Posts Tagged ‘Elthon John’

The bitch is back!

Janeiro 30, 2011

Volte-ei!

Uma senama longe hein? E vcs nem imaginam o drama que foi…

Thnks para todos os leitores que deixaram comments foufos durante a minha ausência. Me senti querido, rs

E para quem torceu que eu tivesse mesmo sido  mandado para a semana de moda da Coréia do Norte e que talvez ficasse de vez por lá, eu digo: suck it!

E com a Elthon antiga (que virá para o Brasil no RocK In Rio, que até que enfim será no Rio de novo) anunciando a minha volta (euri) de ombros marcados e mostrando o pirulis , vamos todos comemorar o fim desse marasmo por aqui. Yei!

ps: e esim, eu ganhei uns bons trocados me exibindo em uma cabine no Red Light District. Höy!

Músicas para o “finde” Vol. 17 (Especial dia das crianças)

Outubro 12, 2010

MusicPlaylist
Music Playlist at MixPod.com

Eu sempre adorei o dia das crianças, fatão! E é claro que eu esperava ansioso mil pelos presentes, que eu não era bobo nem nada. Pena que hoje em dia eu não ganhe mais nada (talvez eu mesmo me compre alguma coisa amanhã só de raiva, humpf!). Nasci nos 80’s e decidi dedicar a minha mixtape dessa semana as músicas especiais daquela época e  que me fazem lembrar da minha infância (nada de trash 80’s, por favor hein?).  Bons tempos aqueles não? A lista ficou grande e com certeza eu esqueci algum hit (só enquanto eu escrevia isso já me lembrei de uns 2, humpf!), então vamos a ela:

 

♥  Take On Me < A-Ha > Ouvia mil com a minha prima e como sempre fui fã de quadrinhos achava todo aquele fundamento do video simplesmente  sensacional. Depois ganhei o LP, rs

♥  The Boy With The Thorn In His Side < The Smiths > Lindo, sempre achei o Morissey leeeandro (eu invadiria o seu palco, fatão!)  Amava! Não sei pq mais até hoje quando eu danço essa música eu sinto como se estivesse flutuando, assim como naquela época. Imaginação de criança que eu mantenho até hoje, rs

♥  Domino Dancing < Pet Shop Boys > Outra que me faz lembar uma das minhas festas de aniversário mais animadas, onde eu inventei toda uma coreô para essa música. Ai que vergonha! Ainda bem que meus pais não eram do tipo que filmavam tudo, rs

♥  Karma Chameleon < Culture Club > Danço igual um maluco até hoje se tocar na pista, juro! E o que era moderno aquele garoto meio garota?

♥  Stayi’n Alive < Bee Gees > Passava horas e horas dançando com a minha mãe, fatão! E adorava o catwalk do video, vivia imitando, rs

♥  Borderline < Madonna > Madonna antiga, yei! Cresci ouvindo Madonna e fiquei super emocionado quando ela cantou Borderline no show que eu fui. Que eu fui 2 vzs (gosto muito de lembrar desse detalhe, rs)

♥  Beat It < Michael Jackson > Quem nunca dançou MJ que atire a primeira luva branca bordada com paetês neam? Thriller eu tinha um pouco de medo, confesso.

♥  How Do You Do < Roxette > Outra das que eu passava horas dançando na sala com a minha mãe. E ai que nós nos mudamos e os vizinhos tmbm ouviam mil, rs

♥  Tiny Dancer < Elton John > Fico emocionado até hoje ao ouvir Elton antigo. Fora que quando eu via ele com aqueles óculos gigantes na tv eu achava que era o futuro! rs

♥  All Out Of Love < Air Supply > Sei todas as letras do Air Supply graças a parte da minha família que era muito fã, rs.

♥  You’re So Vain < Carly Simon > Acho essa tão atual até hoje. Vivo ouvindo, fatão! Uma das minhas músicas preferidas ever

♥ Have You Ever See The Rain < Creedance > Um dia desse ainda, meu tio/avô comprou um DVD com essa música e trouxe aqui. Não teve um que não soube cantar a letra aqui em casa, rs

♥  Twist And Shout < The Beatles > Amo essa versão do Ferris neam? Super 80’s. E AMO os Beatles, que tmbm se ouvia muito em casa.

♥ Hakuna Matata < The Lion King > Quantas vzs eu já assisti Lion King na vida? Umas 387 vzs, fatão. Com a B. e o G. é claro, que a fita (eu disse fita, que existe até hoje tsá?) era deles.  Que é o meu lema, não confunda com lesma (rs). Viscoso mas gostoso! (euri)

 

 

Rocket Man

Fevereiro 20, 2010

Fiz uma maratona e na quinta cheguei ao ep final da Season 3 de Californication, que teve uma cena final bem emocionante, parte disso por conta da excelente trilha que encerrou o epispódio, a sempre incrível “Rocket Man” do Elthon John. A série nem é das minhas preferidas, embora seja bem báfu. Hank nem é dos meus personagens preferidos do mundo da séries, as vezes eu acho ele sujo demais, podre demais, ou seja…demais. Acho um absurdo quando escuto por ai que Californication é uma versão de  Sex And The City para os homens, pura bobagem! Já a música do Elthon John eu acho uma das mais incríveis ever, LOVE Rocket Man, LOVE. Tenho uma memória afetiva com a música que eu não sei bem de quando vêm, mas acho que tem algo relacionado com a infãncia e provavelmemte deveria fazer parte da discografia da minha mãe, acho eu.

A verdade é que a história do episódio me deixou meio pensativo, me fez analisar melhor esse tipo de relação que eu insisto em ter comigo mesmo, essa auto-sabotagem que acabamos fazendo quando estamos prestes a atingir algo que de tão bom assusta. E ai fazemos uma besteira qualquer só para fugir desse plano de felicidade perfeita, que talvez não combine com a minha personalidade de garoto triste.

Segredos são sempre uma merda mesmo neam? Só são bons no momento, mas logo eles resolvem aparecer das formas mais exóticas possíveis. Então me diga, para que ter segredos então hein? E alguém consegue imaginar uma vida sem segredos? Eu não…

O problema é quando a sua consciência é honesta demais e ai o problema começa a ficar dramático. Eu sofro desse problema as vezes, nem sempre, mas ainda assim acho que eu poderia ser mais inteligente nesse tipo de situação. Uma pena, uma cabeça tão pensante neam? Talvez seja esse o problema, pensar demais.

No ep da série, que tem o título “Mia Culpa” (3×12), Hank se encontra no dilema de ter que revelar que ele já tinha ficado com a filha do ex marido da sua mulher e verdadeiro amor da sua vida. Uma noite como outra qualquer que Hank pensou que não seria diferente de nenhuma das outras que ele teve ao longo de sua vida porém, dessa vez com a pessoa errada. E põe errada nisso, afinal a menina na época do báfu, ainda na primeira temporada era menor de idade. Tabu? Sei lá neam? Fucking & Punching.

E assim Hank se viu em talvez um dos momentos mais difícieis de sua vida, quando a verdade precisa ser contada, mas talvez no pior momento, quando ele imaginou que finalmente seria feliz com a mãe de sua filha que sempre foi a mulher de sua vida. O que é claro que depois dessa revelação fica difícil de acontecer e com uma briga exaltada do casal, na rua de sua casa, Hank se vê preso, literalmente e abandonando mais uma vez o seu ideal de felicidade, que ele já sabe muito bem qual é e o pior disso tudo é que mais uma vez ele decepciona o grande amor de sua vida. E até quando esse tipo de relaçán  irá se sustentar? Até quando Karen vai conseguir viver com as pisadas de bola do Hank? Até que ponto tudo isso vale a pena? E o pior, se eles se dão tão bem, pq não conseguem ser feliz juntos? E eu é que sei?

Muitas perguntas neam? Pois é, as vezes eu me pego fazendo as mesmas perguntas. Mas isso só pode ter uma explicação, a auto-sabotagem que eu disse para vcs no começo do post. Porque sempre fazemos isso hein? Falo no plural pq sei que pelo menos mais uma pessoa compartilha desse mesmo problema, rs. (Ui, usando o blog para mandar recado Essy? Shame on you!)

A relação entre Hank e Karen é incrível, meosonho de consumo. O tipo de casal bem resolvido que pode conversar sobre qualquer asssunto na mesa do café da manhã. Talvez um pouco fictício demais, pq eu não consegui até hj conhecer nenhum casal do tipo que consegue lidar bem com tamanha intimidade. Todos preferem guardar os seus segredos, que as vezes nem são tão báfu assim, não conversar sobre todos os assuntos, não expor a sua verdadeira opinião sobre determinados assuntos, coiseeenhas que fazemos as vezes com medo de perder. O que acaba passasando sem ser percebido é que na verdade vc já perdeu meobem! Perdeu a sua essência, a sua personalidade e as vzs até o seu carater. Profundo não? Melhor eu parar de escrever estou ficando ainda mais confuso. Relações são complicadas demais neam? Ahhhh como tudo poderia ser mais fácil nessa vida! Que puxa!

Não consigo muito bem explicar o pq praticamos isso, mas talvez tenha alguma relação com esse tipo de ideal de felicidade plena, que para alguns assusta, ainda mais nós que estamos acostumados com os dramas do dia a dia neam? Viver esse tipo de felicidade pode ser assustador, afinal quando vc se vê feliz por completo, vc pensa: E agora? O que será que vem depois? O que será que vai dar errado agora?

E a solução para o problema? Por enquanto, continuar me auto-sabotando uma vez que eu não consegui solucionar esse mistério ainda e tão pouco viver o meu ideal de relaçán perfeita. Fom forom fom fom…

Essyfornication, 3×12 “Mea Culpa”, breve em DVD, rs

Mas tem sempre alguém bem desavisado que pode até estar pensando nesse momento: que velho esse dono do Guilt hein? E que ligação é essa Elthon John + Californication + auto-sabotagem? Really?

E eu bem digo: sim é isso mesmo, já disse que dentro de mim habita um velho belíssimo.

 Mas aqui vai um pouco de fundamento pq nem só de báfus vive o Guilt neam? Se vc pode ser a pessoa que é hoje em dia, é porque lá no passado (que nem é tão distante assim) existiu algúem como Sir Elthon John para ahazar no fundamento que no fimal das contas leva ao que vc pode ser hoje em dia, fikdik.

Okayam?

E para vc que teve saco para chegar ao final do meu texto dramático e confuso, só me resta fazer novamente a “mea culpa” e tentar me desculpar por perder o seu tempo com um texto meio pessoal do meu díários das Princicesas Disney (euri) com a emocionante música que me levou a escrever esse post, Smacks!

Essy, The Rocket Man


<span>%d</span> bloggers like this: