Posts Tagged ‘Little Essy’

O cheiro dela…

Junho 14, 2012

Primeiro perfume dela, com cheirinho de Mother Monster.

E a embalagem com o líquido em preto ficou maravileeeandra, não?

Euquero!

ps: me lembro de quando criança, eu e uma amiga inventamos que iriamos criar o nosso próprio perfume (cada um o seu). Enfiei pencas de coisas em um vidro, preparei aquela alquimia e devo ter passado um mês pelo menos com cheiro de especiarias do meu jardim misturado com algumas gotas dos perfumes da minha mãe, rs (e meu perfume preferido naquela época era a Colônia do Snoopy na cor amarela. AMAVA e não saia de casa sem…)

We All Go Back To Where We Belong

Outubro 28, 2011

Vídeo da deliciosa faixa ” We All Go Back Where We Belong” do novo e provavelmente último álbum do R.E.M, o “Part Lies, Part Heart, Part Truth, Part Garbage: 1982- 2011, the definitive R.E.M. greatest hits”, título esse que eu acho sensacional!

Mas na verdade, resolvi postar esse video aqui porque eu queria dizer que CONFIRMOU! (e confirmou mesmo, pq Kirsten é assunto do próximo post, tirando o próximo mesmo, rs) Que eu tenho a mesma cara da Kirsten Dunst, fato. (não que isso seja equivalente a qualquer semelhança física…)

Só sei que quando eu estou emocionado, enfeitiçado por algum tipo de magia, tímido, meio tristeeenho, totalmente inseguro, quando estou sendo cobiçado por alguma magia ou até mesmo animado, eu faço essas mesmas caras que ela no vídeo. Significa? (que eu tenho cara de bobo)

Significa que quando eu fizer um filme sobre a minha vida, ela será uma das atrizes convidadas para me interpretar. I wish! (euri)

Estava assistindo também umas gravações antigas de quando eu era criança no finde passado e percebi que isso vem desde sempre. Aliás, que foufurice de menino hein?

#BEMCONVENCIDO

Recruta Zero e Popeye versão Bearbricks

Outubro 18, 2011

Foufos mil, não?

Me lembrou agora de uma vez quando eu ainda era criança, logo que eu comecei a aprender a ler e ganhei uma caixa cheia de HQ’s antigas, e tinha várias do Zero, que eu AMAVA e acabei lendo umas 300 vezes cada uma delas.

E sabe do que eu amava brincar sozinho quando eu era criança?

De banca de jornal (euri), pode? (ai que vergonha dessas minhas declarações…)

Montava uma banca no meu sofá, vendia pencas para mim mesmo, usando o dinheiro do Monopoly, do Jogo da Operação e da minha own caixa registradora (sim, eu tinha uma de brinquedo, rs. Catching$$$!) e ficava lendo deitado no tapete por horas. Bons tempos!

E depois eu ainda me pergunto de onde vem esse meu instinto nerd…rs

Euquero!

Zooey Deschanel na trilha de Winnie The Pooh? Howcuteisthat?

Julho 12, 2011

Tipo covardia neam? Não bastava o filme já ser tão doce, precisava ainda coloca-la na trilha? rs

Zoey que assina 2 faixas da soundtrack do novo filme da Disney para o ursinho da depressão mais foufo ever!

“Winnie The Pooh” me lembra a minha infância, acho que eu assistia quase todo dia a tarde, dentro da minha cabana feita com os lençóis da minha mãe. E até hoje, a floresta do Pooh é na minha opinião a mais linda de todos os cartoons feitos até hoje. Tem cara de livro de contos antigos, foufa mil!

E me lembro de que quando eu era criança, sempre imaginava que eu era o próprio Christopher, rs

Jogos antigos by Liz Ham para a Helmet # 2

Abril 1, 2011

Quem não viveu o tempo antigo deve estar se perguntando: queéqueéisso?

Tolas, a diversão estava lá e não tem Nintendo 3ds certo, rs (quero muito um Nintendo 3ds!)

Isso me lembrou uma passagem e por isso chegou o monento: História Guilt!

Essy Bolão

No passado antigo, meus pais trabalharam por um tempo em uma feira exótica e por isso, todos os dias eu tinha que acompanha-los.

Chegando lá eu ficava meio solto, vagando pela feira, que era bem exótica e tinha de um tudo. Todo carismático, eu trabalhava bem a amizade, aumentando o meu network (s). Me lembro que tinha um casal de inventores por lá, que criaram uma barraca de camping, que ficava no teto do carro e estavam vendendo a idéia na feira. Direto eu passava no stand deles e me fazia de garoto propaganda, entrando e saindo de dentro da barraca o tempo todo, fazendo a demonstração do produto. Na minha cabeça, aquela era a minha versão da cada da árvore da Punky Brewster, rs.

Anyway, nessa mesma feira, rolava umas brincadeiras com as crianças e eu sempre estava lá, marcando presença. Tinham várias competições e um belo dia fui escolhido para uma delas.

Tratava-se de uma brincadeira que imitava um jogo de futebol, só que a bola era gigante, maior do que as crianças e vc tinha que rolar a bola com as mãos até o gol, usando a sua própria força.

Me colocaram contra uma menina e o prêmio era um brinde qualquer que nem me interessava. O que eu queria mesmo era vencer! (euri)

Me lembro como se fosse hoje, nós dois no centro do campo, com aquela bola gigante azul, aguardando o apito do juíz.

Quando finalmente ouvi o aguardado apito, fui tomado por uma força demônia e de uma só vez corri para o gol, ganhando a partida facilmente. Não queria revelar, mas essa minha força veio dos poderes que eu havia ganhado recentemente, depois de ser picado por uma aranha (euri)

Fiquei todo feliz e saltitante, comemorando no gol, mas logo reparei que ninguém mais estava comemorando e todos estavam com cara de alface, indo em direção ao centro do campo.

Foi quando eu me dei conta que com toda a minha força e empolgação, eu nem reparei que eu atropelei a menina, passando por cima dela com bola e tudo, rs. E a coitada ficou lá, estatelada no chão.

Mas essa não foi a minha primeira vitima fatal e dizem que no ano de 2010 ela finalmente foi liberada da fisioterapia intensiva (brinks, nada de grave aconteceu, embora seu arquivo tenha sido queimado misteriosamente…)

Claro que eu não tive culpa e nem intenção do acidente, mas o juiz não achou a mesma coisa e não me deu o prêmio, porque ele disse que não tinha valido e se eu quisesse o prêmio teria que competir de novo. Bem injusto, não?

Entrei na competição de novo, dessa vez contra um outro garoto, do tipo gordinho, umas 3 vzs maior do que eu. Em nome da justiça, enfrentei a montanha (rs) e venci, dessa vez tendo que ralar um pouco mais é claro e ainda tendo a torcida contra.

Por uma questão de princípios, recebi o prêmio e dei para a garota acidentada, tentando limpar a minha barra e demonstrar a minha honra como competidor.

Nunca mais voltei para a competição, porque com essa segunda vitória eu já tinha mostrando o meu ponto de vista.

ps: nessa mesma feira, o cara que controlava a roda gigante me esqueceu lá e eu fiquei umas 2h00 girando, girando e girando.

Mommy sempre dizia: leia menino!

Março 31, 2011

Estou em fase de ajustes no meu texto do TCC, ou seja, mergulhado em livros e textos mil.

Adoro cheiro de livros antigos, de biblioteca, sempre gostei. Gosto muito tmbm do cheiro de material escolar por exemplo, rs.

Acho que é porque me lembra a minha infância e as várias vezes que eu tive que procurar um lugar para me esconder contra o bullying que era forte naquela época. Dra-ma!

Mas a biblioteca era o meu forte e por lá, os valentões nem se atreviam (talvez porque não sabiam nem o caminho de como chegar até lá, tisc tisc).

Acho que a cultura acaba deixando todos eles bem intimidados…

ps: fikdik para quem precisar se esconder hoje em dia, que parece que as coisas continuam iguais, com a diferença que na minha época ninguém gravava a violência no próprio celular…

Sarahjay + James, super foufos

Março 22, 2011

Acho bem chic a Sarahjay sempre aparecer levando o filho James para a escola. Pura foufurice!

Eu e minha mãe nos divertíamos pencas no caminho da escola, rs. Dois bobos saltitantes.

E a minha mãe que aparecia de vez em quando na porta do colégio na hora do intervalo (porque era seu caminho),  para me levar um mimo. Sempre um chocolate, um Todynho, as vzs um sorvete, rs. Ai que vergonha manhêeee!

Dizem que é por isso que eu tenho cheiro de chocolate até hoje, rs.

Ai ai, bons tempos!

Máquina de reciclar giz de cera – meosonho de consumo #345

Dezembro 13, 2010

Juro que quando eu era criança esse era o meosonho (e até hoje é, pq eu ainda me aventuro de vez em quando nos crayons, rs)

E essa sensacional máquina meio que derrete os pedaços de giz que foram quebrados, transformando-os em um novo giz, howcoolisthat?

Na minha época de pré escola, nada me deixava mais desolado do que quando eu acabava quebrando um dos meus giz de cera, humpf! Fatão! (little nerd magoado feelings)

Dai eu sempre acabava pedindo para a minha mãe comprar daquele mais grosso, para evitar um trauma…rs

Euquero!

Coisas que teriam feito o little Essy mais feliz quando criança…

Outubro 12, 2010

Como vcs devem ter percebido, estou meio temático por aqui não?

Ao fazer o layout especial dedicado ao little Essy, comecei a me lembrar da minha infância, das coisas que eu gostava e logo os meus brinquedos preferidos. Coleciono toys até hoje (como já disse para vcs), mas hoje em dia só personagens. Até que eu me lembrei de alguns brinquedos que eu adoraria ter ganhado quando eu ainda era criança, por isso resolvi fazer esse post. Vai que eu tenho algum leitor caridoso e dono de uma loja de brinquedos antigos que resolve fazer uma ex criança feliz neam? (e bota ex nisso, rs).

O boneco pa-vo-ro-so do Fofão (para muitos, não pra mim) sempre foi o número 1 da minha lista. Alguns anos atrás, achei um deles por um acaso na vitrine de um brechó, enquanto o ônibus onde eu me encontrava estava parado no farol. Como estava atrasado, decidi passar lá no outro dia logo pela manhã, para adquirir o meu mimo e esfregar na cara da minha mãe algo que ela nunca quis me dar (rs). Só que, alguém passou antes e levou o meu tão sonhado objeto de desejo…fom  forom fom fom.

Fiquei ainda mais revoltado porque ele estava a venda naquela loja por R$20,00, apenas! Pois é, não foi dessa vez…

O navio pirata do Playmobil, ahhhhh como eu queria um desses hein? Meu amigo tinha e por isso a gente sempre brincava com ele na piscina o tempo inteiro. Lembro que tinha um compartimento secreto e tudo mais, invejava mil. Esse tmbm vende hoje em dia em qualquer loja de brinquedo, mas como é muito grande, preciso pensar direito antes de compra-lo e não ter onde colocar aqui em casa. Humpf!

Eu sempre quis ter um castelo, de verdade é claro (euri), mas isso até agora não foi possível. Me contentava com um castelo Lego, pena que sempre foi tão caro por aqui neam? Outro dia vi um por R$499,90 na loja e pensei: Dafcuk?

De todos os carros, esse era o que eu mais queria ter tido, fatão! E o do Thundercats que era bem mais difícil de se achar eu tive, vai entender neam? Hoje tenho o do Speed Racer, tsá? Mas também sempre quis muito ter o carro dos ursinhos carinhosos em formato de nuvem (euri), foufo mil!

Agora chega de brinquedos de menino, porque o que eu queria mesmo era uma Barbie Malibu (rolei). Fatão! Sempre sonhei em ganhar uma porque achava ela linda e bronzeada, mas nunca rolou. Até que eu comprei uma, mas não era a Malibu. Aliás, quando eu era criança, meu sonho era ir para Malibu. E Beverly Hills tmbm, para encontrar com o Brandon, o Dylan e a Donna de Barrados no Baile, rs.

Meosonho era ter todos os livros do Pense Bem, fatão! Tive alguns (uns 5) para a minha versão clássica do brinquedo, mas acabava enjoando logo e decorava todas as respostas, o que fazia perder totalmente a graça do brinquedo. Como era difícil de encontrar e eu acho que era meio caro tmbm, eu brincava sempre com os mesmos e depois que eu ganhei o meu primeiro relógio, passei a cronometrar o tempo que eu levava para terminar o livro de atividades, quebrando os meus próprios recordes. Coisa de nerd filho único neam?

Pausa para uma confissão… (glupt tenso)

Faço isso até hoje com o meu Cilada, fikdik. (que vergonha, mas é verdade) . Ruborizei! (sou nerd sim e dai tsá?)

Queria muito ter tido mais desses mini games da TecToy, que eram sensacionais! Tem um deles até hoje eu acho, de basquete, mas  o problema é que era muito fácil e ai vc fazia 199 pontos e não saia disso, pq era o máximo que o placar chegava. Depois que eu aprendi a quebrar a cesta então, fazia essa pontuação no primeiro tempo do jogo e ai perdia totalmente a graça. Porra TecToy! As crianças são mais espertas do que isso, fikdik!

Meosonho era ter terminado essa coleção do Kinder ovo, que eu sempre achei a a mais foufa ever. Tive esses três ai (mas a foto não é minha) mais  a zebra, o tigre e o jacaré. Mas ficaram faltando alguns para completar a minha coleção. E eu odiava tirar quebra-cabeça e estátuas de ferro, fatão! Era viciado em Kinder ovo e meu pai trazia todo dia 1 pra mim. Comprava mil no final de semana,  quando saía com eles tmbm. A única coleção que eu consegui terminar foi a das tartarugas, fatão! Detalhe, eu odiava o chocolate Kinder (odeio até hoje), mas comia mesmo assim, só pra comprar mais, rs. O elefante eu tenho até hoje aqui na minha mesa, outro fatão!

E por último, para provar que eu sou e sempre fui  uma pessoa bem simples (euri), teria me contentado tmbm em ganhar um pirulito igual ao da Chiquinha do Chaves. Mas tinha que ser igual pq o genérico eu tive mil. Tinha que ser igual ao do seriado (de preferência o vermelho ou o verde, se não fosse de maça verde, pq ai eu não iria gostar. fikdik)  gigante e com detalhes quadriculado, parecido com um “waffle”, rs. Sonho!

Ai ai, depois disso acho que eu vou dar até umas voltas no Mercado Livre…rs. Será que eu encontro pelo menos o pirulito?

Feliz dia das crianças para todos!

Grilled Cheesus! Coincidência ou não, fiquei emocionado

Outubro 7, 2010

Por uma enorme coincidência, essa semana em Glee (2×03 Grilled Cheesus), o personagem do Kurt passou por algo semelhante ao que eu passei, exatamente nesse dia, só que há alguns anos atrás, com a diferença que o final da minha história não foi feliz como a do Kurt. Humpf! (tears)

Confesso que fiquei um tanto quanto assustado com tamanha coincidência e fiquei bem emocionado com o episódio. As coisas todas estão ai no ar neam? Me-do

Religião é sempre uma drama pra mim, algo que eu prefiro evitar de comentar para não ter que ficar me justificando ou criando um drama maior ainda com algumas pessoas, daquelas mais crentes no assunto. Evito, não provoco, mas quando o assunto vem a tona eu digo a minha opnião, mesmo que desagrade a uma maioria, assim como Kurt fez no episódio e a Sue tmbm.

Mas achei que o assunto foi tratado muito dignamente no ep, que dessa vez não me convenceu pelas músicas pop bem coreografadas e sim pela história, que eu acabei achando mais interessante do que qualquer outra coisa em Glee essa semana.

E um final digno, com Kurt mantendo a sua descrença, porém se mantendo aberto para o desconhecido. Vai saber neam? Cher, é vc?

Ao ver o mini Kurt (que era exatamente igual ao Kurt tamanho real, fatão) com seu pai ao som de “I want to hold your hand” dos Beatles eu me lembrei do meu pai antigo e as nossas tardes de sábados juntos, onde eu ficava infernizando a vida dele no escritório, o dia inteiro, rs. A diferença é que eu não levava o meu kit de chá das 5 e sim o meu kit de super massa versão lanchonete de fast food (euri). Levava também a minha bicicleta com franjas que eu mesmo colocava, além de uma cesta improvisada que eu mesmo fiz e passava horas e horas por lá e ele nem sentia vergonha. E o sorvete de brigadeiro hein? E os passeios no clube? A geladeira gigante que me fazia sentir como se eu estivesse em um dos cenários de Star Wars, com aquelas roupas que ficavam enormes em mim. Todas as vzs que eu entrei no viveiro onde ele guardava os pássaros que ele colecionava e eu os soltava em nome da liberdade (rs) e ele ficava bem puto, mas não fazia idéia que eu era o responsável por isso. Quando ele me mandava contar uma pilha de dinheiro no trabalho e eu me sentia todo importante com aquela calculadora gigante que era o meu sonho de consumo (nerd feelings). O dia em que eu colei todas as tampas de canetas Bic no teto do escritório e ele ficou muito bravo e jogou o grampeador em mim (que a marca deve estar naquela porta até hoje, mas ele não me acertou, hihihi). A primeira e única vez que eu soltei uma pipa na vida e acabei descobrindo que a linha não vinha amarrada no final do carretel e achei a maior sacanagem dessa vida e ele riu da minha cara, é claro. As poucas vzs em que eu fui pescar com ele e como eu achava muito chato tudo aquilo, logo saia correndo e entrava no lago para nadar, fazia barulho, ou começava a jogar pedras para ele achar que era um peixe (que demônio não?), até que eu fui proibido de ir nas pescarias. Mas sabe do que eu mais me lembro? De toda vez que a gente saia juntos, seja para ir numa festa ou em qualquer outro lugar, ele estava sempre num cantinho, me olhando de longe, como se eu não tivesse percebendo que ele estava por ali e nessa ele ficava me observando, de longe, mas eu sentia que ele me admirava de alguma forma especial e eu ouvia ele dizendo isso pra mim mãe as vezes, quando eu fingia que estava dormindo, rs. Com o tempo nós fomos nos falando cada vez menos, mas uma coisa nunca mudou e era bom saber que ele estava por perto, me observando de longe, como ele fazia quando eu era criança. Bons tempos!

E nesse mesmo dia, há alguns anos atrás eu descobri uma outra dimensão para a palavra “saudade”. (tears)

Miss U


%d bloggers like this: