Posts Tagged ‘Desmond’

Lost, uma série to remember, and let go

Maio 24, 2010

Realmente a noite de ontém foi uma noite que será lembrada por muitos e durante muito tempo. E tinha que ser no dia 23 neam? O número do candidato ao cargo disponível mais importante da tv (será que vale tudo isso mesmo?). Enfim, chegamos a reta final, ao “The End” dessa história, que já foi bem melhor um dia lá no passado, mas que precisava de uma conclusão. O mais legal disso tudo foi fazer parte dessa história, ver a evolução de um hábito tão comum e tradicional nosso de todos os dias que é o ato de assistir tv. E  acompanhar tudo isso em tempo real foi incrível (e dramático, mas valeu como experiência).

Nós como telespectadores fizemos a nossa parte, até o fim. Ficamos todos grudados na frente da tela do computador (pelo menos aqui no Brasil)  esperando a conclusão da história desses sobreviventes do voo 815 da Oceanic, que começou lá em 2004 e na noite de ontém finalmente teve o seu fim. Afirmo novamente que nós fizemos a nossa parte, buscamos teorias, tentamos entender o que se passava por lá, buscamos informações e discutimos, como discutimos! O nosso trabalho foi feito e bem feito eu diria, mas e o deles? Hmm mmm…não sei não viu?

Mas o episódio “6×17/18 The End” colocou um fim nessa história (que eu repito que um dia já foi bem mais interessante), para o bem ou para o mal. Agora não tem mais “Previosly on Lost” e nem o barulho já tão tradicional do final de cada episódio. Chegamos ao final, gostando ou não, não tem mais para onde ir, é isso.

Esse é um post sobre o final de Lost…preciso avisar que tem spoilers?

Ok então, para ser politicamente correto: SPOILERS*

Vou até começar dizendo que eu me emocionei, sério. Mesmo não tendo grandes motivos para isso, eu confesso: cho-rei! Não pela história contada, ou pelo final em si, mas talvez por apego a esses personagens por quem um dia eu torci tanto. Afinal foram 6 anos de dedicação, pesquisa, repetições. Já assisti a todos os epsisódios de Lost por várias vezes (exceto por essa Season 6, que eu só assisti 1 vez cada ep e talvez nunca mais veja, tamanha mágoa) e a cada vez que eu asssitia passava a enxergar a história de forma diferente, ou pelo menos de uma forma mais completa. Elaborava teorias, ficava cada vez mais confuso e ansioso por um novo episódio. Nunca fui daqueles que sentia a necessidade de ter tudo explicado, afinal sempre entendi que o princípio da série é  a ficção e a partir dai eu já sabia que no final, nem tudo faria sentido mesmo e que muito menos todas as questões apresentadas seriam respondidas. Mas alguns dos mistérios eu ainda tinha esperança que sim e esperava ter pelo menos algumas dúvidas esclarecidas com esse final.

Mas o meu maior medo era que a série se perdesse. Quando anunciaram o pacote completo de Lost, que a série duraria até  a sua Season 6 e garantiram que era o tempo necessário para contar essa história eu até fiquei mais tranquilo, mais aliviado, embora tivesse certeza que no meio dessas 6 temporadas, com certeza em algum momento seriamos enrolados e arrastados para a história render um pouco mais é claro. Algo que eu não condeno e até vejo como normal. Mas o meu maior medo se confirmou com a Season 6 e ontém ainda mais com o episódio final da série. Triste mil…

Sinto em dizer mas eles se perderam, fato. E quando eu digo que sinto, eu digo de verdade, como fã da série que sempre fui.

Pausa: a cena inicial com o caixão de Christian chegando no avião da Oceanic e os personagens seguindo com o cotidiano de suas vidas que abriu o episódio foi  bem emocionante e linda. Clap Clap Clap!

Agora o problema aqui é que a reta  final de Lost se tornou quase que uma “série independente” do que já haviamos visto até hoje. Esqueça tudo sobre os sussurros na floresta, o misterioso monstro de fumaça (que eu sempre achei meio canastrão demais), dos Outros sequestrando gente na praia, se infiltrando para ver se descobririam algo mais, viagens no tempo, constante, física, símbolos nas paredes, relatórios Dharma e as escotilhas. No final das contas, como eu já disse por aqui, tudo isso não teve muita (ou nenhuma) relação com o que vimos nessa temporada final da série. Uma pena, porque esses talvez fossem alguns dos pontos mais interessantes dessa história, mas foram totalmente desprezados no final. Que pena.

Me decepcionei muito, muito mesmo com essa reta final da história, até mais do que com esse episódio de encerramento que nos apresentaram ontém. Não consigo achar um sentido para isso tudo, o que me incomoda profundamente. Já me incomodava antes, quando eu achava que não entendia muito do assunto mas que um dia tudo seria explicado e passaria a fazer algum sentido. Pois bem, não rolou…

E ai descobrimos que na verdade, o grande desfecho da série tratava-se da sala de espera do céu. Ahhhhh, faça me o favor neam? Ew!

Como se a briga dos irmãos Jacob e Homem de Preto, apresentada nessa reta final não fosse o suficiente neam?

Não sou religioso nem nada e talvez esse  seja o meu grande pecado ou o meu bloqueio para entender Lost, mas  aquela capela ecumênica não me emocionou em nada, a não ser o fato de todos eles finalmente se encontrarem ali e dessa vez já “compreendendo” tudo. Meio que conformados demais eu diria, mas enfim.  Mas fazer disso uma espécie de “purgatório” ou” um ritual de passagem” é meio cafona demais para mim. Ai eu me lembro da questão: Homem da Ciência vs Homem de Fé. Pois é, eu bem suspeitava que o final poderia ser por ai e confirmar isso não me agradou em nada. Talvez eu seja um homem sem fé mesmo…

Será que ainda veremos alguma série corajosa o suficiente para apostar na ciência? Talvez esse seja o caminho, fikdik.

E todo mundo meio que matou a charada no ínicio da série, de que eles estariam no “purgatório”. Bem, não foi exatamente isso, não desde o ínício como muitos pensaram quando vimos pela primeira vez os sobreviventes da queda do avião. Mas  no final, a viagem do voo 815 da Oceanic que vimos chegando no LAX no começo da Season 6, depois da bomba ter explodido nos 70’s (e o plano ter dado certo segundo a própria Juliet), era na verdade um voo para uma vida espiritual, para a sala de espera do céu, onde lá eles continuariam as suas vidas, teriam filhos (que?), trabalhariam  (como?), se relacionariam (hein?) até estarem prontos para partir. Tudo como na vida real só que com um pequeno (para eles) detalhe: estão todos mortos! MOR-TOS! Howcoolisthat?

E essa eu mesmo respondo: Notcoolatall!!!

Sinceramente eu preferia não acreditar em nada disso, não gostei nem um pouco quando o Christhian Shephard explicou de forma vaga e irritante (como todas as explicações até aqui) que eles estavam ali para relembar e deixar pra lá…

Como assim? Eu no mínimo teria quebrado aquela sala inteira, além de ter dado um griteeenho fino de garota quando o fantasma do meu papai morto falasse : Hello kiddo?

Não dá neam? Não consigo engolir isso… não mesmo. E acho que todos eles engoliram tudo de forma fácil demais. Exceto pelo Dr Jack, que por incrível que pareça foi quem teve a reação mais próxima de uma pessoa de verdade durante essas revelações bocós do final.

Mas como todo mundo que gostou muito do episódio diz que é fácil criticar mas que ninguém consegue propor uma sugestão a questão,  eu, Essy, proponho o meu own final de Lost, ou pelo menos a minha interpretação, já que o final foi assim tão “reflexivo”.

Não vou dizer que eu não gostei do final, não é isso, acho até aceitável, mas também não posso dizer que foi algo brilhante porque não foi. Nem com toda a força da iluminação da gruta dourada protegida por Jacob. É, não foi. Gostei do clima de suspense, da emoção proposta, mas não da finalização da história, isso eu definitivamente não gostei!

Pra mim tudo faria muito mais sentido se um pequeno detalhe tivesse sido mudado nessa reta final. Foi ai que eu criei a minha teoria da “interpretação paralela”. Vamos a ela:

Se quando Chistian Shephard apareceu para o Jack (como fantasma), ele tivesse dito que aquela era uma segunda chance que eles tinham recebido por tudo que passaram na ilha até a morte de cada um deles por lá, uma chance de continuar as sua vidas depois da experiência na ilha e que por algum motivo maior  (destino talvez) todas aquelas histórias e personagens estavam ligadas e que todos eles precisavam enxeragar isso e se lembrar para depois esquecer e seguir em frente com suas vidas no universo paralelo, ai sim eu teria achado bem mais interessante o desfecho da história e  muito mais justo além de tudo. Ai sim, pra mim tudo faria mais sentido.  Do caso contrário, continuo achando o Jacob um cretino sem tamanho! Co-var-de!

Mas como não foi isso que vimos, para mim, a impressão que eu tive foi a que Jacob, a grande promessa de sabedoria da ilha, era na verdade um puta de um sacana que não sabia de quase nada e ainda se achava no direito de brincar com a vida das pessoas dessa forma. Resumindo: um assassino manipulador cretino. Sorry, peguei birra de vc Jacob!

E não venha jogar na minha cara que eu não era feliz em minha vida pacata fora da ilha que essa não cola. Antes tivesse deixando todo mundo onde estava e ter ido ele mesmo resolver o problema da rolha no buraco da caverna dourada, simples assim.  Ou será que ele nunca pensou nisso? Precisava de tantos candidatos assim para colocar a vida em risco por um erro que ele mesmo assumiu que cometeu? Então quer dizer que além sacana, ele era meio burro e covarde? Nossa, esse Jacob nunca me irritou tanto! Ah se eu te pego Jacob!

Sorte dele que seu personagem nem apareceu nesse último ep, rs, de tão importante que foi…

Isso sim eu acho que foi falho e eu vou precisar de alguém muito mais inteligente do que eu para me provar do contrário ou eu jamais vou entender esse grande circo. Alguém se arrisca? Aceito sugestões!

O final foi bonito? Foi! Foi emocionante? Sim (a trilha contribuiu bastante para isso). Mas não foi nada brilhante, inovador ou inesperado neam? É, não foi.

Agora vamos falar das cenas do episódio neam?

Hurley como sempre brilhante! Adorei quando ele disse que o Jacob foi pior que o Yoda, euri

Aliás, achei legal no final das contas a posição de guardião da ilha ficar nas mãos dele, mesmo sem entender muito bem ainda do porque disso tudo. Achei uma forma de demonstrar um carinho ao personagem que mais representou os fãs durante todas essas temporadas de Lost. E Hurley sempre com muito humor, com as lines mais engraçadas da série, tentando fazer o Sayd se lembrar das coisas na realidade paralela (rs), atirando o tranquilizante no Charlie (rs) , ou quando ele faz piada do momento “cutecute” do Jack + Kate (rolei), sempre muito divertido. Everybody Loves  Hugo!

Mas, que nojo ter que tomar aquela água barrenta para se tornar o o novo Jacob/Jack neam? Ew! E dessa vez nem precisou de “reza” ou palavras mágicas? Sei…

Richard Alpert não morreu daquela forma estúpida do episódio anterior que eu havia falado, o que eu já achei digno. E o fato de agora ele se tornar um mortal com o seu primeiro cabelo branco, eu achei bem cool tmbm além de merecida a sua participação nessa reta final.

Desmond tentando abrir os olhos de Jack e a despedida entre os dois foi sensacional, um dos meus momentos preferidos do final  da série.

Várias referências aos primórdios do seriado, como o tênis pendurado no labirinto de bambus, Flocke lembrando de quando Jack e Locke olharam pela primeira vez o buraco da escotilha do Desmond, entre outros. Cool!

Referências ao número 23, começando do número da mesa do filho do Jack até a data de exibição do episódio. Cool!

Kate guardando a sua última bala para finalmente matar o Flocke e salvar Jack. Cool!

Pierre Chang sempre como apresentador em sua aparições, ganhando o seu espaço merecido no episódio final. Cool!

E eu bem já havia dito que a Juliet era a mãe do filho do Jack neam? Cool! Mesmo com o garoto sendo uma espécie de alma aleatória/anjo/fantasma

Os chocolates Apollo tmbm fazendo a sua participação afetiva na série. Cool!

Rever os personagens do passado foi bem cool tmbm! Charlie! Vincent!

Jack devolvendo o que Desmond já havia dito para ele no estádio no primeiro encontro dos dois. Cool!

Agora alguém me explica a função da Eloise? Toda cheia das informações e teorias para no final levar um “decidi ignora-la” do Desmond (euri)? E ficar com medinho do Desmond levar o Faraday? Muito mistério para nada neam? Aff…

As pedras que caiam quando a ilha estava afundando eram do Chapolin neam? euri

E eu fiquei pensando que poderia ter sido figurante fácil nesse ep, como um dos integrantes do Driveshaft, euri. Mas um deles era mesmo a minha cara, fato!

E não entendi o porque de tanta participação do Miles nesse ep, nunca entendi na verdade a sua relevância para a história, fatão! O piloto era até justificável, mas o Miles? Seriously?

Ben se redimindo com Locke foi bom tmbm, mas funcionou para deixar claro que Ben não pertencia a aquele grupo e que ele não veria a tal “luz”. Uma separação  de quem merece ir para o céu ou inferno? Maybe…

E que grande importância Jacob teve para isso tudo que nem deu as caras no ep final?

Tão inútil que ele nem teve coragem de aparecer, deve ter ficado tecendo tapetes na gruta. Tolo…

Agora, os dois maiores personagens desse episódio final foram Desmond & Jack, fatão!

Desmond mostrou o porque que ela era tão especial para a série, com sua resistência ao eletromagnetismo, encarando de frente o desafio de tirar a tal rolha da fonte iluminada de Jacob neam? Mas para que mesmo? Ahhhh  tah, foi para o monstro de fumaça se tornar humano novamente e poder ser morto. Ok.

E foram dele os episódios mais legais e mais bem feitos de Lost durante todos esses anos e isso ninguém pode negar. Deveriam ter se inspirado nesses eps para os demais, fikdik

Agora esse foi o episódio merecido de reconhecimento para o Jack. Foi o melhor episódio do Matthew Foxx, sem sombra de dúvidas e ele fez por merecer. Os momentos mais emocionantes foram dele e as reações mais humanas tmbm. Achei merecido esse reconhecimento a importância do seu personagem para essa história e é dele mesmo o papel de grande  herói de Lost. Mesmo sendo a escolha “óbvia” segundo Flocke, coube ao Doc o papel fundamental de começar e terminar essa história. Que termina em uma espécie de processo reverso do seu começo. Cool!

E é dele tmbm o coração de Kate, nessa e na outra vida, rs. Mas bem que ela não ficou na ilha ao seu lado neam? Te amo mas não sei se tanto assim, algo mais ou menos por ae neam Kate? (bitch)

Adorei tmbm o fato dele ter “consertado” o John Locke, mesmo que isso tenha sido no além e no final de contas não adiantar para muita coisa neam? Acho que foi mais uma metáfora. Cool!

Os flashs de quando eles se reconheciam me incomodavam um pouco, achava um pouco cafona demais aquelas cores, mas me emocionei com alguns deles, como o da Claire + Kate + Charlie, ou Sawyer + Juliet.

A sequência final, com o Jack caminhando ferido na floresta, deitando lentamente onde ele acordou em seu primeiro dia na ilha, tendo Vincent como seu companheiro nesse momento de despedida, observando o avião decolar da ilha levando os seus companheiros sobreviventes dessa jornada  e fechando os seus olhos pela última vez, pode até ter sido meio previsível demais para muitos, mas no fundo eu até já esperava tmbm que fosse algo do tipo e até gostei disso, achei a cena bem emocionante. Acho que temos coisas mais importantes para criticar do que isso e essa imagem do Jack olhando para o avião me lembrou muito o buraco de Alice In Wonderland, obra bastante citada na série. E eu fiquei emocionado, fatão! Clap Clap Clap Foxxy!

Mesmo não enxergando muito a relação entre as primeiras temporadas com essa última, Lost pra mim valeu mesmo a pena por seu ínicio espetacular de 3 temporadas excelentes. Talvez tenhamos aguentado todo o resto por curisosidade, ou por puro entretenimento e isso não podemos negar que tivemos, tanto um quanto o outro. Não sinto que perdemos o nosso tempo, nem que desperdiçamos algo ao nos dedicar a uma das séries mais influentes e importantes da história da tv. Mas sinto que o meu maior medo se confirmou mesmo: Cuse & Lindelof, vcs se perderam!

E criticar não é faltar com respeito ou qualquer coisa do tipo, muito menos desmerecer um mérito que nem tão cedo outra série conseguirá tirar de Lost. Só fico pensando lá na frente, quando esses caras estiverem mais velhos e  com os egos menos inflados, que talvez eles se arrependam de para onde conduziram essa história que tinha tudo para ser épica mas não foi, não com essa conclusão. Algo que certamente discutiremos muito ainda, fatão!

Sempre achei que eu iria gastar pencas de tempo discutindo o último episódio de Lost com vcs, achei tmbm que seria muito mais emocionante do que realmente foi. O mais difícil talvez tenha sido me expressar e talvez ser compreendido, mas com essas 3066  palavras eu consegui finalizar aqui no Guilt o assunto, pelo menos para mim (rs).

E o título desse post não poderia ser mais apropriado, thnks daddy Shepard! Seasons 1,2 e 3 continuam no santuário, para recordar e as Seasons 4,5,6 talvez eu deixe pra lá, na pilha ao lado, rs.

Assim terminamos a nossa trajetória observando os sobreviventes dao voo 815 da Oceanic por todos esses 6 anos. Com muitas duvidas e insatisfações, esse foi o final sugerido por quem “manda” na série e só nos resta aceitar que de fato, Lost chegou ao seu fim. (tears)

E pela última vez, o Guilt diz Namaste!

ps: essa música me da saudades de um tempo em que tudo era mais simples, rs

Desmond, o viajante do tempo enfim feliz?

Abril 7, 2010

S-E-N-S-A-C-I-O-N-A-L  o episódio de ontém em Lost hein? Reta final da série, chegamos ao episódio “6×11 Happily Ever After” que trouxe Desmond como personagem principal, o que já nos indica que enfim viria um episódio bom por ai. Mas que bom que nada, foi um episódio excelente! Daqueles que justificam o porque de todo mundo se render ao encantos de Lost por essas 6 temporadas, fazendo muita gente  perder o sono nas madrugadas a espera de Paolo Torrento com o episódio inédito da semana. Um grito alto e sonoro agora: Spoillers!

O ep me deixou com aquela ansiedade gostosa que eu sentia quando assisti os primeiros episódios da série, uma sensação que fazia tempo que eu não sentia assistindo a um episódio de Lost. Fiquei contando os minutos que faltavam para acabar o episódio rezando para que ele se entendesse por mais algumas horas, de tão bom que ele foi.

Desmond era mesmo a arma secreta presa no submarino do Sr Widmore e foi levado de volta a ilha por ser a única pessoa a sobreviver a tamanha exposição eletromagnética. Blah blah blah e muita ciência envolvida nas salas Dharma, até que Desmond é exposto novamente ao mesmo eletromagnetismo pelo qual ele passou anteriormente só que dessa vez, com um destino diferente: a realidade paralela. Howcoolisthat?

Como tudo em Lost é bem confuso, quando vimos Desmond no voo da Oceanic 815 que chegou em LA no primeiro ep dessa temporada, até começamos a achar que teria sido apenas uma aparição para o Jack de seu conhecido de outros tempos. Mas com a tal experiância desse ep tivemos certeza de que Desmond estava sim no voo que chegou ao seu destino.

Na realidade paralela Desmond vive uma realidade diferente da que conhecemos do botha. Nela ele trabalha para o Sr Widmore, com que mantém uma boa relação e é até admirado pelo chefe, coisa que na outra realidade não acontecia. Chegaram até a dividir o uísque McCutcheon de 60 anos, o mesmo drink que em outra realidade já foi o pivô de uma cena humilhante para o Des. Cool!

Agora, uma coisa que não mudou foi a sua “função” ou “profissão” de viajante que ele vive em ambas realidades. Achei bem legal essa “coincidência” como parte do destino do Desmond. Mas nessa realidade ele vive uma vida sem companhia, sozinho, sem família, algo perfeito para a sua profissão do momento. E algo parecido com os seus anos de isolamento na escotilha neam?

E adivinha só qual a sua tarefa em LA? Livrar a cara do Charlie da prisão e leva-lo para tocar na casa do Widmore, ao lado do seu filho que toca música clássica (e que já já eu conto mais) e de sua mulher. Mas a sua tarefa é interrompida pelo comportamento estranho de Charlie, que diz ter vinvenciado uma experiência nova enquanto se engasgava com heroína no banheiro do Oceanic 815. Suspense! rs

Charlie que esta convencido de que viu o amor de sua vida naquele voo (Claire) e que de alguma forma ele vivenciou esse amor com aquele até então desconhecida. Assim eCharlie  resolve que tem que mostrar para o brotha ao que exatamente ele estava se referindo. E em um surto ele toma a direção do volante de Desmond e joga o carro água abaixo. Em seguida temos Desmond e Charlie, acidentados em embaixo d’dágua, uma cena conhecida de Lost. Muito cool!

E a maior surpresa esta prestes a acontecer, quando Charlie ficou preso dentro do carro, ainda embaixo d’água e quando Desmond mergulha novamente para tentar salva-lo, Charlie acorda e “imita” a cena de afogamento na ilha, o que faz Desmond se lembar (mesmo sem entender direito) que aquilo já havia acontecido com os dois em algum momento de suas vidas. Howcoolisthat?

Esse era o gancho que todo mundo estava esperando desde que a sexta temporada de Lost começou e que passamos a acompanhar a realidade paralela dos personagens, que de fato conseguiram chegar ao seu destino. Com Desmond, tivemos a primeira dica de que ele vão começar a se lembrar de momentos que passaram juntos no passado, das experiências na ilha e será assim que as duas realidades vão se encontrar. Yei!

E com essa lembrança durante o acidente, Desmond começa a sua busca por Penny na realidade alternativa (a essa altura, Des já lembrou de vários momentos ao lado de sua amada). Após o acidente, eles ainda vão parar no hospital onde Jack trabalham, onde Desmond e o Doc se reconhecem até serem interrompidos por Charlie em fuga.

Ainda na realidade paralela, Desmond vai até a casa de Widmore para contar para a sua esposa que a a Drive Shaft não poderá se apresentar ao lado se seu filho em sua festa. Nesse momento, mais uma surpresa, a tal Sra Widmore é ninguém menos do que Eloise, velha conhecida de Desmond e de todos nós.

Eloise Widmore fica visivelmente surpresa ao ver ver Desmond em sua frente e que quando percebe que o brotha esta em busca de Penny, ela diz que ele deve parar de procurar o que for que ele esteja procurando e que ele tem coisas a resolver antes. Para mim, aqui ficou bem claro que Desmond terá que resolver as suas pendências com a ilha, antes de poder ser finalmente “feliz para sempre”. Ainda tivemos o Sr Widmore dizendo algo a respeito de um certo sacrifício que Desmond teria que fazer e eu me pergunto se esse tal sacrifício seria apenas ele ser exposto ao eletromagnetismo ou se o Sr Widmore estava se referindo a alguma outra coisa, que ele ainda não nos contou. É…pode até ser hein?

Observando toda a interação entre Desmond e Eloise temos o filho do casal: Daniel Faraday! Que agora se chama Daniel Widmore e  que vive um músico na realidade paralela. Um tanto quanto confuso, Daniel tem a mesma sensação que Charlie sobre uma outra realidade a qual ele pertence e acaba mostrando para o Desmond algumas anotações sobre física quântica e matemática que ele fez em relação ao tempo e espaço, mesmo sem ter o menor conhecimento no assunto nessa realidade. Seria o destino mostrando para os personagens que eles não deveriam estar vivendo aquela realidade? Fikdik

Pelo menos é nisso que Daniel acredita e tenta convencer Desmond. Agora vamos lá então,  quer dizer que o que estamos vendo na realidade paralela é mesmo a vida deles atualmente em LA e a experiência com a bomba nos anos 70 deu mesmo certo, como disse Juliet no começo da temporada…quando vimos a ilha no fundo do mar, é isso neam? E que, como eles não podem brincar de “Deus” (sorry, achei isso bem cafona mas escrevi mesmo assim) e alterar os seus destinos, essa realidade paralela não é o que eles deveriam estar vivendo e que de alguma forma eles terão que concertar isso? Pelo menos foi o que eu entendi, vcs sabem…ep do Desmond é sempre de dar um nó nas nossas cabeças.

De qualquer forma, Daniel ainda percebe que Desmond esta tendo a mesma experiência que ele e acaba facilitando a busca do brotha por Penny, que é meia-irmã de Daniel.

No final, temos o emocionante “primeiro” encontro de Des e Penny, no estádio onde Desmond encontrou Jack pela primeira vez no passado. E de uma forma surpreendente, ao cumprimentar pela primeira vez Penny na realidade paralela ele acaba desmaiando e voltando a sua realidade na ilha, onde ele acaba por compreender o sua “função” para a história e se compromete a finalmente ajudar Charles Widmore no que for preciso,  mas acaba seguindo Sayd pela selva, o que eu achei meio suspeito demais…acho que a sua decisão em seguir Sayd, fazendo a linha “Desmond sem sentimentos” foi friamente calculada…veremos!

E para finalizar, na realidade paralela, Desmond pede para seu motorista (outro antigo conhecido nosso do cargueiro) a lista de passageiros do vôo Oceanic 815, onde ele complementa dizendo que precisa dessa lista para mostar algo para essas pessoas. UOW! Agora eu bem que me animei, mas não tenho a menos idéia de como ele vai “mostrar” isso para todos os outros.

Eu sempre fui fã do Desmond e acho a sua história de amor com a Penny uma das mais interessantes da série. Quem é que ainda espera o reencontro de Jin e Sun, quando tivemos mais uma vez o encontro de Des e Penny, com direito a desmaio e tudo mais? Foufo mil! Eu espero mesmo que ele resolva tudo o que tem para resolver na ilha e que possa definitivamente viver sua vida feliz ao lado de Penny e Charlie (o filheeenho deles). Se tem um personagem na série que merece um final feliz, esse personagem é o Desmond, que é o cara mais cool em Lost desde que apareceu pela primeira vez ao som  de “Make Your Own Kind Of Music”.

Ainda estou bem confuso com esse começo de encontro das realidades, mas achei sensacional a forma com que elas vão começar a se encontrar. Fiquei muito, mas muito feliz com esse episódio e agora estou ansioso mil para o novo ep. Só um detalhe: precisava esperar todo esse tempo para esclarecer essa situação? Com o Jack ele bem tentaram criar esse clima onde ele meio que “desconfiou” de algumas situações, mas no final das contas nada aconteceu.

Ahhhh… e a tal palavrar de 4 letras da qual entenderiamos o significado de Lost nesse episódio hein? Minha aposta: LOVE (Zzzzzz, really?)

E na semana que vem , um ep que deve vir com  um pouco mais de humor para dar uma aliviada em toda essa confusão que Desmond sempre causa em nossas cabeças com os seus episódios brilhantes, teremos o ep

” 6×12 Everyboy Lover Hugo” e uma certeza: faltam apenas 5 episódios para o final mais esperado ever!!! Namaste!


<span>%d</span> bloggers like this: