Posts Tagged ‘MTV’

VMYONCÉ

Agosto 27, 2014

yoncé

LACROU TU-DO!

Sério, quem é que quer saber se o vestido da Nicki Minaj realmente não fechou por conta de sua analconda, ou discutir sobre a Lorde ter ganhado um prêmio de rock, ou se “comover” com a Smiley, agora em uma versão mais comportada porém, ainda com seu linguado de fora, levando um mendigo para receber seu prêmio durante a festa, ou dizer que sentiu vontade de dar um chinelada na cara da Katy Perry por ter ousado ir ao WMA de Britney antiga com seu clássico e sagrado look jeans com jeans ao lado de Timberlakeson, quando se tem um show da Beyoncé em pauta como o grande acontecimento da noite, hein?

yoncé2

OK, dar uma chinelada de frente na cara da Katy Perry a gente realmente sentiu vontade, dessa vez mais do que nunca porque ela que não venha nunca mais mexer com nossa Britoca, mas se deos for uma mulher justa como acreditamos que Cher sempre foi, essa oportunidade ainda irá nos surgir. Mas fato é que nada foi mais legal no VMA desse ano do que a apresentação de Yoncé. NA-DA!

yoncé 3

E sim, faltaram hits antigos. Sim, faltou um classic Destiny’s Child (Kelly estava linda gravidíssima na platéia) e sim, ela só cantou as faixas do seu novo álbum, mas de fato, quem se importa se o que recebemos com isso foi aquela apresentação FLAWLESS?

yonce 5

Até o final, que poderia soar super forçado, com ela recebendo o prêmio das mãos da filha e marido, o que muitos aproveitaram para apontar com uma espécie de “cala boca” para quem apostava na história do divórcio, na verdade, pareceu super honesto, uma vez que o anuncio da sua gravidez também havia sido feito ali e nada mais justo que dessa vez ela trouxesse a foufíssima da Blue Ivy para a festa.

ivy azul

Blue que foi a única que conseguiu roubar a cena da mãe, com as imagens desse GIF que poderia ser eleito o GIF foufurice do ano. Sério, toda hora eu volto para ele e me sinto um tio realizado, rs.

E só mesmo por uma dose cavalar de Beyoncé (que eles sutilmente reservaram com última atração da noite) a gente seria capaz de suportar mais um VMA.

Clap Clap Clap Honey Bee!

 

♥ Já está seguindo a magia do Guilt no Twitter? Ainda não? @themodernguilt

Anúncios

God save the queen… e por queen, eu quero dizer a Madonna, que parece estar precisando

Janeiro 31, 2014

Madonna

Porque em uma semana, ela conseguiu nos provocar as mais variadas reações, não é mesmo?

Primeiro apareceu no Grammy ao lado do seu filho David, com uma roupinha questionável, arriscando um “Blues Brothers” hipster, mas imprimindo meio Yoko, meio Quaker, algo que não funcionou muito bem. Mas perdoamos…

GRAMMY

Depois ela deixou todo mundo emocionado aparecendo na apresentação do Macklemore no Grammy, durante o tal casamento ao vivo dos 33 casais (a forma mais legal de um casamento comunitário, vai?) héteros e gays, cantando “Open Your Heart” em uma espécie de mashup com “Same Love”. É foi lindo, apesar dela ter aparecido de vaqueira da umbanda na sexta feira branca. Perdoamos de novo…

Miley Cyrus:

Até que, para fechar a semana no limbo, ela acabou aceitando fazer uma ponta lastimável no acústico MTV da Smiley Cyrus, cantando “Don’t Tell Me” ao lado da moça, arriscando uma coreô preguiçosa e de quebra ainda terminando com o já clássico porém nada inovador linguão para fora de madame Smiley, que escolheu esse figurino também conhecido como Jeans Maria da Penha Chic. Ew! É, aqui fica difícil de perdoar e talvez a própria letra de “Don’t Tell Me” não seja muito apropriada para esse momento, porque alguém deveria ter falado para essa mulher parar antes dessa vergonha desnecessária a essa altura da sua carreira.

#CREDINCRUX

Miley Cyrus: MTV Unplugged - Fixed Show

Mas poderia ter sido pior e Madge poderia estar cavalgando esse cavalinho bisonho. E por favor, alguém que se importe poderia falar para a Smiley parar também, não?

♥ Já está seguindo a magia do Guilt no Twitter? Ainda não? @themodernguilt

E não é que a MTV conseguiu trazer de volta a vida o VMeitA?

Agosto 31, 2013

mystique

Eis que esse corpo já estava pra lá de frio faz tempo e todo mundo que gosta de música boa (e tem mais de 20 anos) sabe disso, mas não é que a MTV conseguiu trazer de volta o VMeitA para a boca de Matilde?

Sim, só se falava sobre isso nas últimas semanas e não porque a gente estava esperando uma mega apresentação qualquer dos tempos de Britney de maiô e segunda pele cravada de brilhante fajuto e carnavalesco, não porque a Madonna poderia aparecer e tascar um beijo de língua dessa vez com muita esperança em uma Beyoncé ou na Kyle (Minogue, para quem não conseguiu acompanhar a referência teen antiga), ou quem sabe pelo menos tentar roubar um beijinho de esquimó na Björk (#NUNCASERÁS) e sim porque eles estavam prometendo uma reunião noventista que deixou todo mundo preparado para rodar a underwear no alto e tudo isso apenas por um nome: NSYNC. #PLIM + #CRAZYEYES + #UNDERWEARUP

Logo, o que aconteceu foi que todo mundo resolveu dar mais uma chance para o prêmio da MTV que já não é mais o mesmo tem pelo menos uns 37 anos (mentira, mas a minha calculadora da Hello Kitty está longe, então…) e sim por conta dessa reunion que não era uma simples reunion qualquer e sim o reencontro do JUSTIN TIMBERLAKE com aqueles outros quatro com menos sorte na vida.

Mas como nada vem de graça, para acompanhar o que talvez tenha sido o melhor show do VMA em muito tempo, algo também conhecido como Workshop para os menos talentosos presentes na premiação desse ano, tivemos que sobreviver ao velho e bom teste de tortura de sempre, aguentando miados, coreôs desencontradas e artistas que não reconhecemos o primeiro e ou o segundo nome. Então sejam fortes, aproveitem que esse post é rico em imagem & ação e não em som e vejam se vocês conseguirão resistir a esse teste de sobrevivência até o final. Dirrr…rrrty Pop!

katy-perry-wears-roar-g

E já vamos começar por baixo com essa baixaria baixa, falando de Katya Pérrola. Meow! Ou melhor, agora Roar, porque ela diz que já envelheceu no miado.

Katya foi para a briga, mas ninguém levou muito a sério porque neam? Todo mundo sabe que só com os gatos que ela estrangula durante suas performances ao vivo é que ela tem alguma vantagem na vida. Isso e no vestiário da escola, quando rola aquela comparação dos gêmeos, o equivalente a olhada de rabo de olho para os menino,s.

#NAOTABOMNAO

katy-perry

Depois Katya fez a adolescente para tentar se enturmar, de sainha plissada e sorriso metálico e tudo, mas novamente não conseguiu convencer ninguém porque sabemos que ela está na vida e está na batalha tem pelo menos umas três décadas ou quase isso e a pose se era para impor respeito e ou dar medo, só conseguiu imprimir alguém que não estava conseguindo segurar algo incontrolável dentro dela. Sabe aerolitos? Isso ou Katya anda fazendo bico como atriz especializada em cenas grotescas de filmes que poderiam ser menos nojentos e que todo mundo sabe sobre o que estamos falando, mas poucos gostam de admitir, rs.

#EW

#CONTINUANAOESTANDOBOMNAO

2013 MTV Video

Mas o pior mesmo foi Katya desafiando a Liga da Justiça da referência pop e ousando se fazer de Rocky Balboa em uma apresentação pavorosa que só recomendamos que seja vista no mude por motivos de segurança e ou amor próprio.

Sério? Alguém ficou convencido de que com a Lady Gaga abrindo o VMA 2013, Katya conseguiu sair como a grande vencedora da batalha noite? (R: #MASNEMPORUMCACETE)

E o apresentador da MTV dizia que ela prometia se jogar da ponte do Brooklyn em sua performancé, mas recebemos informações seguras de insiders do Brooklyn e da Associação Mundial das Pontes que quem estava querendo se jogar mesmo era a própria ponte do Brooklyn, por tamanho constrangimento ao seus pés, que se existissem, certeza que teriam chutado a moça direto para a Califórnia. #MEOW

Por sorte e sem fazer nenhuma apologia a violência, tivemos esse senhor a esquerda de quem vê tentando fazer justiça no olhar de pura indignação, ou seja, pelo menos fomos representados.

tumblr_ms45qzK8ei1qh9nffo1_500

Já a Lady Gaga… essa entrou com o que I Do Declare ser o nosso #CREAZYEYES oficial!

E a gente é obrigado a reconhecer toda vez que mesmo já estando um pouco cansado de todo o fundamento emprestado da Lady Gaga (emprestado porque não é exatamente novo, mas de certa forma ela sempre soube transformá-lo em algo bacana e porque não “renovado”, vai?), ela é o que de melhor apareceu nesse universo pop e isso ninguém pode negar. FATO. Canta, dança, representa e se apresenta sempre da melhor forma possível e o seu show de abertura no VMeitA 2013 foi uma prova disso.

O que foram aquelas trocas todas no palco? E as perucas que mesmo tortas não saiam do lugar no bate cabelo?

Sério, mandem uma Katy Perry, uma Rihanna ou uma Ke$ha ensaiarem tudo aquilo e me digam se elas conseguem fazer pelo menos 50% sincronizado igual. (R: não conseguem)

lady-gaga-wears-seashell-b

Sem contar que toda e qualquer pessoa com coragem o suficiente para se vestir de sereia em público e encarar um fio dental no meio da multidão merece todo o nosso respeito e os nossos aplausos. Clap Clap Clap!

ps: olhando de longe assim bem rápido e sem saber direito quem são, em um fim de noite escuro, dava ou não dava para pegar pelo menos uns 3 desses One Directions? Do mais feminino ao mais durinho e sendo bem sincero, claro que dava. Höy! (e de preferência, não precisa nem cantar. Gratô!)

rihanna

E no VMA 2013 ainda tivemos a Rihanna, que não se esforçou muito na hora de escolher seu outfit e achamos que talvez esse seja o melhor caminho para suas escolhas…

#PENSEMENOSRIHANNA

jared-leto-mtv-

Tivemos também o Jared Leto provando que está em dia no casting para propaganda de shampoo e há quem diga que com a roupinha de sereia certa, ele poderia ter passado batido no fundo do mar ao lado da Lady Gaga…

#DIVOUNOPANTENE

allison-williams

E a Allisson Williams jogando na cara do universo o quanto ela é bonita. Sério gente, o que é essa Ghol? O que são essas pernas no red carpet? O que deu de errado com a nossa forma quando fomos feitos?

Perguntas que aguardam respostas do senhor todo poderoso, Cher…

#QUEREMOSSERAALISSOM

selena-gomez-

E alguém que se importa bem que poderia ter dado um toque na Selenita dizendo que ela não tem cara de quem sustenta esse Versace.

Ficou velha, ficou lavada e ficou claro que ela emprestou o modelo. #DEVOLVEULAVADOASECONASEGUNDA

2013 MTV Video

Outra que obviamente errou o modelo foi a Rita Ora, que sem um logo ao fundo para ajudar e ou uma platéia tão xovem ao lado, a gente jamais diria que ela estava pronta para não fazer nada no VMA 2013 e sim em um outra premiação mais arrumadinha qualquer. E foi sem o Calvin (bi-a-tch) e sem a Delevingne, hein?

taylor-swift-harry-

Algo que valeu também para a Taylor Swift, que estava animadíssima durante a premiação, por isso desconfiamos que ela havia abusado do Todynho e ou do suco de beterraba + cenoura + laranja no backstage. Desconfiamos…

Chegamos até a simpatizar com a moça, que fez a vingativa e esclareceu que o seu single vencedor de um prêmio preguiça qualquer da noite era sim referente a um dos One Directions, mesmo correndo o risco dele ter dado o troco quando subiu ao palco logo depois, dizendo um “CHUPA INDEED” bem sonoro, citando nome por nome dos outros todos da lista da Taylor, algo que tomaria pelo menos metade do tempo da premiação e ele ainda correria o risco de ser retirado do palco com aquela vinheta constrangedora que eles tocam no Oscar quando alguém menos relevante fala mais do que “Obrigatô”, mas logo em seguida voltamos com toda nossa ira para o lado de Taylor cara de alface Swift, que estava animada demais para o lado do nosso JT. Bi-a-tch.

vma-winners-1

Por sorte, ele parece não ter dado muita confiança e ou ela estava com bafo. Apostamos que ela estava com bafo, porque porre de suco de beterraba com laranja e cenoura, sempre deixa bafo. Não que a gente frequente esse tipo de drink…

2013 MTV Video

Até que chegamos o um dos momentos mais constrangedores da história de toda e qualquer premiação: Miley Cyrus

Primeiro que qualquer pessoa que me aparece em um red carpet com uma roupinha completamente meio assim para não dizer pobre, feita a base de muita bijoux barata, cola quente e mau gosto, já deixa pelo menos a dica de que algo de muito ruim estava prestes a acontecer…

miley-cyrus-we-cant

…. isso até ela subir no palco e provar que o que já estava bem ruim poderia ficar ainda pior, insistindo no look Cynthia dos Anjinhos (que só a Gwen antiga conseguia sustentar no final dos 90’s), com uma intro longamente constrangedora (sério, foram quantos minutos dela se debatendo em ursos e se achando a inovadoramente inovadora?), mostrando a língua a cada 2 segundos e meio e começar a dança do Vaginil, que na verdade, há quem desconfie que não passava de uma ação publicitária para um novo higienizador para a região down sul feminina.

Com uma bundinha mais sofrida do que a de um frango atropelado, Smiley passou alguns minutos roçando em ursos, enfiando a cara entre bundas gigantescas e mostrando que o seu físico de lagartixa é o que não devemos copiar para o próximo verão. Parecia até que o Gollum havia se transformado em uma estrela pop totalmente decadente. Sério. O que foi aquilo? Faltou ou não faltou alguém que se importe para dar 3 tapas na cara dela, jogar um roupão na suas costas e dizer “vamos sair já daqui”, hein?

robin-thicke-give-it-

Depois disso ela saltou como um grilo albino para um duéte com ninguém menos do que o Robin Thicke, que ninguém conhecia muito até então, mas que sonha em ser o Timberlake, só que nunca serás, apesar de ter certa magia reconhecida e de ter feito esse cover sensacional aqui ó, e entre várias passadas de mão fake (que se ela fosse mulher mesmo como diz ser agora, teria A) metido a própria mão mesmo, como a dele na foto com a tal estudante que andou circulando por aí… ou B) investido em uma mão do Mickey, só para fazer a ex funcionária amarga com a empresa antiga) e um twerk que imprimiu aquela amiga com sérios issues relacionado a uma boa father figure, que dá vexame em festa de debutante porque resolve fazer a sensual com os tios mais velhos e não com a caravana da acne, que estaria mais para o seu target, sabe? Então… #CREDINCRUZ

robin-thicke

Um horrrrrrrrroar, com todos os “Rs” possíveis! Claro que foi tudo combinado, ensaiado e estavam todos de acordo com os movimentos (por isso não concordo com quem pensa que eles desrespeitaram alguém, a não ser nós mesmos e o bom gosto), mas tudo foi tão meio assim, tão fora do propósito e com um conceito tão equivocado, que o que era para ser “provocativo”, acabou nos provocando apenas náuseas e vergonha pela falta de talento dela, que não conseguiu nos passar qualquer outra coisa a não ser um grito de DESESPERO ecoando do seu microfone. Sem contar que a performance acabou deixando o Robin ainda em stand by no limbo dos ainda não tão conhecidos. Sorry, Robin, mas é verdade.

miley-cyrus

Previsões: menos de um ano para ela ir para a fake rehab por seu vício em sálvia e aparentemente, Vaginil. Menos de seis meses para durar esse casamento (se acontecer) com o Liam e ela começar a sair com garotas só por divulgação. Menos de dois anos para ela virar uma cantora country hippie gospel e colocar toda a culpa no coisa ruim. Menos de 3 anos para ninguém lembrar do seu nome sem fazer algum esforço. Menos de 10 anos para ela estar fazendo participações em cidades pequenas de países menos desenvolvidos vestida de Hannah Montana. E isso não é uma praga.

justin-timberlake-p

Até que chegamos ao prêmio prometido da noite, a homenagem a carreira do Justin e a possibilidade de uma reunion do NSYNC, que foi o que nos manteve acordados durante o VMA 2013 (isso e a companhia no Twitter, que é sempre uma delícia em noite de premiação. THNKS!) e eu diria até que se para uma performance daquelas do JT fosse necessário passar por uma Katya, uma Smiley promovendo o Vaginil, uma Taylor Swift colocada de suco de cenoura com laranja e beterraba e qualquer um dos One Directions de novo, que assim seja, porque por aquela performance, a gente aguentaria tudo isso mais uma vez. Sério. Höy!

justin-vma201343383

E o JT #DIVOU com seus pouco mais de 15 minutos inesquecíveis de uma performance que mais parecia uma workshop para toda aquela gente menos qualificada se apresentando ou não na mesma apresentação. E teve ele sendo maravileeeandro e ou foufo agradecendo a avó, fazendo coreôs animadas como poucos conseguem e é meta de 24 a cada 24 de nós que todo mundo bem sabe, teve ele cantando no falsete como um boy magia que se preze deve cantar no falsete, teve ele passando no público e levando mãozadas (eu vi e invejei) e teve ele se reunindo com 4 amigos antigos que me fizeram embarcar para 1900 e qualquer coisa de novo. Pensei até em fazer um permanente, mas achei que não daria tempo e  no desespero da comoção, quase fiz um miojo e joguei na cabeça, só para fazer uma homenagem.

2013 MTV VMA

Sério, imaginem uma pessoa rodopiando no quarto quando reconheceu “Gone” ao fundo, tentando acompanhar (e conseguindo, diga-se de passagem, tisc tisc, #SUCKIT) todas as coreôs, pulando na cama e gritando feito um adolly all over again?

Pena a participação do NSYNC ter durado míseros 2 minutos, humpf… mas já foi o suficiente para fazer todas rodarem a underwear no alto, não foi? (rodando a minha tudo de novo só de lembrar)

61f0a88903ee4aae_tumblr_ms4952MHdY1qh9nffo1_500

E  quem diria que entre todos os NSYNCs, logo o Lance seria aquele que já não conseguiria mais acompanhar os passos todos? (R: todas apostavam que o erro seria dos mais gordinhos da direita de quem vê e quebraram a cara)

E quem notou que pelo menos dois deles passaram um pretinho básico na careca antes de passar na TV? (R: JC + Chris)

E quem diria que o JC pegaria o mic no final e arriscaria uma firula semi constrangedora e totalmente desnecessária? (R: todo mundo)

E quem diria que entre todos eles, o JT realmente é quem conseguiu se manter divamente até hoje, tirando o fato dele já ter casado com alguém de vestido rosa bebê? (R: TODO O UNIVERSO)]

E quem esperava que ele arriscasse um selinho em pelo menos um deles para dar o troco antigo que ele engoliu seco na performance da Madonna antiga com a Britney? (R: seria um sonho, mas sonho mesmo seria se ele beijasse um Backstreet Boy. Sério!)

justin-timberlake-p

(♥) #PLIM

Ou seja, se para ganhar um presente como esse fomos submetidos a qualquer tipo de tortura com os demais convidados presentes no VMeitA 2013, não podemos nem reclamar vai?

Clap Clap Clap!

E agora só nos resta ter que lidar com a depressão de não ir no Rock In Rio para ver o nosso JT ao vivo… (não gosto nem de lembrar). Alguém me leva? Juro que me comporto… (cruzando os dedos)

#VEMPARASPVEMPROESSYVEMPRAVIDAJT

♥ Já está seguindo a magia do Guilt no Twitter? Ainda não? @themodernguilt

Falta o que mesmo para declarar de uma vez por todas a morte do MTV Movie Awards?

Abril 15, 2013

mtv-movie-awards-2013

(R: alguém declarar o horário da morte, como já bem aprendemos em Greysa e coragem)

Mas nem a Rebel Wilson (que descobrimos recentemente que é ótima, mas que ao mesmo tempo não estava no seu melhor dia) conseguiu salvar o MTV Movie Awards 2013 daquela preguiça de sempre e do quase total fracasso. Mais um, porque vamos combinar que não é de hoje que a MTV parece que perdeu a mão em todas as suas premiações. Do começo ao fim, quase nada foi bacana e muitos momentos foram altamente constrangedores (o que foi aquela apresentação do elenco de “Pitch Perfect” completamente desafinada e dura em cena, hein? Ain’t no Glee!), a não ser a Aubrey Plaza subindo colocadíssima no palco fazendo a “Kanye” para cima do Will Ferrell, o “grande comediante” (suspeito que eles tenham levado em consideração a sua altura) homenageado da noite. Pena ela não ter sido mais insistente e ter nos poupado daquele discurso chatinho…

Fora isso, foi tudo mais ou menos como vem sendo todas as premiações do canal que um dia já foi bacana (algo que acabou antes do meio da década de 2000, eu acho), mas que parece que realmente perdeu de vez a fórmula. Poucos nomes que realmente importam na fila da manteiga extra na pipoca do cinema e muita gente desesperada e disposta a fazer de tudo para conseguir manter um público jovem de seguidores. Preguiça, mas é o que temos para esse fim de tarde, por isso vamos comentar mesmo assim, porque o filme até pode ser ruim, mas já que pagamos para assistir…

mtv-movie-awards-2013-backstage

Mas a preguiça maior mesmo durante a premiação esteve estampada na cara de quem compareceu por lá, como o Bradley Cooper por exemplo, que só pode ter perdido a aposta para a Jennifer Lawrence de que quem não levasse o Oscar para casa por “Silver Linings Playbook”, teria que comparecer a todas as demais premiações preguiças do universo. Sério, só isso justificaria a sua presença na premiação. (e olha que ele ainda levou um prêmio, hein? E tadinho, até tentou fazer um discurso fundamento, mas tenho certeza que desistiu no meio do caminho pensando: pra quem é que eu estou falando mesmo?)

De qualquer forma, encontrar com o Bradley Cooper e esses olhos azuis da cor dos cupcakes dos Simpsons versão Breaking Bad é sempre uma visão. Höy!

ps: e a MTV, uma canal fundamentalmente de música, perdendo a chance de usar o som do Alabama Shakes durante sua entrada no palco? Achei um desperdício…

brad-pitt-mtv-movie-awards-2013

Falando em magia, alguém sabe dizer o que aconteceu com a do Brad Pitt?

Onde foi parar tudo aquilo gente? E o tempo levou mesmo? WOO!

Tenho uma teoria de que os atores aparacem nesse tipo de premiação apenas para repor a dose de “juventude” que eles tentam sugar a todo custo em noite de premiação jovem. Talvez o Brad Pitt tenha aparecido apenas para repor seus hormônios, por isso esperamos que na próxima premiação preguiça ou não, ele apareça mais “The Tree Of Life” e menos “The Curious Case of Benjamin Button”.

Sorry Brad, mas #NAOTABOMNAO (e a tentativa de piada dele durante esse momento foi extremamente constrangedora)

2013 MTV Movie Awards

Mas nem tudo esteve perdido durante o MTV Movie Awards 2013 e olha só quem também esteve por lá para a nossa sorte?

Hermione! Maravileeeandra de vestidinho recortado de ricah, muito provavelmente colocada de cerveja amanteigada, porque agora ela já tem idade para isso então tudo bem, linda e premiada, apenas.

Olha e chora Kristen Stewart, Amanda Seyfried…

amanda-seyfried-mtv-movie-awards-2013-04

… e falando em Amonda Seyfried, eu gostaria de deixar registrado que essa sua cara de quem preferia estar em qualquer outro lugar no mundo durante a premiação de ontem é exatamente a mesma cara que eu faço quando a vejo em qualquer cinema do mundo, mesmo quando no formato de poster ou assombração. Sério, exatamente essa.

Aliás, honestamente? Nunca vi uma interpretação tão honesta de Amandita. Cheguei a ficar emocionado agora… (de nervoso, claro)

bradley-cooper-chris-pine-mtv-movie-awards-2013

OK, tenho que reconhecer que foi bem bacana ver o elenco do novo novo Star Trek entrando no palco naquele buraco que parecia ser parte do cenário do filme (o mesmo que vimos inclusive em um dos primeiros posters divulgados). Cool!

Os meninos estavam lindos, alinhados e no fundamento da magia à sedução, mas achei que a Zoe Saldana foi de look viúva derrotada do Bradley Cooper, só para provocar aquele climão. Mas tudo bem, perdoamos porque também já fomos trocados um dia. (nem que tenha sido na fila da entrada na escola, quando quem mesmo chegando primeiro, era empurrado para o final da fila por conta da altura e nunca podia entrar na sala de mãos dadas com a professora, rs #MAGOADECABOCLINHOERÊ)

zachary-quinto-mtv-movie-awards-2013-red-carpet

E achei uma ousadia o Zachary Quinto (que fez o Spock durante a premiação. Cool) aparecer com a réplica do terno que eu vou usar no meu casamento com _________________ (com quem aceitar, rs, que pode ser inclusive ele mesmo. Se cuida, Jonathan…)

Maravileeeandro

2013 MTV Movie Awards

Antes de começar a transmitir a premiação, a MTV Brasil ficou fazendo uma maratona sensacional de apresentações musicais que nós já vimos no MTV Movie Awards de outros tempos, onde vimos novamente o Yeah Yeah Yeahs naquela apresentação maravileeeandra e inesquecível de “Maps”, ou o Cee Lo e o seu Gnarls Barkley fazendo a épica apresentação de “Crazy” investindo lindamente no fundamento Star Wars. Sem contar o Black Keys tocando com o Dione Depp em uma das edições mais recentes da premiação. Höy!

Até que chegamos aos grandes shows da noite, que foram de uma preguiça ou falta de importância sem tamanho. Aliás, tinha um tamanho e ele era pequenininho, pequenininho. Mas nada foi mais constrangedor do que a apresentação da Selenita Gomes fazendo a indiana cigana naqueles dias, com uma voz sofrida e pequena, que eu consigo superar rapidinho no chuveiro em menos de três notas. Me dê um Re Sol Do maior, menor e mediano, maestro.

Sério, foi constrangedoramente sofrível.

2013 MTV Movie Awards

Tudo bem que era um Louis Vuitton e a gente sabe o quanto custa (cinco potes e 1/2 de moedas de ouro por trás do arco-íris), mas estava simplesinha a nossa adorável Chloe Moretz, não?

Achei que o make, o cabelo e ou os acessórios poderiam ser mais interessantes nesse caso, para deixar o look com mais vida. Algo mais dentro desse fundamento acima, que ela mesmo já se arriscou nesse excelente vídeo/curta de “Our Deal” do Best Coat. (que eu nunca canso de ouvir e fui apresentado pelo meu quase irmão, G., que também acha a Chloe linda, só tem 17 anos e também acha meio nojento esse interesse todos dos meninos tão cedo para cima dela, ele que ultimamente está vivendo o plot que diz que odeia que comentem sobre a sua vida e provavelmente vá odiar essa parte do post caso chegue a ler  – ♥ – PS: e antes que eu me esqueça, sim G., você tinha razão e a Rebel Wilson faz uma ponta em “Bridesmaids”)

kesha-mtv-movie-awards-2013-red-carpet-13

É inacreditável como mesmo de banho tomado, a Ke$ha continua com cara de quem dormiu em uma poça de lama, poeira e wisky, não?

E só eu não sabia que ela foi promovida a nova Bruxa do Leste e não do Oeste, porque apesar de estar rolando na sujeira desde que a conhecemos, ela ainda não conseguiu chegar no tom de verde encardido?

#NAOTABOMNAO

ps: e ela não perde a chance de usar um biquíni, uma hot pants ou uma transparência para nos traumatizar com a visão baixa da sua Ke$hereca, não é mesmo? EW!

mtv-movie-awards-2013-backstage-photo-roundup-35

E a surpresa da noite no MTV Movie Awards 2013 ficou por conta da minha pessoal descoberta de que o ex da Miley tem um sotaque e como vocês bem sabem, perco praticamente todos os sentidos e ganho alguns novos quando ouço sotaques…

Sem contar que durante a premiação, ainda teve um close de barba cheia no Liam, que despertou novamente certo interesse. Confesso.

Tudo bem que no seu CV, sempre vai pesar a sua passagem pela Smiley, mas de qualquer forma, quem somos nós para fazer a tão seletiva assim em noite de pouca gente na buatchy escura e depois das 5h00, também conhecida como a hora do desespero na noite?

Höy!

mtv-movie-awards-2013-

Eu gostaria que honestamente, sem procurar no IMDB ou qualquer coisa do tipo, alguém me dissesse um filme sensacional de comédia que o Will Ferrell tenha feito para merecer esse prêmio de “genialidade da comédia” na noite de ontem. Sério, alguém?

Eu só me lembro dele ter arruinado o “remake” de “A Feiticeira”, feito que ele realizou ao lado da Nicole Kidman já pós plásticas e de ter feito um personage chato para cacete em The Office. (e como torcemos para que ele não fosse o substituto do Michael, hein?)

Pra mim, a melhor piada desse momento continua sendo a de que até o Tyrion preferiu estar em qualquer outro lugar do que na própria série na noite de ontem e nesse caso achamos que ele pode ficar pelo menos uns 2 meses fazendo cameos em tudo quanto é premiação preguiça da TV, que quando ele voltar para GOT é capaz da série ainda estar exatamente no mesmo lugar. (vai me dizer que GOT não está assim? Seja sincero, leitor…)

Aubrey Plaza

Por isso, achamos que ele mereceu a Aubrey Plaza tentando fazer a “Kanye” durante o seu momento no MTV Movie Awards, ela que estava incontrolável e colocadíssima na platéia. E tem coisa mais honesta do que celebridade que perde a linha no open bar?

Não, não tem. We ♥ April

2013 MTV Movie Awards

2013 MTV Movie Awards

Ginger Alert. Ginger Alert! (começa a tocar um mashup de Bowie nos tempos de Ziggy, Cindy Lauper antiga e Florrancé e sua máquina)

Um dos melhores acontecimentos do MTV Movie Awards 2013 foi a variedade de tons de ruivos magia encontrados entre o Tom Hiddleston e o Eddie Redmayne.

Höy!² (Hiddleston que inclusive estava impossível da magia a sedução e toda hora aparecia na câmera. Pena o seu humor ser tão inglês para aquela platéia. Humpf!)

mtv-movie-awards-2013-backstage-photo-roundup-03

Vamos brincar de “gay homossexual, inglês, europeu ou cafuçu desavisado” ou seria ofensivo demais?

OK, não queremos magoar/provocar a ira de ninguém, mas digamos que da esquerda para a direita, eu diria que o código para esse enigma seria 1, 4,1, quase 1, quase 4 e com alguns drinks 1. (nessa ordem)

E a cara de constrangimento do Zac Efron na hora que pediram para ajoelhar? Sei…

hana-mae-lee-cigarette-hat-

Agora, temos que reconhecer que ninguém conseguiu entender melhor o espírito da premiação do que aquela personagem que não conseguia cantar e ou falar alto em “Pitch Perfect” (sorry, mas estou com 6 dúzia de pão de queijo no forno e não tenho tempo para procurar o nome de toda cretina que aparece na minha frente. Nada pessoal), que foi de chapéu com esse cigarro apagado gigantesco, que era exatamente o que a gente gostaria de ter feito na cara do MTV Movie Awards 2013. #TZZZZZ

Porque não tem como levar a sério qualquer premiação de cinema que tenha como muso o Channing Tatum (que eu não dou 10 anos para assumir a obesidade), não tenha limites para piadas sobre a Lena Dunham (uma tudo bem, mas toda hora?) e ou decida ignorar completamente tudo o que aconteceu recentemente com o casal Robert Pattinson e a Kristen Stewart. É, não tem. #TZZZZZ

 

♥ Já está seguindo a magia do Guilt no Twitter? Ainda não? @themodernguilt

Hide something, Heidi!

Novembro 12, 2012

Ontem teve EMA e como ultimamente nós morremos de preguiça desse tipo de premiação que exala chá de camomila com sonífero, resolvemos falar apenas dela, a anfitriã da noite, Heidi Klum, que sabe como ninguém que nada moda, um dia você é in e no outro você é out. (meosonho era dizer essa line traduzida. Sério.)

Ela que só usou Versace em todas as suas trocas durante a premiação, uma mais pavorosa do que a outra por sinal e que já chegou na premiação assim, com decote até no vão dos dentes. VRÁ!

Precisava Heidi?

Esse seu corpo a gente já conhece talvez até melhor do que o seu próprio ex, temos raiva faz tempo e até já nos conformamos com essa afronta alemã… agora sério que precisava de tudo isso para chamar a nossa atenção?

Não, não precisava. Bastava aparecer maravileeeandra e fantasiada de casal “Avatar 2” ao lado do boy magia seguronça novo que estava tudo certo.

#HIDESOMETHINGHEIDI

 

ps: a propósito, ela disse no red carpet que sua festa de Halloween desse ano ainda vai acontecer, só que dessa vez ela será no dia 01/12. SIM! Já podemos trabalhar nessa fantasia!

♥ Já está seguindo a magia do Guilt no Twitter? Ainda não? @themodernguilt

Awkward. (BOOM)

Outubro 5, 2012

Sabe aquela série que você acaba parando um dia para assistir de tanto ver todo mundo falar aqui ou ali? Assim foi Awkward para mim, uma série adolescente da MTV, que um dia eu parei para assistir a um episódio para poder tirar minhas próprias conclusões e em pouco tempo depois me vi completamente apegado e louco para assistir aos próximos episódios todos. E não, eu não estou ficando maluco e isso realmente aconteceu comigo, em uma série adolescente da MTV, que dê algum tempo para cá tem apostado em produções do tipo (The Hard Times of RJ Berger, Teen Wolfe dessa vez acertou em cheio!

E a série é completíssima em todos os sentidos, tem um produção super bacana (que até pode parecer bem simples), piadas ótimas, situações divertidíssimas que todos nós a essa altura de nossas vidas nos lembramos com certa saudade, adolescentes com cara de adolescentes em um high school com cara de high school, sem ninguém circulando pelos corredores de Louboutin salto 37 e bolsa Chanel de corrente (e tem um especial da série que fala sobre o figurino de todos eles, que é ótimo por sinal), em um clima meio que de filmes da Sessão da Tarde antiga, como os clássicos de John Hughes (de onde apostamos que saiu muita da inspiração para a série) e como se isso tudo não fosse o suficiente, temos em Awkward diversos personagens sensacionais, do tipo que é bem difícil não passar a gostar ou se apegar logo de cara.

Claro que dentro dessa proposta, os plots todos da série são os mais clichês possíveis dentro do gênero que conhecemos bem, mas tudo de uma forma bem bacana e praticamente revisitada e atualizada, o que eu acho um detalhe bem importante de se mencionar. Mais ou menos como se o que a gente sempre gostou nos clássicos do passado que dividem essa mesma proposta, tivessem todos recebido um upgrade bem coerente e excelente para os dias de hoje. (a série me lembrou bastante “Easy A” por exemplo, que eu acho que segue essa mesma linha)

Como personagem principal temos Jenna Hamilton (Ashley Rickards), a clássica nerd pouco popular do colégio, filha de pais jovens que engravidaram ainda na adolescência e são capazes de tudo para que a filha não acabe passando pela mesma situação. Tudo no sentido da informação, de ficarem batendo nessa tecla sempre que necessário (as vezes de forna bem inconveniente, como nossos pais, rs). Tendo poucos amigos (amigas na verdade, e todas ótimas!) e uma vida social que se resume a escola e o seu blog, que a princípio ela mantém como um diário e de forma particular, Jenna se sente invisível no meio da multidão. Claro que como toda garota, ela também tem seus desejos e vontades e mesmo sendo extremamente tímida, Jenna mantém uma espécie de relação platônica com o boy magia da escola, aquele que ela acha inalcançável por ele ser extremamente popular, algo bem diferente da sua realidade (#CLASSICO). Isso até que o inimaginável acontece e ambos acabam dividindo uma pegação daquelas que resulta em sua primeira experiência e logo depois, ele passa a tratá-la de forma indiferente, apesar de não ser exatamente um tremendo de um cretino com ela, como era de se esperar de um garoto que se comporta dessa forma. #TYPICAL.

Mas aqui já encontramos um primeiro ponto que eu acho sensacional em Awkward e por isso acho importante destacar, que é a falta de fantasia ou tratamento especial que as situações todas na série acabam ganhando, o que imprime para a série um cento nível de honestidade que todos nós agradecemos. Tudo parece muito real, como na primeira vez entre o casal por exemplo, que de especial não tem nada e acontece num quartinho qualquer do acampamento de verão, em meio a umas tralhas, sem ritmo, sem ser muito perfeito para ninguém e principalmente, em um curto espaço de tempo. Ahhh a inexperiência, rs.

Apesar disso acontecer logo no começo do episódio e a gente até já poder imaginar qual o caminho da série a partir disso, nos pegamos surpresos com uma certa carta que Jenna acaba recebendo quando já está de volta em sua casa, carta essa que contém duras críticas ao seu modo de vida atual, indo fundo na ferida da garota e mexendo com a sua cabeça, meio que a provocando e dizendo que se ela acha que sua vida estava um porcaria, a culpa disso tudo era dela mesmo, que não fazia nada para mudar essa situação. Claro que após o “presente” ela fica abalada, mas não tanto assim a ponto de justificar o que acaba acontecendo com ela logo em seguida. Um acidente doméstico no banheiro onde o cenário acaba sendo propício para uma diferente interpretação da realidade e com a história da carta + a atual postura de infelicidade da garota, seus pais ao encontrá-la estatelada no chão e diante daquela situação, acabam acreditando que a garota tentou o suicídio. BOOM.

A partir disso, Jenna passa a ver sua vida mudar, se tornando a garota mais popular do colégio (talvez da região), mas não da forma que ela gostaria que tivesse acontecido e sim pela notícia da sua tentativa de “suicídio” que acaba se espalhando naquela velocidade assustadora do dias de hoje que também conhecemos bem, onde além de tudo, ela passa a usar um gesso gigantesco e nada discreto por conta do ocorrido, o que também facilita e muito a sua identificação dentro do colégio como a garota suicida. Sério, #TEMCOMONAOAMAR esse plot? (e eu AMO esse tom de ironia da série, da vida ser tão injusta na maioria das vezes, sabe? É bom crescer já tendo consciência disso tudo, rs)

E diferente do que se imagina para uma garota com o seu histórico e diante daquela situação embaraçosa do seu presente, Jenna passa a tentar tirar algum proveito daquela situação toda já que agora ela havia sido exposta de tal forma para todo o mundo, tentando mostrar para todos que passaram a enxergá-la depois disso, que ela não era a garota estranha que tentou tirar a própria vida por não ser a mais popular da escola, que é quando passamos a ganhar as mais variadas situações dentro daquele pequeno inferno chamado high school, repleto de personagens que sabem muito bem como dificultar a vida de uma underdog como ela.

A Season 1 da série acaba girando praticamente toda em torno dela tentando melhorar a sua reputação sendo ela mesma e deixando que mais pessoas a conhecessem e talvez passassem a gostar dela, uma vez que agora todo mundo sabia quem ela era, só que por meio da história errada, algo que ela tentava mudar e em meio a isso tudo, ainda temos o boy magia com quem ela ficou no acampamento, Matty McKibben (Beau Mirchoff, Höy!), que passa a evitá-la de certa forma na escola, mas que ao mesmo tempo também começa a dar uns sinais indecifráveis, que a deixam totalmente confusa em relação as suas verdadeiras intenções. Meninos, humpf!

Matty é o boy magia do high school, aquele que todas as garotas gostariam de desfilar de mãos dadas por todos os cantos do colégio. Apesar de extremamente popular, cheio de amigos e uma vida social super agitada, Matty não é exatamente apenas aquele estereótipo do atleta bonitão da escola meio insensível e ele também é dotado de um lado adorkable, que vai nos conquistando aos poucos, a medida em que passamos a conhecê-lo um pouco melhor e entendemos que na verdade, ele é apenas um menino e meninos e meninas realmente pensam de forma diferente. (já imaginaram como isso é ainda mais difícil para uma relação gay? Pensem nisso…)

O que é claramente um outro ponto forte da série, onde os clichês nunca são tão óbvios assim e isso eu acho bem bacana em Awkward. Seguindo um modelo antigo de comportamento, sempre achei bem estranho quando a menina mais bacana do colégio, aquela nerd inteligente que ninguém dava muito valor, sempre acabava se encantando pelo cara errado, o atleta meio douchebag da turma e nunca se interessava por um dos nerds do clube de matemática, por exemplo. Tudo bem que do quesito magia nós entendemos, mas sabemos também (agora, talvez não naquela época) que somente esse tipo de feitiço não sustenta nenhuma relação, por isso nunca entendi muito bem como uma garota tão bacana (como essas personagens sempre acabam parecendo ser), acabaria apaixonada por um cara com quem ela não teria muita coisa para dividir na prática, além de uma boa pegação (algo que também não é garantido e só experimentando para ver, rs). Por isso acho bacana que na série, um personagem como o Matty, que bem poderia preencher essa vaga super óbvia de boy magia negra, não tenha muito disso e também seja um cara com outros pontos a seu favor e que na verdade também tem suas esquisitices como todo mundo. (e #TEMCOMONAOAMAR a mania dele de cheirar o sovaco quando nervoso? rs)

E se de um lado a gente tem um cara como o Matty, do tipo que apesar de não ser muito fácil de se compreender, também é um cara super bacana e que sabe enfeitiçar como ninguém, do outro lado, ganhamos um outro personagem para disputar as atenções da Jenna, formando aquele clássico triângulo amoroso de sempre. E ele é o Jake (Brett Davern). Ahh Jake (♥). Lindo, loiro, com cara de bom moço (meio com cara de muito novinho…), sempre por perto para ajudar, inteligente, gentil, também atleta e que ainda por cima, acaba descobrindo que está meio que interessado na Jenna, que ele passa a achar mais interessante com o tempo e meio que fica todo apaixonado quando ambos dividem um primeiro beijo, roubado por ele. A partir disso, ganhamos uma divisão em nossos corações, onde é impossível não passar a torcer para um dos times ou se encontrar completamente confuso e dividido como eu passei durante boa parte da primeira temporada: Team Matty vs Team Jake. E detalhe, é claro que para complicar mais ainda toda essa história, ambos seriam melhores amigos. Claro. (#CLASSICO)

Enquanto Jenna vai tentando resolver sua vida, tentando conquistar o boy magia que ela sempre quis e de quebra ainda acaba ganhando um novo concorrente para o posto como o Jake, que além de tudo parece gostar dela e a trata muito melhor do que o Matty, a personagem conta com a ajuda das suas melhores amigas ever para tentar resolver todas essas questões: Tamara e Ming, ambas adoráveis! Ming (Jessica Lu) é uma espécie de Lane de Gilmore Girls e com aquela mãe no seu pé e as suas aventuras dentro da colônia asiática (AMO o plot dela com o namorado da chefe da mafia, rs), não tem como não acabar fazendo essa comparação.

Já Tamara (Jillian Rose Reed) é um maluca, eufórica, sempre tentando se tornar mais popular no colégio. Assim ela acaba roubando a cena com todo o seu fundamento e ideias para ajudar a amiga a sair daquela situação e com isso, é uma das minhas personagens preferidas da série (♥). AMO os plots dela inventando as novas lines da temporada e morri de rir com ela fingindo ser amigona de todo mundo na festa da piscina na casa da namorada do Jake, garantindo fotos ao lado de todo mundo só para tentar melhorar a sua popularidade. E ela ainda também tem um boy magia para chamar de seu, ou melhor, nesse caso, totalmente magia negra, Ricky Schwartz (Matthew Fahey), que acaba sempre sendo um total escroto com ela e Tamara bem sabe disso, mas que de certa forma ele acaba sendo como o seu vício, o seu crack, algo que ela parece não conseguir viver sem.

Como nenhuma mocinha sobrevive sem ter uma inimiga, para o papel ganhamos Sadie (Molly Tarlov), a megabitch da escola. You’re Welcome (queixo para frente, seguido de uma bitchface, rs). E ela também apesar de ser uma personagem de atitudes super clichés no seu posto de vilã, acaba fugindo desse estereotipo por não ser exatamente a mais bonita da turma, não ter um corpo perfeito e ter suas inseguranças em relação a sua imagem. O que não a impede em nada de apostar na sua megabitchness em relação a todas que resolvem cruzar o seu caminho e a personagem realmente não costuma poupar ninguém, inclusive os adultos ao seu redor. Como ajudante de suas maldades, Sadie conta com Lissa (Greer Grammer), a loirinha burrinha e religiosa da turma (que também não é só isso) que começa a série no papel da namorada do Jake, mas que depois de algum tempo, acaba virando sua ex.

Mas a minha personagem preferida dentro de toda a série, fica por conta mesmo da diretora do colégio, Valerie (Desi Lydic) que é uma maluca adorável, que nós todos temos certeza que também pertenceu ao time dos losers no passado. Ela que tem uma função meio que de tutora da Jenna dentro dessa nova fase de sua vida e dentro de toda a sua carência afetiva, acaba tratando a garota como se ambas fossem BFF, quase como se elas fossem da mesma idade, rs. Uma personagem que é praticamente impossível de não se apaixonar.

Apesar de todos esses plots típicos da adolescência, ainda mais para uma garota que não se encaixa muito bem dentro dos padrões de uma maioria (que me parece ter medo de se tornar minoria, por isso continua mantendo esse tipo de postura), Jenna ainda tem que lidar com seus pais, que também não facilitam muito a sua vida. Quer dizer, para ser justo, seu pai Kevin (Mike Faiola), além de boy magia, Höy, é sempre um foufo com ela e parece ter uma sensibilidade a mais com os assuntos da filha, mesmo quando ele no alto da sua sabedoria de pai, acaba dando de presente para a filha uma caixa fechada e gigantesca de camisinhas por exemplo. Quem acaba sendo o seu maior problema dentro de casa é  sua mãe, Lacey (Nikki Deloach) que foi a garota mais popular do colégio e devido a sua gravidez na adolescência, acabou tendo esse ciclo da sua vida interrompido, onde com o nascimento da sua filha, ela acabou transferindo todas as suas frustrações e se projetando na própria, que para seu desespero, em nada se parece com a adolescente que ela mesmo foi no passado e não divide os mesmos gostos que a mãe.

Outro ponto super a favor da série é que todo episódio tem um equilíbrio perfeito entre o drama, a comédia e a foufurice e mesmo quando as resoluções não são favoráveis as nossas vontades, é impossível não terminar de assistir qualquer um deles sem desejar um abraço. Uma sensação que eu confesso ter sido muito mais presente na primeira temporada do que na segunda, que na minha opinião foi muito mais completa e mais bacana em todos os sentidos, apesar da Season 2 recém encerrada, também ter tido seus momentos importantes.

E como eu já disse, apesar de todos os clichés que Awkward possa carregar, sempre acabamos nos surpreendendo em relação as resoluções da série (ou com alguma característica ou momento dos personagens) e o grande plot que encerrou a primeira temporada, muito mais importante do que descobrir com quem Jenna escolheria ficar entre Matty e Jake, foi a descoberta da autora da tal carta que a fez repensar suas atitudes na vida, que viria a ser sua própria mãe. BOOM.

Algo que levou a série a ter uma mudança importante e significativa na sua dinâmica para a Season 2, onde tivemos esse mommy issue atrapalhando os caminhos da Jenna e de sua família como um todo, onde o próprio pai dela acabou saindo de casa após descobrir que a autora da tal carta para a filha havia sido a própria mulher. #DRAMADRAMATICO (lembrando que no passado, eles acharam que a tal carta a levou a tentar o suicídio, então…)

Uma situação que foi muito bem explorada por sinal, porque não tinha como uma revelação como essa não acabar afetando a dinâmica daquela família. Nessa história toda, quem foi prejudicado foi o próprio pai, que acabou ficando mais de lado para o desenvolvimento do drama da mãe, o que foi bacana também (além de ter um momento de redenção da personagem dos mais foufos possíveis para aquele momento) e além da introdução do seu ex namorado na história, que fazia um paralelo com o atual momento da filha, a personagem ainda acabou ganhando a Valerie como dupla em sua fase “solteira” e essa é sempre um ganho em cena.

Apesar do drama da possível separação dos pais em casa, Jenna acabou mesmo foi presa dentro do seu triângulo amoroso durante toda a Season 2, mesmo com ela já tendo escolhido o Jake como namorado ao final da temporada anterior, o que o Matty não aceitou muito bem (Typical) e por isso, passou a infernizar a vida do casal, se fazendo onipresente, o que acabou rendendo cenas ótimas de puro constrangimento entre os três. Detalhe que até então, Jake nem suspeitava do passado que Jenna já havia dividido com o Matty durante toda a Season 1, quando ele ainda não a assumia como namorada diante de todos, mas mantinha a pegação acontecendo sempre que batia aquela vontade, algo que ela se sujeitou a aceitar a princípio, mas logo depois percebeu que aquele não era o seu ideal de relacionamento, ainda mais com um menino que ela realmente gostava.

E agora chegava a hora do Jake mostrar que ele não era um cara tão legal assim ou tão perfeito como parecia, com ele todo preocupado sobre o fato dela já ter tido outras experiências anteriores e ele não ser o primeiro. Sério que os meninos ainda se preocupam com isso, Jake? Tudo bem que tem a questão da idade e tudo na série é coerente ao tipo de pensamento que se tem quando se é jovem daquele jeito, mas não deixa de ser uma bobagem e o discurso da mãe da Jenna dizendo que toda primeira vez que você faz sexo com alguém ser sempre uma primeira vez,  independente da bagagem de cada um e que não deixa de contar como uma primeira experiência, não poderia ter sido mais adequado. (na época, até falei isso primeiro no Twitter e quando ela falou na série mais o menos o que eu disse, isso  no episódio seguinte, é claro que eu disse: confirmou! #IHEARYOUSIS)

Confesso que nessa hora, eu já não tinha mais dúvidas de que a Jenna deveria mesmo era ter escolhido o Matty, que apesar de tudo, sempre foi um foufo com ela, com suas amigas (o episódio onde ele fica sendo explorado no quarto da Jenna pela Ming e pela Tamara, sendo o namorado mais perfeito e adorkable do mundo é de uma foufurice absurda e foi quando o Matty me conquistou de vez!) e essa impressão de que ele seria mesmo a escolha perfeita para ela só foi crescendo no nosso conceito de boy magia perfeito, enquanto Jake acabou ficando preso nesse caretismo tolo que não combinava muito com a Jenna e o que ela parecia desejar para a sua vida. Sabe bom moço demais? Então… (além disso, desde o começo eu gostei mas não gostei tanto assim do Jake – comparando as magias, claro, porque sempre achei ele um foufo também – algo que depois eu descobri que só poderia ser porque ela me lembrava muito o Michel Teló e aí já não dava mais para encarar)

E realmente eu fiquei pouco satisfeito com as resoluções dessa Season 2, apesar de novamente repetir que todas elas foram bastante coerentes ao atual momento dos personagens, que enquanto adolescentes, ainda não estavam na fase de suas vidas onde fariam as escolhas mais certas para cada um deles. Por exemplo, não gosto muito do fato de na season finale, a Jenna ter desistido de ir para a Europa, só para poder ficar com o Matty durante o verão, que acabou sendo a sua escolha no final das contas. Acho que esse tipo de atitude não combina muito com a mitologia e a atitude da personagem, mas de novo, entendemos que ela é uma menina com pouco mais de 16 anos e sabemos que agora é a hora de errar em sua vida. (não que depois os erros não continuem acontecendo, rs)

Mas foi bem bacana ver a personagem transitando em um novo território durante essa Season 2 também, passando do papel de total desconhecida e esquisita da turma para a garota popular do colégio, que todos passaram a seguir através do seu blog e passaram a se interessar por suas opiniões sobre tudo. Aliás, gostei muito daquele episódio onde ela imaginou o que teria acontecido caso tivesse agido diferente no passado, ainda na sua primeira vez com o Matty durante o acampamento de verão e gostei mais ainda quando em um dos cenários propostos pela personagem, ela acabou colocando o Matty e o Jake como um casal gay. Sério, #TEMCOMONAOAMAR?

Mesmo com uma temporada que também reuniu momentos importantes para a série, volto a dizer que eu não achei essa Season 2 tão boa quanto a primeira, o que é possível de se perceber até mesmo pela season finale, que foi muito mais fraca do que a da primeira temporada e teve um menor impacto como final (minha maior surpresa nessa hora foi a Tamara ter ficado com o Jake, algo que uma das minhas leitoras bem havia me alertado no Twitter que ela enxergava como possibilidade, o que se confirmou na finale). Mas esse é um detalhe que não chega a prejudicar a trajetória da série até aqui, que realmente tem sido muito boa e merece qualquer elogio que você tenha ouvido a seu respeito. Awkward é mesmo uma releitura de clássicos que nós amamos, com uma linguagem mais atual e ainda assim bastante honesta, do tipo que apesar dos seus diversos clichés, ainda consegue nos surpreender de uma forma bem bacana.

Uma excelente surpresa vinda diretamente da MTV americana (pasmem), que já renovou a série para a sua Season 3, dessa vez maior e com 24 episódios encomendados (atualmente a série contava com apenas 12 episódios por temporada), o que é um boa notícia, mas não deixa de ser preocupante. Que eles não se percam dentro de uma temporada maior, porque isso uma série tão bacana como Awkward não merece.

 

ps: AMEI/quase morri de tanto rir com o plot do stalker e acho que estava mais do que na hora da Jenna arrumar um amigo gay, mesmo com a Tamara preenchendo muito bem essa lacuna em sua vida, rs

♥ Já está seguindo a magia do Guilt no Twitter? Ainda não? @themodernguilt

O red carpet de pouco prestígio que não poderia ter sido mais adequado para o VMA 2012, uma premiação com pouco prestígio atualmente

Setembro 10, 2012

Quando nós nãos nos importamos mais com as novas estrelas, as antigas quando reaparecem, normalmente resolvem nos envergonhar (tipo o No Doubt ressuscitando o figurino antigo um dia desses) e tudo isso acontece em um canal de música que faz pelo menos alguns anos que perdeu o sentido e status para aquele que nem era exatamente o seu concorrente, em streaming, talvez já tenha mesmo passado da hora de repensar todo o seu próprio conceito não é não VMA?

Mas parece que nós não somos os únicos que não nos importamos mais com a premiação atualmente e esse ano o tema nem foi preguiça como de costume, foi falta de prestígio mesmo e eu adiantaria que é daqui para pior. Fico pensando se vale mesmo a pena gastar tudo aquilo por uma Miley Cyrus que não faz nada de novo desde sua participação em Johnny Bravo (rs. Ela não está a cara do Xóni em uma versão lez?) ou no mínimo um show bem meio assim da Riwanna. Será que vale a pena mesmo?

Mas é o que temos para começar a semana e nem precisa se desesperar e investir naquela cafeína para manter os olhos bem abertos até o final desse post, porque dessa vez vai ser até que bem rápido, não por nossa culpa, mas sim por falta de nomes que importem ou pelo menos inspirem qualquer coisa…

E já vamos começar logo com um susto daqueles: BOO!

Sério que é essa cacatua travestida de urubu que te acorda pela manhã, Liam Hemsworth? Não consigo entender porque não parece lógico para mim. Sorry.

E se aos 19 anos sua pele já está nesse estado preocupante, precisando de uma camada generosa de cimento daquele bom pedreiro da beleza (e se toda obra fosse como um salão, toda e qualquer reforma seria mais do que bem vinda, rs), imagine quando vc tiver com 39, que by the way, é o quanto você aparenta estar com essa cara nova, viu Smiley Saurus?

#NAOTABOMNAO

E a boquinha sedutora? E o brush (sim, elas falam brush) super marcado e com cara de saúde só que ao contrário e imaginando que você tenha dado uma “selada” nas bochechas antes de sair de casa, hein? E o alfinete d’ouro na orelha? E a preguiça enorme que nos dá após reparar em todos esses detalhes pavorosos que não fazem a menor diferença na vida de cada um de nós?  (sorry, ando assistindo The Newsroom e ficando com a consciência bem pesada com a “diferença” que eu estou fazendo para o mundo com o meu own blog, rs)

Liam Hemsworth, se algum dia eu te encontrar na rua, não vou conseguir não dar uma gargalhada por você ter se atracado nesses lábios sedutores de quem teve novas fotos divulgadas recentemente fumando o que parecia ser muita “sálvia” novamente e que nós não vamos postar aqui porque nem isso ela merece…

#CADABOYMAGIATEMAQUILOQUEMERECEOUQUEADQUIREATRAVÉSDA

VELHAEBOAMACUMBA

E já que um assunto puxa o outro e nós terminamos o xoxo anterior batendo aquele tambor, Riwanna foi ou não foi fazer uns trabalhos ao vivo no palco do VMA 2012? (e ela reaproveitou ou não o figurino na cerimônia de encerramento nos Jogos Paralímpicos? Achei tudo a mesma coisa…)

Não, eu não sou uma pessoa ignorante e entendo as diferenças entre referências étnicas africanas e um bate tambor forte (rs), mas vamos combinar que sem o áudio da apresentação que temos certeza que foi pavorosa tanto quanto temos certeza que só essa semana ela vai aparecer em pelo menos 5 looks bisonhos (considerando apenas os dias úteis), quase não dá para acreditar que ela estava cantando “We Found Love”, não?

Pra mim era um “Gira Gira Pomba Gira” acapella, com certeza!

E nada me tira da cabeça que essa performance foi uma amarração daquelas…

Com isso, pelo menos a Riwanna ganhou mais uma certeza na sua vida além da que ela é uma das artistas não caricatas mais cafonas da sua geração: se nada der certo, pode montar a tendinha da Mãe Rihanna, que está tudo certo! Faço amarração e trago o homem violento de volta em 3 tapas na cara, cinco puxões de cabelo e mais 2 bofetões! PÁ!

ps: não vamos comentar o look em branco que ela apareceu no red carpet porque nos recusamos a falar de mais um look que parece que alguém saiu fugida de um incêndio no motel e se só teve tempo de se enrolar no lençol…

Nicki Minajem, que com essa boina/cap só me daria duas opções:

A) Pedir gentilmente que ela estacionasse meu carro, não sem antes gritar “não vai roubar meus R$2,55 em moedas de 5 que estão porta copo, hein?”

B) Gritar enquanto deixo escorrer  lentamente uma única lágrima em gliter: Lacraia, vc voltou mulher? #ALELUIAX!

Estava com a cara amarradA porque Nicki? Alguém fez a escrota invejosa do recalque e não avisou que não era festa a fantasia? #CHATIADA

E o quanto a gente AMA convidado que combina a silhueté com o volume do cabelo, faz pose de chaleira para a foto e que ainda chega fantasiada para o Halloween com quase dois meses de antecedência?

(R: a gente não AMA nada = 0)

Taylor Swift, ou como eu passei a gostar de chamá-la carinhosamente durante esses últimos dias, “Taylor Sweet Dreams”, porque nada me dá mais sono & preguiça atualmente do que essa menina cantando a não ser lembrar do fato de que até bem recentemente, ela pegava o nosso header do mês, que foi exatamente quando nós cortamos relações com ele. (Jake. Höy!)

Mas não é que com a preguiça do VMA 2012 nós descobrimos mais uma utilidade para o nosso objeto cênico preferido (quando fora de cena) que também é a Taylor Sweet Dreams cara de alface?

Descoberta essa que nada mais é do que o seu talento nato para manequim de loja, olha só. Não está ótima assim?

Caladinha, quietinha, sem se jogar para cima de ninguém, sem sair escrevendo uma música preguiça qualquer quando passa o encanto e suas vítimas dão aquele pé na bunda dela que a gente bem sabe que sempre acontece, mantendo a cara de santa da plantação de alface e segurando um look que a gente nunca vai querer comprar porque ela nunca vai conseguir nos inspirar a nada a não ser pegar o Jake, nem que seja apenas (isso vai depender dele, rs) para dar uma bronca por esse deslize do seu passado durante a transição para a a sua atual fase de lenhador magia, claro!

ps: se eu namorasse qualquer pessoa do mundo da música e no final da relaçán ela escrevesse uma música para mim (tipo xoxo, claro), eu gravaria uma resposta entregando toda a verdade e super valorizando alguns podres que a gente sabe que sempre tem e postaria no Youtube, ou aqui mesmo. Portanto, nem pensem nisso candidatos do nicho musical, rs. SIM, eu sou vingativo e se fazer de superior não tem o mesmo gostinho da vingança e nem graça. #REVENGEISBEAUTIFUL

Para Peenk, eu gostaria de oferecer o prêmio de corpo mais esquisito da música da última década. Clap Clap Clap!

Digamos que no quesito quadrado, ela só perderia para o Bob Esponja. (deixando bem claro que ele que ganharia qualquer categoria aqui no Guilt, porque nós amamos o Bob Esponja e seu boy magia Patrick Estrela. Beijo com sabor de hambúrguer de siri para os dois!)

E se enquanto ela estivesse subindo no palco para receber o seu prêmio de “corpo mais esquisito da música da última década” ela acabasse tropeçando com esse look e caísse de cara no chão, arrastando-se pelo red carpet, além da gargalhada comunitária, todas achariam que era uma cobra e teria aquela fila para pular no pescoço tatuado do boy magia dela, com todas implorando por socorro (e por socorro entenda-se o que vocês acharem melhor, rs)

Sem contar que ela teve que dormir sabendo que foi numa festa com o mesmo cabelo da Miley. #FUÉN! (sabemos que Peenk investiu nesse fundamento antes do que Smiley,  mas do público alvo de hoje quem é que se lembra disso não é mesmo? #CONFLITODEGERAÇÕES)

Quando eu olho para a Ke$ha eu logo penso: mas que mulher linda! Quanto talento reunido em uma só pessoa! E omo canta hein?

KA KE KI KO KU, claro que não!

Na verdade, eu só penso: quem é a Ke$ha na noite hoje em dia? Ela ainda finge que canta? Ou melhor, alguém ainda finge que acredita?

Além de sentir pena de celebridade que só consegue look emprestado da assessoria se levar a bolsa junto para fazer valer a pena a permuta. Acho triste, acho fim de carreira e acho que bastou um banho para ela perder o brilho que pegou emprestado do gliter que estava grudado no chão junto com toda a sujeira acumulada da pixxxta.

Me recuso a falar qualquer coisa sobre o look pavoroso escolhido por uma atriz que fez uma das piores personagens de Gossip Girl Ever. (pior personagem em Gossip Girl… seria esse o começo da piada? Não sei, me perdi agora…)

E olha que a concorrência no Uper East Side nesse caso é bem forte até hoje, hein? E é claro também que eu abandonei a série faz tempo, mas carrego essa mágoa junto comigo. SIM, eu sou desse tipo de gente também.

Meu silêncio para vc, Vanessa. NEXT…

Zoe Saldana , umas das mais bem vestidas da noite, tirando essa sandália, que já deu!

Mas quando eu penso em Zoe Saldana, tento lembrar um filme bacana que ela tenha feito ou qualquer coisa que ela tenha feito e nada me vem a cabeça…

Ok, ela foi a Uhura no novo “Star Trek”, não precisa ninguém ameaçar de jogar suas Enterprises de brinquedo em mim (ou melhor, joguem que eu vou adorar guardar todas elas, nerds!), mas sério que sem consultar o IMDB, alguém lembraria? DU-VI-DO

Desculpa qualquer coisa Zoe, também não assisti “Avatar” até hoje (preguiça…), mas te acho linda!

Ok, para encerrar o assunto antigo VMA 2012, vamos dar um voto de confiança para o Ezra Miller e a Emma Watson?

Talvez eles não estivessem num bom dia, ou usaram tudo isso “ironicamente”. Mas pelo menos eles eram uns dos poucos com talento nessa premiação então (se não ou únicos…), por isso estão perdoados!

 

♥ Já está seguindo a magia do Guilt no Twitter? Ainda não? @themodernguilt

MTV Movie (ruim) Awards 2012 – Sono preguiça e mais do mesmo de sempre

Junho 4, 2012

Red carpet fraco, com gente que pouco importa e filme que a gente não viu por opção. Esse foi o MTV Movie (ruim) Awards 2012. ZzZZ

Sabe quando nem os erros do red carpet pagam a preguiça da premiação? Então…

Mas ok, fizemos milagre e conseguimos reunir alguns momentos que merecem algum destaque… mas são poucos, então aproveitem!

Dude, vc é muito feio!

Que eu aposto que foi a line que Thor desceu junto com o seu martelo na cara da Russel Brand. PÁ!

Aceite Russel, tu é muito feio merrrmo!

#CHATEADO

Todo mundo já pegou o truque do Adam Sandler neam? Ele que usa tudo largo o tempo todo (t-shirt + calça) para esconder o corpinho de coxinha com muito catupiry. Sei…

Aliás, vamos aproveitar o momento para lançar aqui uma Enquete Guilt: quanta preguiça a gente consegue ter de qualquer um dos filmes do Adam Sandler? (Tá, eu gosto de “Como se fosse a primeira vez”, mas é o meu máximo de tolerância com o Adam Sandler)

BOO! (um pequeno susto com a cara do Russel, sempre ele. WOO) E o look de Russel? A gente comenta ou não vale nem a pena? Temos até o final desse post para decidir… VALENDO!

E o Andy Samberg hein? Só eu acho ele um foufo? Höy! Samberg que acaba de abandonar o SNL. Humpf! Devia ter decidido antes neam Andy? Para ganhar despedida poder tipo a Kristen Wiig… (sorry pela qualidade, mas parece que a NBC e o Youtube tem uma relação meio complicada, mas vale a pena ver mesmo assim só pela participação da Amy Poehler nesse momento e o Jason Sudeikis todo emocionado…)

E quem nunca ficou por fora do assunto dos meninos, que atire a primeira boneca Barbie oldschool com corte caseiro! (que a gente sempre tentava fazer em casa e que nunca dava certo…humpf)

Carros, futebol ou luta do UFC não são o nosso forte. Agora bota alguém passando com sapato de sola vermelha na nossa frente pra ver se a gente não é capaz de acertar o modelo e o ano de lançamento desse Louboutin? Snap!

Todas te entendem nesse momento Leighton. Só não entendemos muito bem o porque da escolha desse modelo pavoroso…

#NAOTABOMNAO

Vamos dar um voto de  incentivo para a Kristen?

Até achei que a Kristen Stewart estava um pouco mais natural nessa festinha hein? Será que ela andou lendo o Guilt? (tem Wi-Fi em caminhão?)

E posso falar? Miley pegou o irmão certo. NHÁ!

Tudo bem que o martelo do Thor é o martelo do Thor, mas nós preferimos o irmão mais novo com cara de paisagem. Go Miley!

E achei uma boa opção a Kristen manter uma Jody Foster sempre por perto, assim ela deixa de imprimir a menos feminina da festa. QUÉM!

Sabe quando vc só sai com a sua amiga feia para parecer a mais bonita?

Então… mesmo fundamento. (e quem vê a Charleeenadra precisa disso, neam? Mas serviu para ilustrar a situação mesmo assim)

ps: dizem que a altura das garagens nesse dia foi revista, para comportar todo e qualquer tipo de veículo, de carros aos mais variados tipos de caminhões…

I ♥ Emma Watson

Não sou muito fã do modelo também… mas e quem se anima para se vestir para o MTV Movie (ruim) Awards?

O casal magia da noite: Emma Stone maravileeeandra (de quem a gente queria roubar o modelo) e Andrew Garfield (de quem a gente queria roubar o corpo, rs). Höy!

E ao que tudo indica, nós não somos os únicos de olho grande pra cima do novo Spidey, hein?

Suck it Katy Peróla!

Mas nem só de preguiça sobrevive uma premiação de cinema mais preguiça ainda… não é mesmo Gary Oldman?

Não é mesmo Joseph Gordon Levitt? Höy!

Pauda dramática…

CATAPLOFT

Apesar da vergonha do Joe Manganiello estar usando essa fantasia do “Clube das Mulheres” para promover o filme que conta a vida (interessantíssima quanto o caminhar de uma tartaruga albina do Sri Lanka) do Channing Tatum, a gente acaba perdoando porque pelo menos ele mostrou o machado. Höy!

Mas nada justifica não ter ido de werewolf e ter feito a transformação ao vivo no palco…

#DECEPCIONADO&CHATIADO&HORNY

Alô? Jessica Biel? Aqui é um amigo, estou ligando para avisar que se vc se casar com o Justin Timberlakers com essa sua franja pavorosa, vc vai se arrepender para o resto de sua vida de atriz de filmes mais meia boca do que os dele… (tirando “Alphadog”, que tem ele no elenco e é bem bom)

#NAOTABOMNAO

Momento em que 87,37 % da magia do mundo estava concentrada em um único lugar.

Fassbender + Charleeeandra = HÖY²! (em 54 sotaques diferentes)

Mas nem vem com muita confiança atentando contra um patrimônio da magia mágica ruiva assim em público hein Charlize?

A gente te ama, mas não força tanto assim e em uma hora como essas, todas já se preparam para cravar um salto no meio da sua testa linda. Vai brincando…

E qualquer dano na região Sul de Fassbender, por menor que ele seja,  é sentença de morte na certa.

#BIGORNANELA

Momento alto da premiação: Dione Depp tocando com o Black Keys. Höy!

Poderiam ter feito a premiação só para isso. Duas músicas do Black Keys e só. Depois era só colar um listão amigo na porta com o nome dos vencedores e todas seguiriam felizes para casa. Clap Clap Clap!

E a mensagem que fica ao final desse MTV Movie (ruim) Awards 2012 é exatamente a seguinte:

 

Crianças, fiquem longe das drogas, inclusive dos filmes ruins e das premiações totalmente meio assim… Corram enquanto há tempo!

 

Tem lançamento de disco mais sensacional do que os balões do Jack White?

Abril 26, 2012

Muito, mais muito sensacional essa ideia de lançamento do single “Freedom at 21” do Jack White, hein? Mas só em Nashville? Sacanagem… (rs)

E esse álbum solo do Jack White, o “Blunderbuss” está muito sensacional. Recomendo!

Third Man Records Rocks!

ps: adorei também a entrevista que a Gaia fez com ele lá em Nashville para a MTV daqui. Muito boa! Aliás, adoro a Gaia e todo o seu conhecimento musical invejável. Go girl!

E para que serviu o EMA 2011 mesmo?

Novembro 8, 2011

Para nos lembrar que não se fazem mais premiações como antigamente…infelizmente. Além de atualmente ser tudo um grande truque, eles ainda nem se dão o trabalho de escolher uma hostess descente, humpf! Por isso não consegui assitir a premiação direito e bastava a Selenita Gomez entrar em cena para eu entrar em uma apnéia do sono profunda. Zzzz

Mas o EMA 2011 serviu também para:

Nos lembrar que o Chris Martin continua sendo boy magia, mesmo com sua eterna cara de professor de Geografia. Höy!

Chris, responde ae: vc andou malhando?

Ou a Gwyneth Paltrow esta colocando em prática aquelas receitas todas de tofu recheado com tofu e cobertura de tofu que acompanha aquele shake de tofu delicioso, hein? Yummy (só que não)

O EMA serviu também para nos provar que a Katy Perry é covarde e quando a Lady Gaga também esta em cena na concorrência, ela nem se arrisca nas trocas bizarras porque não tem talento suficiente para competir. É, não tem.

E vcs também não acham que já esta na hora dela acordar desse Teenage Dream? Acorda meniné!

E falando em Gaga, o que aprendemos com a sua performance na noite de domingo foi que ela é mesmo gente como a gente.

Ou seja, ela pula feito louca quando ganha qualquer coisa, ajoelha e agradece a Santa Cher pela (des) graça alcançada, afofa quem estiver pela sua frente, exige que as top models façam figuração como fundo para o seu momento de agradecimento e de quebra ainda faz discurso com voz de choro. #TEMCOMONAOAMAR?

AMEI o figurino dramático, mas o que eu gostei mesmo foi da sua lição durante a coreografia de “Marry The Night”

Quer dizer que é dois pra lá, dois pra cá, cabelô, PÁ, vira de costas e mostra a lua cheia? É isso mesmo produção? Alguém me confirma essa sequência?

Todas trabalhando no agachamento desde Domingo que é para garantir que a sua própria lua cheia imprima lua nova na pixxxta. (AMO o momento apoteótico do final do single desde que o cd saiu. Tenho vontade de rasgar a roupa e sair rodopeando na pixxxta. E quem não tem?)

Fora isso, acho que já esta mais do que na hora da MTV repensar os seus conceitos, pq esta ficando cada vez mais puxado, fikdik.


%d bloggers like this: