Posts Tagged ‘douchebag’

Talvez você nunca nem tenha sido tão famoso assim, Shia Labeouf

Fevereiro 12, 2014

Shia

Ainda bem que nós, que sempre nos importamos quase nada com o pouco talento de Shia, não perdemos muito tempo com ele, não é mesmo? No máximo o equivalente a 1 “Transformers”, vai?

Mas pior do que ter pouco talento para qualquer coisa é ter pouco talento para qualquer coisa e cometer plágio.

Sem contar que, para ter coragem de aparecer em público assim, com cara amarrada e boné de pescador que não deu muita sorte com a sua varinha dessa vez…

Nymphomaniac

…é melhor mesmo manter o saco na cara. Grato.

#DOUCHEBAG

#VAIVIRARPIPOQUEIROSHIA

♥ Já está seguindo a magia do Guilt no Twitter? Ainda não? @themodernguilt

I do declare: nossa cara oficial de douchebag

Janeiro 27, 2014

BerS7WOCcAA_Qwx

Era uma vez uma criança prodígio que sabia cantar, cresceu e virou um douchebag, que ainda insiste em cantar e o pior é que ainda tem gente que quer ouvir e ninguém que ganhe mais dinheiro que ele na família para tentar dar alguma educação sem pensar no que poderia vir a perder com isso…

#IMAGINEMOQUANTOELEDURARIAEMOZ

#NOIVA

 

♥ Já está seguindo a magia do Guilt no Twitter? Ainda não? @themodernguilt

Wilfred, um cretino adorável

Setembro 16, 2011

Se vc parar para pensar sobre a ideia principal da série, que é ter um homem adulto (embora tenha cara de criança), conversando com um outro homem adulto vestido em uma fantasia sem vergonha e bem vagabunda de cachorro, vc certamente já vai criar uma certa barreira ao pensar em assistir a Wilfred. Mas isso é pura bobagem…

A principio, eu já adianto que não é muito fácil de se apegar a Wilfred, e vc vai precisar de pelo menos uns 3 episódios para começar a gostar de suas lambidas ou acostumar com o seu latido.

Wilfred (Jason Gann) é um cachorro sarcástico, um verdadeiro bully, e funciona meio que como uma espécie de consciência do Ryan, personagem do ator Elijah Wood, forçando-o a tomar atitudes que a sua personalidade pacata e meio bunda mole jamais tomaria em seu estado normal.

Toda essa história da amizade entre os dois começa quando Ryan resolve acabar com a sua vida, tomando vários comprimidos para tentar o suicídio (que depois descobrimos que nem remédio de verdade era…), algo que para o seu desespero não acontece, mas acaba deixando um efeito colateral, que é o fato dele passar a enxergar o cachorro da vizinha por quem ele é apaixonado comO um humano. Ou melhor, um humano cosplay de cachorro.

A história demora um pouquinho para engatar e vc conseguir passar a acreditar nessa situação meio absurda, que eles não fazem a melhor questão de explicar do porque dele ter acabado com esse tipo de efeito colateral e tão pouco fazem questão de mostrar Wilfred como um cachorro de verdade para o resto das pessoas. Talvez também o nível altíssimo de colocón em que Ryan e Wilfred se encontram constantemente no porão seja a maior justificativa para isso.

Mas depois de dois ou três episódios vc acaba comprando essa história e ao poucos vamos nos apaixonando por Wilfred, mesmo ele sendo um total canalha. Ladrão, infiel, egoísta  do tipo que é capaz de fazer qualquer coisa para o seu próprio benefício, esses são alguns dos adjetivos que podemos dar com facilidade para o cachorro e eles fazem questão de deixar bem claro na série que Wilfred não é flor que se cheire e isso em quase todos os episódios, pintando o animal como um grande douchebag.

Sem contar tudo que ele apronta com o pobre Ryan ao longo da temporada, que vai de pequenos furtos, até encarar o vizinho valentão e largar um presentinho marrom dentro da sua bota (Ew!), ou colocar a culpa de um crime ocorrido na vizinhança em uma criança ou até mesmo em um mendigo, além de também obrigar o seu novo amigo a transar com uma girafa de pelúcia (euri). No universo de Wilfred vale tudo e eu confesso que por mais absurdas que possam parecer qualquer uma dessas situações acima, todas elas tem a sua graça e acabam funcionando como “grande lição do episódio”.

Falando nisso, o que é a relação conturbada e extremamente sexual entre Wilfred e o (a) Bear? Euri

E com certeza, os momentos mais divertidos da série estão contidas nas situações que um cachorro normal se encontraria. Por mais que os roteiritas se esforcem para colocar a dupla em situações ridículas, a maior graça da série esta na simplicidade de situações comuns, como o cachorro perseguindo loucamente uma ponto de luz vermelha, ou ele completamente enfeitiçado por bolhas de sabão. Toda e qualquer situação comum que eles colocaram o cachorro ao longo da temporada, se tornaram as melhores piadas da série até agora.

Outro bom momento que eles encontram como motivo de piada são as referências, algo muito comum atualmente, mas que em Wilfred eles aproveitam para rir da própria referência em si. Como no episódio final com a piada muito bem humorada sobre Lost (suck it!), em um momento onde todo mundo esperava que Wilfred fosse revelar a sua verdadeira identidade (ou função). Rolei!

A falha da série até agora, tem sido concentrar demais toda a sua dinâmica em torno dos dois personagens principais, mesmo eles sendo muito bons juntos e colocar todos os demais em segundo plano. Mas um segundo plano bem distante, onde vc não tem tempo ou interesse em se apegar a qualquer um deles, até mesmo a vizinha, que é a verdadeira dona do Wilfred.

As atuações de ambos os atores principais estão deliciosas na série. Elijah com a sua cara de bom garoto assustado e Jason Gann como o Homer Simpson na versão quatro patas. Divertidíssimos, eles formam uma boa dupla, garantindo boas risadas durante toda essa primeira temporada, que vale super a pena de ser vista, fikdik.

Tenho que revelar para vcs que a minha simpatia quase que imediata com a série se deu porque eu também tenho o meu próprio Wilfred. Mas no meu caso, ele é menina (claro, rs e muito mais bem educada do que o Wilfred também), a cachorra da minha vizinha que eu tomo conta de vez em quando (sem nenhuma segunda intenção é claro) e que escolheu a minha casa como o seu segundo lar, rs, ou como eu costumo dizer, sua casa de férias. Aqui ela passa dias, tardes, e até noites, fazendo graça, rolando de um lado para o outro e obrigando vc a fazer carinho nela. Tudo isso com direito a muitas lambidas (e não adianta mandar ela parar…) e mordidinhas de amor, que ela só dá em mim (logo em quem tem medo neam?).

Nossa relação começou fria, por conta do meu medo de animais no geral. Mas ela foi chegando aos poucos do meu lado, pedindo um carinho aqui, outro ali, e hoje em dia vive pulando em mim sem o menor pudor, quase me derrubando o tempo todo, rs. Acho até que acabei curando um pouco desse meu medo…

Juro que um dia desses escutei alguém chamar e quando sai na janela para olhar quem estava lá embaixo, lá estava ela, sentada em frente ao portão e olhando para a minha cara. Tenho certeza que nesse dia ela usou a sua voz para se comunicar…(rs)

Mas  enfim, tivemos uma boa primeira temporada de Wilfred, bem divertida até então e a boa notícia para os mais bem animados com a série é que ela foi renovada para a sua Season 2, ou seja, agora é só aguardar o próximo verão.

ps: post dedicado para a minha querida e maravileeeandra reservoir dog. Rouf Rouf!


%d bloggers like this: