Posts Tagged ‘Mr White’

Look 4 Today

Outubro 29, 2012

Pq o que realmente importa hoje nem é tanto a roupa (apesar dele estar corretíssimo na imagem acima) e sim a atitude. PÁ!

 

♥ Já está seguindo a magia do Guilt no Twitter? Ainda não? @themodernguilt

Mr White mostrando que também sabe ser adorkable

Outubro 18, 2012

#TEMCOMONAOAMAR o atrevimento do Bryan Cranston para cima do Mr White John Goodman na premiere de “Argo” em London?

Não, não tem. (♥)

 

♥ Já está seguindo a magia do Guilt no Twitter? Ainda não? @themodernguilt

Por mais legal que seja a ideia de ter Breaking Bad por mais tempo, achei uma sacanagem hein Mr White?

Fevereiro 9, 2012

Todo mundo sabe que essa última temporada de Breaking Bad (Season 5) que começa ainda esse ano, seria maior do que o de costume, com a encomenda do AMC de 16 episódios para concluir essa história sensacional.

Acontece que, o canal resolveu estender o sucesso da série (porque será neam? $$$Catching!) e resolveu dividir essa última temporada em 2 partes, com 8 episódios cada.

Ou seja, teremos essa primeira parte chegando no segundo semestre de 2012 e os outros 8 só em 2013, provavelmente também no seu segundo semestre.

E por mais que possar parecer animadora a ideia ou a sensação de ter Breaking Bad por mais tempo, acho mesmo uma grande sacanagem que esse final seja prolongado dessa forma. Como vamos lidar com a ansiedade até lá?

Tudo bem que nós já vimos isso acontecer antes, com Sopranos por exemplo.

Mas essa é a nossa cara de animação com a notícia…

Humpf!

Matt Damon imprimindo um jovem Mr White

Julho 22, 2011

Bem achei que se eles algum dia pensarem em fazer um episódio flashback do Walter em Breaking Bad, poderiam usar o Matt Damon (atual)  para o papel do jovem Mr White, hein?

Fikdik para esse casting hein produção?

2 criminosos agora endinheirados e 1 mosca = A brilhante Season 3 de Breaking Bad, Yo!

Agosto 6, 2010

Eu não sei se brilhante seria a palavrar certa, mas é algo mais ou menos por ai.

Continuo ficando de boca aberta, com falta de ar e com o coração disparado e tudo isso graças a minha maratona da Season 3 de Breaking Bad, que é algo que merece ser respeitada. Vou dizer algo que vem sendo recorrente em minha vida toda vez que eu assisto uma série do AMC: Puta série boa!

Aquela sequência inicial, com as pessoas rastejando pelo chão, em uma espécie de ritual e na cena seguinte, um enlouquecido Walter White colocando todo o seu dinheiro na churrasqueira e acendendo o fogo em todo aquela bufunfa, foi tipo sensacional hein?

E quando você tem uma série boa o suficiente,  onde você  até consegue fazer um episódio quase que inteiro, com os dois protagonistas presos em uma sala e uma mosca atormentando a vida deles como coadjuvante, em cenas recheadas de diálogos inteligentes, as vezes com duplo sentido, quando você consegue fazer isso sem deixar o episódio chato ou com cara de filler, significa que talvez você tenha encontrado o caminho para a perfeição. Sério, eu fiquei de cara!

E nada me surpreende se os dois atores principais levarem o Emmy desse ano para suas casas e se isso acontecer, sorry para os demais concorrentes que eu também gosto, mas eu vou aplaudir de pé.  Muito bons, os dois. Mr White com sua timidez, concentração, nervosismo e momentos de pura ira e revolta e Jesse perturbado, em abstinência e com os nervos a flor da pele, é muita covardia para qualquer outro concorrente. Yo!

Sinceramente, eu não vejo mais nenhuma saída para esses dois. Já terminaram a sociedade e depois voltaram. Desistiram um do outro, mas logo voltaram atrás. Pinkman e Mr White estão realmente sem ter para onde ir e fadados a um destino trágico (mas eu espero que não) e juntos. É o que eu acho que vai acontecer no final das contas, a não ser que eles matem todo mundo que já cruzou o caminho dos dois neam?

O que começou com um negócio pequeno, errado do mesmo jeito, só que em proporções bem menores,  quando os dois se arriscavam dentro do trailler em meio ao deserto para cozinhar o tal produto que eles ofertavam na região, tornou-se um negócio de gente grande devido a competência e qualidade do material dos dois, coisa  de crime organizado. E muito bem organizado, diga-se de passagem. Linda a cena com a metanfetamina sendo pesada, embalada e devidamente camuflada em sua linha de produção.

Atualmente, os dois dividem uma pequena fortuna, que talvez eles nem imaginaram um dia chegar tão perto e um laboratório de ponta para a realização do trabalho sujo. E o problema é que quando isso acontece ($$$), você sempre quer mais neam? Agora a pergunta que não quer calar: quando parar? E como parar? Porque a essa altura, os dois sabem demais, conhecem demais o mercado, e ai já viu neam?

E assim os dois sócios se envolvem cada vez mais no mundo do crime, mergulham de cabeça nesse universo extremamente violento. A recompensa fica cada vez maior, mas aumentam também as responsabilidades, a produção e as pessoas envolvidas nessa história. (adoro o advogado e o vovô matador/zé faz tudo de plantão)

Mr White, agora oficialmente divorciado (mesmo relutando no começo de tudo), se vê entregando toda a verdade para a sua ex mulher, que passa a fazer parte desse crime de certa forma. Skyler se envolve cada vez mais, propondo até uma maior participação nessa história, ainda mais quando ela percebe o montante poderoso que o seu ex já conseguiu capitalizar. $$$ Catching! E imaginando que ele e o seu envolvimento com o crime possa ter alguma ligação com o “acidente” com o seu cunhado, ela o faz começar a pagar pelo tratamento do oficial, inventando uma história (para a sua irmã aceitar a ajuda financeira) de que Walter ganhou todo aquele dinheiro em jogos de sorte. Espertona não?

Além disso, a  vida de Mr White  corre cada vez mais risco, ainda mais com a chegada dos “primos”, o único detalhe dessa temporada do qual eu não gostei muito, mesmo eles vindo acompanhados do sempre sensasional “tio”, rs. Péssimos atores, algo forçado demais, à la dramalhão mexicano daqueles! Precisava andar tão igual, de forma coreografada? Olhar sempre com “sangue nos olhos”? E precisava ter um machado tão polido? E ternos tão brilhantes? Caricatas demais…

Mesmo assim, o final dos dois foi digno e cheio de sofrimento, o que ambos fizeram por merecer.

Jesse, agora “recuperado”, seguindo os 12 passos da Rehab, longe das drogas, ainda sofrendo pela morte trágica de sua namorada, porém se tornando cada vez mais o alvo do Hank, que ainda não se contenta em não ter descoberto quem é que produz a tal droga azul. E ele só tem um nome que o deixa cada vez mais perto da verdade: Pinkman.

E o resultado de toda essa desconfiança é uma cena de pura adrenalina e suspense com o Hank localizando o trailler que os dois usavam para cozinhar, ficando a poucos passos de descobrir toda a verdade e com ambos presos dentro do próprio trailler, uma sequência com uma tensão deliciosa. Mas como é de costume em Breaking Bad, toda vez que algo se aproxima de uma situação sem solução, eles dão um jeito de livrar a cara dos protagonistas. É Hank, não foi dessa vez…

Mas isso só indica que a vida dos dois está mesmo por um fio, que fica cada vez mais fino.

Hank ainda se deu bem mal nessa temporada hein? Sendo afastado da polícia por ter espancado sem motivos o Jesse, quase perdendo o seu patrimônio e ainda trocando tiros com os “primos”, o que acabou o deixando impossibilitado de andar por um bom tempo. Fiquei até com pena dele… mas adorei a sua mulher dando uma “mãozinha” para tentar ajudar (rs). E pelo menos ele finalizou os dois também neam? Yo!

Adorei quando depois de um tempo separados, Mr White se cansou do seu novo parceiro de laboratório (que tem uma cara de freak e você pode creditar essa  culpa ao seu papel em Damages ) e acabou levando Jesse para conhecer o seu “novo escritório”. Cena bem divertida com Jesse todo excitado ao ver todos aqueles equipamentos e logo depois ficando rapidamente entediado por não poder/saber usar os brinquedos novos. Poor Jess…

O bom é que em Breaking Bad, tudo faz sentido, até quando não tem sentido. Todas as cenas que nós já vimos na série serviram para alguma coisa, que se explica em algum momento da história. Série coerente, isso sim é que é coisa boa! (Shame on you Lost)

Aproximando-se do final de temporada, tivemos Jesse em nome de uma vingança tola e sem sentido (tá, tem sentido pra ele, mas não em mexer com aqueles caras, quando o assunto já estava praticamente resolvido neam?) frente a frente com a morte, de onde Mr White acaba o salvando, o que deixou o chefão dos Pollos bastante irritado (tenho um medo enorme dele, sério!). Amo o Jesse, mas achei que ele andou pisando na bola. Yo, bi-a-tch!

Confesso que o Jesse me irritou um pouco durante essa temporada, fato. Toda aquela culpa, climão de viciado em recuperação e ao mesmo tempo querendo vingança, roubando para tentar ter mais lucro, só se metendo cada vez mais em roubadas. Acho que ele esta precisando de uma folga de toda essa inconsequência. Run Jesse, run (outra  sequência ótima!)

E que sequência linda aquela com a namorada morta (flashback), onde ela fuma o cigarro que ele acha em um dos episódios, no cinzeiro do seu carro neam? Cool!

No final, temos Mr White a um passo da morte e agora dependendo de Jesse para salvar a sua vida, virando o jogo no último minuto (como sempre) e mandando Jesse realizar o trabalho sujo, do qual ele parece não ter muita coragem para finalizar a tarefa. E com a arma apontada para as nossas cabeças e um disparo que teve como função “explodir as nossas próprias cabeças”, a Season 3 termina, elevando o nível da série ao máximo, nos deixando ainda mais  curiosos e colocando Mr White e Jesse em uma posição quase impossível deles se livrarem.

E agora, o que será que acontecerá meodeos? A resposta, só na Season 4, que eu estou seriamente considerando assistir apenas ao primeiro episódio (para ver o que deu essa cena final) e depois aguardar a temporada terminar para assistir tudo de uma vez (até parece que eu vou conseguir…). Ou eu não dou conta de tanta ansiedade! E o que é muito bom em Breaking Bad é nunca conseguir fazer a menor  ideia do que ainda está por vir. Nunca é nada óbvio, nada que você esteja esperando para acontecer, um outro nível de série de tv, do tipo incomparável.

Não sei até quando eles planejam levar a série, só espero que não seja por muito tempo, para que o que parece tão inovador e excitante agora, não fique com cara de “já vimos isso antes” no futuro. Mas que a série só vem melhorando ao longo do tempo, isso também é inegável.

E eu faço o que com toda essa ansiedade até a Season 4?

Breaking Bad novo só em Julho de 2011? WTFuck?

Agosto 6, 2010

Comoassim Mr White? E não adianta apontar para o Jesse não hein? Exijo respostas!

Só em Julho de 2011? E eu que assisti as 3 primeiras temporadas em tempo recorde vou ter que esperar quase 1 ano para um novo episódio?

Um ano é tempo demais, vcs não acham? Tudo bem que Breaking Bad é boa demais para ser esquecida tão facilmente, mas mesmo assim eu acho arriscado.

E o que eu faço com o meu vício…hein?

Breaking Bad: é impossível assistir um só

Julho 30, 2010

É realmente impossível!

Assim como a primeira temporada, acabei assistindo a Season 2 da sensacional Breaking Bad em tempo recorde! (3 dias eu acho e olha que dessa vez são 13 eps no total, hein?)

É tudo tão bom e a história te prende de tal forma, que é impossível abandonar a temporada no meio do caminho, ainda mais se voc~e sofre por ansiedade, assim como eu.

E foi outra temporada sensacional, honestamente, uma das melhores coisas da TV sem nenhuma dúvida, onde tudo estava em seu lugar e fazia sentido. Mesmo com aquelas cenas típicas do começo dos episódios, que você sempre acha que é uma coisa, quando na verdade, no final das contas acaba sendo outra. Já catei esse truque hein roteiristas?

Se a primeira temporada eu já havia achado violenta, acabei ficando de cara com a imaginação sórdida desses caras ao começar a assistir a Season 2. Se você já precisava de culhões para assistir a Season 1, para essa Season 2 é melhor garantir uns culhões extras. Me-do!

Mais tortura, assassinatos, violência, crianças abandonadas, crianças assassinas,  explosões e o clima de que a qualquer momento, Mr White e o seu parceiro Jesse vão acabar se dando muito mal. Muito mal mesmo.

Breaking Bad é uma verdadeira corrida contra o tempo, onde a cada passo dado pelos protagonistas, ambos acabam se afundando cada vez mais no mundo do crime e isso só me leva a pensar em um final trágico para a história desses dois. Tomara que eu esteja errado e o Mr White tenha algum truque nas mãos, em nome da ciência!

Essa temporada é praticamente dividida em 2 partes. AC/DC Tuco.

A primeira parte, onde os dois ficam sob o comando do traficante mais temido do pedaço (o tal Tuco e sua faca gigante carregada de meta) , sendo torturados psicologicamente a todo o tempo e mantidos como reféns é totalmente aflitiva. Fiquei com o coração na boca de tanto medo que eu senti, fatão!

Mas esse sou eu, um garoto assustado, rs

E o senhor de saúde frágil, o “tio” do crime, tocando o sino quando queria responder positivamente  alguma coisa hein? Rolei e fiquei aflito. Depois rolei de novo com o “tio” reconhecendo o Jesse na cadeia.

Depois de finalmente conseguir se livrar do Tuco (graças ao Hank!), passar pela polícia, Mr White se fingindo de louco para não dar bandeira para a sua família, Jesse sendo fichado e o seu cunhado (Hank) quase descobrindo tudo, os dois finalmente se livram de todo esse drama e chegou a hora de começar a fazer negócio como gente grande. Afinal, toda empresa tem que crescer um dia, não é mesmo?

Time is money. Chrystal blue is even more.

Skyler cada vez mais grávida (as vezess eu esqueço que o tempo costuma passar lentamente na série), desconfiando cada vez mais das “escapadas” do seu marido e tendo que voltar ao seu  trabalho antigo, onde ela mantinha uma relação  meio assim com o ex chefe. A sua irmã cada vez mais insuportável (acho ela uma chata, fato) e o filho criando um site para doações para o tratamento do seu pai, foufo mil.

Outro personagem que eu gosto muito, mesmo com toda a arrogância e pose de policial caricata (e real)  é o Hank, ele que se aproxima cada vez mais de descobrir quem é o tal traficante poderoso da cidade, mas que no final das contas só avança no caso e não chega a nenhuma conclusão (ainda…). Mas ele esta se aproximando cada vez mais…

Depois tivemos Jesse brincando de casinha nessa temporada neam? Primeiro com o garoto ruívo (leeeandro), filho do casal mega drogado, todo com pena e cuidando do garoto naquele ambiente podre. Foufo mil. Mais tarde, ele encontra a sua Apology Girl (adorei a ideia dela), com quem ele até começa a viver um romance bacana e se não fosse o nível do colocón dos dois, a história até teria seguido em frente. E o Mr White permitindo que a garota morresse engasgada com o próprio vômito foi de uma frieza sem tamanho, não? Mas e você, como as coisas andavam para ele naquele momento, vai dizer que não faria o mesmo?  Hmm mmm…

Eu bem acho o Walter um psicopata. Mesmo com todo o drama da sua história e tudo mais, ele me parece muito prático na hora em que tem que finalizar alguém, o que ele sempre acaba fazendo com uma frieza que chega a ser assustadora. Até agora já foram 2 vítimas e isso para alguém que a até pouco tempo era apenas um pai de família e professor. O que eu acho digno nessa parte da história é que me parece que ele esta sempre de “cabeça cheia”, como se a culpa e a necessidade de se livrar dos novos problemas que vão surgindo estivessem a sua volta o tempo todo.

Agora do Jesse eu gosto cada vez mais e me sensibilizo até mais com a sua parte da história de viciado, não muito inteligente e meio solto na vida. O que foi ele ensaiando para entrar na casa do casal para recuperar a sua droga? Gosto também que em um outro lado da história, eles tentam humanizar mais o Jesse, mostrando que ele até é lá no fundo um bom garoto, como quando descobrimos que ele foi quem ficou ao lado de sua tia também vítima do câncer (awnnn!). E sinto que o Mr White é cheio dos mind games paro o lado dele, porque no fundo ele sabe que o Jesse é fraco e vai acabar fazendo o que ele quer que o garoto faça. Mesmo sabendo que no fundo, os dois se gostam e se respeitam até.

Sem contar que aquele episódio onde ele acaba perdendo tudo e cai dentro do banheiro químico é de dar pena neam?  Tadeeenho… (mas é bem engraçado também)

E a relação entre os dois só cresce e ganha força, deixando a história ainda mais interessante. Quando o Mr White contou que a sua doença estava em remissão e que o seu câncer teve uma redução de 80%, a reação do Jesse foi das mais sinceras possíveis. Coisa de quem torce por alguém, de quem se importa, de quem gosta. O que de certa forma vai deixando o próprio Walter com muito mais culpa e porque não dizer cheio de remorso dessa relação entre os dois.

Pausa: o quanto foi sensacional aquele clipe que rolou em uma das aberturas, com aquele grupo de mexicanos hein? Euri

Em uma tentativa de organizar o negócio dos dois, eles acabam avançando territórios e começam a irritar muita gente e isso nós veremos mais na próxima temporada, eu acho.

No final, temos cada um com 1/2  milhão de dólares e sem poder gastar como gostariam, cada um por seus motivos. Jesse, depois de encarar a morte trágica da sua namorada chave de cadeia, vai parar na reabilitação e o Mr White, acaba recebendo um convite da própria mulher para se retirar da casa dos dois e um possível divórcio se aproxima do casal.

Tudo isso com imagens de um maldito urso de pelúcia afundando na piscina da família que nos perseguiu durante quase toda a temporada, devido a um acidente aéreo que ocorreu na região (que só acontece no season finale na verdade), acidente do qual, de certa forma, a dupla Mr White e Jesse também tem sua parcela de culpa. Dra-ma!

Jesse saindo da rehab, Mr White divorciado, a família dividida e a verdade prestes a aparecer a qualquer momento. Isso é o que provavelmente me espera na Season 3, que eu já digo que vou começar logo porque Breaking Bad já se tornou o meu novo vício. (rehab já para mim mesmo, rs)

Breaking Bad, uma série para quem tem culhões

Julho 23, 2010

Quando eu decidi assistir a Breaking Bad, muito dessa minha decisão se deu pela grande quantidade de elogios que eu havia lido sobre a série em diversos lugares, muito embora eu tivesse pouca informação sobre a história, os personagens ou qualquer outra informação do tipo.

Paolo Torrento me trouxe as 3 temporadas existentes até então e logo eu comecei a assistir a Season 1, que é do tipo curta, com apenas 7 eps.

E que 7 eps hein?

Terminei de assistir em 2 dias, o que significa que a série é mesmo muito, mas muito boa mesmo, do tipo que ao final de cada episódio, você já quer logo ver o próximo para saber o que irá acontecer. Eu diria que em muitos momentos ela chega a ser inclusive aflitiva. Fato.

E sabe aquelas séries óbvias que você acaba prevendo o que esta por vir? Esqueça! Em Breaking Bad, a minha cabeça muito bem treinada cheia de cultura pop e anos de episódios de TV dos mais variados possíveis, mesmo com essa vantagem,  não conseguiu acertar nenhum palpite a respeito da série. E como eu gosto quando isso acontece, yupie!

Eu não fazia a mínima idéia que o clima da série era assim tão “pesado”, apesar do tema e de saber que tratava-se de uma série onde um professor de química que descobre que está com câncer nos pulmões, decide começar a produzir metanfetamina para tentar garantir um futuro melhor  para a sua família (e também para pagar o seu tratamento). Mas eu não fazia ideia que essa história seria assim tão pesada, com direito a assassinatos, explosões, perseguições e tortura. Realmente, trata-se de uma série pra quem tem culhões.

O episódio piloto é sensacional, com cara de filme de suspense, com a adrenalina lá no alto. A direção de arte da série é algo a se mencionar também de tão boa que é. E o cenário, para fugir do que estamos acostumados a ver na TV, agora é o New Mexico, onde eu acabei descobrindo que também é onde a série é produzida. Tudo é meio verde, meio laranja com detalhes em amarelo e as vezes um ponto vermelho. Acho chic!

Breaking Bad é o tipo de história que mexe com a sua cabeça, onde o vilão faz as vezes de mocinho e você acaba perdendo a noção clara de certo ou errado, ou até mesmo a sua própria  lógica.

E quem iria suspeitar de um professor de química que tem uma dupla jornada de trabalho entre a escola e um lava rápido, casado, pai de um filho que teve paralisia cerebral e prestes a se tornar pai pela segunda vez, hein? Ninguém neam? A vida do cara para a maioria das pessoas da sociedade moderna que só pensa em se dar bem na vida, pode parecer até patética e jamais alguém suspeitaria que um homem tão comum esconderia uma parcela da sua vida tão cheia de adrenalina como aquela situação toda em que ele acaba mergulhando de cabeça ao longo da temporada.

Bryan Cranston vive o personagem principal, Walter White, ou Mr White, que ao descobrir a sua doença passa a fazer parte do mundo do crime ao lado de um de seus ex alunos. E o cara é tão bom, tão convincente, que você passa a torcer por ele o tempo todo, mesmo quando ele se torna um assassino. E tudo na série é tão justificado, faz tanto sentido, que você realmente se sente perdido ao passar a torcer para o assassino. Afinal, ele precisava fazer o que fez.

Um belo dia, Mr White que era apenas um professor de química, se vê apenas de cueca e avental verde, no meio do deserto e com uma arma apontada para ele. Howcoolisthat?

Completamente discrente de uma possível cura e entregue cada vez mais ao negócio que ele chama de “to cook”, ou cozinhar, Mr White acaba de alguma forma aproveitando mais a vida, relevando menos fatos que talvez no passado ele ignorasse, antes de saber de sua doença. E a partir do momento em que ele acha que não tem mais nada a perder, ai ninguém segura! Tudo passa a se tornar uma questão de honra, algo como “Um dia de fúria”.

As cenas são todas excelentes também, bonitas de serem vistas. Desde os dois (e White só de cueca) em seu trailler, realizando o trabalho sujo em meio ao deserto, até o tratamento contra o câncer. Well done!

E a violência é outro ponto alto e super presente na série o tempo todo. Brigas, pancadarias, Mr White explodindo o escritório de um dos traficantes mais poderosos do pedaço… nesse nível.

Sério, quando isso aconteceu (a explosão) eu nem poderia imaginar que esse seria e desfecho do episódio. Dei um pulo da cadeira e pensei: whataman?

Afinal, o que ele tem a perder mesmo em sua atual condição?

Sem contar que a qualquer momento ele e seu parceiro podem ser pegos e por ninguém menos do que o seu próprio cunhado, que é o chefe da polícia local e que investiga esses casos específicos de tráfico e produção de drogas. Aliás, os diálogos entre os dois é algo fora de série, sempre com um duplo sentido, mesmo com o cunhado nem sonhando em saber do que se trata tudo aquilo ou do verdadeiro segredo de Walter White. Coisa fina!

Agora, o coadjuvante da série é sem dúvidas um dos melhores personagens ever. Jesse Pinkman, vivido pelo ator Aaron Paul, é um jovem perdido, viciado e que tenta se dar bem na vida traficando, o que ele faz até que bem neam? O seu personagem além do humor que agrega para a série, vem carregado de dramas pessoais e tentativas frustradas de ser salvo por seus pais da vida em que vive. Mas não adianta, Jesse é mesmo um junkie, do tipo que não parece ter muita salvação.

Mas de certa forma, ele enxerga no Sr White uma espécie de exemplo e a relação entre os dois vai crescendo e ganhando novas proporções a medida que a história é contada. A forma com que ele descobriu que o seu parceiro estava com câncer eu achei muito digna. Sem dramas, ou exageros, tudo muito prático e bem resolvido entre os dois. E para a surpresa de todos, por motivos pessoais, Jesse tem alguma experiência e conhecimento em lidar com o assunto.

Gosto muito também da cena quando em casa, Mr White aparece com a cabeça raspada pela primeira vez. Badass daddy!

E os dois vão se envolvendo cada vez mais no mundo do crime, sendo forçados a lidar com situações sérias e definitivas sobre o assunto. Como manter um dos traficantes como refém no porão, ou ter que desintegrar um corpo usando reagentes químicos. Ew! Aquela cena com a banheira caindo do andar de cima da casa, cheia de pedaços e sangue humano (Ew!)  foi incrível e forte demais neam? E depois os dois tendo que limpar toda aquela sujeira? Ew, Ew, EW!

Outro lado da série que é muito bom é a forma com que eles misturam a ciência com o crime, mostrando que se fossem mais inteligentes, os bandidos de hoje em dia seriam ainda mais impossíveis. (rs)

Pausa: eu adoro o filho do Mr White, acho ele um querido!

Sendo assim, tive uma excelente experiência com essa Season 1 de Breaking Bad , fiquei tenso, emocionado, angustiado, aflito, com medo (rs) e agora vou me jogar na Season 2.

Série para comprar o box e guardar no santuário. E se você realmente tem culhões, assista AGORA!


%d bloggers like this: