda subiu no palco com esse vestido maravileeeandro by J. Mendel.

Bicolor assim como o da Kate Winslet, só que com muito mais fundamento, indo e vindo.

 

5 – Emma Stone

Maravileeeandra como sempre! Höy!

By Lanvin

 

4 – Michelle Williams

Outra que tem uma lista de acertos invejáveis, não?

E o que foi o seu discurso de agradecimento? Foufo mil!

By Jason Wu 

 

3 – Angelina Jolie

Não sei se foi a força dos meus últimos posts sobre os looks sempre tão preguiça da Angelia Jolie nos red carpets da vida, mas a verdade é que ela se animou e chegou com essa cara de bruxa da Disney que Deus deu só para ela e para as bruxas da Disney, é claro!

Maravileeeandra by Atelier Versace

 

2 – Tilda Swinton

Tilda manteve o seu fundamento exótico, mas foi mais feminina (e essa era a outra que eu falei lá no começo, a que deu certo, rs) e maravileeeandra do que nunca?

E essa cor de nova Alice do outfit dela hein?

Uma delícia deliciosa. Höy!

 

1 – Charlize Theron

Eu não sei o que aconteceu com a Charlize Theron nos últimos dias, mas ela esta ficando cada dia mais linda e com cara de mais nova, fato.

Conta o segredo pra gente Charlize? Me passa esse contato do seu dermatologista, antes que fique puxado por aqui hein? rs

E o prêmio de look com mais fundamento e maravileeeandro da noite vai para ela com o seu Dior fundamento,  não só porque ela realmente foi o melhor de todas no red carpet do 2012 Golden Globes Awards, mas também porque ela esteve maravileeeandra como nunca durante toda essa semana, em todas as festas que antecederam a premiação.

Maravileeeandra! Höy!

Ok, e assim terminamos mais uma noite de premiação. E agora já pode dormir? rs

Pelo menos no 2012 Critics’ Choice Awards, as escolhas foram bem melhores

Janeiro 13, 2012

Diferente do People’s Choice Awards 2012, dessa vez, agora no 2012 Critics’ Choice Awards, tivemos escolhas bem melhores, tanto no red carpet, quando na lista dos vencedores da noite, o que é sempre bom lembrar que costuma ser uma espécie de “preparativo” para as apostas do Oscar hein?

ps: e como o Leonardo DiCaprio esta maravileeeandro e sempre muito bem acompanhado, não?

Mas agora vamos ao que realmente importa, que são os erros e acertos em noite de premiação:

Emma Stone, novamente apostando no combo Ariel.

Maravileeeandra!

By Jason Wu

Então, eu gostei do vestido da Charlize Theron.

Achei uma escolha arriscada, para um shape que não ficaria bem em qualquer uma, que fique bem claro

Mas gostei mesmo pq eu não achei preguiça e gostei do risco

By Alaia

Apesar da imagem não favorecer, achei uma delícia esse vestido da Kirsten Dunst, hein?

Um Chanel difícil esse da Michelle Williams hein?

Eu quase gostei, mas pensando bem, tenho certeza que na coleção nova teria algo melhor hein?

Chloe Moretz  dessa vez ficou devendo, porque apesar do seu vestido Chanel ser bem bacana, imprimiu ser um pouco maior do que ela, talvez por conta do volume das mangas…

Kelly Kapoor (Mindy Kaling), quer ser minha amiga?

Call me!

Erin (Ellie Kemper) também estava com um vestido poder, mas precisava pesar tanto assim no make?

Menos é mais.

Viola Davis estava maravileeeandra e básica com o seu vermelho simples, porém muito bem escolhido

Jessica Chastain  também acertou na cor e na simplicidade, mesmo com esse Balenciaga que tem esse volume exótico e que poderia ser um número melhor talvez?

Mesmo assim, esta maravileeeandra, o que não é muito difícil no caso dela…

Já a Tilda é sempre tão exótica, que com ela acaba combinando sempre esses looks mais “arriscados”, mesmo quando a gente acha a escolha meio assim…

Agora no quesito preguiça da noite, eu fico com a Evan Rachel Wood, que apostou nesse pretinho com uma renda básica, que quase não aparece. Normal demais, básico demais.

E com esse cabelo, quase nada fica bem.

ps: e que pescoção é esse Brasil?

Algumas delas resolveram apostar no amarelo para iluminar um pouco a noite de premiação (o que eu acho sempre uma cor arriscada para a noite), como é o caso da Diane Kruger, que acreditem vcs ou não, ela conseguiu acertar usando um pantone que me lembra o meu pior look ever, que eu usei no passado e morro de vergonha só de lembrar. Sério.

E depois, quando eu digo que está me parecendo uma caso de perseguição, há quem ache que é exagero…rs

Outra que apostou no amarelo foi a Elizabeth Olsen. Hmm mmm

Mas não sei, esse look meio artesanal demais e com cor, acabou não imprimindo muito o luxo e riqueza que a noite pedia.

Achei que valeria a pena ter repensado…

OK. A Elle Fanning não é perfeita e ela ainda é teen, ou seja, ainda vamor ver muitos erros dela por ai.

Esta perdoada querida, agora vá brincar com as suas bonecas, vá. (rs)

Finalizando o post antes que todo mundo cochile, eu tenho duas perguntas:

O Brad Pitt está machucado ou ele realmente acha que essa bengala é fundamento?

Hein?

E eu nem sei como falar isso delicadamente, mas quando é que o r George Clooney vai arrumar uma namorada com idade próxima a dele, hein?

Não que eu tenha nada contra, acho ótimo que cada um escolha o que quiser e que isso fique bem claro.

Mas pensando nesse caso em específico, já que ele vem tentando faz tempo com mulheres bem mais novas, que tal mudar de horizontes e tentar uma mulher mais experiente, hein?

Além do que, essa tentativa dele com uma mulher mais velha poderia deixar as nossas mães mais esperançosas e nesse momento eu falo em nome de todas elas, hein?

 

Agora ficamos com a lista dos indicados e vencedores da premiação (com os vencedores em bold):

 

Best Picture

The Artist

The Descendants

Drive

Extremely Loud and Incredibly Close

The Help

Hugo

Midnight in Paris

Moneyball

The Tree of Life

War Horse

 

Best Actor

George Clooney – The Descendants

Leonardo DiCaprio – J. Edgar

Jean Dujardin – The Artist

Michael Fassbender – Shame

Ryan Gosling – Drive

Brad Pitt – Moneyball

 

Best Actress

Viola Davis – The Help

Elizabeth Olsen – Martha Marcy May Marlene

Meryl Streep – The Iron Lady

Tilda Swinton – We Need to Talk about Kevin

Charlize Theron – Young Adult

Michelle Williams – My Week with Marilyn

 

Best Supporting Actor

Christopher Plummer – Beginners 

Kenneth Branagh – My Week with Marilyn

Albert Brooks – Drive

Nick Nolte – Warrior

Patton Oswalt – Young Adult

Andy Serkis – Rise of the Planet of the Apes

 

Best Supporting Actress

Octavia Spencer – The Help

Berenice Bejo – The Artist

Jessica Chastain – The Help

Melissa McCarthy – Bridesmaids

Carey Mulligan – Shame

Shailene Woodley – The Descendants

 

Best Young Actor/Actress

Thomas Horn

Asa Butterfield

Elle Fanning

Ezra Miller

Saoirse Ronan

Shailene Woodley

 

Best Acting Ensemble

The Help

The Artist

Bridesmaids

The Descendants

The Ides of March

 

Best Director

Michel Hazanavicius – The Artist

Stephen Daldry – Extremely Loud and Incredibly Close

Alexander Payne – The Descendants

Nicolas Winding Refn – Drive

Martin Scorsese – Hugo

Steven Spielberg – War Horse

 

Best Original Screenplay

Woody Allen – Midnight in Paris 

Michel Hazanavicius – The Artist

Will Reiser – 50/50

Tom McCarthy and Joe Tiboni – Win Win

Diablo Cody – Young Adult

 

Best Adapted Screenplay

Steven Zaillian and Aaron Sorkin – Moneyball

Alexander Payne and Nat Faxon & Jim Rash – The Descendants

Eric Roth – Extremely Loud & Incredibly Close

Tate Taylor – The Help

John Logan – Hugo

 

Best Cinematography

Janusz Kaminski – War Horse

Newton Thomas Sigel – Drive

Robert Richardson – Hugo

Guillaume Schiffman – The Artist

Emmanuel Lubezki – The Tree of Life

Riqueza, fundamento e preguiça no 23rd Annual Palm Springs International Film Festival Awards Gala

Janeiro 9, 2012

Primeiro que eu AMO premiações com nomes enormes, AMO! rs

Agora, vamos aos fatos da premiação: teve quem foi de ricah, quem investiu no fundamento e quem optou pela preguiça. Vamos ver?

Nossa representante da riqueza na noite foi a Michelle Williams, que estava de Miu Miu de ricah (para fingir que ainda não esta madura para um Prada, rs), que pode até ter aparecido meio amassado na imagem, mas que esse bordado super trabalhado e de ricah da parte de cima do vestido acaba roubando toda a sua atenção e vc acaba quase nem reparando na saia amassada.

Maravileeeandra até com o novo tom do cabelo hein? Höy!

Charlize Theron investiu no fundamento da Lanvin (que todas gostariam de ter pelo menos uma meia no closet, rs), em recortes para deixar o seu pretinho básico nada básico e apareceu assim, simples e maravileeeandra!

Mas também, com essa cara, todo mundo concorda que ela não precisa de muito. Höy! (mas eu trocaria a sandália…)

Já a Angelina Jolie insistiu na preguiça de ultimamente em sua vida e apareceu com um modelo Ellie Saab, que as falsas magras demais adoram, porque disfarça o possível distúrbio.

Não está ruim (porque ela tmbm é maravileeeandra. Höy!), mas é comum, normal e eu tenho quase certeza que nós já a vimos pelo menos mais umas 2 ou 3 vezes com um modelão parecido, em verde ou preto.

Por isso dá preguiça só de olhar…Zzzz

Cher sabe o que faz

Dezembro 14, 2011

Porque se ela tivesse me mandado aqui para baixo com a cara da Charlize Theron, eu não caberia dentro de mim e talvez o mundo fosse pequeno demais pra mim. NHÁ!

Höy!

ps: mas eu não teria aceitado o papel em “Aeon Flux”, fikdik.

Snow White and the Huntsman, o trailer

Novembro 18, 2011

Falando no assunto “encantado”, essa semana nós já vimos o trailer do outro filme que tambén irá nos trazer a história da Snow White para o cinema e agora chegou a vez da versão mais sombria e cheia de efeitos maravileeeandros do diretor estreante Rupert Sanders, que parece ter optado por uma vertente bem mais dramática do que a anterior.

Pelo menos, ainda que tratando do mesmo assunto, fica bem claro com esses dois trailers que teremos dois filmes completamente diferentes, não?

Agora eu tenho uma coisa a dizer: o que é a Charlize Theron de Evil Queen? Höy!

Ansioso mil!

Sabe quando vc tem certeza que vc é bonita?

Outubro 27, 2011

É simples, a certeza se confirma quando mesmo em meio a uma ventania daquelas, que destrói qualquer produção de qualquer simples mortal, vc continua maravileeeandra assim, igual a Charlize Theron.

Höy!

E a Comic-Con 2011, hein?

Julho 25, 2011

Muita coisa aconteceu como sempre. Mas vamos ao que interessa neam? rs

Khal Drogo foi tomado pelo espírito do cavalo de fogo das trevas, com sua cartola para deixa-lo ainda mais alto do que qualquer humano presente na Comic-Con.

E diz que o berro em línguas que só a Khaleesi consegue traduzir a essa altura, fez todas tremerem no painel de Game Of Thrones. Höy!

Falando em GOT, o elenco também esteve por lá e enquanto o inverno não chega na muralha…

Vamos ficando com a magia do ator Kit Harington, que faz o filho bastardo do agora homem sem cabeça Stark. Höy!

Sarah Wayne Callies e Andrew Lincoln, os caçadores de zombies do momento.

Andrew Garfield resolveu ir a caráter, mas em uma versão cosplay. Achei foufo

O casal que não é mais casal em True Blood, Anna Paquin e Stephen Moyer, foufos mil. Höy!

Mas ainda não rolou a cena do chuveiro, que depois disso eu acho que se aproxima…Höy!

E eu recomendo que todos vcs vejam o video que eu postei no finde, com o que ainda esta para acontecer nessa temporada em True Blood. Achei animador viu?

Tivemos a boa notícia de que não perderemos Kurt, Finn e a Rachel depois da formatura no fina da Season 3 de Glee.

Segundo os produtores que revelaram durante o painel da série, eles vão se formar, mas isso não significa que a história deles acabou em Glee. Yei!

Fiquei feliz hein? Sabe porque? Glee não foi construída como Skins por exemplo, que muda de elenco a cada 2 temporadas desde sempre e talvez uma mudança assim no alto da terceira temporada da série, acabasse sendo negativa.

Mas o “bocão” não volta mesmo. E diz que foi ele quem pediu para sair…

Os painéis de Chuck e The Big Bang Theory, duas séries que a gente continua assistindo por consideração…

Precisam melhorar, fikdik

Charlize Theron roubando todos os olhares no painel de Snow White. Höy!

Taylor Lautner tentando uma aproximaxán com o Tom Hardy, que esta meio chubby não?

Será que esse peso todo é por conta do novo Batman? Hmm mmm

BOO! Acorda ae, que esta acabando, rs

E como tudo acaba sempre em confusão, temos Sam Worthington entrando numa com o Hulk Hogan, rs.


%d bloggers like this: