Posts Tagged ‘John Krasinski’

Promised Land, o trailer

Setembro 27, 2012

Matt Damon + John Krasinski (Perfect Match), sabiam que eles são super amigos? Tem algum tempo que eu vi o Matt Damon no Jay Leno falando que eles são super amigos, inclusive suas esposas e se encontram sempre para jantar (será que o Ben sabe disso? #CAUSANDOINTRIGA&DISCÓRDIA)

Fiquei bem interessado no filme, ainda mais porque eu não consegui identificar quem é o verdadeiro vilão da história (me pareceu ser o personagem do Krasinski – apesar de no trailer eu ter ficado com a sensação de que os dois tem sua parcela de culpa na história – e se for, acho que já estava mais do que na hora dele apostar em um vilão) e também porque ele tem a direção do Gus Van Sant e roteiro da própria dupla, Damon + Krasinski. Howcoolisthat? (Krasinski que inclusive está trabalhando em um roteiro com o Aaron Sorkin. Sim, além da magia e de todo o resto, ele ainda é roteirista. Ou seja, #TEMCOMONAOAMAR? ♥)

E quem diria que o Jim acabaria virando um fazendeiro, hein? Aposto que isso foi influência do Dwight na sua vida, rs

 

Animados

♥ Já está seguindo a magia do Guilt no Twitter? Ainda não? @themodernguilt

The Office, uma série que continua bem constante

Maio 31, 2012

Quando Michael Scott anunciou a sua demissão em The Office perto do final da temporada anterior, muita gente chegou a ficar preocupada com o futuro da série, que nesse momento perderia o seu lider. Por esse motivo, a Season 8 de The Office já começou meio que na incerteza se eles iriam ou não conseguir tocar a série adiante, mesmo sem o peso do nome do Steve Carell figurando no elenco. E apesar da enorme falta que sentimos do Michael Scott (♥) e digo isso enquanto personagem isolado e não a sua falta para a história em si,  não é que eles conseguiram se manter muito bem, mesmo com a sua saída?

Crédito mais do que merecido para todo o elenco da série, que é realmente muito bom e quando requisitados, todos comparecem da melhor forma possível, a ponto de fazer com que a saída do grande chefe a frente daquele escritório por tanto tempo, nem fosse um grande problema para a série, como se imaginava. Claro que o tipo de humor acabou mudando com a perda do Steve Carell, mas nada que conseguisse atrapalhar o ritmo ou o formato de The Office, que apesar de algumas inevitáveis mudanças após a baixa, para a nossa surpresa até que continuou bem bacana durante toda a sua Season 8, firmando-se mais uma vez como uma série constante.

E assumindo a nova posição tivemos o Andy, que não poderia ter sido uma opção melhor para o cargo de novo chefe. Ele que sempre foi uma espécie de “Segundo Michael Scott” desde que apareceu na série, coube perfeitamente no cargo de líder do grupo, trazendo com ele uma dose extra de foufurice. No começo da temporada eles até começaram a apelar para resoluções mais foufas em relação a aceitação do grupo com o novo chefe, terminando os episódios com uma narrativa digamos assim, mais “Modern Family”, o que também acabou funcionando muito bem e é uma pena que mais para o final, esse tipo de “carinho” tenha ficado um pouco de lado para o desenrolar da história.

Digo isso porque todos eles me pareceram um tanto quanto “frios” em relação a perda da posição de gerente do Andy perto do final da temporada, o que não combinava em nada com todo o apoio que eles acabaram dando para o personagem logo no início (coisa que com o Michael, eles pouco faziam questão de demonstrar…). Algo que poderia ser justificado no medo de acabar perdendo o emprego por conta de um CEO dos mais alienados ever: Robert California.

Sinceramente, eu nunca gostei do personagem e isso desde a sua entrevista no episódio recheado de participações especias que encerrou a Season 7 e que teve até o Jim Carrey no meio de tantos nomes conhecidos que haviam chegado para “disputar” a vaga de novo chefe. Não achei que ele foi uma boa escolha no final das contas e o seu personagem me pareceu sem apelo nenhum por muito tempo, exceto pelo episódio com a pool party na sua própria casa, onde em um momento raro durante toda essa temporada, eu cheguei a achá-lo pelo menos aceitável (e a dupla Ryan + Gabe tmbm esteve bem boa durante esse ep). Aliás, um dos melhores episódios dessa Season 8 (8×12 Pool Party). Salvo um outro momento, como a participação espcial da sua mulher, causando uma total confusão na cabeça do Andy, o colocando no meio do fogo cruzado do casal, eu não consigo me lembrar de um outro bom momento para o novo personagem, que ao que tudo indica, ao final dessa temporada acabou ganhando a sua passagem só de ida para algum lugar que esperamos ser bem longe de Scranton.

Andy, apesar de ter que apelar para uma tattoo na bunda para conseguir garantir algum entusiasmo dentro daquele escritório, conseguiu sustentar muito bem a posição de novo chefe, apesar de ficar sempre bem claro o quanto ele (assim como o Michael Scott) não fazia muita ideia de quais eram as suas verdadeiras obrigações dentro daquela empresa. Lembrando que enquanto vendedor, Andy também nunca foi um dos melhores funcionários, rs. Para ele também sobrou a história mal resolvida com a Erin, que chegou a ficar bastante incomodada com a nova namorada do seu agora chefe e anteriormente ex, tendo um surto super divertido no episódio de Natal dessa temporada.

E se tem uma coisa que The Office consegue resolver muito bem, essa é a questão dos casais na série. Jim + Pam = perfeitos, Dwight + Angela = o casal passivo agressivo mais adorável de Scranton, Michael + Jan = o casal mais improvável do universo (até hoje não esqueço do episódio na casa deles, rs), Michael + Holly = perfect match! Por isso, a relação entre Erin + Andy não poderia ser diferente, do tipo adorável, onde mais uma vez eles conseguiram reunir personagens perfeitos um para o outro para unirem suas histórias. AMO a ingenuidade da Erin, AMO!

Depois tivemos a viagem de parte do grupo, onde no final do trabalho, Erin resolveu ficar na nova cidade apenas para não ter que encarar o Andy com a sua nova namorada. E a forma como ele foi buscá-la, chegando a conclusão de que aquela era a mulher da sua vida, foi super foufa também, onde para isso ele teve que fingir ser gay por um tempo para a sua atual namorada, algo que nem chegou a chocar os amigos da moça que mantinham uma certa desconfiança sobre o Andy (rs), além desse plot ter lhe custado a perda do seu cargo para Nellie.

Ela que foi mais uma das novas aquisições para a série e nesse caso, bem mais acertada do que a anterior com o Robert California. Apesar de um tanto quanto irritante, principalmente no começo, não tem como negar que a personagem acabou combinando muito bem dentro daquele cenário recheado das figuras mais esquisitas possíveis, o que também contando com o enorme carisma da atriz Catherine Tate, acabou colaborando para que a sua personagem conseguisse até ganhar alguma importância para a série. Sinceramente, eu não vejo mais nenhum mal com a Nellie ficando no escritório para a próxima temporada, ainda mais ocupando um cargo que nem existe e que nem ela nem o Andy tem muita certeza de qual será.  Nesse caso, acho até que ganhamos uma boa aquisição. (ela que em Doctor Who foi uma das melhores companions EVA e eu aguardo ansiosamente por uma referência qualquer em The Office)

Mas vamos combinar que não é de hoje que The Office vem operando milagre na TV. A série gira praticamente no mesmo cenário o tempo todo e mesmo assim eles conseguem tirar situações bem engraçadas de todos aqueles personagens o tempo todo. Nada extremamente genial, com um tipo de humor mais do cotidiano mesmo, onde com certeza eu ou vc já passamos por alguma situação parecida em nossos ambientes de trabalho. Uma tarefa que não deve ser nada fácil, ainda mais se considerarmos o espaço físico limitado, com tudo girando sempre dentro daquele escritório e o elenco que não é assim um casting magia que já se garanta como atrativo apenas por suas fotos promocionais. (exceto pelo Jim = Perfect Match!= Höy!)

Provavelmente reconhecendo suas limitações, tive a impressão que durante essa temporada eles circularam muito mais em outros ambientes, todos juntos (quase sempre, pelo menos), o que nem sempre acontecia se vc pensar no passado da série e durante uma boa parte dessa temporada, eles acabaram circulando em outros cenários, o que apesar de AMAR tudo que acontece dentro daquele escritório, acabou também sendo um ganho para essa nova temporada, que precisava de uma movimentação maior já que havia perdido um grande nome em seu elenco e não se sabia ainda quais seriam as consequências que essa baixa poderia acabar causando para a série.

Mesmo assim, eles conseguiram durante essas oito temporadas até agora (já tendo uma Season 9 completa como certa e com os contratos todos em dia), manter uma certa constante em quase todos os seus episódios, que quando não são muito engraçados, passam pelo menos na média com folga. E isso sem apelar, mantendo um nível de humor simples e inteligente ao mesmo tempo, mesmo quando bem escrachado. E esse eu considero um grande mérito de The Office, onde por tantos anos, eles vem conseguindo se manter em um padrão e por isso considero a série como uma série bem constante.

Além do episódio na casa do Robert California, outro dos que eu mais gostei durante essa Season 8 foi a visita de todos do escritório a fazenda do Dwight (8×04 Garden Party) com a festa no jardim promovida pelo Andy, onde ganhamos uma série de situações divertidíssimas naquele cenário que é sempre muito engraçado (além de assutador de vez em quando… vcs lembram da visita do Jim + Pam na fazenda em outras circunstancias? BOO). Outro que eu achei sensacional foi aquele em que eles tiveram que montar a loja modelo para o lançamento do tablet triangular (8×17 Test the Store – genial!) com o Jim virando o mestre de cerimônias no lugar do Ryan (que amarelou na última hora) e perdendo o posto logo em seguida, virando apenas o moço da placa e do tipo sem o menor talento para tal, sendo humilhado pela concorrência, rs.

Falando em Jim, para ele sobrou até uma megabitch que se jogou para cima dele sem a menor vergonha, mesmo sabendo de sua condição de homem casadíssimo. Que mulherzinha mais detestável, hein? Mas para a nossa total satisfação, Jim acabou sendo o Jim e no final das contas, tudo deu bem certo e ele acabou colocando a megabitch no seu devido lugar da melhor forma possível e para isso, ainda contou com uma mãozinha do Dwight, que foi mais do que especial.

Tivemos também aquela excelente competição no bar gay (8×11 Trivia), que foi outro dos pontos altos da temporada, com o grupo dos menos favorecidos intelectualmente roubando a cena, para a total surpresa de todos. Outro momento que eu achei super simples e ainda assim sensacional, foi quando o Jim resolveu mentir para faltar por uma semana no trabalho (8×13 Jury Duty) e  quando a mentira veio a tona, acabou ganhando todo mundo contra ele. Isso até todos ouvirem o choro dos seus dois filhos pequenos e acabarem entendendo exatamente o porque de toda aquela farsa.

Outro plot que eu achei bem bom durante esse mesmo episódio foi o nascimento do bebê da Angela, ela que não perdia a chance de humilhar a Pam por ter ganhado muito menos peso durante a gravidez (e a Jenna Fischer estava grávida de verdade nesse período), tendo um bebê que mais parecia uma criança de 6 meses de tão enorme e a desconfiança sobre a sua paternidade por conta do Dwight também foi sensacional (e o que foi o Senador se jogando para cima do Oscar? Go Oscar!). O que de certa forma é até uma pena a essa altura, porque dizem que o ator Rainn Wilson irá ganhar o seu spin-off em 2013 e eu não sei muito bem como essa história pode ficar no futuro. (mas suspeito que eles tenham pelo menos a intenção de chegar até a Season 10…)

Outra baixa que tivemos no elenco foi a Mindy Kaling, que deve deixar a  série (lembrando que ela é uma das produtoras e roteirista de The Office) para se dedicar ao seu novo projeto, o qual nós já falamos aqui. Mas que foi bem divertido ver o total desespero do Ryan ao perceber que Kelly estava se apaixonando por outro, isso foi. O que foi ele chegando vestido de indiano em cima daquele cavalo no estacionamento do escritório? E a minha alma feminista agradece que a Kelly tenha ganhado alguma dignidade durante esse final de temporada, mesmo que ela tenha durado dois segundos. (mas sempre amei ela grudenta para cima do Ryan o tempo todo também)

Nesse caso, fiquei até esperando ansiosíssimo por uma despedida dos dois atores (Rainn + Mindy), o que acabou não acontecendo nesse episódio final, que nem teve muito cara de season finale na verdade, apesar das suas resoluções para a história, com o Andy recuperando a sua posição no escritório, onde ganhamos o David Wallace de volta e aproveitamos para nos despedir sem a menor saudade do Robert California. Fiquei até esperando na semana seguinte por mais um, na esperança de ver alguma despedida ou algo do tipo, mas parece que isso vai ficar mesmo para depois. (ainda mais que na TV, tudo é tão incerto, que ninguém vai abandonar um projeto de sucesso por um ouro que pode ser cancelado ainda no piloto)

E apesar da grande perda, podemos dizer que mesmo com alguns tropeços e toda a sua movimentação, The Office continuou sendo uma série constante por mais essa temporada e assim espero que continue por sua Season 9, quando chegar a hora de bater o ponto novamente.

MET Ball 2012 – A noite em que todas se vestem especialmente para o Diabo

Maio 8, 2012

E by Diabo, eu quero dizer a Anna Wintour (que estava de Prada, claro) em pessoa e o seu eterno corte chanel, anfitriã e organizadora do evento, que esse ano abriu a exposição “Schiaparelli and Prada: Impossible Conversations” (e beijos para Keyloca e Tarcisio, meus professores antigos de história da moda, da arte e história contemporânea, que me ensinarm tudo sobre Schiaparelli e a Belle Époque. Depois, há quem ainda acredite no esterótipo preguiça de estudante de moda que encontramos por ai. Humpf!)

E noite de baile do MET é certamente um dos red carpets mais concorridos ever. E com toda essa concorrência, todas elas ficam desesperadas para deitar uma com as outra neam? Celebridades e estilistas, diga-se de passagem.

Esse ano o baile não teve muitas surpresas (como quase tudo ultimamente), mas é claro que como qualquer bom red carpet que se preze, nos rendeu algumas lições importantíssimas. Então separe o Moleskine e anota ae:

 

Preto é a escolha certa da vez, mais uma vez e outra vez

Sim, elas continuam apostando no pretinho. Mas tem que ser longo, ter algum poder e não ser nada básico.

Dzél estava corretíssima nesse Givenchy. Correto, mas nada demais também, apenas um pretinho ok.

Mas quer saber quem parou tudo mesmo, também investindo no fundamento Gyvenchy de ricah bem ricah?

Beyoncé. PÁ!

Que foi com esse Givenchy de quem tem mais condição, com transparência + renda + bordado + essa cauda que é simplesmente maravileeeandra!

Seguindo o mesmo fundamento poder da Beyonce, tivemos Marion Cotillard, bem linda nesse outro modelo pretinho cheio de fundamento by Christian Dior.

Lembrando que as duas foram mães recentemente e já estão lindas assim… (e a culpa daquele nosso pneu fica para quem mesmo? PÁ!)

O modelão Prada da Kate Bosworth também segue o mesmo fundamento dos dois anteriores, só que em uma versão curta e com as cores invertidas. Também maravileeeandro!

E o make dramático com boca escura?

Hit da noite. Anotem.

Cate Blanchett  estava linda, linda, leeeandra de Alexander McQueen.

Não é o meu tipo de vestido preferido, mas certamente foi um dos mais maravileeeandros da noite.

O dia em que a Rihanna conseguiu nos fazer lembrar que ela é linda. PÁ!

Tá vendo como ela consegue? E olha que pela simplicidade, nem precisou se esforçar muito nesse Tom Ford até que bem simples.

Para provar que a nossa birra com ela não é nada pessoal. Maravileeeandra!

Mas pensando bem… será que isso tem a ver com rumores obscuros de que ela estaria desfrutando da magia sueca mais cobiçada desde os hits do Ace Of Base? Hmm mmm…

Aguardando confirmações para considerar LUTO total. (#TENSO)

Todas ♥ Grace Coddington (tmbm de Prada)

MUSE!

Tenho que dizer que eu fiquei morrendo de orgulho do look da Amy Poehler, Sério!

E olha que um preplum para a altura dela, foi uma escolha bem arriscada. Mas ainda bem que deu beeem certo.

E ela não só acertou no look, como também na cor do cabelo (gosto muito mais assim, com esse loiro mais fechado) e no fundamento, que ficou maravileeeandro!

Sem contar o seu acessório poder , o marido Will Arnett, capaz de animar qualquer mesa neam?

#ORGULHODEFINE

 

Se for para investir no fundamento exótico, #TEMQUESEGURAR!

E essa dica vale para a Rooney Mara, que não pareceu estar assim muito confortável de calçola de fora nesse Givenchy de renda transparente.

O que não deve ser muito fácil mesmo, mas se essa foi a sua escolha, #TEMQUESEGURAR!

Tipo o Marc Jacobs, que foi de vestido rendando, transparente e de cueca branca (sim, BRANCA!) e que mesmo assim segurou muito bem o seu próprio fundamento. PÁ! (embora eu não ache um look bacana…)

Ou como a Christina Ricci, que segurou com orgulho esse look Thakoon, totalmente meio assim.

 

O poder do brilho metalizado

Carey Mulligan também estava cheia de condições, com esse Prada metalizado que era puro fundamento & poder, que eu não consigo parar de imaginar o quanto deve custar na ludjeeenha. $$$ Catching!

Zou bisou bisou … Zou bisou bisou (não consigo vê-la sem lembrar do hit e aposto que deve ser uma piadinha recorrente em sua vida)

Jessica Pare, que também investiu no metalizado e foi de dourado by L’Wren Scott. Estava linda, mas eu não acho que a cor a favoreceu tanto assim… (imagino ela parando tudo em um verde, por exemplo)

E o que o metalizado da Carey Mulligan tem de fundamento, esse da Nina Dobrev  tem de poder. Maravileeeandro, não?

By Donna Karan Atelier

 

Preplum, a tendência do momento (que não é para todas)

Uma tendência que não é para qualquer uma e nessa edição do baile do MET, a Sofia Vergara até que enfim saiu da sua zona de conforto dos vestidos com rabo de sereia preguiça de sempre e optou pelo fundamento preplum da Marchesa , que com o seu corpão todo em dia, ficou ainda mais maravileeeandro!

E que boa noite para as irmãs Knowles, hein?

Primeiro a Beyoncé me apareceu deitando todas no seu Givenchy bem de rica e agora a  Solange Knowles, com esse preplum amarelo maravileeeandro by Rachel Roy, vestido que certamente iluminou a noite.

E o cabelão cheio de volume? PÁ!

E a Elizabeth Banks, hein? Confundiu a vida real com o seu personagem de “The Hunger Games”?

Nesse caso, achei esse preplum da Mary Katrantzou, bem bem difícil…

Não sei quanto a vcs, mas eu ficaria esperando alguma coisa cair a qualquer momento dessa parte levantada na frente.

#NAOTABOMNAO

Cadê a postura?

Cadê o poder?

Cadê o Ryan Gosling?

Além do quadril dela ter ficado muito maior com esse preplum da Prada na cor do momento (ponto positivo), a pergunta que não quer calar é: cadê o Ryan Gosling? (eles ainda estão juntos? Qual a vantagem de se namorar um Ryan Gosling e não sair o exibindo por aí? Resposta: a vantagem é o próprio Ryan. Höy!)

#NAOTABOMNAO

 

Tangerina

A cor do momento: tangerina.

Uma pena que nem todas que optaram pela cor conseguiram acertar no fundamento… Fom forom fom fom

Salvo apenas a Ginnifer Goodwin, que nem estava com um vestido tão poder assim (e cadê o príncipe?), mas mesmo assim estava maravileeeandra.

By Monique Lhuillier 

Kristen Bell , que só acertou na cor… by Tommy Hilfiger.

#NAOTABOMNAO

Katharine McPhee também só acertou na cor… (by Elie Saab)

E como ignorar esse peito todo espalhado na lateral?

#NAOTABOMNAO

E a Leighton Meester, que não foi de tangerina, mas estava meio tangerina ela mesmo neam?

O que aconteceu com Blair, hein garota do blog?

 

Florais de ricah bem ricah!

Bee Shaffer (a filha da Anna Wintour) que não poderia ser nossa amiga jamais… nesse “efeito floral” maravileeeandro by Erdem.

E digo que ela não poderia ser nossa amiga jamais, pelo simples fato de estarmos em sua companhia e alguém chamar “Bee” e todas olharem confusas ao mesmo tempo, sem saber exatamente quem estaria sendo chamada.

Euri

Rashida Jones, que também estava maravileeeandra no fundamento floral de ricah by Tory Burch.

Mas o melhor da Rashida é esse nome neam?

Eu não consigo chamá-la de Rashida e sempre solto um “Rashilda”. Acho mais sonoro, rs

E a Sarahjay que foi toda num print só?

Achei ousado…

E esse cabelo é sempre um acerto neam? PÁ!

By Valentino

 

Aquelas que não estavam em um bom dia…

Diane Kruger, que além de ter deixado o Peter Pacey em casa (Boo Hoo!), o que já é sempre um ponto negativo, deixou também bastante do seu fundamento esquecido em algum outro lugar, não?

Preciso dizer que eu sou fã de um peitinho honesto, mas com esse cabelo solto e essas plumas, imprimiu que ela estava de camisola…

By Prada

#NAOTABOMNAO

Achei arriscado, achei corajoso, achei o sapato ótimo, mas #NAOTABOMNAO

Mas continuo querendo ser o seu BFF tsá, Chloe Sevigny? Desde “Kids”…

By Miu Miu

Muah!

Duas coisas:

1) O que aconteceu com a cara da Jessica Biel? Seria a franja o problema? Ou ela mexeu nessas maçãs, já que dizem que eles vão se casar em breve e nessa hora bate o desespero? (e na Itália, tsá?)

2) E que vestidinho mais simplezinho (Prada) e com a barra mais pavorosa é esse? Mas nem que esse bordado em verde fossem esmeraldas…

Mas tudo bem, nada que o sorriso foufo do Justin não desvie as nossas atenções. E se ele começar a cantar no falsete e sair dançando daquele jeito, esquecemos até o nosso próprio nome e somos capazes de perdoar qualquer coisa… (euri)

Rachel Zoe que de tão magra, parecia mais uma franja do seu vestido de franjas de cigana by Rachel Zoe Collection.

#NAOTAMBOMNAO

 

Enigma Xonas Brothers

Temos 3 Xonas Brothers. 2 deles foram de tux fosco e um todo no cintilante. A pergunta é: qual deles possivelmente significa?

Tempo…

 

Look figurino de época

Já cansei de dizer que tem que tomar cuidado quando for investir no fundamento antigo, pensando sempre antes no combo make + cabelo, para não ficar com cara de figurino de época.

Como a Kirsten Dunst, que mesmo de Rodarte (que a gente AMA), imprimiu (muito pela postura) que ela estava pronta para interpretar uma versão da Chanel, só que loira. Só faltou as pérolas e o cigarrão na mão.

#NAOTABOMNAO

Ou a Jessica Chastain, que estava parecendo mocinha de filme Westen.

Bota um chapéu na cabeça com umas plumas e uma piteira na mão, que ela se torna a própria.

By  Louis Vuitton

#NAOTABOMNAO

Lily Collins, sabe figurino de fantasma de filme de terror de época? Então…

E palmas ao contrário para a Coco Rocha, que conseguiu cometer o crime público de acabar com um look que já foi da Liz Taylor no passado.  Tpalc Tpalc Tpalc! (que são as nossas palmas ao contrário, rs)

Desconsiderando até o fato de que ela é uma chata sem tamanho, eu bem acho que só por esse crime, ela deveria ganhar pelo menos uns dois fantasmas para acompanhá-la pelo resto da vida. WOO!

E cuidado, estou vendo pele demais nos pés e no colo. Aposto que ela vai reclamar depois em seu Tumblr…

Uma pessoa que eu ADORARIA que tivesse um vlog: Coco Rocha. Imaginem tudo o que ela não tem para reclamar? Zzzz

 

Medusa?

Já passou da hora de alguém estender o braço para tirar a Mary-Kate Olsen desse buraco negro de onde ela se enfiou já faz tempo e nunca mais saiu, hein?

Ainda mais agora, que ela tem coragem de sair de casa até com esse cabelo de Medusa medonho!

#NAOTABOMNAO

 

E quem se importa?

E quem se importa com o vestido coral da Emily Blunt (que diga-se de passagem, está com o corpão totalmente em dia) quando ela chegou na festa carregando o acessório poder que atende pelo nome de John Krasisnki?

Höy!

ps: como não amar a bee mediúnica ao fundo? Das duas uma, ou ela estava mentalizando o Krasinski em um momento mais interessante (Höy!) ou ela estava tentando deitar com o look de alguma delas. Xocotô!

E quem se importa se a Emma Stone estava vestida de boneca no MET Ball 2012, quando ela me aparece assim, acompanhada do Alber Elbaz?

Höy!

E quem se importa com a Claire Danes (todas se importam na verdade. Chega logo Setembro, chega logo Season 2 de Homeland!) maravileeeandra e toda de branco, quando ela levou o seu boy magia Hugh Dancy?

Höy!

E quem se importa com a Florence, que deixou a sua Machine em casa e foi toda bufante  by Alexander McQueen ao baile desse ano?

Afinal, ela pode. Ela é quase uma entidade. Uma fada na verdade.

E quem se importa com esse post gigantesco que finalmente chegou ao seu fim? Zzzz

Jim + Finn

Abril 27, 2012

Mas ainda acho imperdoável que o cachorro dele não chame Jim, rs

Foufos mil!

(♥)

Da série casais que nós amamos: Emily Blunt + John Krasinski

Abril 20, 2012

Acho os dois tão, mas tão foufos juntos. Awnnnn!

E esse presente pretty in pink? É pra mim?

Uma revista que to-das gostariam de fazer. HÖY!

Março 19, 2012

Não estão reconhecendo?

Dica, duas palavras: Perfect Match! (rs)

John ♥ Krasinski. Höy!

Depois, quando eu digo que é sempre bom carregar uma fantasia de autoridade na bolsa, porque você nunca sabe quando vai aparecer uma oportunidade de usá-la, as pessoas acham que é um exagero.

E esse seria um excelente exemplo de um momento único na sua vida, onde vc agradeceria por ser uma pessoa prevenida e andar sempre com uma fantasia de autoridade dentro da bolsa. Depois não diga que eu não avisei…

Imagino até a line perfeita para esse momento…

” Sr Krasinski, por motivos de segurança, a revista hoje terá que ser detalhada & profunda. Desculpe o constrangimento (de quem neam?), mas eu só estou cumprindo ordens superiores (quer dizer, inferiores, rs), Sir. Höy!” (trilha de soft porn ao fundo)

#MAOSAOALTOMELIANTE

Todo mundo AMANDO ainda mais o Jim

Fevereiro 25, 2012

Não é de hoje que nós amamos o Jim em The Office e isso vai muito além do fato dele ser interpretado pelo John Krasinski. Höy!

Jim Halpert tem humor, é foufo na medida certa e além de tudo é um cara apaixonado. A história de amor entre ele e a Pam é sem dúvidas uma das mais foufas da tv e quando eles finalmente ficaram juntos, todos nós nos sentimos realizados, afinal era o Jim e a Pam. (♥)

Desde então, essa relação entre os personagens sempre foi a mesma, sem grandes dramas, brigas, ou qualquer coisa do tipo, apenas duas pessoas comuns que nasceram para ficar juntas e até começaram uma família. Sempre encarei a relação desses dois como o tipo de relação ideal, duas pessoas que se amam, se comunicam maravilhosamente bem e dividem coisas em comum. Amar é entender e se divertir com o que o outro tem a dizer. E a partir disso, passei a encarar essa relação como algo imaculado, intocável, que não deveria ser mexido nunca.

Até que recentemente em The Office, tivemos a entrada de um dos piores personagens ever, da ficção e da vida real, personagem esse que passei a chamar gentilmente de megabitch. Sim, MEGABITCH, anotem, pode ser útil.

Sim, aquele tipo de pessoa (pode ser homem ou mulher) que não se importa com a vida do seu target, se ele está feliz e muito bem casado é só um detalhe, porque a única coisa que ela consegue enxergar é um grande pedaço de carne, ou uma salada bem colorida de 3 folhas, no caso de tratar-se de uma megabitch vegetariana.

Cheguei até a alertar a Pam em algum momento aqui no Guilt, sobre os olhares famintos da megabitch para o seu homem e não deu outra, no episódio dessa semana (8×16 After Hours), ela finalmente colocou as manguinhas de fora e se atirou, literalmente, pra cima do Jim, sem o menor pudor e sem culpa.

Mesmo tomado por um ódio enorme pela megabitch que triplicou nesse exato momento, a reação do Jim ao perceber o assédio foi a melhor possível (um sonho na verdade) e conseguiu até acabar com todo o ódio no meu coração nesse momento. Totalmente desconfortável com aquela situação, escorregando pelo pé da cama, tentando demonstrar para as outras pessoas de que não era exatamente aquilo que elas poderiam estar pensando e buscando uma alternativa para se livrar de vez daquele percevejo que atendia pelo nome de megabitch.

Tudo bem que estamos falando de uma comédia, onde tudo é exagerado propositalmente para fazer graça, mas eu pergunto: tem reação mais honesta e foufa do que essa?

Jim, que sempre foi um foufo e educado, falou sério quando se viu encurralado, não sem antes aproveitar para fazer uma piada final com a tal megabitch e para isso, como seu aliado, nada melhor do que a excelente parceria que ele sempre formou com o Dwight. Clap Clap Clap Jim, é assim que se faz!

Normalmente eu sentiria pena de uma personagem tão escrota (e tão possível na vida real) como essa megabitch, por ser tão degradante e ainda assim, representar uma boa parcela da sociedade das pessoas escrotas, mas como ela resolveu mexer com o meu casal preferido da Tv, eu só tenho uma coisa a dizer:

MEGABITCH, GO!

Esperamos que esse plot não chegue a abalar a relação do casal JAP, ou J&P, e caso a Pam precise de ideias para uma possível e necessária vingança, estamos ai, super dispostos e com a mente mais do que criativa para esse tipo de coisa. (Call me!)

ps: e nós não achamos que eram percevejos naquele quarto de hotel e sim “chato”, rs

ps2: morri de rir com o plot da traição envolvendo o Darryl e os seus ….., e o Ryan e a Erin estão deliciosos juntos também.

SAG Awards 2012 – Prontos para mais um red carpet preguiça?

Janeiro 30, 2012

Que temporada é essa minha gente? Um prêmio atrás do outro.

É tanto red carpet, que a gente acaba ficando até meio assim de comentar. Mas vamos lá, força amigués, porque esse está de doer os olhos.

Que a Santa Chanel do bom gosto nos ilumine nessa hora e nos dê paciência. Amém!

Olha, não sabia que já estava a venda o bobble head da Angelina Jolie. Euquero! (rs)

Eu já disse que a Angelina Jolie tem que viver uma bruxa da Disney, porque a cara pronta para isso ela já tem, não?

Agora, o que essa imagem acabou nos revelando mesmo é que além do talento natural para ser um bruxa evil da Disney, ela também tem vocação para encarar um Sci-Fi, fazendo papel de alienígena. WOO!

Vai me dizer que vc nunca assistiu nenhum filme com um alien cabeçudo e com os bracinhos fininhos assim?

Falando no universo Disney, o que acontece com essas meninas que tem complexo de princesa de contos de fadas hein Kaley Cuoco?

Penny, Penny, Penny (sorry, mas eu também tenho toque, rs)

E as gêmeas Glenn Close e Meryl Streep, hein? Tipo Ruth e Raquel, rs

Nesse caso, Meryl levou a pior, porque eu sempre acho que ela usa tecido demais e quase sempre imprime que esta usando a mesma roupa em cores diferentes. Sabe aquela canga de seda que vc pode amarrar de 1001 formas e que toda hora no verão, tem um cara fazendo a demonstração em programas preguiça da Tv? Então…

Já a Gleen Cruella Patty Hewes Close levou a melhor com o seu look de sogra pure evil que não aprova a união do seu filho único e faz questão de ficar de cara amarrada durante toda a cerimônia.

Agora eu sinto muito em dizer, mas a Emma Stone e a Michelle Williams me decepcionaram na noite de ontém, hein? Fom forom fom fom.

Emma foi de Alexander  McQueen, o que sempre é um ponto a favor para qualquer um, só que eu repensaria o vestido, mas manteria a clutch com orgulho.

E a Michelle não segurou esse Valentino neam?

Talvez porque ele não seja dos melhores e eu detesto esse tipo de barra na saia.

Vamos falar de fendas?

Então, eu não gosto de fendas e quem acompanha o Guilt já sabe disso.

Acho sempre meio preguiça e quase sempre acaba imprimindo uma vulgaridade desnecessária, ainda mais se for assim super profunda, como essa fenda da  Lea Michele, que se fosse ainda mais profundo, cruzaria os países baixos e chegaria facilmente até a testa, onde acabaria sendo confundida com a cicatriz do Harry Potter.

O mesmo vale para a Emily Blunt, que foi com uma fenda um pouco mais comportada, mas que não precisava disso. Ainda mais ela, que já foi secretária/assistente do Diabo, já foi rainha e de quebra, ainda carrega um tipo de acessório dos mais invejáveis ever.

Acessório esse que é o John Krasinski, é claro. E vcs viram?

Nessa imagem que a fenda do vestido nem aparece, ele parece ser bem mais bonito do que ele realmente é.

John Krasinski = Jim = Perfect Match = HÖY! (fórmula do boy magia, que é bom decorar para o vestibular da vida, rs. Ps: mas existem variações dessa fórmula, rs)

Já que falamos do Jim, temos um recado para a sua mulher, a Pam: Abre o olho, que aquela sua substituta anda bem de olho no seu boy magia em The Office,  hein? Estamos de olho…

Na verdade, alguém poderia dizer para a Jenna Fisher que essa cabelinho cacheado de época não dá, hein?

E a Jessica Chastain, hein?

Tão linda, tão ruiva, tão talentosa e tão preguiçosa, não?

Custava se esforçar mais?

Tudo bem que esse azul do vestido dela é delicioso neam? Mas só isso não é o suficiente.

Zzzz

Se a Kristen Wiig tivesse amigos sinceros, certamente um deles teria avisado que não se deve usar frente única com colar do tipo coleira neam?

Querida Dianna Agron, eu ainda não consegui me decidir se eu tenho mais preguiça do seu vestido ou da sua personagem em Glee.

Zzzz

Agora vamos falar de volumes?

Dessa vez, diferente do que sempre acontece,  o volume saiu dos quadris ou das saias do tipo sereia e subiu para o peito.

Não sei porque, mas eu acho que a Natalie Portman não esta mais na sua melhor fase.

Acho a cor triste, acho que não combinou com ela e não acho poder. Eu evitaria.

Mas pode ficar pior, como no caso desse volumão do vestido da Sofia Vergara. Ai minha família! (quote, rs)

Porque neam?

Já pensou se um passarinho pousar ali, achando que é uma daquelas fontes em formato de concha?

Ou pior, já pensou se alguém confunde com depósito de bateria ou de pilha velha?

Eu vejo uma humilhação desnecessária, por isso também evitaria.

Agora, por incrível que pareça, eu achei que de todos esses volumes no peito, o que funcionou melhor, surpreendentemente foi o da Amber Riley, que eu achei bem bom, sem preguiça nenhuma.

Gosto de quem se arrisca bem e achei que ficou um volume interessante no conjunto todo.

Só eu acho que a  Rose Byrne ficou careca?

Desde que ela decidiu se tornar uma fashionista, eu tenho uma preguiça dobrada dela, apesar de continuar amando Damages e sonhar com o dia em que Patty Hewes vai dançar o Futterwacken no túmulo da Ellen, embora elas não sejam inimigas na série (não exatamente…)

Anna Wintour já pensa em processar e a Edna Moda diz que não aceita a cópia barata e irá tomar as devidas providências.

E foi só a gente elogiar a Tilda, para ela se render a preguiça do nude que não é muito bem um nude preguiça.

Achei que faltou vida, faltou poder. Humpf!

Agora, uma que se redimiu direitinho depois do seu look desastre no Golden Globes, essa foi a Kelly Osbourne, hein?

Apareceu linda, mesmo combinando a cor do vestido com a cor do cabelo.

Ouvi vários fashionistas dizendo que amaram a cor do cabelo pavoroso dela, mas desculpa, pra mim, continua imprimindo cabelo de Barbie velha. Fato.

E eu disse velha e não antiga, o que é uma grande diferença.

Aproveitando a leva de looks mais claros, achei que a Viola Davis estava sensacional com esse branco e dourado hein?

Look de ricah premiada da noite. Clap Clap Clap!

E a Kyra Sedgwick que me apareceu bonita na premiação?

Conta pra gente onde vende esse suco gummy da juventude que vc andou tomando hein Kyra?

Porque todas sabem que essa não é a sua verdadeira cara. (rs)

Agora chegou a hora da cor da noite: o preto.

Quem esteve maravileeeandra no red carpet do SAG Awards 2012, escolheu um pretinho nada básico para chamar de seu.

Como a Jayma Mays, a Ashlee Simpson e a lindíssima Amber Heard, que escolheram três modelos bem diferentes e bem dos sensacionais.

E agora que estamos chegando ao final, vamos ver os três (na verdade 4) melhores looks da noite.

 

3 – Shailene Woodley

Maravileeeandra com essa estampa floral e esse vermelho que salta desse fundo azul do vestido.

By L’Wren Scott

 

2 – Emilia Clarke

Tá pensando que ser mulher de Karl Drogo é coisa pouca?

Não é não viu? E a Emilia Clarke, o peitinho mais bem pago do momento em  Game Of Thrones foi com esses Chanel bicolor sensacional!

Maravileeeandra!

 

1- Tina Fey (+ Jane Krakowski)

E quem diria que a Tina Fey seria o nosso primeiro lugar, hein? Aposto que ela está aos prantos lá no Rockefeller Center.

Na verdade, esse primeiro lugar vale mais como um incentivo, para dizer que ela anda no caminho certo com esse seu Versace vintage e poder.

E também  amamos a dobradinha de 30 Rock! (embora o Antonio Berardi da Jane Krakowski, seja melgor do que o da Tina)

E esse foi o SAG Awards 2012. Mas eu não poderia encerrar esse post sem dedicar todo o amor do Guilt para:

Betty White, que ainda levou o prêmio de melhor atriz em comédia. MUSE! Clap Clap Clap!

E também para a dobradinha Bryan Cranston e Aaron Paul , que é sempre sensacional, não?

Estou achando que o Aaron está mais gordinho e mais bonitinho do que nunca e que o Bryan Cranston é tipo outra pessoa com cabelo e sem a caracterização do Mr White, hein?

Sabe talento? Então…2 ótimos exemplos.

Da série casais que nós amamos: John Krasinski & Emily Blunt

Janeiro 3, 2012

Super foufos dividindo o peso das pranchas no Hawaii, o que fez a Emily Blunt ganhar mais uns 20 pontos no quesito mulher de verdade, porque eu detesto mulher preguiça que insiste em lutar pela igualdade, mas se aproveita para fazer a frágil quando precisa fazer o mínimo de força. Acho no mínimo contraditório…(e entendam bem que isso não é uma questão de gentileza, que é sempre bem vinda, e sim de oportunismo, de se aproveitar da sua condição…)

Ahhh, e a propósito: Hey Jimmy Kimmel?

Red Band Trailer hosted by Diablo Cody- o melhor programa de entrevistas do momento

Dezembro 28, 2011

Quase sempre os leitores do Guilt me presenteiam com algumas delicinhas e novidades que eles encontram por ai e o Red Band Trailer foi uma delas (Thnks Monica!)

Um programa de entrevista totalmente diferente, que se passa dentro de um trailer e que tem como apresentadora a sempre sensacional Diablo Cody, que eu nem preciso dizer quem é, preciso? (tem um Oscar por “Juno”…)

O programa é curtinho, com entrevistas de aproximadamente 13 minutos dentro de um trailer que parece uma torradeira (meosonho nº 414544782 era ter um trailer quando criança, sério!), onde a Diablo aproveita para fazer aquelas perguntas que certamente vc não vai ouvir o Jay Leno, nem o Letterman ou o Conan fazer. Mas talvez o Craig Fergusson faça…rs

Ou seja, não preciso nem dizer que o Red Band Trailer já se tornou o meu programa de entrevistas preferido do momento neam? AMO! (e o que é o Oscar dela sendo exibido descaradamente como objeto de decoração na mesa, hein?)

A entrevista com o John Krasinski por exemplo é mais do que especial (por motivos óbvios de perferct match, Höy!), onde ele conta como foi o seu teste para entrar em The Office e quais foram as suas gafes nesse dia. E confirmou, ele e o Jim só podem ser a mesma pessoa mesmo, rs. Detalhe que no final da entrevista, eles ainda invadem (com permissão) a casa do vizinho para que o Krasinski dê uma aula de como jogar basquete para a Diablo, que não é assim das mais esportistas. Howcoolisthat?

Outra das minhas preferidas é a entrevista com a Zooey Deschanel (por motivos também óbvios, Höy e tmbm porque além de tudo ela tem também um blog em parceria com outras pessoas, que é bem do sensacional! Howcoolisthat?), Zooey que também é bem foufa e explica o porque ela confia mais em pessoas que investem no fundamento da franja, rs.

Agora, nada supera o Joel McHale (Höy!) alimentando aquela pobre e adorável criança no quiz do final da sua entrevista. Sério, esperem até o final para ver o que ele faz com aquele bebê, que eu fiquei imaginando que só pode ser seu filho (dele ou da Diablo, rs).

Por isso, achei que vcs mereciam conhecer essa delícia de programa, que eu não tenho a menor ideia de com que frequência ela faz as suas entrevistas (na verdade, eu acho que não tem uma regra ainda, mas me parece que é mensal, isso a cada temporada, e já estamos na Season 2), mas só sei que o programa agora faz parte do L Studio, que tem também Web Therapy, a série da Lisa Smelly Cat Kudrow também feita para internet. Mas vale a pena dar sempre uma conferida para ver quem será o próxima a entrar no trailer da Diablo.

Aliás, existe nome mais badass em Hollywood do que Diablo Cody? Eu acho que não…

#TEMCOMONAOAMAR


%d bloggers like this: