Posts Tagged ‘Florence + The Machine’

Não sei não, mas andamos preferindo muito mais as escolhas de dia a dia da Florrancé do que em noite de red carpet…

Maio 2, 2013

florence-welch-great-gatsby-new-york-premiere

Não sei se pelo modelo ser mais próximo do corpo, que não funciona muito bem para ela por vários motivos diferentes que nos recusamos comentar para que ela não se sinta triste e sem vontade de cantar por um tempo enquanto escreve um novo álbum daqueles, de letras magoadas e músicas falando sobre o quanto as pessoas se preocupam exageradamente com a imagem das outras (rs + ZzZZZ), mas as escolhas da Florence Welch ultimamente tem nos decepcionado em red carpets.  Humpf!

#NAOTABOMNAO

Talvez tecidos mais fluentes e molinhos funcionem melhor pra ela. Pense nisso enquanto canta “Never Let Me Go” a capella só pra gente aqui no Guilt no 3, 2, 1….NOW! (rs + exclusivo + rs de novo)

jay-z-florence-welch-great-gatsby-new-york

Já no dia a dia, tudo parece mais solto e combinar muito mais com todo o seu fundamento da fada folk que nós AMAMOS ver & ouvir.

Tanto que a própria calçada se auto adesivou com a palavra “LOVE” só para ver Florrancé passar. #TEMCOMONAOAMAR?

(♥)

♥ Já está seguindo a magia do Guilt no Twitter? Ainda não? @themodernguilt

The Great Gatsby, o trailer

Abril 4, 2013

E o trailer de “The Great Gatsby” chegou com um Leonado DiCaprio com o demônio no corpo, sedento por um Oscar que ele já vem fazendo por merecer tem algum tempo (muito tempo e reunindo uma série de ótimos trabalhos na verdade), Carey Mulligan divando lindamente como sempre, Beyoncé (que está deliciosamente deliciosa no novo comercial da Pepsi) fazendo a Amy Winehouse para a soundtrack, que além de tudo também tem a Lana Del Rey e Florence + The Machine. #TEMCOMONAOAMAR?

Sem contar que o filme é um reencontro do diretor Baz Luhrmann com o próprio Leo, com quem ele trabalhou em “Romeo + Juliet”, que digam o que quiser, é a minha versão preferida para o clássico. (talvez tenha a ver com a minha geração e o fato do filme reunir o Leo e a Claire Danes. Höy com enfase no talento!)

Ansiosos? Por lá, chega em 10 de maio (e por aqui, dizem que só em junho. Humpf!)

 

♥ Já está seguindo a magia do Guilt no Twitter? Ainda não? @themodernguilt

Say my name/ And every colour illuminates/ We are shining/ And we will never be afraid again

Maio 31, 2012

Estava morrendo de saudade do trabalho do David LaChapelle, que é quem assina ao lado do David Byrne, a direção e o fundamento do novo video da Florence + The Machine para a faixa “Spectrum” (excelente, por sinal). Maravileeeandro, não?

Viu como não precisa “emprestar” o fundamento alheio? Basta chamar que ele vai lá originalmente, tomba tudo e ainda assina o produto. Viu Riwanna?

Para voltar para a casa ouvindo bem alto, só emanando energia gracinha e rodopiando, seja qual for o seu caminho! WOO!

Músicas para o finde Vol.59

Fevereiro 22, 2012


MusicPlaylistView Profile
Create a playlist at MixPod.com

 

Dessa vez, só com marchinhas de Carnaval. Não acredita? Nem eu, rs

 

♥  Desire < Anna Calvi > E ai, quais são os seus desejos? rs

♥  No Light, No Light < Florence + The Machine > AMO o climão de alma lavada de algumas músicas da Florence, AMO!

♥   If I Had A Gun < Noel Gallagher’s High Flying Birds > Triste, foufa e deliciosa na voz do Noel

♥  Perfect < Fairground Attraction > diretamente da trilha de Being Erica, que eu continuo AMANDO!

♥  I Wanna Dance With Somebody (Who Loves Me) < Whitney Houston > Quem nunca dançou Whitney bem garota na buatchy? So sad…

Florence + The Machine, Ceremonials – Pronto, já temos mantras para mais um ano!

Outubro 31, 2011

Não há quem não ouça “Dog Days Are Over”, não fique emocionado e não tenha vontade de sair ruivamente saltitante vestindo um kaftan da Neon com uma estampa poder no meio da floresta. É, não tem (rs)

Mas, a gente já estava meio cansado do hit e precisava de coisas novas. Florence Welch prometeu um cd novo para esse ano e todas ficaram ansiosas, até que finalmente acaba de sair o aguardado Ceremonials, o novo álbum da Florence + The Machine. E eu já adianto que já ouvi e está sensacional!

Com poucas inovações e um sonoridade difícil de ser confundida, Ceremonials chega para provar que Florence + The Machine é mesmo uma banda bem boa.

Como se não bastasse toda a beleza da figura ruiva da Florence em si e sua voz maravileeeandra a ponto de provocar arrepios, o cd é todo sensacional, do começo ao fim e certamente já chega recheado hits.

Já conhecíamos “What The Water Gave Me, que em pouco tempo virou hit e todas amam. Depois foi a vez de “Shake It Out” que é o mantra da vez e que para ficar ainda melhor, chegou com aquele clipe fundamento maravileeeandro.

Mas Ceremonials não se prende apenas a esses dois hits recém lançados e já tão amados, são 12 faixas deliciosas + os plus todos da versão deluxe, que marcam muito bem o estilo da Florence + The Machine.

Quando eu digo no começo do texto que o cd não tem nada de muito inovador, quero que fique bem claro que essa não é uma crítica negativa. Nesse novo trabalho, a banda aposta menos na novidade e vc fica com a sensação que eles optaram por marcar mais a sua própria identidade. Sábia decisão nesse caso, por tratar-se de uma banda relativamente nova pra gente (embora a gente já goste faz tempo…)

AMO “Never Let Me Go”, que é mais calma, mas nem tanto assim, rs.

Assim como eu acho deliciosa o groove de “Lover To Lover” que vai aumentando aos poucos para um refrão daqueles que a gente acaba se empolgando e passando vergonha com fones de ouvido em público. Quem nunca? (além de tudo a faixa tem cara de antiga, o que eu AMO!

Aliás, essa crescente eu já acho que é uma marca registrada da Florence + The Machine. Músicas que começam mais lentas, só para enganar, mas que vão ganhando peso a partir do refrão, partindo para um final mais apoteótico, do tipo que a gente AMA. E esse é o caso de “No Light, No Light”, “All This And Heaven Too” e até “Strangeness And Charm”, todas deliciosas e também fortes candidatas à hit.

“Seven Devils” é mais sombria, como já era de se desconfiar por esse título. Assim como “Remain Nameless”, que talvez seja a faixa mais experimental do álbum.

“Leave My Body” tem uma letra maravileeeandra, e também é uma das minhas preferidas, apesar de ser bem mais calma em relação as demais.

Como hit certo eu já apostaria em “Heartlines” e “Spectrum”, que são ótimas, animadas e se relacionam bem com os dois primeiros singles. (“Spectrum” eu aproveito e dedico para o G., assim como o título do post, que é com quem eu sempre falo muito sobre Florence).

Uma das mais fracas do cd eu acho que é “Breaking Down”, faixa que eu acho meio assim…

Ainda temos “Only For The Night”, que tem vocais lindos e uma batida mais pop e para fechar “Bedroom Rhymes”, que tem batidão e climão de despedida poder.

A minha versão do cd é Deluxe (é claro) e ainda tem versões demos e acústicas de faixas como “Shake it Out”, “Heartlines” e “Breaking Down”, que eu também recomendo.

É claro que tudo que eu escrevi aqui pode ir mudando conforme eu for ouvindo cada vez mais o cd e me apaixonando ainda mais por ele. (♥)

Mas essas foram apenas as minhas primeiras impressões sobre “Ceremonials”, e uma coisa é certa de se afirmar: acabamos de ganhar novos mantras, por pelo menos mais um ano. Yei!

Clap Clap Clap Florence + The Machine!


%d bloggers like this: