Posts Tagged ‘Jon Hamm’

Mais um que fez a matrícula na escolha de lenhadores magia

Abril 23, 2012

Jon Hamm. Höy!

Zou Bisou Bisou ♪

Março 31, 2012

Finalmente estamos de volta aos 60’s. Yei!

E que delícia que é poder voltar no tempo com Mad Men, hein? Quando estou assistindo a série, eu sempre sinto como se tivesse aberto uma janela para o passado, com todo aquele figurino antigo, cenários e objetos de cena que a gente pagaria uma fortuna para ter nos tempos de hoje (fato, vintage é caro, rs) e uma beleza que hoje em dia é cada vez mais difícil de se encontrar.

Sim, Mad Men voltou e diga-se de passagem, essa sua volta foi mesmo deliciosa e ainda com direito a um episódio duplo, para matar a saudade de todos os fãs da série que já estavam desesperados com esse “hiatus” de mais de 17 meses.

Nesse começo de temporada (5×01, 5×02 A Little Kiss), senti como se eles estivessem ainda se situando, colocando as coisas em seus devidos lugares, introduzindo assim a atual dinâmica da série. Mas tudo isso de forma bastante movimentada, divertida até, com um episódio (um não, dois) recheado de piadinhas super bem humoradas, que conseguiram me arrancar boas risadas.

Quase não me aguentei por exemplo, quando o Roger disse para a sua esposa com a maior cara de pau e sinceridade desse mundo “Porque é que vc não canta assim?”,  referindo-se a linda e animada apresentação de Megan Draper, que se arriscou nos vocais de “Zou Bisou Bisou” na festa surpresa de 40 anos de Don Draper e recebendo de volta da sua esposa, sem exitar por um segundo sequer,” E porque é que vc não se parece com ele?”. Sério? #TEMCOMONAOAMAR?

Antes de continuar, preciso dizer que Roger esteve afiadíssimo durante esses dois primeiros episódios, com um senso de humor brilhante e ao final deles, ainda acabou caindo em uma “pegadinha” super bem humorada, feita pelo Pete. (que continua insatisfeito com tudo e como aquele humor meio assim de sempre, mesmo estando casado com a Annie de Community, rs).

Na agência, tudo caminha lentamente como se eles ainda estivessem se acostumando com os novos rumos do negócio, porém de volta ao cenário já conhecido de todos nós, se estabelecendo aos poucos, onde eles se encontram enfrentando os problemas de sempre, como a questão dos egos, a rejeição dos clientes com medo de aceitar as novas propostas visionárias da agência e até mesmo a disputa pelo “maior espaço” dentro da empresa. Literalmente.

E como é sempre uma delícia ver a Peggy e o Draper dividindo a cena, não?

Ela que ainda tem que se acostumar com o fato de estar “dividindo” funções com a nova senhora Draper, que pouco teve que fazer para conseguir a sua nova posição no trabalho, algo bem diferente ao que aconteceu com a sua personagem no passado, dividiu apenas poucos minutos do episódio com Draper e mesmo assim foram minutos mágicos, de pura honestidade. Acho tão sensacional como sempre parece que ele está tentando ensinar algo para ela, sabe? E quem não queria ter um tutor como Don Draper?

Mas o grande nome de Mad Men é claro que é Don Draper. Höy! Ele que acabou de completar 40 anos e com isso, acabou nos mostrando o quanto a questão da idade era muito diferente naquela época.

Em uma crise existencial, Draper se encontra em uma situação inusitada, com “colegas” de trabalho dividindo a intimidade da sua lindíssima cobertura em NY, algo que certamente ele detestou. Além disso, o personagem encontra-se entregue ao peso da idade, se sentindo um idoso do alto dos seus 40 anos, o que hoje em dia, com homens de 40 se comportando cada vez mais como os homens de 20, seria um comportamento completamente fora do comum. Me pareceu até que naquela época, talvez os 40 fossem  mesmo os novos (velhos) 60, rs.

Com isso, acaba sobrando para a sua nova esposa, mais jovem, cheia de vontades e com uma visão maios moderna, completamente diferente a dele, onde talvez toda essa diferença acabe tornando o casal ainda mais interessante. Megan tem a ousadia, vontade e Draper tem o conhecimento, a experiência. E se por um lado eles andam se estranhando devido a esse probleminha da idade, do outro, basta um toque que o casal pega fogo, seja no corredor do prédio ou até mesmo no carpete branco da sala, completamente destruido pela festa surpresa da noite anterior.

Aliás, e que casal, hein? Höy!

Outro plot excelente da nova temporada foi a Joan tendo que enfrentar a sua nova realidade como mãe de primeira viagem e em um período de licença de maternidade. Ela que se encontra em um conflito interno, desejando voltar ao trabalho o quanto antes, mesmo como um bebê recém nascido em casa e por isso, se sentindo cada vez mais culpada como mãe ou mulher (ainda mais naquela época e ainda com a pressão da sua própria mãe). E toda a insegurança dela em achar que aquela agência estaria conseguindo sobreviver sem o seu comando? Até parece neam Joan? Todo mundo sabe que é a senhora quem manada naquele pedaço e mais ninguém.

E o episódio começa e termina de forma genial, definindo o período em que estamos vivendo em Mad Men , colocando a luta dos movimentos pelos direitos civis ainda mais em evidência, com mulheres e negros saindo as ruas e exigindo os seus direitos, algo que marcou a segunda metade da década de 60. E tudo isso muito bem amarrado, com bastante humor até, usando uma disputa entre eles e a agência concorrentes para ilustrar essa nova realidade da série.

E todo esse humor encontrado nesse episódio duplo da nova temporada, eu tenho pra mim que será o novo ingrediente secreto na série. Não que ele não existisse antes, mas dessa vez parece que chegou com muito mais força. Veremos…

Bacana também que em Mad Men eles conseguem demosntrar uma mesma situação por diversos ângulos diferentes. Como por exemplo, o preconceito racial aparecendo em momentos diferentes do episódio, com uma piadinha solta na festa do próprio Draper (onde também aconteceu ao mesmo tempo uma piadinha homofóbica) e depois, com o Lane se recusando a deixar a carteira perdida e encontrada por ele com o motorista do táxi, que a propósito, também era negro. E por incrível que pareça, mesmo com a história se passando em um passado distante, ainda ouvimos ou presenciamos hoje em dia, cenas tão pavorosas quanto essas. (muitas vezes até piores)

Assim chegamos ao fim desses primeiros dois episódios deliciosos da Season 5 de Mad Men, que prepararam muito bem o terreno para o que possivelmente vem por ai. Alguém tem alguma dúvida que só pode ser coisa boa?

Welcome (back) to the 60’s

Jon Hamm maravileeeandro para a C Magazine for Men Spring 2012. Höy!

Março 29, 2012

Engraçado que parece que o ensaio funcionou como uma transição, onde ele começa de Jon Hamm e terminada de Don Draper, não?

Ele que é um dos homens mais bonitos (naturalmente) da TV, mesmo fritando um ovo (AMO a foto da cadeira e outra da torrada, AMO!). Höy!

Em pensar que no passado, Jon Hamm fez uma ponta que foi quase nada em Gilmore Girls. Está vendo o que vc perdeu Lorelai?

Don Draper de volta ao batente. Höy!

Setembro 27, 2011

Tá pensando que a vida na america antiga bem antiga é moleza?

Tem que suar essa camisa Draper, porque nós já estamos mais do que ansiosos por essa Seaoson 5 de Mad Men, hein?

Algo que só vai acontecer no ano que vem, humpf…

Mas enquanto isso, vamos tentar manter a compostura Roger?

Tenha modos!

Um red carpet surpreendente e escuro para o Emmy 2011

Setembro 19, 2011

Se tem uma coisa que a gente AMA fazer é falar mal das escolhas delas em dia de premiação. Mas não é que para o Emmy desse ano todas resolveram fazer a lição de casa? Com preguiça, mas fizeram…

Sabe aquele climão de formatura de faculdade, quando vc já tem alguma experiência para errar menos ou aquele look de casamento de ex amiga antiga do colégio, que se casa antes e vc não aceita deixar por menos? Então…

Tudo bem que não tem nada muito surpreendente, arriscado ou super criativo. Mas pelo menos além da preguiça, tivemos poucos erros, talvez para compensar a lista de indicados/ganhadores meio assim. Humpf…

Vamos ver?

 

Sue Sylvester Femileeeandra

E não é que ela chegou femileeeandra? Um tanto quanto simples, mas ok.

Só acho que esse cabelinho já deu neam? Vamos repensar?

By David Meister Signature

 

Back to Black

Uma chuva de vestidos pretos escureceram o red carpet de ontém. Parece que chegou a hora de todo mundo apostar em algo mais sóbrio, mas com um certo poder.

Lena Headey, o meu pretinho preferido da noite. Mas também, com essa cara, não se precisa de muito, não é mesmo?

By Brian Atwood

Anna Torv que me surpreendeu e foi a que mais arriscou na noite de ontém.

Make poder + essa sandália em um azul TARDIS (rs) sensacional!

Não é o meu modelo de vestido preferido, mas mesmo assim, estava maravileeeandra!

By Vera Wang

E não é que a Santana estava maravileeeandra e com cara de ricah?

O vestido eu não descobri de onde é, mas as jóisas eram Tiffany & Co, tsá?

Eu sou ricah!

Evan Rachel Wood também foi de preto, sem se arriscar em nada e em uma versão que sempre funciona bem.

By Elie Saab

Jenna Ushkowitz tentou fazer uma homenagem as suas raízes e foi de origami.

É, não funcionou…

By Ghadah Paris

Kaley Cuoco até que tentou, mas demosntrou fraqueza de caráter ao combinar a bolsa com o sapato.

Descombinado é mais gostoso, fikdik

By Romona Keveza

Gwyneth Paltrow, o que a gente faz com vc?

Preto + transparência no truque + renda + nova silhueta = desastre

E sabe qual o meu maior problema com esse tipo de recorte no vestido?

É que fica com cara de conjuntinho. E conjuntinho não dá!

By Pucci

 

Da série casais magia que nós amamos:

John Krasinski & Emily Blunt. Maravileeeandros! (Höy!)

E o que é esse vestido dela?

AMEI a cor, AMEI o fundamento, AMEI AMEI AMEI!

By Elie Saab Haute Couture

Amy Poehler & Will Arnett, o casal que todo mundo queria ter como amigo.

E não é que a Amy estava maravileeeandra de azul?

Por falar neles, vcs assistiram a nova série do Will Arnett chamada “Up All Night” ao lado da Christina Applegate? Achei divertida, mas até agora só temos o piloto, fikdik

Fiquei com pena de mulher do Jon Hamm, que além de ter essa cara meio sem sal, ainda foi com a cor mais equivocada da noite.

Mas quer saber colega? Podem até tombar com o seu vestido, mas quero ver alguém tombar com o seu date.

Cafona, mas sapateando na cara da sociedade com o seu boy magia. Höy!

ps: preciso dizer o que esse olhar do Jason Momoa significa?

 

“Romanticuzinho”

Zzzz

Jayma, Rashida, tudo gente que as mães devem odiar e por isso escolheram esses nomes pavorosos neam?

Mas nesse caso, a professorinha de Glee se deu melhor, agora eu queria saber se essa é realmente ela ou a personagem…

E eu não sabia que era o baile de formatura da Zooey Deschanel. Já terminou o supletivo Zoey? (rs) Será que ela levou o canudo para casa? (euri)

E vcs assistiram “New Girl”, nova série da nossa muse de “500 Days Of Summer”?

Engraçadinha, mas todas as piadas do piloto estão no trailer que eu já postei aqui para vcs, por isso, para quem não viu ainda, pode esperar para assistir a partir do 1×02.

 

Vermelho para quem tah magrona, tah gatona e tah gostosa (ou para quem se encaixa em pelo menos uma dessas categorias)

Nina Dobrev com esse modelón com cara de antigo. Pode não ser o meu shape preferido, mas parece que foi mesmo feito para ela, não?

By Donna Karan

Quero só ver quem segura a Kate Winslet, agora que parece que ela descobriu que esta gatona, esta magrona e esta gostosa, hein?

By Elie Saab

Sofia Vergara, nós já entendemos o quanto vc é gostosa. Pode parar de se esforçar tanto.

By Vera Wang

E esse ombro marcado da Lea Michele em formato de rosas hein?

Parece aquelas rosas que o Roberto Carlos joga para a platéia nos seus shows, sonho de consumo de todas as mães desse meu Brasil.

Cafonona!

Não vou nem comentar o busto deformado pelo vestido que não foi feito para ela…

#NAOTABOMNAO

By Marchesa 

 

Beleza Antiga

Elisabeth Moss, aproveitando o climão antigo da sua série para investir no fundamento. E não é que essa Peggy é mesmo bem esperta?

By Marchesa 

A cada dia eu me convenço que a Christina Hendricks não existe e que isso só pode ser um holograma. Höy!

By Johanna Johnson

 

Cara de fuinha da noite

Tá bunita hein Katie Holmes? NOT!

 

Empate Técnico

Sabe quando o vestido consegue ser tão sem graça quanto a atriz? Então…

Julianna Margulies com um Armani para se evitar…

By Giorgio Armani Privé

 

#NAOTABOMNAO

Dianna Agron em um modelo equivocado para a sua idade. Talvez fosse mais apropriado para a sua mãe, fikdik

Informação demais hein Heather Morris?

Mas continuamos te amando. Fondue for two!

Que preguiça…

Eu queria mesmo é ter visto a Sofia Vergara ganhando o prêmio, sofrendo para subir no palco com o seu modelón todo agarrado e ainda fazendo um discursos daqueles, todo carregado no sotaque colombiano.

Humpf…

Querida  Claire Danes, chega uma época na sua vida que uma make poder faz toda a diferença se vc quiser sobreviver nesse mundo.

Heidi Klum que é linda, mas esta quase sempre bem equivocada no red carpet.

Pegou pouco sol a nossa colega ae hein?

#NAOTABOMNAO

 

Considerações Finais

Em noite de premiação em que temos como principais boys magia o elenco de Glee (Zzzz) e que como representante maior da masculinidade temos o Ian Boone Somerhalder, eu repito algo que eu já venho falando já tem algumas premiações: estamos mesmo em falta de boys magia. Humpf!

Vamos aproveitar e parar para reavaliar esse conceito, hein Hollywood?

Obrigatô!

Encontro inesperado

Agosto 30, 2011

Da série casais que nós…ops, quer dizer…

Euri

Mas para não decepcionar, vamos ao solo

Höy!

ps: me deu uma saudade enorme de Mad Men agora hein? 

Concordar em ser “bridesmaid” é concordar em ser cafona pelo menos por um dia, fikdik

Agosto 16, 2011

Engraçadinho vai? No finde optei por um filme mais leve do que o de costume e apostei em “Bridesmaid” para ver se era engraçado mesmo como todo mundo diz.

E não é que eu achei graça?

Todo mundo sabe que concordar em ser bridesmaid é concordar em ser cafona pelo menos por um dia (em alguns casos pelos menos pode durar apenas um dia, confiando no bom gosto dos leitores do Guilt, rs). E o filme aproveita para tirar sarro de todo esse exagero do sonho de princesa que ganha proporções absurdas quando uma mulher se encontra nesse momento da sua vida. Tudo rosa demais, com babado demais, grandioso demais. Vamos fingir que somos princesas por um dia. VA-MOS! (gritam as amigas preguiças)  Zzzz

O começo do filme é sensacional e eu acho difícil vc não se identificar com uma situação ou outra na qual a protagonista Annie (Kristen Wiig) enfrenta ao longo da história e a sequência inicial é um bom momento para vc se perguntar: Quem nunca?

Sem contar que ela divide esse momento com o Jon Hamm, que esta escrotíssimo no longa, mas ele é o Jon Hamm e só isso basta. Höy!

O filme tem aquele humor da derrota, do estereotipo loser que os americanos por anos tiraram sarro, mas finalmente entenderam que fracassos acontecem e muitas vezes com pessoas legais. Humpf!

Apesar do grande apelo do filme estar no foco da eterna competição preguiça e totalmente desnecessária que todas as mulheres do mundo enfrentam ao longo da vida, do jardim de infância até a casa de repouso (rs), os meus momentos preferidos estiveram relacionados no desconforto entre a relação mulheres e homens, principalmente quando vc não tem muita intimidade com o parceiro e esta a procura disso, rs.

As conversas entre amigas, sobre sexo, intimidade ou qualquer assunto relacionado ao universo masculino, funcionaram muito melhor como piada pra mim. E eu ainda teria deixado passar batido aquela cena de escatologias relacionadas a um certo restaurante típico brasileiro. Totalmente desnecessário, não por ser brasileiro, porque isso pode acontecer em qualquer nacionalidade, mas sim por ser nojento demais.

O filme é realmente bem gostosinho, leve e não é tão bocó assim como a maioria das comédias americanas, mas o problema é que a piada não se sustenta por muito tempo e a segunda metade do longa começa a ficar meio assim.

Salvo apenas pelo início de um romance bem foufo entre a protagonista e o policial, muito mais real e possível (algo que muitas vzs a gente até reluta por pura burrice, humpf!), que todas sabiam desde o começo que seria o par ideal para ela.

O desfecho do filme apesar de óbvio, não é tão óbvio assim e no final das contas vale a pena para a gente rir de quem ainda se contenta com um padrão de casamento que já deu o que tinha que dar.

Pra que sonhar com o dia de princesa preguiça e fabricado em série, se vc pode fazer algo igual ao casamento da Kate Moss, clássico, sem fugir muito do óbvio, mas com muito fundamento, hein? Vamos reavaliar esses conceitos preguiça?

Ainda bem que temos protagonistas como a Annie para nos representar hein? Go girl!

O crossover de The O.C + Mad Men

Junho 30, 2011

Summer e Don Draper? Por essa ninguém esperava…

Mas antes que todas pensem bobagens, os dois se encontraram por um acaso na lojinha de refresco, que pela cor, me pareceu ser de tamarindo hein? Euri

E que saudade que me deu de Mad Men agora hein? Höy!

O adorável Mad Men

Junho 22, 2011

 

Levou o prêmio de melhor ator de drama no 2011 Critics’ Choice Television Awards e ainda fez graça? #TEMCOMONAOMAR? Höy!

Quem levou um prêmio para a casa também foi o John Noble, o Walter de Fringe, como melhor ator coadjuvante em série dramática. Mas como assim coadjuvante? Fringe não é dele, da Olivia e do Peter? (mais dele do que dos outros até?)

Geralmente nessas premiações quem se candidata e escolhe em qual categoria concorrer são os próprios atores e se esse for o caso aqui, achei humildade demais do Walter hein?

Mesmo assim, Clap Clap Clap!

Jon Hamm vai mesmo dirigir a premiere da Season 5 de Mad Men

Junho 3, 2011

Sim, dizem que eles começam a gravar agora em Agosto a Season 5 de Mad Men e o episódio de estréia terá a direção do Jon Hamm. Höy!

Detalhe que será o seu debút como diretor, hein?

Ansioso mil! Mas vou ter que conter a minha emoção, porque a nova temporada só chega mesmo em 2012…humpf!


%d bloggers like this: