Posts Tagged ‘Elijah Wood’

A temporada em que Wilfred deveria ter sido mandado para o adestramento

Outubro 17, 2012

Minha relação com Wilfred não de foi amor a primeira vista e até mesmo na minha review antiga sobre a primeira temporada da série, eu já havia revelado que foi necessário pelo menos uns três encontros para que a gente se acostumasse um com o outro e eu resolvesse adotá-lo. Depois disso, passei a entender melhor a série e aceitar de coração aberto a sua proposta, que me parecia ser bem divertida justamente porque a série também não parecia ser do tipo que se levava muito a sério, então estava tudo certo.

E esse talvez tenha sido o grande e maior erro da Season 2 de Wilfred, que foi quando a série passou a se levar a sério demais e com isso foi percorrendo um caminho cada vez mais sombrio, até mesmo para quem tem um senso de um humor bem treinado como eu até considero que seja o meu, do tipo que está bem acostumado a assistir diferentes tipos de comédias.

Na verdade, tudo meio que continuou mais ou menos igual e a dinâmica entre Wilfred ((Jason Gann) e o Ryan (Elijah Wood) permaneceu praticamente a mesma de sempre. Os mesmo joguinhos infernais, a mesma tarefa de sempre para o Wilfred, que não é de hoje que vem fazendo as vezes de uma espécie de consciência do Ryan, que o acaba forçando a fazer coisas que normalmente ele não faria ou que vem exercendo o papel de bully para com o vizinho da sua dona. Tudo até que parecia bem igual durante essa nova temporada, exceto por um detalhe: dessa vez eles resolveram levar muito a sério o porque do Ryan conversar com um cachorro como uma pessoa normal e com isso, foram embarcando dentro de um universo que provavelmente eles ainda não estavam prontos para encarar e talvez não fosse nem mais tão necessário assim.

Já começamos a temporada questionando o porque de tudo isso, dando continuidade ao que ficou em aberto ao final da Season 1 em relação a verdade sobre Wilfred, sobre o que realmente teria acontecido com o Ryan para que ele passasse a ver o cachorro como humano, mas o problema foi que esse se tornou um assunto recorrente demais dentro da série, voltando como plot principal por pelo menos quatro episódios durante essa temporada e  o pior de tudo é que esses questionamentos todos continuaram sem nenhuma resposta (como se alguém se importasse), como se Wilfred e Ryan estivesse perseguindo seus próprios rabos o tempo todo, rodando em círculos e sem chegar a lugar algum.

Respostas que sinceramente nem esperávamos ter uma vez que já aceitamos que a proposta da série é a de ter um homem adulto conversando com um outro homem adulto vestido com uma fantasia barata de cachorro desde a temporada anterior e hoje em dia, realmente pouco importa o porque de tudo aquilo. Como resolução para a série, até acho que seria OK voltar a esse assunto, mas não revisitá-lo a todo instante, em bad trips confusas e repetitivas (o que até seria justificável pelo tanto de tempo que eles passam fazendo a gente sabe bem o que no porão), que no fundo não serviram para levar a sua audiência para lugar nenhum. Honestamente, estamos mais do que acostumados com essa ideia deles conversarem como duas pessoas normais e eu não imagino alguém dentro da atual audiência da série que ainda se preocupe ou espere por uma explicação “científica” para o que acontece na dinâmica desses dois personagens. Sinceramente, WHO CARES?

Tudo bem que isso seria algo importante a ser revelado um dia como eu já disse anteriormente, mas vendo a série batendo nessa mesma tecla constantemente, tudo acabou ficando um pouco exagerado demais, como se o Ryan estivesse dando muita importância a esse detalhe da sua vida que ou precisava ser resolvido de uma vez por todas, ou precisava ser deixado de lado e já ter se tornando algo natural para ele depois desse tempo todo. Seria muito mais legal (e real até) se o personagem aproveitasse o grau da sua loucura ou colocação para rir dessa situação absurda e não ficar buscando uma resposta para esse seu issue que como eu também já disse, talvez não precise nem ser explicado. E olha que nessa temporada tudo para o Ryan parecia estar mais bem resolvido, com emprego, namorada, tudo caminhando dentro da normalidade e talvez por esse motivo também, todo esse conflito do personagem permanecer tentando entender a presença do Wilfred em sua vida, acabou parecendo um pouco descabido nesse seu atual momento. Se fosse na temporada anterior até que tudo bem, mas não agora.

E se e por um lado os plots sobre a participação do Wilfred na vida do personagem acabaram pesando demais devido a insistência, por outro lado o próprio comportamento do cachorro passou a ser um grande incomodo dentro da série, principalmente em se tratando do plot também recorrente que é a escatologia. EW! Mesmo que ele tenha continuado sendo o mesmo bad dog de sempre e nada pareceu muito diferente em seu péssimo comportamento do que já havíamos visto anteriormente, dessa vez, a sensação que ficou foi a de que talvez eles tenham se perdido um pouco dentro dos próprios limites que eles não conseguiram encontrar ou definir dentro da série.

É claro também que falar de limites em uma série onde encontramos o Frodo conversando com um cara vestido de cachorro é quase um paradoxo (e olha, até piada sobre a tarefa de carregar o anel nós tivemos durante essa temporada), mas em muitas vezes durante essa Season 2, algumas das piadas da série acabaram imprimindo um certo exagero forçado demais e foram ficando sem a menor graça, justamente por essa falta de limites. Por isso, acho que Wilfred deveria ter sido mandado para o adestramento durante essa temporada.

Ainda assim, tivemos excelentes momentos durante essa Season 2, onde ganhamos a participação da Alisson Mack (ex Chloe em Smallville, mas com o mesmo cabelo, só que em outra cor…) como a possível Sr. Ryan, onde descobrimos através do tempo que na verdade ela era muito mais maluca do que o próprio Ryan parece ser, além de uma participação maior dos personagens secundários, principalmente com a inserção do ambiente de trabalho do personagem principal na série. Aliás, a visita de Wilfred a empresa foi memorável e nos rendeu boas piadas. Outro momento ótimo foi a versão depressiva do cachorro, com direito a franjão e lápis de olho, além de uma tentativa de suicídio, claro. Mas nem mesmo a participação especial do ator e comediante (atualmente bem do sem graça) Robin Willians conseguiu salvar a temporada desse abismo que eles mergulharam e se perderam.

E ao mesmo tempo em que tudo parecia estar exatamente no mesmo lugar de antes e isso talvez indique que a série se acostumou demais a sua própria fórmula,  esse lado mais sombrio da temporada acabou sendo realmente um grande incômodo, deixando tudo “pesado” demais para um série de comédia. E por pesado, eu quero dizer “sombrio” ou “nebuloso” demais e não que eles tenham exagerado no tom da comédia, onde eu até acho que dentro da série, esse tipo de limite seja algo até distante de ser alcançado. Mais ou menos como um bad trip de onde está sendo bem difícil sair até agora. Talvez Ryan e Wilfred tenham passando muito tempo naquele porão do colocón…

Ao final da temporada, até achei que eles tentaram novamente meio que “finalizar” a série e ao mesmo tempo deixaram um gancho (embora seja o mesmo do mesmo) para o seu possível retorno, ainda não confirmado pelo FX, onde novamente voltamos a falar sobre o assunto mais recorrente da temporada, que eu já disse qual para vocês ao longo dessa review. E por esse motivo e por tudo que vimos durante essa nova temporada que foi bastante custosa, fiquei me perguntando seu eu realmente sentiria falta das lambidas de Wilfred na próxima temporada ou se realmente já não havia mais espaço na TV para uma série tão específica como essa e se o seu latido e comportamento inadequado de um bad dog já havia sido o suficiente para mim, uma vez que eu não sou o seu dono e não preciso ter que lidar com isso por mais tempo. Talvez nem o Ryan precise mais, afinal, o cachorro também não é dele…

#DONE

 

♥ Já está seguindo a magia do Guilt no Twitter? Ainda não? @themodernguilt

E a Comic-Con 2012 foi ou não foi bem meio assim?

Julho 26, 2012

Tirando o painel de Breaking Bad, que a gente adoraria ter participado, o de Doctor Who que é o nosso sonho do momento enquanto não temos ainda a nossa própria TARDIS (na esperança…)  e o de Fringe, porque somos curiosos no nínel mais alto do colapso entre os universos azul & vermelho, eu diria que a Comic-Con 2012 foi no mínimo bem preguiçosa.

Pouquíssimas novidades, uma ou outra informação sem muita relevância e quase nenhum acontecimento capaz de fazer nós, os nerds que ficaram em casa, a realmente sentir inveja deles, os nerds que compareceram ao evento desse ano… (quem eu quero enganar? Essa inveja vai sempre existir no coração 8-bit de todos nós…humpf!)

Falando em Breaking Bad, que foi sim o painel mais animado EVA da edição desse ano da Comic-Con, cheguei a ficar impressionado com a forma como a série vem se promovendo com muito mais força durante essa sua Season 5, que diga-se de passagem, não está nada menos do que sensacional! (sério, o que foi aquele segundo episódio? Clap Clap Clap! – de pé)

Mas é claro que eles regularam spoilers. Mas vcs querem saber a minha opinião para o final da série?

Walter percebe o monstro que se tornou e o caminho sangrento que percorreu para chegar na sua reta final e acaba se rendendo a morte (por esse ou por aquele momento) e quem deverá sobreviver dessa história toda é mesmo o Jesse, gritando “Yeah Bitch! Magnetics” como se não houvesse amanhã.

Esse é o meu palpite/desejo não mais secreto. Sem mais.

Alguém precisa falar: como a  Anna Torv estava magrona, estava gatona e estava gostosa no painel de Fringe hein?

HÖY! (em caixa alta)

HÖY! (de novo pq ela interpreta 2 papeis na série, rs)

Peter Pacey agradece a sinceridade. 

Mas a nossa mágoa com Fringe esse ano na Comic-Con fica por conta daquele trailer preguiçoso que eles passaram por lá dizendo ser da sua nova temporada, que de novo não tinha nada. NA-DA!

Custava filma 2 segundos em um cenário aleatório com cara de futuro e dizer “2036 is coming…”?

Não, não custava.

#CHATIADO

Agora, vamos falar de moda na Comic-Con?

Que preguiça é essa minha gente? Tô odiando essa postura “sou nerd e não ligo para as modas”, que todo mundo sabe muito bem que não é verdade e sim recalque.

E como lidar com as escolhas do elenco de Community?

Até na festa de aniversário do meu vizinho irritante com filhos mais irritantes ainda da qual eu não fui convidado a participar (sem ressentimentos, mas é sempre de bom tom mandar um kit festa para o vizinho, com bolo, doces sortidos e no mínimo quatro brigadeiros e toda a família brasileira sabe disso) tinha gente mais bem vestida do que isso, ou pelo menos mais esforçada…

Vou fingir que não vi esse amarelo pavor da Gillian Jacobs e continuar a amando loucamente. Te AMO Britta/Gillian! (♥)

E continuar desejando a morte da Annie na próxima temporada. Lá e em Mad Men, claro. Desculpa qualquer coisa, Annie’s boobs!

Já a Mayim Bialik, eu não ligo a mínima que seja cafonona, só porque eu respeito a Blossom até a morte. Ainda mais porque nada que ela vista hoje, seria pior do que o que ela já usou com orgulho no seriado antigo. A não ser que seja algo vintage daquela época antiga, rs.

E quem é vc para falar o contrário, se eu não vejo nenhuma coroa de diamantes na sua cabeça nesse exato momento. Hein?

#RESPECT

I ♥ Amy Farrah Fowler

Se eu encontro o Howard vestido assim na Comic-Con, vou logo achando que é um assistente do office boy e vou logo pedindo o meu mocca chocolata yah yah. Mas tem que ser bem quente.

Não foi buscar ainda querido? (tá, eu me visto assim de vez em quando e se vc me pedir um café eu te mando o doce. WOO)

Gostaria de dizer que mesmo com a Michelle Williams aparecendo maravileeeandtra assim na Comic-Con (e o target? Confere? Mesmo? São pergunta que ela deverá fazer assim que receber o próximo convite), ela não foi a minha muse desse ano. Fuém!

Desculpa qualquer coisa, Mi! (rs)

Falando em muse, gostaria de deixar bem claro que por motivos pessoais, seremos audiência certa na série Arrow, só por conta da magia do Stephen Amell, claro.

Höy!

OK, a gente ama o Zachary Levi, que é o nosso príncipe Disney preferido,  mas não tanto assim a ponto de conseguir ignorar esse outfit em um nível alto de preguiça. Certo?

Certo. Precisa nos conquistar primeiro para depois relaxar Zachy, regra básica para qualquer relacionamento (para o começo e/ou o fim deles, rs)

#NAOTABOMNAO

MUSO da Comic-Con 2012 = Darren Criss

Achamos que ele deve esquecer o gel de vez e assumir o seu curly com orgulho na nova temporada de Glee (que a gente torce para que seja bem boa, só para ter outro TGP, que é melhor ainda, claro!)

Höy!

ps: mantenha a barba. A puberdade deve chegar no McKinley High!

Já que chegamos a essa ponto, vamos falar de magia?

Magia ruiva =  Michael C. Hall = Höy!

A gente não liga mais para o Dexter já faz duas temporadas, pelo menos. Mas é humanamente impossível ignorar o Michael C. Hall em qualquer coisa que ele faça na vida.

Magia da Barba Ruiva = Dave Annable = Höy!

Não temos a menor vontade de assistir sua nova série, a 666 Park Avenue, mas achamos importante alguém em Hollywood escolher assumir o grisalho, mesmo tão novo como o Dave. Acho corajoso e honesto.

ps: beijo para os Walkers antigos, que empatam com a minha própria família no nível de fofoca ao telefone, rs. 

Magia sueca =  Alexander Skarsgard = Höy!

Sempre 3 metros dele. PÁ!

O Frodo a gente nunca vai ter certeza se é legal, por isso passamos…

Mas quem nunca sonhou em fazer a Maria Garupa em Sons Of Anarchy com o agora magia (o único por lá) chefe de tudo?

TODAS! Höy!

Agora parece que é oficial: acabou para o Bill!

Depois dessas 5 últimas temporadas de True Blood, vc ainda consegue achar que ele se parece em alguma coisa com aquele vampiro sentado no Merlotte’s no começo da Season 1?

Eric continua o mesmo desde que cortou o cabelo e fez balaiagem pela primeira vez, tornando-se assim um vampiro de respeito

Mas não parece mesmo!

#NAOTABOMNAO

ps: do Sam eu morro de preguiça, por isso prefiro ignorar e bastava colocar a Tara ali do lado para completar o time daqueles que se morressem, a gente não sentiria a menor falta em True Blood. Sim. 

Agora sim, o meu painel preferido ever dessa Comic-Con. Painel Who?

Karen Gillan, Arthur Darvill e Matt Smith, também conhecido como o melhor Doutor de todos os tempos. Höy!

Posso dizer que foram os que menos se esforçaram e que mesmo assim conseguiram imprimir da magia a sedução?

Cool Cool Cool! (♥³)

E para a Karen Gillan com esse cabelo maravileeeandro em ruivo, vai o posto de nossa MUSE da Comic-Con 2012.

Não só por ela ser a garota que esperou (♥), nem só por ela ter aparecido linda assim (com essa bolsa que é só amor!) e sim por ela ter dito que adoraria ver um episódio de Doctor Who com todos eles presos dentro de um piano (sério, quem diria uma coisa dessas?) e praticamente se convidar para participar de Community, no episódio especial em que eles vão a um evento do Inspetor do Tempo. Howcoolcouldbethat?

I ♥ Amy Pond

Höy!

ps: e não, não tivemos uma preview da Season 7 de Doctor Who esse ano. Humpf!

 

♥ Já está seguindo a magia do Guilt no Twitter? Ainda não? @themodernguilt

A nova “Dama e o Vagabundo”

Abril 9, 2012

Novo promo de Wilfred, que estreia na america antiga a sua Season 2 no dia 28 de Junho.

Mas o que? Vc ainda não conhece Wilfred?

Wilfred, um cretino adorável

Setembro 16, 2011

Se vc parar para pensar sobre a ideia principal da série, que é ter um homem adulto (embora tenha cara de criança), conversando com um outro homem adulto vestido em uma fantasia sem vergonha e bem vagabunda de cachorro, vc certamente já vai criar uma certa barreira ao pensar em assistir a Wilfred. Mas isso é pura bobagem…

A principio, eu já adianto que não é muito fácil de se apegar a Wilfred, e vc vai precisar de pelo menos uns 3 episódios para começar a gostar de suas lambidas ou acostumar com o seu latido.

Wilfred (Jason Gann) é um cachorro sarcástico, um verdadeiro bully, e funciona meio que como uma espécie de consciência do Ryan, personagem do ator Elijah Wood, forçando-o a tomar atitudes que a sua personalidade pacata e meio bunda mole jamais tomaria em seu estado normal.

Toda essa história da amizade entre os dois começa quando Ryan resolve acabar com a sua vida, tomando vários comprimidos para tentar o suicídio (que depois descobrimos que nem remédio de verdade era…), algo que para o seu desespero não acontece, mas acaba deixando um efeito colateral, que é o fato dele passar a enxergar o cachorro da vizinha por quem ele é apaixonado comO um humano. Ou melhor, um humano cosplay de cachorro.

A história demora um pouquinho para engatar e vc conseguir passar a acreditar nessa situação meio absurda, que eles não fazem a melhor questão de explicar do porque dele ter acabado com esse tipo de efeito colateral e tão pouco fazem questão de mostrar Wilfred como um cachorro de verdade para o resto das pessoas. Talvez também o nível altíssimo de colocón em que Ryan e Wilfred se encontram constantemente no porão seja a maior justificativa para isso.

Mas depois de dois ou três episódios vc acaba comprando essa história e ao poucos vamos nos apaixonando por Wilfred, mesmo ele sendo um total canalha. Ladrão, infiel, egoísta  do tipo que é capaz de fazer qualquer coisa para o seu próprio benefício, esses são alguns dos adjetivos que podemos dar com facilidade para o cachorro e eles fazem questão de deixar bem claro na série que Wilfred não é flor que se cheire e isso em quase todos os episódios, pintando o animal como um grande douchebag.

Sem contar tudo que ele apronta com o pobre Ryan ao longo da temporada, que vai de pequenos furtos, até encarar o vizinho valentão e largar um presentinho marrom dentro da sua bota (Ew!), ou colocar a culpa de um crime ocorrido na vizinhança em uma criança ou até mesmo em um mendigo, além de também obrigar o seu novo amigo a transar com uma girafa de pelúcia (euri). No universo de Wilfred vale tudo e eu confesso que por mais absurdas que possam parecer qualquer uma dessas situações acima, todas elas tem a sua graça e acabam funcionando como “grande lição do episódio”.

Falando nisso, o que é a relação conturbada e extremamente sexual entre Wilfred e o (a) Bear? Euri

E com certeza, os momentos mais divertidos da série estão contidas nas situações que um cachorro normal se encontraria. Por mais que os roteiritas se esforcem para colocar a dupla em situações ridículas, a maior graça da série esta na simplicidade de situações comuns, como o cachorro perseguindo loucamente uma ponto de luz vermelha, ou ele completamente enfeitiçado por bolhas de sabão. Toda e qualquer situação comum que eles colocaram o cachorro ao longo da temporada, se tornaram as melhores piadas da série até agora.

Outro bom momento que eles encontram como motivo de piada são as referências, algo muito comum atualmente, mas que em Wilfred eles aproveitam para rir da própria referência em si. Como no episódio final com a piada muito bem humorada sobre Lost (suck it!), em um momento onde todo mundo esperava que Wilfred fosse revelar a sua verdadeira identidade (ou função). Rolei!

A falha da série até agora, tem sido concentrar demais toda a sua dinâmica em torno dos dois personagens principais, mesmo eles sendo muito bons juntos e colocar todos os demais em segundo plano. Mas um segundo plano bem distante, onde vc não tem tempo ou interesse em se apegar a qualquer um deles, até mesmo a vizinha, que é a verdadeira dona do Wilfred.

As atuações de ambos os atores principais estão deliciosas na série. Elijah com a sua cara de bom garoto assustado e Jason Gann como o Homer Simpson na versão quatro patas. Divertidíssimos, eles formam uma boa dupla, garantindo boas risadas durante toda essa primeira temporada, que vale super a pena de ser vista, fikdik.

Tenho que revelar para vcs que a minha simpatia quase que imediata com a série se deu porque eu também tenho o meu próprio Wilfred. Mas no meu caso, ele é menina (claro, rs e muito mais bem educada do que o Wilfred também), a cachorra da minha vizinha que eu tomo conta de vez em quando (sem nenhuma segunda intenção é claro) e que escolheu a minha casa como o seu segundo lar, rs, ou como eu costumo dizer, sua casa de férias. Aqui ela passa dias, tardes, e até noites, fazendo graça, rolando de um lado para o outro e obrigando vc a fazer carinho nela. Tudo isso com direito a muitas lambidas (e não adianta mandar ela parar…) e mordidinhas de amor, que ela só dá em mim (logo em quem tem medo neam?).

Nossa relação começou fria, por conta do meu medo de animais no geral. Mas ela foi chegando aos poucos do meu lado, pedindo um carinho aqui, outro ali, e hoje em dia vive pulando em mim sem o menor pudor, quase me derrubando o tempo todo, rs. Acho até que acabei curando um pouco desse meu medo…

Juro que um dia desses escutei alguém chamar e quando sai na janela para olhar quem estava lá embaixo, lá estava ela, sentada em frente ao portão e olhando para a minha cara. Tenho certeza que nesse dia ela usou a sua voz para se comunicar…(rs)

Mas  enfim, tivemos uma boa primeira temporada de Wilfred, bem divertida até então e a boa notícia para os mais bem animados com a série é que ela foi renovada para a sua Season 2, ou seja, agora é só aguardar o próximo verão.

ps: post dedicado para a minha querida e maravileeeandra reservoir dog. Rouf Rouf!

É, pode rir a vontade Elijah Wood…

Setembro 8, 2011

…pq todas invejaram a sua tee com fundamento de invasão de zombies. Euquero!

E ele tmbm tem motivos de sobra para rir pq sua série Wilfred, foi renovada para uma segunda temporada. Yei! (não me lembro se eu já comentei isso por aqui, então…)

Ainda bem que agora eu já aceito Wilfred

Agosto 24, 2011

Confesso que não foi amor a primeira vista, mas vou aproveitar essa foto do Elijah Wood no aeroporto (sempre com a mesma roupa…), para comemorar a renovação de Wilfred para a sua Season 2. Yei!

Mas só vou comemorar, pq agora eu entendi a série, algo que demora um pouco para vc se entender…mas disso falaremos mais assim que a temporada atual acabar.

Rouf Rouf!

Então Elijah Wood, não sei ainda se eu gosto mesmo de Wilfred…

Julho 25, 2011

Ainda estou na dúvida. Continuo assistindo Wilfred, nova série do FX que trás o Elijah Wood conversando com um homem vestido de cachorro.

Apesar de parecer ser uma temática exótica, a série até que é divertida, mas ainda tem algo faltando ou me incomodando, só não sei o que ainda…

Talvez o cachorro seja folgado demais? Apesar de ser um foufo e engraçado em alguns momentos, de vez em quando dá vontade de trancar Wilfred no canil, fato.

Mas não desisti ainda…

Ok, chegou a hora de admitir que ele realmente cresceu. Höy!

Junho 30, 2011

Tenho uma relação difícil com o Daniel Radcliffe, algo que se repete com o Elijah Wood e tudo isso porque não conseguia ainda aceita-los como adultos.

Por mim eles seriam para sempre aqueles dois moleques baixeeenhos e com olhões azuis, rs.

Mas acho que agora, próximo do final de Harry Potter, chegou a hora de encarar os fatos e admitir que pelo menos o nosso Harry cresceu neam? Humpf!

Estava lendo nos comments do trailler do último filme no Youtube e em outros lugares também que o final de Harry Potter representava o final da infância para a maioria daquelas pessoas. Achei foufo e acho que é mesmo mais ou menos por ai…

Mas se até o Harry Potter cresce, isso significa o que? Que estamos velhos? Xo-co-tô!

Não sei, mas se servir de consolo, pelo menos o nosso Harry esta se transformando em um homem leeeandro. Höy!

Por isso chegou a hora de libertá-lo: Bem vindo ao mundo dos boy magia Harry! Höy!

E o novo Wilfred, hein?

Abril 1, 2011

Wilfred é uma série de origem australiana, que foi sucesso por lá em 2007 e que agora vai ganhar uma versão americana pelo canal Fox e que tem o Elijah Wood no elenco.

Basicamente a série é sobre um cara que enxerga um cachorro como um outro cara. Hmm mm

A princípio achei meio assim, mas fiquei curioso…e achei até esse video com alguns dos melhores momentos da série original australiana

Será que a gente deve dar uma chance para o Elijah na TV, falando com um cara vestido de cachorro?

Não sei, mas ele (o cachorro) me lembrou o Lester de Beakman’s World e talvez por isso eu dê uma chance para a série…

Guilt wishlist – Meus nomes preferidos para ser o novo Spider Man

Janeiro 20, 2010

Eu promteti e disse que faria uma lista não é mesmo? Pois aqui esta , coloquei nela algumas apostas, na verdade mais desejos mesmo de quem eu gostaria de ver na pele do Spidey!

Já contei para vcs que o Spider é o meu herói preferido? É sim, LOVE Spider Man, LOVE!  E isso não é coisa da franquia milhonária não viu? Vem desde criança, quando eu tinha uma umbrella inseparável (ainda mais para uma criança que mora em SP, com esse tempo tão incerto)  com um Spider Man enorme estampado nela. LOVE! Era minha companheira para me levar até a escola todos os dias, me lembro de andar pelas ruas andando olhando para cima, só para ver a estampa dele, que era enorme e ocupava uns 60 % da umbrella. Era incrível mesmo, me deu até saudades agora (snif).

Por isso tenho um relaçán pessoal com o filme e gosto de defende-lo e sendo assim, listei os atores que eu acho que teriam alguma chance de fazer um bom trabalho na pele do meu herói preferido. Levei em consideração alguns ítens como a idade do personagem, características físicas e pessoais, sempre achei que o Spider Man não poderia ser alguém com muito apelo sexy, nem bad boy demais, tem que ter um olhar foufo, um sorriso foufo, praticamente um geek neam? rs

E vc fãs (daqueles que leêm todos os quadreeenhos) podem até não concordar comigo, mas nem confi, a lista é minha, eu que fiz e coloco quem eu bem quiser nela. Aquele bem amargo neam? Brinks

A minha wishlist tem 15 concorrentes e eu sinceramente espero que pelo menos 1 deles leve o papel de Spider Man.

1º Adan Brody

Adan Brody foi o responsável pelo inesquecível e adorável Seth Cohen em The O.C, que na série era um geek viciado em histórias em quadrinhos. Só isso já poderia garantir a ele o papel não é mesmo? Mas além disso, ele é um ótimo ator (embora não tenha feito nada de importante depois do final da série) e tem  todas as características que eu considero importantes para interpretar o meu herói. Dizem que ele seria o Flash, mas como não existe uma produção do filme  até o momento, acharia bem digno se ele fosse o escolhido.

2º Nicholas Hoult

Quem assistiu as Sesons 1 e 2 de Skins sabe que o Nicholas Hoult é mesmo incrível. Ele conseguiu fazer em apenas 2 temporadas (de poucos eps como é característico em Skins) todo mundo odiar e amar ele ao mesmo tempo. Tudo bem que ele parece bem mais noveeenho, mas é um bom ator tmbm e recentemente  fez “A Single Man“, o filme do Tom Ford e como eu sei que o grande responsável pela Gucci é uó e controla tudo em suas produções, é claro que ele não perderia tempo com um ator meia boca. Também acho que seria uma ótima escolha.

3º Joseph Gordon Lewitt

Joseph Gordon Lewitt seria uma boa escolha para o ser o novo Spider Man tmbm hein? Ele que me encantou completamente em “500 Days Of Summer” e havia sido escolhido para ser o herói na montagem da Brodaway. Com certeza faria um excelente papel na pele do personagem, fato. Seria uma boa opção pq ele não tem os mesmos traços do Tobey…o que talvez seja uma linha a ser seguida pelos produtores de elenco do próximo filme, fikdik. Minha maior aposta eu diria!

4º Anton Yelchin

Anton Yelchin talvez seja um dos menos conhecidos por aqui e mesmo assim é um dos maiores concorrentes para o papel, na minha opinião é claro. “Alpha Dog”, “Terminator 4”, “Star Trek”, “Charlie Bartlett”, foram apenas alguns dos filmes no qual Anton participou. E ele sempre é muito elogiado pela crítica, além de ter bem um tipo do Spider neam? Eu acharia digno se ele for o escolhido!

5º Andrew Garfield

Andrew Garfield nem é muito conhecido ainda, mas pra mim ele quase que roubou a cena no quesito foufurices com o seu personagem Anton em “The Imaginarium of Doctor Parnassus”. Eu realmente não o conhecia antes disso, mas acho que isso pode até contribuir para que ele seja o escolhido, já que Andrew uni o fato de ser pouco conhecido e ter talento para segurar o papel. Fora esse sobrenome foufo milneam?

6º Daniel Radcliffe

Não tem como não pensar nele quando o assunto é jovem ator possível novo Spider Man, fato. Daniel Radcliff é amaaaado pelo  mundo inteiro e talvez a sua tamanha notoriedade como Harry Potter não deixe que ele faça o papel. Uma pena, pq acho tmbm que ele seria uma escolha incrível. Mas como ainda faltam 2 filmes da série de “Harry Potter” para estreiar no mundo todo, acho que talvez os estúdios prefiram procurar um pouco mais antes de tomar qualquer decisão.

7º Elijah Wood

E porque não o Frodo? Se Harry Potter seria um pouco demais para o papel, talvez o Elijah Wood seja a melhor opção hein? Não tem como negar a semelhança entre ele e Tobey Maguire neam? Bom ator, caracterísitcas fisícas okayam…eu acho que seria uma boa pedida…mesmo ele sendo um anão neam? rs

8º Robert Pattinson

Esse aqui é o nome da vez e só por ter escrito seu nome aqui no blog eu já ouço gritos de uma fã desesperada a quarteirões de distância, rs. É claro que o nome Robert Pattinson surgiu na lista como um dos mais possíveis substitutos para o papel, mas eu não sei não hein? Com a franquia de “Twilight” rendendo pencas e com uma série de filmes ainda para serem rodados eu acho pouco provável que ele seja o escolhido. Mas caso role eu até que acharia digno, mesmo odiando o filme bocó dos vampiros.

9º Zachary Quinto

Tah, agora um pouco das minhas viagens, os próximos da lista eu acho bem pouco provável que peguem o papel, mas eu vou colocar aqui mesmo assim pq acho digno. Ué, e porque não o Zachary Quinto? Puberdade demais? rs. Acharia bem digno ele ganhar o papel pq eu acho que ele é um ótimo ator, fato. Mas será que ele ficaria muito metido sendo o Spock em “Star Trek” e o Spider Man ao mesmo tempo? Não sei não, eu ficaria, rs

10º Chris Pine

E se o Spock pode entrar na lista o Capitão Kirk tmbm pode não é mesmo? Eu fiquei apaixonado por ele na pele do Capitão Kirk em “Star Trek”, que além de tudo me fez rir mil no filme. Só acho ele um pouco grandão demais para o papel, talvez não role. E tmbm tem cara de mais velho embora não seja…não sei, acho que ele tmm não pega não. Quem sabe o Capitão América, hein Chris Pine?

11º Josh Hartnett

Josh Hartnett pode até ter mais de 30 já, mas vai ficar para sempre com essa careeenha de 15 anos e perdido na vida, Höy! Acho ele bem incrível e em muito tempo eu não tenho visto nada sobre o trabalho dele que me chame atenção, talvez seja a hora de uma nova chance hein Josh? Bora pro casting?

12º Jim Sturgess

Hey Jude! Awwwwwnnnnn. LOVE Jim Sturgess, LOVE! Jim é incrível e me fez chorar em “Across The Universe” (tah, eu choro com tudo mesmo neam?). Mas ele é grandão tmbm…e um foufo, Talvez seja uma ótima opção para fugir dos esteriótipo “Tobey” de ser…mas não acho que ele pega o papel tmbm não. Bem que eu gostaria, mas, esses produtores são sempre tão caretas!

13º Justin Bartha

Awwwwwnnn…outro foufo vai? Tudo bem que ele não tem feito nada de muito importante e seu papel em “The Hangover” foi uó neam? Mas quem sabe essa é a sua chance Justin Bartha? Bora pro casting?

14º Michael Cera

Eu acho ele digno e sou apaixonado pelo seu trabalho, afinal ele participou de uma das séries mais legais de todos os tempos ever, Arrested Development. E “Juno” diz alguma coisa para vcs? Foufo mil vai? Eu acharia bem digno se ele fosse o escolhido é claro, mas não acho que vai rolar viu Michael Cera? Blame seu físico de gafanhoto! Euri

15º Essy (euri)

Mas é claro que eu, Essy, não poderia jamais ficar de fora dessa lista neam? Todo gateeenho (euri), superparecido com o Tobey Maguire (quando eu assisti o 3 filme, uma criança bem disse isso na saída do filme, fatão e eu tenho testemunhas) , ótimo ator (euri), descolado, moderno e versátil (eurieurieuri). Canto, danço, represento e ainda faço o figurino e o design do filme. Melhor opção dos 15 eu diria…fatão! E eu acho que vou bem para o casting hein? Será que eu pego? Quero ver todos os meus leitores na torcida hein? Alôka! Meosonho usar aquele collant! rs

E essa é a minha humilde wishlist para o novo Spider Man, espero que Hollywood seja mesmo antenada e seja leitora aqui do Guilt hein? Fikdik! (e que levem em consideração que eu seria perfeito para o papel hein?)


%d bloggers like this: