Posts Tagged ‘Jesse Pinkman’

#TEMCOMONAOAMAR os toys da série Breaking Bad?

Janeiro 31, 2013

Brinquedos-Serie-Breaking-Bad-Toys-01

Não, não tem e com certeza você se tornaria uma pessoa mais respeitável na loja de brinquedo se tornando dono de uma dessas maravilhas.

Queria o bobble head de outfit amarelo, os dois chaveiros com esse Jesse super foufo e o Heisenberg da direita, é claro. (tenho medo desses bonecos que tentam ser muito reais, sabe?)

Euquero!

 

♥ Já está seguindo a magia do Guilt no Twitter? Ainda não? @themodernguilt

Por mais legal que seja a ideia de ter Breaking Bad por mais tempo, achei uma sacanagem hein Mr White?

Fevereiro 9, 2012

Todo mundo sabe que essa última temporada de Breaking Bad (Season 5) que começa ainda esse ano, seria maior do que o de costume, com a encomenda do AMC de 16 episódios para concluir essa história sensacional.

Acontece que, o canal resolveu estender o sucesso da série (porque será neam? $$$Catching!) e resolveu dividir essa última temporada em 2 partes, com 8 episódios cada.

Ou seja, teremos essa primeira parte chegando no segundo semestre de 2012 e os outros 8 só em 2013, provavelmente também no seu segundo semestre.

E por mais que possar parecer animadora a ideia ou a sensação de ter Breaking Bad por mais tempo, acho mesmo uma grande sacanagem que esse final seja prolongado dessa forma. Como vamos lidar com a ansiedade até lá?

Tudo bem que nós já vimos isso acontecer antes, com Sopranos por exemplo.

Mas essa é a nossa cara de animação com a notícia…

Humpf!

Cara boa de bom dia!

Dezembro 5, 2011

Não sei, senti que essa cara do Aaron Paul era uma cara boa de bom dia para hoje.

Por isso, bom dia! rs

Os boys magia do ano na festa da GQ

Novembro 22, 2011

Quer dizer, alguns deles, já que o Ryan Gosling, o Bradley Cooper ou o Alexander Skarsgard não estiveram por lá. Humpf!

E boy magia que é boy magia tem que enfeitiçar em close, algo que eu acho injusto com os homens em dia de festa ou premiação, que tem sempre que aparecer de cara limpa, sem nenhum brilho de jóia (que sempre rouba as atenções), ainda tem todos que usar quase que a mesma roupa e mesmo assim ainda tem que enfeitiçar. Ufa!

E vc mulher que acha que o universo feminino é concorrido, mesmo com todos recursos disponíveis a favor (tisc tisc, ou contra, tisc tisc) de vcs (make + jóia + aplique + modelón) o que dizer do homens, que para provar que são bonitos tem que ser realmente bonitos, hein?

Mas certeza que vc que leu esse parágrafo vai esquecer tudo o que eu disse com a minha teoria depois da sequência de imagens a seguir…

Mesmo assim, vamos ver quem acabou levando o prêmio de boy magia da noite na tradicional festa da revista GQ (Men Of The Year), que aconteceu no Chateau Marmont no finde.

 

Milo Ventimiglia

O que teria acontecido com o Peter Petrelli? (se bem que eu prefiro lembrar dele dos tempos do Jess em Gilmore Girls)

Como o tempo passou, não?

O nível de magia não continua assim dos mais altos, temos marcas de expressão, o que eu acho importante pq mostra que a pessoa tem história e ela não acabou nas mãos de um cirurgião qualquer, mas eu não sei se foi o terno, a barba, o bronzeado, ou o que foi que acabou me passando uma latinidade excessiva.

Precisa reparar isso…

Höy!

 

Ryan Kwanten

Ryan é daquele tipo que o clima quente do sul da america antiga favorece por ser ideal para um shirtless, pq assim de terno ninguém dá muita coisa.

Mas ele vem com sotaque australiano (bem diferente do seu sotaque de redneck americano) e isso já é um plus, porque todas amam um sotaque.

Fora que chegando nele, vc pode ficar mais próximo do Alexander Skarsgard, e quem sabe assim descobrir coisas do tipo: vcs se trocam juntos no camarim? Hein? Hein? Hein?

Sempre pense na magia como um investimento (rs)

Höy!

 

Joe Manganiello

Todas uivam. Auuuuuuuu!

Joe é aquele tipo de boy magia para se chamar em dia de mudança, ou quando vc esta pensando em redecorar e precisa de alguém com músculos para tirar a mobília de lugar.

Será que além de tudo ele é prendado e sabe arrumar o chuveiro? O encanamento?

E quem se importa?

Höy!

 

Michael Fassbender

Chegando alguém para representar a magia ruiva.  Yei!

Michael Fassbender além de ter esse nome ótimo de fala e o fato óbvio de ser um ruivo magia, é também um super bom ator, talentoso e de quebra ainda se tornou o nosso X-Men preferido ever!

#TEMCOMONAOAMAR?

Höy!

 

Armie Hammer

Boy magia com cara de bom moço. Não é a toa que ele também é o novo Prince Charming.

E é dele também o posto de par romântico do Leonardo  DiCaprio em seu novo filme.

Höy!

 

Eli Roth

Diretor, ator, amigo do Tarantino e boy magia nas horas vagas. O que significa no mínimo que ele tem uma mente perturbada e disso todas gostam.

Ou vc não se lembra da força do seu bastão em “Inglourious Basterds”?

Representante da magia dos bears, que a propósito, tem público.

Höy!

 

Kellan Lutz

Representante do que a gente considera como magia negra.

Dentes clareados demais, bronzeamento artificial demais, corpo bombado demais. Tudo é demais, menos o talento como ator, humpf!

Melhor evitar, sempre!

Yöh!

 

Justin Timberlake

Justin envelheceu e foi a maior surpresa para todas e desde então ele é o nosso queridinho.

E apesar dele estar pagando bundas no cinema, o que é sempre relevante em alguns casos, nós ainda aguardamos por um novo cd hein JT?

Höy!

 

Anton Yelchin

Anthon tem cara daquele primo foufo que todo mundo tem, sabe?

AMO ele com sotaque russo em “Star Trek” e estou bem querendo assistir o seu novo filme “Like Crazy”, que dizem que é ótimo.

Que a magia esteja com vc Anthon!

Höy!

 

Chris Pine

Pq ele é o nosso Capitão Kirk e tem essa cara. Precisa justificar mais?

Tá, tmbm porque ele é amigo do nosso Zachary Quinto, o novo Spock, que também esteve na festa, mas não ganhou um close (ou eu deixei passar, my bad,  mas nós o amamos mesmo assim!)

#TEMCOMONAOAMAR?

 

Aaron Paul

Ele pode não ser o mais alto, o mais forte ou aquele que tem o melhor feitiço, e uma coisa que ele também não é “óbvio demais” e por isso é do Aaron Paul o prêmio de boy magia da noite da festa da GQ. HÖY!

E o prêmio vai para ele porque além de talentoso e fazer parte do elenco de uma das melhores séries ever, ele ainda consegue sair assim maravileeeandramente natural na foto e isso ganhou os nossos corações. (♥)

Höy!

Estamos torcendo para que o Jesse saia vivo da temporada final de Breaking Bad. Go Pinkman!

Saúde!

Setembro 21, 2011

Jesse sendo mandado de vez para o México; (tenso)

Jesse tendo que mostrar quem é que manda naquele “laboratório”; (sensacional!)

Jesse sendo filmado por talvez centenas de traficantes do cartel, com todo mundo de olho na sua fórmula do cristal azul; (tenso tenso tenso)

Jesse recebendo a notícia de que teria que ficar no México para cozinhar para eles; (me-do)

Gus revisitando um cenário trágico do seu passado; (triste)

Gus envenenando todo o cartel, inclusive ele mesmo?; (Howcoolisthat? Mas eu senti que era isso que iria acontecer…)

Jesse tendo que se virar para não morrer; (triste, mas corajoso)

As biscates todas fugindo de salto e biquini, enquanto carregavam o que podiam da casa do traficante morto; (euri)

Skyler encarando o ex chefe que não aprende nunca, nem com $600.000 a mais na sua conta; (pilantrão!)

E como se tudo isso não fosse suficiente, ainda tivemos o Walter lidando com toda a sua culpa pela briga com o Jesse e ainda revelando uma fragilidade e alguns daddy issues para o seu próprio filho, que ele chega a confundir com o próprio Jesse em um certo ponto. Howcoolisthat?

Sério, tinha como ficar melhor?

Eu até poderia propor um brinde ao episódio dessa semana de Breaking Bad (4×10 Salud) que não foi nada menos do que sensacional, mas depois do seu desfecho, achei que poderia parecer de gosto duvidoso.

Salud!

ps: alguém tem alguma dúvida de que o Jesse foi o ator principal dessa temporada? Emmy e Golden Globe nele NOW! 

Animado esse Aaron Paul, hein?

Abril 7, 2011

Aniamda essa buatchy, não? Go Jesse! (by Cobrasnake)

E quanto tempo mais nós teremos que aguardar a nova temporada de Breaking Bad, hein? Humpf!

Aliás, esse AMC só faz coisa boa, vicia a gente e depois aplica essas longas pausas em nossas vidas. Dafuck?

Desabafei!

Breaking Bad, uma série para quem tem culhões

Julho 23, 2010

Quando eu decidi assistir a Breaking Bad, muito dessa minha decisão se deu pela grande quantidade de elogios que eu havia lido sobre a série em diversos lugares, muito embora eu tivesse pouca informação sobre a história, os personagens ou qualquer outra informação do tipo.

Paolo Torrento me trouxe as 3 temporadas existentes até então e logo eu comecei a assistir a Season 1, que é do tipo curta, com apenas 7 eps.

E que 7 eps hein?

Terminei de assistir em 2 dias, o que significa que a série é mesmo muito, mas muito boa mesmo, do tipo que ao final de cada episódio, você já quer logo ver o próximo para saber o que irá acontecer. Eu diria que em muitos momentos ela chega a ser inclusive aflitiva. Fato.

E sabe aquelas séries óbvias que você acaba prevendo o que esta por vir? Esqueça! Em Breaking Bad, a minha cabeça muito bem treinada cheia de cultura pop e anos de episódios de TV dos mais variados possíveis, mesmo com essa vantagem,  não conseguiu acertar nenhum palpite a respeito da série. E como eu gosto quando isso acontece, yupie!

Eu não fazia a mínima idéia que o clima da série era assim tão “pesado”, apesar do tema e de saber que tratava-se de uma série onde um professor de química que descobre que está com câncer nos pulmões, decide começar a produzir metanfetamina para tentar garantir um futuro melhor  para a sua família (e também para pagar o seu tratamento). Mas eu não fazia ideia que essa história seria assim tão pesada, com direito a assassinatos, explosões, perseguições e tortura. Realmente, trata-se de uma série pra quem tem culhões.

O episódio piloto é sensacional, com cara de filme de suspense, com a adrenalina lá no alto. A direção de arte da série é algo a se mencionar também de tão boa que é. E o cenário, para fugir do que estamos acostumados a ver na TV, agora é o New Mexico, onde eu acabei descobrindo que também é onde a série é produzida. Tudo é meio verde, meio laranja com detalhes em amarelo e as vezes um ponto vermelho. Acho chic!

Breaking Bad é o tipo de história que mexe com a sua cabeça, onde o vilão faz as vezes de mocinho e você acaba perdendo a noção clara de certo ou errado, ou até mesmo a sua própria  lógica.

E quem iria suspeitar de um professor de química que tem uma dupla jornada de trabalho entre a escola e um lava rápido, casado, pai de um filho que teve paralisia cerebral e prestes a se tornar pai pela segunda vez, hein? Ninguém neam? A vida do cara para a maioria das pessoas da sociedade moderna que só pensa em se dar bem na vida, pode parecer até patética e jamais alguém suspeitaria que um homem tão comum esconderia uma parcela da sua vida tão cheia de adrenalina como aquela situação toda em que ele acaba mergulhando de cabeça ao longo da temporada.

Bryan Cranston vive o personagem principal, Walter White, ou Mr White, que ao descobrir a sua doença passa a fazer parte do mundo do crime ao lado de um de seus ex alunos. E o cara é tão bom, tão convincente, que você passa a torcer por ele o tempo todo, mesmo quando ele se torna um assassino. E tudo na série é tão justificado, faz tanto sentido, que você realmente se sente perdido ao passar a torcer para o assassino. Afinal, ele precisava fazer o que fez.

Um belo dia, Mr White que era apenas um professor de química, se vê apenas de cueca e avental verde, no meio do deserto e com uma arma apontada para ele. Howcoolisthat?

Completamente discrente de uma possível cura e entregue cada vez mais ao negócio que ele chama de “to cook”, ou cozinhar, Mr White acaba de alguma forma aproveitando mais a vida, relevando menos fatos que talvez no passado ele ignorasse, antes de saber de sua doença. E a partir do momento em que ele acha que não tem mais nada a perder, ai ninguém segura! Tudo passa a se tornar uma questão de honra, algo como “Um dia de fúria”.

As cenas são todas excelentes também, bonitas de serem vistas. Desde os dois (e White só de cueca) em seu trailler, realizando o trabalho sujo em meio ao deserto, até o tratamento contra o câncer. Well done!

E a violência é outro ponto alto e super presente na série o tempo todo. Brigas, pancadarias, Mr White explodindo o escritório de um dos traficantes mais poderosos do pedaço… nesse nível.

Sério, quando isso aconteceu (a explosão) eu nem poderia imaginar que esse seria e desfecho do episódio. Dei um pulo da cadeira e pensei: whataman?

Afinal, o que ele tem a perder mesmo em sua atual condição?

Sem contar que a qualquer momento ele e seu parceiro podem ser pegos e por ninguém menos do que o seu próprio cunhado, que é o chefe da polícia local e que investiga esses casos específicos de tráfico e produção de drogas. Aliás, os diálogos entre os dois é algo fora de série, sempre com um duplo sentido, mesmo com o cunhado nem sonhando em saber do que se trata tudo aquilo ou do verdadeiro segredo de Walter White. Coisa fina!

Agora, o coadjuvante da série é sem dúvidas um dos melhores personagens ever. Jesse Pinkman, vivido pelo ator Aaron Paul, é um jovem perdido, viciado e que tenta se dar bem na vida traficando, o que ele faz até que bem neam? O seu personagem além do humor que agrega para a série, vem carregado de dramas pessoais e tentativas frustradas de ser salvo por seus pais da vida em que vive. Mas não adianta, Jesse é mesmo um junkie, do tipo que não parece ter muita salvação.

Mas de certa forma, ele enxerga no Sr White uma espécie de exemplo e a relação entre os dois vai crescendo e ganhando novas proporções a medida que a história é contada. A forma com que ele descobriu que o seu parceiro estava com câncer eu achei muito digna. Sem dramas, ou exageros, tudo muito prático e bem resolvido entre os dois. E para a surpresa de todos, por motivos pessoais, Jesse tem alguma experiência e conhecimento em lidar com o assunto.

Gosto muito também da cena quando em casa, Mr White aparece com a cabeça raspada pela primeira vez. Badass daddy!

E os dois vão se envolvendo cada vez mais no mundo do crime, sendo forçados a lidar com situações sérias e definitivas sobre o assunto. Como manter um dos traficantes como refém no porão, ou ter que desintegrar um corpo usando reagentes químicos. Ew! Aquela cena com a banheira caindo do andar de cima da casa, cheia de pedaços e sangue humano (Ew!)  foi incrível e forte demais neam? E depois os dois tendo que limpar toda aquela sujeira? Ew, Ew, EW!

Outro lado da série que é muito bom é a forma com que eles misturam a ciência com o crime, mostrando que se fossem mais inteligentes, os bandidos de hoje em dia seriam ainda mais impossíveis. (rs)

Pausa: eu adoro o filho do Mr White, acho ele um querido!

Sendo assim, tive uma excelente experiência com essa Season 1 de Breaking Bad , fiquei tenso, emocionado, angustiado, aflito, com medo (rs) e agora vou me jogar na Season 2.

Série para comprar o box e guardar no santuário. E se você realmente tem culhões, assista AGORA!


%d bloggers like this: