Posts Tagged ‘Eric Stonestreet’

A lista (ruiva) com os vencedores do Emmy 2012

Setembro 24, 2012

Tudo  bem que a lista de indicados do Emmy 2012  já não nos agradou muito logo de cara, mas mesmo assim, mesmo sem conseguir levar muito a sério uma premiação de TV que resolveu ignorar Parks & Rec, Community e o trabalho do John Noble em Fringe, chegou a hora de encararmos os resultados, que para esse ano, não poderiam ter sido mais mais ruivos! Não acredita? Então vem cá:

 

Melhor atriz em Série Cômica

Zooey Deschanel – New Girl

Lena Dunham – Girls

Edie Falco – Nurse Jackie

Amy Poehler – Parks and Recreation

Tina Fey – 30 Rock

Julia Louis-Dreyfus – Veep

Melissa McCarthy – Mike & Molly

 

Embora nossa torcida fosse total para Amy Poehler, todo munda já sabia que esse prêmio iria para a Julia Louis-Dreyfus (devo muito mesmo assistir Veep?). Mas eu concordo com ela em seu discurso, quando a própria atriz disse que esse Emmy deveria ter sido da Amy Poehler… Humpf! #POEHLER2013

 

Melhor Ator em Série Cômica

Larry David – Curb Your Enthusiasm

Jon Cryer – Two and a Half Men

Louis C.K. – Louie

Jim Parsons – The Big Bang Theory

Don Cheadle – House of Lies

Alec Baldwin – 30 Rock

 

Vamos a polêmica da noite. Apesar de não gostar da série ACDC Charlie Sheen, parte de sua graça sempre esteve no personagem do Jon Cryer (só vejo as reprises da TV aberta, rs) então, até não me sinto tão ofendido que ele tenha levado o prêmio nessa categoria. Mas é claro que eu estava torcendo para o Louie, Louie, Louie. Louie e e. (que estava lindamente ruivo, todo arrumadinho na platéia. Primeiro sinal de que esse seria o ano dos ruivos no Emmy)

 

Melhor Atriz Coadjuvante em Série Cômica

Maylim Bialik – The Big Bang Theory

Merritt Wever – Nurse Jackie

Julie Bowen – Modern Family

Kristen Wiig – Saturday Night Live

Sofia Vergara – Modern Family

Kathryn Joosten – Desperate Housewives

 

Não consigo ver graça nessa mulher. Acho ela de um exagero sem tamanho e tenho a impressão de que o coração da personagem vai explodir a qualquer momento dentro da série. Até torço para isso de vez em quando, sorry Phil. Preferia até a Maylim Bialik nesse caso, que desde que chegou em TBBT, roubou a cena dentro de uma série que está rodando atrás do próprio rabo já tem pelo menos 2 temporadas. 

 

Melhor Ator Coadjuvante em Série Cômica

Ed O’Neil – Modern Family

Jesse Tyler Ferguson – Modern Family

Ty Burrell – Modern Family

Eric Stonestreet – Modern Family

Bill Hader – Saturday Night Live

Max Greenfield – New Girl

 

Eu AMO  o Cameron, mas a verdade é que ele não fez muito por merecer durante essa temporada de Modern Family e até o Jay merecia mais. Mas não vou nunca poder dizer que qualquer um deles é ou foi melhor do que o Phil. Isso eu não digo!, porque não é verdade… (e cadê a Charlize? Dizem que eles estão se pegando… – só se for no tapa, rs)

 

Melhor Série Cômica

Curb Your Enthusiasm

Girls

30 Rock

Veep

Modern Family

The Big Bang Theory

 

Depois dos resultados todos, alguém tinha alguma dúvida? Mas OK, dentre as concorrentes, essa vitória foi até aceitável, apesar da nossa torcida ter sido de Girls nesse caso, já que Parks não estava nem na lista. Mas pelo menos as meninas de Girls estiveram na premiação, todas lindas e mostrando para a sociedade quem são as garotas mais legais do momento. E o Adam também foi = (♥)

 

Melhor Atriz em Série Dramática

Julianna Margulies – The Good Wife

Michelle Dockery – Downton Abbey

Elizabeth Moss – Mad Men

Kathy Bates – Harry’s Law

Claire Danes – Homeland

Glenn Close – Damages

 

Clap Clap Clap de pé! Teve personagem mais sensacional na TV no último ano? Tá, ficaram devendo para a Glenn Close (que encerrou Damages com sua cara de pedra)… para a Michelle Dockery (que se casou recentemente em Downton!)… e para a Elizabeth Moss também, rs (que vem enfrentado o Don Draper como ninguém)

 

Melhor Ator em Série Dramática

Steve Buscemi – Boardwalk Empire

Michael C. Hall – Dexter

Bryan Cranston – Breakign Bad

Hugh Bonneville – Dowton Abbey

Jon Hamm – Mad Men

Damian Lewis – Homeland

 

Surpresa da noite vai? Fiquei bem feliz e achei super merecido, apesar de alguns dos concorrentes também estarem na minha torcida. Mas fico com pena do Jon Hamm, que nunca leva mas sempre é indicado e é sempre tão bom também… (Damian Lewis = ruivo magia. Ou seja, o primeiro sinal concreto de que esse foi mesmo o ano dos ruivos no Emmy. E a piadinha dele depois na coletive, dizendo que ele quer ver só o que vai acontecer quando o bebê da Clare Danes nascer ruivo? #TEMCOMONAOAMAR?

 

Melhor Atriz Coadjuvante em Série Dramática

Archie Panjabi – The Good Wife

Anna Gunn – Breaking Bad

Maggie Smith – Downton Abbey

Joanna Froggatt – Dowton Abbey

Christina Hendricks – Mad Men

Christine Baranski – The Good Wife

 

Clap Clap Clap, de pé e com suas varinhas apontando para o céu! Fico imaginando ela em casa, tomando um chá vestida de Condessa de Grantham, e fazendo os comentários que só ela saberia fazer no momento em que recebeu o prêmio. #TEMCOMONAOAMAR?

 

Melhor Ator Coadjuvante em Série Dramática

Giancarlo Esposito – Breaking Bad

Aaron Paul – Breaking Bad

Brendan Coyle – Downton Abbey

Jim Carter – Downton Abbey

Jared Harris – Mad Men

Peter Dinklage – Game of Thrones

 

Yeah Bitches! Magnets! Gosto tanto desse menino (não sei porque, mas acho ele um menino, rs), que não consegui me conter com a sua vitória. Agora só falta permanecer vivo na série até o seu final (fico morrendo de medo do destino do seu personagem). E ele tem a barba ruiva e estava lindíssimo no red carpet, ou seja, confirmou!

 

Melhor Série Dramática

Boardwalk Empire

Breaking Bad

Downton Abbey

Mad Men

Game of Thrones

Homeland

 

E que briga boa hein? Esse ano quem levou foi Homeland, que tem uma primeira temporada realmente muito da excelente e impossível de ser ignorada por isso, o prêmio não é nada mais do que justo! Clap Clap Clap! (série sobre um vilão que nos faz torcer por ele e que é ruívo. Mais uma pista…)

 

Melhor Atriz Convidada em Série Cômica

Dot-Marie Jones – Glee

Maya Rudolph – Saturday Night Live

Melissa McCarthy – Saturday Night Live

Elizabeth Banks – 30 Rock

Margaret Cho – 30 Rock

Kathy Bates – Two and a Half Men

 

Sempre uma excelente atriz, mesmo participando da série errada. 

 

Melhor Ator Convidado em Série Cômica

Michael J. Fox – Curb Your Enthusiasm

Greg Kinnear – Modern Family

Bobby Cannavale – Nurse Jackie

Jimmy Fallon – Saturday Night Live

Will Arnett – 30 Rock

Jon Hamm – 30 Rock

 

Eu só queria entender o que o Jimmy Fallon fez com aquela cara. Comediantes precisam ter expressão, Jimmy! (tenho impressão que a testa dele foi substituída por uma placa de adamantium)

 

Melhor Atriz Convidada em Série Dramática

Loretta Devine – Grey’s Anatomy

Jean Smart – Harry’s Law

Martha Plimpton – The Good Wife

Julia Ormond – Mad Men

Joan Cusack – Shameless

Uma Thurman – Smash

 

Gente, essa mulher é sensacional, apesar de não assistir TGW e eu adoraria vê-la ganhando alguma coisa por Raising Hope também! 

 

Melhor Ator Convidado em Série Dramática

Mark Margolis – Breaking Bad

Dylan Baker – The Good Wife

Michael J. Fox – The Good Wife

Jeremy Davies – Justified

Ben Feldman – Mad Men

Jason Ritter – Parenthood

 

Daniel Faraday. Esperamos que vc tenha dado mais sorte e tenha sido levado mais a sério em Justified. Abraço.

 

Melhor Programa de Variedades, Comédia ou Musical

The Colbert Report

Real Time With Bill Maher

Saturday Night Live

Jimmy Kimmel Live

Late Night With Jimmy Fallon

The Daily Show With Jon Stewart

 

Uma pena não ver nunca o nome do Craig Ferguson nessas listas. E ele é o melhor, por isso o nosso Emmy handmade a base de muita cola, fita adesiva e papelão vai para ele. Sempre!

 

Melhor Reality Show de Competição

So You Think You Can Dance

The Amazing Race

Project Runway

The Voice

Dancing With the Stars

Top Chef

 

Já assistiu The Glee Project? Hein Emmyli?

 

Melhor Apresentador de Reality Show

Betty White – Betty White’s Off Their Rockers

Cat Deeley – So You Think You Can Dance

Phil Keoghan – The Amazing Race

Tom Bergeron – Dancing With the Stars

Ryan Seacrest – American Idol

 

Um beijo para vc Betty White! Te AMO!

 

Melhor Minissérie ou Filme Para TV

Game Change

American Horror Story

Hemingway & Gellhorn

Sherlock

Luther

Hatfields & McCoys

 

Dizem que é bem bom, mas eu não assisti ainda. E eu só gostaria de entender o que é que American Horror Story está fazendo nesse meio… (mas Sherlock gente, Sherlock é tipo a coisa mais phina desse mundo atual! #RAFINADO)

 

Melhor Atriz em Minissérie ou Filme Para TV

Julianne Moore – Game Change

Connie Britton – American Horror Story

Nicole Kidman – Hemingway & Gellhorn

Emma Thompson – The Song Of Lunch

Ashley Judd – Missing

 

Vi algumas coisas e é sensacional com conseguiram transformar a Julianne Moore que é lindíssima naquela mulher pavorosa da Sarah Palin. E Julianne é um dos símbolos máximos da magia ruiva, então podemos repetir novamente que: CONFIRMOU! O Emmy 2012 foi mesmo dos ruivos. 

 

Melhor Ator em Minissérie ou Filme Para TV

Woody Harrelson – Game Change

Clive Owen – Hemingway & Gellhorn

Benedict Cumberbatch – Sherlock

Idris Elba – Luther

Kevin Costner – Hatfields & McCoys

 

Todo mundo estava dizendo que esse prêmio era dele. Nossas mães agradecem a visão, Kevin. 

 

Melhor Atriz Coadjuvante em Minissérie ou Filme Para TV

Sarah Paulson – Game Change

Frances Conroy – American Horror Story

Jessica Lange – American Horror Story

Judy Davis – Page Eight

Mare Winningham – Hatfields & McCoys

 

Jessica Lange é mesmo uma atriz sensacional e super merece qualquer prêmio. Só não consegui entender o que AHS ainda está fazendo nessa lista de minissérie e de indicações, porque não merecia…

 

Melhor Ator Coadjuvante em Minissérie ou Filme Para TV

Ed Harris – Game Change

Denis O’Hare – American Horror Story

David Strathairn – Hemingway & Gellhorn

Martin Freeman – Sherlock

Tom Berenger – Hatfields & McCoys

 

Devemos muito assistir? Alguém? 

 

Melhor Direção Série Cômica

Robert B. Weide – Curb Your Enthusiasm

Lena Dunham – Girls

Louis C.K. – Louie

Jason Winer – Modern Family

Steven Levitan – Modern Family

Jake Kasdan – New Girl

 

Esse prêmio merecia ser de qualquer pessoa que tenha dirigido qualquer episódio de Community, enquanto a série existir. Sem mais. 

 

Melhor Direção em Série Dramática

Vince Gilligan – Breaking Bad

Tim Van Patten – Boardwalk Empire

Brian Percival – Downton Abbey

Michael Cuesta – Homeland

Phil Abraham – Mad Men

 

Vince Gilligan também merecia esse, hein? Apesar de BE ser uma série linda de se ver. (embora eu a tenha abandonado)

 

Melhor Roteiro em Série Dramática

 Julian Fellowes – Downton Abbey

Alex Gansa, Gideon Raff e Howard Gordon – Homeland

Semi Chellas e Matthew Weiner – Mad Men

Andre Jacquemetton e Maria Jacquemetton – Mad Men

Erin Levy e Matthew Weiner – Mad Men

 

Homeland, a grande série da noite. Sem a menor dúvida. 

 

Melhor Roteiro em Série Cômica

Chris McKenna – Community

Lena Dunham – Girls

Louis C.K. – Louie

Amy Poehler – Parks and Recreation

Michael Schur – Parks and Recreation

 

Mesmo com o coração dividido entre a Lena Dunham, a Amy Poehler e o Louie C.K., não tem como não ficar morrendo de orgulho do nosso ruivão, que ainda levou mais uma prêmio para casa pelo seu show. 

 

E terminar a lista de vencedores do Emmy 2012  com o nome do Louie C.K. e com essa imagem sensacional, com ele segurando os seus dois prêmios da noite não só é uma delícia e uma prova de que ainda há muita coisa boa na TV e algumas delas conseguem até ganhar algum reconhecimento (mesmo que tardio), como prova que esse ano, tivemos mesmo uma premiação mais ruiva do que nunca!

#RUIVISMO

ps: sei que a Claire Danes não está ruiva atualmente, mas ela já investiu nessa magia no passado em My So Called Life, portanto…

♥ Já está seguindo a magia do Guilt no Twitter? Ainda não? @themodernguilt

Modern Family e a sua Season 3 bem corretinha

Junho 14, 2012

Sim, foi uma boa temporada essa Season 3 para a “Família Moderna”, do tipo bem corretinha, mas seria isso o suficiente para uma boa comédia na TV? (…)

Modern Family chegou deixando todo mundo apaixonado pela sua fórmula simples, mostrando o dia a dia de um novo modelo de família e nos fez rir muito com a sua temporada de estreia. Depois, a série acabou caindo na maldição da segunda temporada, onde os personagens embora tenham continuado ótimos e bem engraçados, acabaram todos presos em uma mesma dinâmica, como se estivessem perseguindo eternamente a mesma piada. Algo que no começo foi sim bem engraçado, mas após algumas repetições, acabou se tornando algo bastante cansativo, onde acabamos sentindo falta de algo mais.

Mesmo assim, a série conseguiu permanecer no gosto de uma maioria e com isso, continuou a receber inúmeras indicações aos mais variados prêmios da TV possíveis, algumas bem injustamente, ainda mais por sua Season 2 tão morna. Mas acho que esse incentivo acabou servindo para motivar os criadores da série a fazer algo melhor ainda, que eles sabiam que seriam capazes e nós também, porque já havíamos visto muito desse potencial durante a primeira temporada e com isso, eles acabaram conseguindo recuperar bastante da sua essência, que foi o que fez todo mundo se apaixonar pela série logo de cara lá no passado, alcançando esse objetivo em cheio com essa sua Season 3 corretinha, que voltou a  nos deixar encantados com aquela família.

Por isso, apesar de não ter nos trazido nenhuma grande novidade, considero essa terceira temporada de Modern Family tão boa quanto a primeira. Tudo bem que lá no passado, tudo era novidade e a gente não guardava nenhuma expectativa em relação a essa comédia que nos conquistou em um curto espaço de tempo, mas sem fazer muito esforço (pelo menos aparentemente) e com alguma movimentação dentro daquele grupo de personagens tão bons, eles conseguiram atingir exatamente o ritmo que eles acabaram perdendo durante a temporada anterior, nos garantindo boas risadas novamente, além daquele momento mais emocionadinho que todo bom episódio de Modern Family precisa ter para ser bom de verdade.

Sinto também que acabou acontecendo um rodízio natural dentro do elenco, onde alguns passaram a ter um destaque muito maior durante essa temporada e hoje são apostas certeiras de boas piadas dentro daquele núcleo. Parece que eles finalmente descobriram que alguns daqueles atores podem acabar funcionando muito bem com qualquer um dos demais e essa movimentação se fez necessária para que eles não acabassem presos novamente na mesma piada de sempre, como sentimos que aconteceu durante a Season 2.

Cameron  e Manny por exemplo, que no passado já foram os meus preferidos, hoje já se encontram com bem menos brilho, onde acabou sobrando um pouco mais de espaço para outros personagens, como o Phil (que sempre foi sensacional na verdade e se mantém no mesmo nível desde o começo da série e até hoje) e o Luke, que sempre funcionaram muito bem como uma adorável dupla, mas quando separados, também conseguiram mostrar muito da sua força enquanto personagem e hoje são os meus novos preferidos dentro do elenco da série.

Luke inclusive esteve mais sensacional do que nunca, roubando a cena em diversos momentos. O que foi ele e o Manny dirigindo o carro só para impressionar a garota da vizinhança? Tive um ataque de riso incontrolável nesse momento. Mas nada vai superar o momento em que conhecemos o seu lado feminino, com a introdução mais do que especial de Betty Luke como personagem dessa história. E digo mais, se fosse possível, acharia até bem justo se o ator Noland Gould (que é um foufo e eu AMO essa entrevista dele na Ellen) fosse indicado a algum prêmio por seu trabalho sensacional durante essa temporada. Do Phil eu não preciso nem comentar. Basta olhar para aquele cara de bobo dele e eu já consigo achar graça. Sério!

E o elenco de Modern Family realmente é um dos poucos na TV atualmente onde até as crianças conseguem funcionar muito bem. Elas que geralmente funcionam apenas como figuração na maioria das séries de TV, nesse caso, acabam recebendo a mesma atenção de um ator adulto e que para a nossa sorte, conseguem comparecer de igual para igual. Até mesmo a troca da Lilly, que eu cheguei a rejeitar a princípio por puro apego a outra Lily em sua versão super comportada, acabou parecendo um grande acerto dentro da série, nos trazendo várias novas possibilidades para a dinâmica do casal Cameron e Mitchell.

Além da dupla Phil e Luke, quem também acabou ganhando um certo destaque, além de uma dose extra de foufurice foi o Jay, ele que sempre acaba deixando transparecer que aquele seu lado bem rabugento, nada mais é do que o seu mecanismo de defesa para esconder a moça que mora dentro dele, rs. #TEMCOMONAOAMAR ele dançando no season finale ao lado da Lily? Cheguei até a ficar emocionado naquele momento, que começou com uma conversa linda entre os dois no backstage e terminou com o avô encarando uma coreô ao lado da neta em um momento de pura foufurice. E esse season finale foi também um dos melhores episódios da temporada, onde eles cosneguiram reunir tudo o que que de melhor Modern Family tem para oferecer, nos lembrando do porque que nós gostamos tanto daquela família.

Teve a novela mexicana se tornando realidade no caso da adoção do segundo filho do casal Mitchell e Cameron, que acabou ganhando uma ótima resolução dentro da história do casal que precisava desse alivio para sair de vez dessa zona do plot repetido da adoção, que já estava ficando bem cansativo (ainda mais porque ele já aconteceu tão bem no início da série, que nem precisava insistir). Tivemos também o Jay sendo um foufo com a Lilly, como eu mencionei anteriormente e a Gloria ganhando  a função de tradutora dentro daquele hospital, nos revelando ao final do episódio que ela se encontrava grávida. Algo que eles foram deixando pistas desde o começo do episódio e nós só podemos esperar plots sensacionais para a gravidez dessa mulher durante a próxima temporada da série, não? Espero que eles aproveitem bem toda essa situação. Ai Dios mio!

Outro plot sensacional da temporada foi a briga entre o Jay e o pai do Cameron na disputa inevitável de quem seria o gay alpha da relação gay dos seus filhos. Uma grande bobagem é claro, que eles acabaram percebendo que não faria a menor diferença nessa ou em qualquer situação semelhante, mas acho bacana quando uma série de TV (ou filme) acaba mostrando com honestidade o quanto as pessoas ainda se encontram bastante desconfortáveis com certos assuntos, muitas vezes porque elas ainda se encontram em um estado de adaptação sobre o que ainda é novo para elas, o que é natural para todo mundo também.

Agora, o que eu não consigo entender até hoje é como eles continuam achando a Claire mais engraçada do que a Gloria. Sério, não consigo entender. Toda vez que a Claire está em cena, competindo com alguém só porque ela não gosta de perder, sendo uma total megabitch como ela foi com o Cameron preso no triturador de lixo em sua casa (coisa de psicopata até) ou quando ela está nervosinha por um motivo bobo qualquer (ZzZZZ), em todos esses cenários, eu só consigo enxergar uma mulher totalmente descontrolada, prestes a ter um ataque cardíaco por um motivo bem tolo. Sabe a veia na testa da Mônica em Friends? Claire tem uma no corpo todo (aliás, ela tem o mesmo olhar da Mônica antiga, reparem…) e hoje em dia, se parece apenas como uma enorme veia saltitante para mim. (… percebi logo depois de escrever essa última frase poderia soar esquisito para quem estiver lendo esse texto, rs)

Com as meninas filhas do casal, eu continuo me importando bem pouco, mas adorei o plot do acompanhante “gay” da Alex para o dia da sua formatura (e o que foi o Phil ensinando ela a dançar?), assim como eu achei super foufo o episódio em que o Phil acaba descobrindo sobre a vida sexual da Haley e da forma mais honesta possível, acaba também se sentindo aliviado por sua filha do meio ainda se interessar por bonecas de $200 dólares. E ele escrevendo o nome dela na lua? Foufo mil! Mas o que eu AMEI mesmo foi a volta do Dylan vestido de urso na Disneyland, em um episódio que ainda contou com a Gloria ganhando pantufas no formato dos sapatos da Minnie. #TEMCOMONAOAMAR?

Mas o que eles realmente conseguiram recuperar durante essa Season 3 de Modern Family, foi aquela dose extra de foufurice que no começo de tudo, aproveitava para amarrar muito bem todas as histórias de um episódio da série, nos deixando bem emocionados, um detalhe que a gente sempre adorou no texto dos finais dos episódios e que por algum tempo, ou acabaram perdendo a força ou acabaram sendo deixados de lado sabe-se lá porque. E essa é uma característica que eu insisto que eles devam manter a qualquer custo na série, porque acaba fazendo toda a diferença ao final das contas.

Como no próprio episódio com a briga entre os sogros por exemplo, ou quando a Claire resolve “emprestar” seus óvulos para o irmão gay (algo que eles abortaram e aproveitaram para fazer ótimas piadas sobre essa “naturalidade”!) em um momento em que todos eles se encontravam completamente bêbados, ou naquele episódio super foufo onde o Phil acabou ficando com o carro da família e assim, acabou escutando coisas importantes nas conversas dos seus filhos dentro do carro, coisas que ele sequer imaginava que estava acontecendo com aqueles três e que em outra situação, ele acabaria facilmente perdendo.

Com isso, podemos dizer que Modern Family conseguiu entregar uma terceira temporada corretinha, mantendo o fundamento do seu princípio e dando a oportunidade para novos personagens aparecerem um pouco mais. Mas quando eu digo corretinha, eu nem estou querendo ser irônico, juro. Dentro de uma certa simplicidade, Modern Family consegue realizar muito bem a sua proposta e apesar de não ser a série de comédia mais inteligente no ar hoje em dia (inteligente no sentido de referências e blah blah blah), eles conseguem manter um ótimo nível como qualquer uma de suas concorrentes inteligentonas, mesmo apostando mais nessa tal simplicidade.

Temos tantas comédias do escracho excelentes na TV atualmente, ou aquelas que abusam das referências por minuto, que Modern Family apesar da sua simplicidade,  acaba sempre sendo uma boa opção dentro de tudo o que nos faz rir de verdade na TV atualmente. Com direito a esse carinho a mais de que além de nos fazer rir, eles também conseguem nos emocionar como poucos em uma série de comédia e quando essa mistura de sentimentos se encontra ao final de um episódio como no season  finale por exemplo, onde depois de momentos tão foufos, ainda ganhamos de bônus aquela última cena do Luke entregando toda a correspondência que ele desviava de propósito, onde em questão de segundos, eles acabaram revisitando plots ótimos da temporada de uma forma inteligentíssima e super engraçada, eu diria que em momentos como esse, a série consegue atingir em cheio o seu objetivo.

Por esse motivo e aproveitando para terminar essa review de temporada respondendo a pergunta do início o post, eu diria que sim, Modern Family mesmo apostando em temais mais “simples” do que as suas concorrentes de humor, continua tendo o necessário para ser uma das melhores comédias da TV atualmente.

Da série casais que nós amamos de verdade e de mentirinha

Novembro 21, 2011

Jesse Tyler Ferguson e seu terno ruivo (rs), com seu boy magia da vida real (Justin Mikita) e o seu boo da ficção que a gente tanto ama e que quando esta sonambulo se veste de palhaço Fizbo (euri com ele indo domir todo magoado e maquiado no final do ep dessa semana)  que é o ator Eric Stonestreet (que também esteve ótimo em American Horror Story, mas que eu não consegui levar a série quando ele chorava pq me lembrava o tempo todo o desespero do Cameron em Modern Family) .


%d bloggers like this: