Posts Tagged ‘Elizabeth Moss’

A temporada da quebra de silêncio em Mad Men

Outubro 31, 2013

743333306

Tem gente que mesmo seis temporadas depois, ainda acha que pouca coisa acontece em Mad Men. Eu mesmo de vez em quando bem acho que pouca coisa de fato aconteceu em Mad Men e já inclusive reclamei disso aqui no Guilt. Não sei se reclamar seria exatamente a palavra para se usar nesse casp, mas é isso, já pelo menos falamos sobre o assunto por aquii. (da última vez, falamos sobre a série aqui ó)

Mas nós, que permanecemos até aqui enquanto sua audiência, já percebemos que o ritmo da série é realmente outro mesmo e isso não significa que ela seja ruim. Muito pelo contrário, porque a série do AMC mesmo basicamente sobrevivendo da rotina do dia a dia de uma agência de publicidade dos anos 60 e das histórias dos personagens que a cercam, consegue se reinventar o tempo todo, mesmo continuando falando sobre o mesmo assunto.

Durante a Season 6 por exemplo, tivemos novamente alguns assuntos bastante recorrentes para a série. A agência em crise, a infidelidade do Don Draper, a concorrência acirrada com as demais agências, velhos inimigos reaparecendo, Don vs Peggy. Coisas que nós sempre amamos, mas não podemos dizer que foram assuntos tão novos assim. E não foram, mas ao mesmo tempo, não podemos reclamar, nem disso, nem da qualidade da série, que continua sendo uma das mais bem cuidadas da TV atual.

Avançando na década de 60 (inclusive no colocón, utilizado nessa época inclusive medicinalmente), encontramos uma das temporadas mais coloridas de Mad Men até então. E as cores não ficaram restritas apenas aos figurinos invejáveis (como são bem cuidados e cheios de referências, não?) e cenários capazes de nos deixar com vontade de embarcar imediatamente para uma viagem no tempo. Nela encontramos os Drapers (os novos, Don e Megan) no Hawaii, com a Megan finalmente conseguindo algum sucesso na carreira de atriz, achando que estava vivendo um casamento feliz. Mas para sua surpresa (e nossa também), pouco tempo depois descobrimos que a personalidade infiel de Don Draper estava mais presente do que nunca e dessa vez estava bem mais perto do que ela poderia imaginar, com a revelação do seu caso com a vizinha também casada e com quem ele mantinha uma relação de amizade inclusive com o seu marido, que era médico.

Nesse ponto da história, mais uma traição no resumé de Draper não chegava a ser nenhuma surpresa, tão pouco novidade, até que nos foi revelado durante a nova temporada, um pouco mais do seu passado e sua infância traumatizante vivendo ao lado da mãe em um bordel, onde de acordo com a sua educação (ou a falta de), descobrimos pelo menos de onde havia surgido toda essa questão em sua vida. Apesar de conhecermos o personagem, a história da nova traição até parecia um pouco mais do mesmo a essa altura, além de parecer também bastante injusta com a personagem da Megan, da qual sempre gostamos. Mas foi bem bacana e inteligente da parte deles nos mostrar um pouco mais do fundamento do Draper, para que a gente entendesse mais a fundo sobre quem de fato é aquele homem ou pelo menos no porque dele ter se transformado naquele homem.

mad-men-season-6-cast

E o que foi bacana mesmo nessa nova história de traição foi ver a forma como Draper tratava a nova amante (colocando-a em uma posição totalmente submissa), algo um tanto quanto diferente de como ele vinha agindo com as demais até então (não que as demais não fossem tão submissas quanto). E foi mais legal ainda poder ver que dessa vez ele não conseguiu sair completamente ileso dessa situação, com a Sally encontrando o pai em um momento meio assim e ele se vendo em um lugar oposto ao que já ocupou ainda quando criança, repetindo o comportamento dos próprios pais e possivelmente marcando a própria filha para a vida. E aquele diálogo dele com a Sally por trás da porta, foi uma das cenas mais dolorosas e bacanas de toda a série até hoje. Naquele momento raro, encontramos Draper completamente rendido aos seus verdadeiros sentimentos e realmente se importando com alguma coisa ao ver a filha perdendo de uma vez por todas a imagem de herói que sempre teve sobre o pai. As vezes, tenho a impressão que na vida daquele homem apenas os filhos importam… (daquele jeito, claro)

É claro que outros assuntos não poderiam ter sido ignorados ao longo da nova temporada da série, e eles foram surgindo naturalmente, como o discurso do Paul Newman (e as mulheres animadíssimas com a ideia da proximidade a uma magia como aquela, acabou nos representando muito bem, não?) em um premiação, sendo interrompido por ativistas que lutavam contra a forma trágica que morreu Martin Luther King, além das grandes contas que acabaram surgindo para a agência, com a Avon, a Jaguar e a prória Chevy chegando para deixar os cofres bem mais recheados.

Mas além de tudo isso, o mais legal da série realmente sempre foi a relação Don vs Peggy e a forma como ambos se mantém sempre em constante atrito, mesmo se admirando cada vez mais e dessa vez não foi nada diferente. Admiração essa que apareceu de forma linda como quando o Don novamente por trás de uma porta (plot recorrente da temporada, talvez para começar a despir o personagem aos poucos), se mostrou completamente orgulhoso da forma como sua ex-funcionária havia o superado em uma apresentação e para o mesmo cliente que ele sentiu que havia perdido, minutos antes. Perder nunca é muito fácil, mas perder para quem a gente gosta de verdade, realmente não deixa de ser um ganho para ninguém. Isso até ele se encontrar completamente decepcionado com o relacionamento da Peggy com o seu atual chefe (na verdade, ele sempre acaba decepcionado com quem repete o mesmo tipo de comportamento que ele próprio), que além de tudo vinha a ser uma espécie de nêmesis do próprio Draper e mais tarde se tornaria um dos novos sócios da agência.

Peggy que sempre foi o nosso girl power preferido dentro do universo de Mad Men, mesmo quando errando feio como no quesito caso com o chefe. E é sempre bom ver a personagem em cena, ganhando ou perdendo, quase matando o namorado (quase como um encontro de Girls com Mad Men) e encerrando a temporada assumindo um lugar que ela jamais achou que assumiria, pelo menos não daquela forma. Para Peggy, ainda acho que falta o reconhecimento profissional que a personagem sempre fez por merecer, embora a gente tente se lembrar que estamos falando de um outro tempo e que sua trajetória profissional até aqui já alcançou níveis muito além do que a de muitas mulheres na época, mas de qualquer forma, nos encontramos satisfeitos sabendo que mesmo sem demonstrar muito, Don se sente sim pra lá de realizado com o trabalho da sua protegida, que a essa altura parece conseguir caminhar perfeitamente com as próprias pernas, mesmo quando ela ficou com a sensação que não estava conseguindo se livrar assim tão facilmente do ex-chefe. (e o triângulo entre ela, o Draper e o novo chefe foi algo sensacional!)

mad-men-season-6-megan-peggy-joan-betty

Do lado feminino da série, ainda tivemos a Joan se sentindo menor pelo que fez no passado para que a empresa (da qual agora ela também faz grande parte no momento e justamente por conta dessa “ajudinha”) conseguisse sair do buraco, com o Draper no seu pé, lembrando o tempo todo de suas atitudes meio assim naquela ocasião. Nessa hora, apesar do personagem achar que agindo daquela forma ele nada mais estava fazendo do que a protegendo, não conseguimos deixar passar um exercício que caberia muito bem ao próprio Draper naquele momento, sobre tudo aquilo que ele já foi “obrigado” a fazer em nome de uma conta e ou trabalho. Nessa hora, valeria para o personagem lembrar que não só sexo pode ser considerado como jogo sujo. Sexo que por sinal, reapareceu na vida do ex casal Betty e Draper, em uma pequena escapada de suas atuais vidas conjugais, escapada essa que por ele até que poderia ter alguma continuidade (claro…), mas que para ela funcionou apenas como um flashback para tentar se lembrar do porque que ela havia se separado do marido no passado, além de ter aberto espaço para uma excelente reflexão sobre como Betty via a Megan na vida do Draper no momento.

E ainda tivemos o fiasco do funeral da mãe do Roger (uma excelente abertura de temporada), o novo personagem gay e totalmente creep da agência (mas magia, apesar do nano shorts. Höy!), a demência e a morte da mãe do Pete (que foi um plot ótimo, apesar de continuar detestando o Pete), Betty Draper morena, Betty Draper magra de novo, Sally mostrando que já está crescida, mas ainda continua bastante inocente em outros assunto, como quando uma mulher estranha invadiu a casa do seu pai e se passou por alguém de sua família, a qual diga-se de passagem, a filha de Don Draper pouco ou nada conhecia até então.

Mas talvez o ponto mais alto dessa nova temporada realmente tenha sido o mergulho que acabamos fazendo para dentro da personalidade misteriosa e reclusa do personagem principal. Amparado na nova conta da Hershey’s, e uma história pra lá de honesta do próprio Draper diante do novo cliente e de seus sócios. Um homem que até então poucas vezes havia se aberto para alguém mas que dessa vez parecia bem disposto a quebrar seu silêncio, escancarando um lado da sua vida que até então ele sempre manteve na escuridão. Momento esse que foi o suficiente para uma espécie de “intervenção” para o Draper, que foi afastado do seu cargo por tempo indeterminado (que foi quando ganhamos a Peggy no seu lugar) do seu posto.

madn

Algo que apesar de até que surpreendente devido a toda a genialidade que eles sempre pintaram para o personagem em relação aos negócios, não deixa de ser algo extremamente real também, porque não é de hoje que percebemos que apesar de ser dono de um talento natural para a coisa, ele não parece estar muito feliz com a profissão ou pelo menos não com os rumos do seu trabalho atualmente. Sem contar que essa intervenção acabou abrindo uma possibilidade importante para o personagem se abrir e talvez a forma mais honesta que Draper pudesse encontrar naquele momento fosse realmente levar os filhos até as ruínas do bordel onde ele foi criado durante boa parte de sua infância, em uma cena lindíssima que encerrou a temporada, para deixar os olhos cheios de lágrimas.

Na verdade, como encerramos a Season 6 de Mad Men nesse ponto exato da história, ainda não sabemos ao certo o quanto o personagem esteve disposto a se abrir com os filhos, mesmo contando com o fato de que a essa altura, ele já não tinha quase mais nada o que perder, com o personagem finalmente ganhando dois lados. Mas a boa notícia é saber que chegamos a um ponto decisivo para a mitologia da série, abrindo espaço para o personagem resolver algumas questões pendentes em sua vida até hoje e com a Season 7 sendo confirmada como a última da série, sabemos que não poderemos perder por nada o final dessa história.

A única sacanagem é que o canal AMC anunciou recentemente que assim como fez com Breaking Bad, também irá dividir a temporada de encerramento da série em duas partes de 7 episódios cada, onde os sete primeiros serão exibidos em 2014 e os restantes apenas em 2015. Humpf!

Mas digamos que se for para fazer o que eles conseguiram realizar com a reta final da história do Walter White, nós, apesar de extremamente ansiosos e de ainda acharmos uma sacanagem gigantesca, não achamos tão ruim assim ter que esperar, vai?

 

 ♥ Já está seguindo a magia do Guilt no Twitter? Ainda não? @themodernguilt

E o red carpet do Emmy 2013 conseguiu ser tão preguiçoso quanto a própria premiação…

Setembro 29, 2013

neil-patrick-harris-emmys-2013

Sim já faz uma semana que aconteceu o Emmy 2013 e sim, ficamos morrendo de preguiça (não vou mais usar a desculpa da falta de tempo, prometo… #CRUZANDOOSDEDOS) de comentar a premiação que foi um excelente sonífero para o último domingo (sério gente, o que foi aquilo?), mas como não somos do tipo que deixa qualquer red carpet passar tão batido assim, resolvemos comentar as escorregadas e os acertos delas todas mesmo assim. Então levanta a barra dessa saia, segura a respiração toda presa nessa cinta emagrecedora sem furo para facilitar qualquer emergência no banheiro (como podem vender esse tipo de cinta, me respondam?) e reza para o guache vermelho do Louboutin do truque não resolver ficar perdido por aí e entregar sua atual condição no cheque nada especial.

E já começamos colocando o NPH no nosso cantinho do #ThinkAgain, porque por mais que até eles tenham feito piada sobre o fato do ator apresentar 24 a cada 24 premiações, suas piadas já estão ficando tão recorrentes como qualquer plot sem gracinha de HIMYM, assim como seus números musicas, todos muito bem feitos, temos que reconhecer pelo menos isso, que mesmo assim já estão com cara do mesmo do mesmo, imprimindo como se estivéssemos assistindo a uma reprise de quando tudo aquilo ainda era novidade. Saudades no NPH provocando o Hugh Jackman no palco do Tonny? Sim, talvez, porque sempre aceitamos ver duas amigas ameaçando uma a outra com grampos de cabelo afiados, mas confessamos que já estamos cansados e não é possível que em toda Hollywood não exista um outro ator, gay, que saiba cantar, dançar, representar e sapatear. (se eu descer e fizer uma audição agora na esquina da minha casa, certeza que aparecem pelo menos uns 358 em 5, 4, 3, 2, 1, jazz hands!

himym 2

himym

Mas Neil não foi o único do seu elenco que errou e suas companheiras de série, também não estavam tão inspiradas assim.

Alyson Hanigan insistiu no look sereia, que ficou pesado demais e mesmo com o tom certo de cabelo para tal, acabou imprimindo mais halloween do que qualquer outra coisa. Ela até tentou fazer piada postando um vídeo com toda a sua dificuldade para sentar no carro com esse modelo, mas a verdade é que tudo isso poderia ter sido evitado com algo simples chamado bom gosto. Apenas…

Já a Cobie Smulders, essa fez a linha lençol de rica com 387 mil fios egípcios que a gente sabe que apesar da qualidade do “ticido”, quase nunca funciona. Sinto que alguém que ainda se importe com HIMYM (não me importo, mas vou ver o series finale, claro) deveria falar para a Cobie todos os dias que ela é uma das mulheres mais lindas da TV atual e que nem por isso ela precisa se esforçar quase nada ou tentar ficar horrorenda toda vez que decidir sair em público. Obrigatô!

Girls

Das Girls que nós AMAMOS (estou revendo a Season 1 agora em DVD, e tenho me emocionado tudo de novo e continuo achando Girls uma das melhores séries de dramédia da atualidade, categoria que deveria passar a fazer parte das premiações para que elas fiquem mais justas), quem se deu melhor foi a Zosia Mamet, que apostou no fundamento da estampona bacana, sem ser muito óbvia e com um modelo todo bem pensado e renovado, apesar de ter uma certa cara de “clássico”.

Já a Lena Dunham….

Lena

Tenho sempre a impressão que ela vai de pernas de pau em toda e qualquer premiação (lembra quando ela ganhou aquele outro prêmio e caminhou até o palco parecendo estar com mais dificuldades do que uma senhora da terceira idade em seu andador?) e ela realmente deveria evitar modelos que além de aumentar a sua silhueta, ainda podem servir como motivo de piada do tipo que ela provavelmente deve ter escondido todo o buffet de salgadinho + a fonte de chocolates debaixo dessa saia.

#NAOTABOMNAO (mas a estampa e as cores estavam lindas, vai?)

zooey

Além da própria premiação em si, nada foi mais preguiçoso nesse Emmy 2013 do que a escolha da Zoey Deschanel, que até que fugiu do fundamento 50’s/60’s de sempre, mas ainda assim ficou naquela cartela de cores batida dela.

É, nada foi mais preguiçoso que isso exceto sua atuação em New Girl, que continua lamentavelmente sofrível.

amanda-peet-

OK, apesar da excelente companhia (Höy!), algo de muito ruim deve estar acontecendo com a Amanda Peet. não? Porque apenas alguém com sérios problemas emocionais e ou espirituais escolheria algo desse tipo, não é verdade? (R: SIM!)

Hey Netflix, já pensou em trazer de volta Jack & Jill e quem sabe salvar uma atriz da depressão? (pelo menos as reprises, vai? Já estou cansado daquele catálogo capenga, exceto pelas sérias originais e a 6 dúzia de coisas que eu não vi ainda…)

Claire Danes

Claire Danes provou que além de vencedora, é uma mulher de peito (pequenos, mas é) e apesar de não ter muito do que se orgulhar de seus gêmeos, ela conseguiu segurar um decotão como esse com cara de vencedora e deitou com todas. Sem contar que só pelo Hugh Dancy que a acompanha, ela já pode dizer que venceu na vida. #RESPECT

Julianna

Já a Julianna Margulies pode até continuar nos irritando, pode até ser a boa esposa demais, pode até ter ido vestida também de lençol com detalhes de origami (sim, o vestido tinha alguns detalhes do outro lado de quem vê), mas vai sempre merecer o nosso respeito se continuar aparecendo em premiações com o acessório certo. Höy!

gunn

Quem resolveu aparecer de bonita foi a Anna Gunn (que eu nunca achei uma mulher lindíssima em Breaking Bad, mas nos últimos tempos vem aparecendo sempre linda nos red carpets todos) com um vestido que não nos diz nada de novo, mas mesmo assim não deixou de ser uma boa escolha para ela. #NICE

bb

E os meninos de Breaking Bad podem até não ter levado nada para casa (nos prêmios individuais, claro), mas ano que vem, a gente já sabe onde as estatuetas de melhor ator coadjuvante em série dramática e melhor ator em série dramática, devem parar, não?

Se deus for mesmo uma mulher justa, ninguém tira essa deles. (e toda e qualquer outra futura indicação de Breaking Bad também!)

Brody

Venho a público dizer que mesmo com uma cabeça do tamanho do lado maior de um Kinder Ovo de Páscoa, o Brody continua com a magia confirmada, sendo o meu terrorista arrependido e ruivo preferido EVA.

Höy!

Downton

De todas as lindas mais lindas da noite, vou ter que dizer que a minha preferida foi a Michelle Dockery e isso porque apesar do seu vestido ter cara de clássico e quase nenhuma inovação, ele tinha cor, mais do que uma, um laço gigantesco nas cotas (imaginem isso sentada e apoiada naquela poltrona?) e isso a diferenciou das demais.

Isso e o fato dela ser inglesa, claro. Höy!

A propósito, sinto que ela vai sofrer da síndrome do Jon Hamm em toda e qualquer premiação, ele que é sempre (ou quase sempre) lembrado, mas nunca leva. Humpf!

E por falar em Jon Hamm…

hamm

Nada nem ninguém…

Wolk

(nem o James Wolk, o novo boy magia do momento que a gente já está de olho faz tempo e isso mesmo antes dele namorar o Max de Happy Endings, que fique bem claro)

… esteve mais magia mágica do que ele e sua barba (e a companhia na imagem acima acima, sem contar que eu ofereceria meu dedo mindinho para ter ido na festa dos perdedores, organizada por ele e a Amy Poehler)). Höy!

rs_560x415-130923065301-1024-JenniferWestfeldt-JonHamm-ElisabethMoss

E não adianta tentar esconder aquilo que todos nós desejamos, Hamm… (e seria esse tom de loiro o equivalente a barba do Jon Hamm para a Elizabeth Moss quando de férias de Mad Men?)

HÖY!

connie-britton

E como prêmio do pior look do Emmy 2013, e por pior querendo dizer extreamente cafona, gostariamos de agraciar a Connie Britton com nossas honras nesse veludo com dourado pesadíssimo. Isso sem contar o make e ou o cabelo também nada acertados. #CREDINCRUZ

#NAOTABOMNAO

poehler fey

E para finalizar, Emmy, por favor, no ano que vem considere essas duas como a salvação para a premiação de vocês. (dupla que a gente encararia até na TV Senado, não? #PoehlerFey #FeyPoehler)

a_560x0

♥ Já está seguindo a magia do Guilt no Twitter? Ainda não? @themodernguilt

Um red carpet dos mais coloridos para o Emmy 2012

Setembro 24, 2012

Quem apostou no nude/bege, no branco ou no preto, imprimiu fraqueza e acabou não sendo muito feliz no red carpet do Emmy 2012 de ontem a noite, que além de ter sido uma premiação especialmente ruiva esse ano (aposto que eu e o Charlie Brown temos alguma influência nisso, rs),  o que já denunciava que eles estavam sedentos por cor (rs),  acabou nos mostrando que a tandancé da vez são as cores, das mais variadas possíveis.

O que pode ser um sinal de que as coisas estão mudando em Hollywood (graças a Cher!) e elas finalmente começaram a entender que nem tudo é branco, preto ou bege nessa vida, mesmo para eventos de gala e a noite. Outra tandánce da vez no 64th Annual Primetime Emmy Awards foram os decotes, que nunca estiveram tão generosos e ou equivocados em transparências bem meio assim…

Mas chega de falar, que o que a gente quer mesmo é conferir quem é que se deu bem e principalmente quem é que foi #WÓ na premiação da televisão que nos faz ter cada vez mais certeza que assistimo quase tudo, rs. Então vamos lá:

 

Yeah, They Were All Yellow

Claire Danes ao lado do seu Hugh Dancy magia (Höy! – que bem poderia estar em um outra categoria mais abaixo desse mesmo post) que estava lindíssima nesse amarelo da Lanvin, lembrando que a atriz além de tudo está gravidíssima do seu filho com o boy magia e estamos ansiosíssimos para conhecer o nosso sobrinho Dancy Danes.

#MUSE

#MARAVILEEEANDRABIPOLAR&PREMIADA

Gosto de quem se arrisca, ainda mais quem não precisa mais provar nada para ninguém, como a Julianne Moore por exemplo, que todo mundo está cansado de saber que é ruiva e linda (mentira, nunca cansamos da sua beleza Jul!) e que me resolveu aparecer linda assim em um amarelo da Dior Couture que até poderia ser bem básico se fosse em preto, mas que nesse tom acabou ganhando uma leitura deliciosa!

#MARAVILEEEANDRA

Mas parece que o sol não brilhou para todas e esse modelo também em amarelo da Kaley Cuoco by Angel Sanchez, não estava entre as melhores que escolheram a cor para a noite de ontem.

E quer saber porque?

Porque esse amarelo tem cara de antigo, diferente dos outros dois, que apesar de mais fortes, não tem vergonha de ser amarelo (rs) e imprimem uma modernidade muito maior do que esse amarelo antigo escolhido pela Kaley, que tem cara de vestido de madrinha de casamento que se encontra para alugar em qualquer esquina.

#NAOTABOMNAO

 

Verde Guacamole

E um verde guacamole, a gente aceita?

Até aceitaria, se ele não fosse a escolha da Julie Bowen, que a gente não aguenta mais sendo indicada a prêmio que ela não merece nem mesmo dentro do próprio elenco.

Sorry, mas gosto mais da moldura do quadro da abertura de Modern Family do que da sua personagem.

#NAOTABOMNAO

#NEWMONICA

 

Conselho de amigués para a Sofia Vergara

A gente te adora, te aceita com toda essa gostosura que vc insiste em esfregar nas nossa cara em todo red carpet, mas está na hora de parar de fazer a gostosona hein Sofia?

Avalie esse juri, que a gente sabe que deve ter algumas mulheres e pelo menos umas 55 bichas invejosas e mostrando todo esse corpão sempre em dia, suas chances de ganhar qualquer coisa só diminuem, porque todo mundo sabe que a inveja triunfa!

Cubra-se de vez em quando para surpreender pelo menos uma vez na vida (apesar do vestido Zuhair Murad ser lindo também), em algo que valorize as curvas mas não mostre demais. Aposto que assim vc seria mais bem vista no Team Contra Gostosas e tiraria de uma vez por todas esse prêmio que a gente não aguenta mais indo parar nas mãos da sua colega de elenco.

ps: AMAMOS sua Gloria!

 

Muito “Princesas Disney” para o meu gosto…

Gostamos da Zooey Deschanel (antes de The New Girl, a gente até gostava mais) só que tem um problema, essa aura de princesa Disney dela não convence muito…

Tudo bem que somos #TeamFelicidade e AMAMOS pessoas simpáticas, mas eu não conseguiria conviver com alguém que só consegue ver o lado bom da vida. (por isso não leio muito o seu blog, apesar de ter meninas ótimas escrevendo lá, não consigo levar muito a sério quem tende a ignorar as coisas que não gosta só para não se comprometer muito…)

Esse tule da saia do vestido Reem Acra é lindo, mas nessa cor e com esse movimento + essa cara que esbanja alegria “espontaneamente”, acabou imprimindo muito Princesas Disney para o meu gosto…

#NAOTABOMNAO

#SEJANATURAL&RECLAMONADEVEZEMQUANDOZOOEY

 

Black Fraqueza

Quem foi de preto esse ano acabou imprimindo fraqueza e temos três bons exemplos disso na sequência.

O primeiro deles com esse Zac Posen da January Jones (que até que é bem bacana), ela que eu já reparei que gosta de se arriscar mais quando o assunto é red carpet, mas que dessa vez foi infeliz no make, que acabou com a coitada que a gente sabe que de coitada e feia não tem nada.

Olha essa cara de quem foi obrigada a ir na festa de 15 anos da prima que ela nem gostava tanto assim?

#NAOTABOMNAO

ps: por favor, nunca façam nenhum penteado com um fio solto de lado, acho super cafona! Obrigado.

Ok, não querendo ser nada cretino, me parece que a Melissa McCarthy levou muito a sério a lição de que o preto emagrece, não?

Nesse caso, o look é assinado por ela mesmo e isso já vale a nossa simpatia pela iniciativa, mas fiquei sentindo falta de algum contraste já que nessa parte superior por exemplo, temos três peças e assim de longe, quase não dá para perceber.

#NAOTABOMNAO

Amy Poehler foi um dos grandes decotes da noite, algo que até nos surpreendeu um pouco… (devido as circunstâncias do seu atual momento)

Como eu não quero ser aquela pessoa horrível que falou qualquer coisa negativa a respeito da Leslie Knope, só vou dizer que se ela tivesse ido com um dos terninhos da personagem e passado naquele “barbeiro de Pawniee antes da premiação (rs), teria se dado muito melhor, hein?

#NAOTABOMNAOMASDESSAVEZFALANDOBEMBAIXINHOPARAELANAOOUVIR

 

Branco Qualquer Coisa

Jessica Paré, que a gente sabe que é linda, mas que me resolveu aparecer com esse modelo branco qualquer coisa.

Lindo, mas um pouco preguiça demais, do tipo que a gente não consegue imaginar ela cantando “Zou Bisou Bisou” com muita intensidade e parando toda uma cobertura em pleno 60’s, rs

#MAISESFORÇOPORFAVOR

 

ACE todo branco fosse assim!

Emilia Clarke  não levou seus dragões (acho difícil reconhecê-la sem a caracterização de GOT) mas foi com esse branco não tão branco assim da Chanel, que estava maravileeeandro!

E ela a gente mesmo que não estivesse tão bem a gente evitaria provocar para não sair chamuscado, rs

#MARAVILEEEANDRA

 

Parabéns Tina Fey!

Que pelo menos dessa vez resolveu nos ouvir e abandonou de vez os modelos sereias horrorendos de sempre.

Simples, mas ficamos com orgulho, ainda mais da etiqueté escolhida. (Vivienne Westwood)

 

Antigo Demais

O modelo da Vera Wang até vai, é comum mas é bacana, mas a cor e o combo com esse cabelo da Julia Louis-Dreyfus imprimiu algo antigo demais.

Pior que ela ganhou e vai ter que se lamentar por ter feito essa escolha duvidosa para o resto da sua vida. #FUÉN

#NAOTABOMNAO

 

Futurista Demais…

Versace, com cara de alegoria de escola de samba investindo no futurismo.

Elementar minha cara Watson, que vc não precisava desse tamanho todo de lantejoulas…

#NAOTABOMNAO

 

Muito simples, muito espanhola e muita falta de compostura

Kristen Wiig fez a simplesinha demais e acabou ficando com cara de quem foi de lingerie na premiação. (e o decote com transparência e renda desse Balenciaga não ajudou muito. Quase nem acreditei que era um Balenciaga…)

Outra cor ou em outro evento, ela estaria maravileeeandra. Mas hoje não deu para o seu monólogo no SNL

#NAOTABOMNAO

Peggy não estava em um bom dia e além de não ter levado o prêmio para casa, acabou também não sendo muito feliz na sua escolha, investindo nesse estampado Dolce & Gabbana que se tivesse alguns pontos em vermelho, seria a caracterização da própria espanhola, rs

#NAOTABOMNAOPEGGY

ps: Peggy também fez o que ninguém deveria fazer em dia de premiação ou qualquer outra coisa importante, que é retocar a raiz no mesmo dia…

Sabe aquela pessoa que vc se arrepende de ter convidado para a festa? Então,  Connie Britton, que quando não vai vestida de qualquer coisa totalmente fora das demais, não sabe muito bem como se comportar em público.

E olha que nós adoramos as bafoneiras, mas para isso vc precisa ser alguém na noite Connie. O que não é o seu caso…

E o tom de caramelo mais artificial do que qualquer bala Toffee?

#NAOTABOMNAOETALVEZNUNCAMAISRECEBAOCONVITE

 

Bi-Leeeandra!

Quase não reconheci a Edie Falco nesse bicolor maravileeeandro!

Tudo bem que eu não gosto nada desse cabelo, mas esse vestido tinha umas costas linda toda em branco, que merece o desvio das nossas atenções para o que realmente interessa.

#MARAVILEEEANDRA

 

De Downton para o mundo

Michelle Dockery linda de Vuitton azul. #TEMCOMONAOAMAR?

Tudo bem que esse é aquele típico vestido que foi feito para ficar de pé, caso contrário amassa inteiro como podemos bem observar na imagem, mas quem se importa sabendo que Mary casou-se recentemente com primo Matthew e talvez tenha sido a noiva mais linda que eu já vi na minha vida. (e olha que eu nem sou muito fã de noivas)

E como sabemos que ela veio de longe, perdoamos o amassado.

#MARAVILEEEANDRA (♥)

Agora, quem me surpreendeu mesmo foi a Joanne Froggatt, também de Downton Abbey, que me apareceu com essa cara de muse antiga que é claro que todos nós amamos.

O vestido poderia ser em outra cor (acho essa cor muito madrinha de casamento americano atual), mas mesmo assim, vamos dar um desconto por todo o resto.

#MARAVILEEEANDRA

 

A melhor vingança foi  a do seu vestido contra vc mesma…

… que não te favoreceu em nada e aproveitamos o momento para revelar que essa maquiador também não deve gostar muito de vc hein,  Emily VanCamp? Mais um para incluir na sua vingança…

#NAOTABOMNAO

ps: não assisto a sua série porque te acho #WÓ e credito a sua existência o péssimo desenrolar de Brothers & Sisters desde que vc apareceu na série pela primeira vez. 

 

Sorry! Não respeito quem combina a cor do cabelo com a cor do vestido

ps: Tutubarão pediu os dentes de volta, rs. Mas sério, dá para devolver?

 

Festa boa de verdade, tem que ter climão

Sabe quando o seu boy magia (nosso, porque acho que ela nem pode muito dizer isso, tisc tisc) resolve dar aquela atenção a mais para a vagabunda que vc não suporta nem pintada de vermelho do próprio sangue?

Sempre um climão.

#ESTAMOSCOMVCCHRISTINAHENDRICKS

ps: não disse que esse ano foi tudo sobre os decotes no Emmy? Höy!

 

Floral da noite

Julianna Margulies  e o seu Giambattista Valli, que foi a estampa floral mas linda da noite.

#MARAVILEEEANDRA

 

Acessórios poder da noite

Kat Dennings que além dos seus invejáveis gêmeos (sorry, não resisti, mas vc foi vc quem provocou! rs), que foi acompanhada do seu Nick Zano, boy magia que é sempre um acessório indispensável em noite de premiação.

Höy!

ps: decotes generosos, eu disse. 

Jennifer Westfeldt, que investiu no seu Jon Hamm exclusivo, acessório mais do que invejado por todas e não é de hoje.

Höy!

E a nova namorada do Michael C. Hall que a gente até aprendeu como se chama, mas já esquecemos, visivelmente deslumbrada carregando tamanha magia ruiva no Emmy 2012.

Reação mais do que humana diante da magia ruiva dele.

Höy!

 

Momento “Bow Ties Are Cool!” (♥²)

Bryan Cranston e Aaron Paul, ambos adorkables e nos fazendo morrer de tanto orgulho com suas gravatas borboletas.

Sério, #TEMCOMONAOAMAR?

 

Girls³

Lena Dunham diabólica de Prada (e o cabelo novo está maravileeeandro! Mas ela estava ou não estava meio que de cara fechada?), Allyson Williams de Oscar de La Renta e a Zosia Mamet nesse bicolor, que eu acho o melhor dos três, by Bihbu Mahopatra.

#TEMCOMONAOAMAR essas meninas? (mas sentimos falta da Tessa, que teve bebê recentemente! Smacks)

 

#SÓAMOR (♥)

Adam Driver, o Adam da Hannah. Höy!

Alguém me diz se é possível não se apaixonar completamente pelo personagem dele em Girls?

 

E a noite de ontem foi mesmo dela: Snow White!

E a cara de arrogante da Ginnifer Goodwin de quem tem certeza que deitou com todas nesse tangerina maravileeeandro by Monique Lhuillier?

Clap Clap Clap!

#MARAVILEEEANDRA

 

♥ Já está seguindo a magia do Guilt no Twitter? Ainda não? @themodernguilt

Todas querendo agradar o casal real no BAFTA

Julho 11, 2011

Todo mundo foi ao BAFTA mesmo só pra ver o casal real de perto neam? E quem não queria ser BFF da princesa (que não é princesa e sim duquesa, Zzz)

E a Lady Kate estava maravileeeandra na festa, Não? Sem exageros, decotes, fendas, bordados. Nada. Look clean de ricah com fundamento.  Maravileeandra!

Mas como sempre, foi uma noite de muita preguiça então, resolvi separar os meus dois look preferidos do red carpet antes que eu caia no sono (rs), além da rainha da inconveniência é claro…

Elisabeth Moss foi com vestido mais lindo da noite, mesmo que a cor já nos tenha cansado…

Simples e feito para o corpo dela. Maravileeeandra!

By J. Mendel

E a Jennifer Garner foi maravileeedra com esse modelo de um ombro só azul e com muito fundamento. Achei sensacional!

Maravileeeandra!

Agora, o que fazer com a nossa J-Loka e o seu Emilio Pucci, hein?

J-Lo já sensualiza até de calça de moletom com o elástico folgado, pochete e camiseta de candidato a vereador. Precisava desse vestido colado cheio de recortes?

#NAOTABOMNAO…e não ta bom faz tempo!

E para provar que tudo depende de quem usa…

Temos a Olivia Wilde com o mesmo modelón, imprimindo um outro nível de sensualidade (rs) para esse editorial da Marie Claire US de Agosto

E a brincadeira aqui não é nem quem é a mais bonita ou mais jovem, pq a gente já sabe a resposta (Olivia!) e sim, quem mesmo fazendo cara de sensual conseguiu imprimir menos vulgaridade?

Fikfik

Golden Globe 2011: Que entrem as maravileeeandras!

Janeiro 17, 2011

Ou vcs estão pensando que só da cafonalha é que vive Hollywood?

Se engana quem pensa assim e ontém a noite no Golden Globe 2011 tivemos a prova de que ainda existe alguma esperança fashion na vida delas.

Que entrem as maravileeeandras da noite:

Anne Hathaway foi maravileeeandra de frente e de costas, só para deixar a cafonalha constrangida.

Giorgio Armani Privé

E a fofoca da vez é que o Ryan Murphy aceitou a idéia de deixa-la interpretar a tia gay do Kurt na série (que foi um pedido e um personagem criado por ela mesmo). Howcoolisthat?

Emma Stone tmbm me apareceu maravileeeandra na premiação e com cor, que eu acho bem digno.

Calvin Klein

Quem é ricah vai mesmo é de Lanvin, não é mesmo Julianne Moore?

Preciso dizer a marca? rs

Natalie Portman, grávida, ainda dançando na minha cabeça com o seu Cisne Negro e vestindo a dupla mais fundamento dos últimos anos é muita covardia, não?

Viktor & Rolf

Vcs podem até achar que é piada, mas pela primeira vez eu achei a Megan Fox quase digna.

Com menos fenda (ou nenhuma) ficaria ainda melhor, fikdik

Giorgio Armani Privé

E esse modelón escolhido pela Amber Riley eu achei uma ótima opção para quem esta acima do peso, não?

Digna!

Oliver Tolentino

E a Tilda que além de ser super exótica, foi de Jil Sander? Maravileeeandra!

Jil Sander

 

E para terminar, 3 looks com tons do verde, que parece ser a cor do momento, fikdik:

Mila Kunis, com um longo maravileeeandro!

Vera Wang

Elisabeth Moss tmbm apostou na cor e ahazou!

Donna Karan

E a última da nossa lista de maravileeeandras, Angelina Jolie e o meu verde preferido da noite, em todos os sentidos

Atelier Versace


%d bloggers like this: