Posts Tagged ‘Parks And Recreation’

Da série casais que nós amamos: Anna Faris e Chris Pratt

Novembro 3, 2011

A Anna Faris é aquela atriz de quem todo mundo já riu um dia na adolescência, quando a gente ainda não tinha um caráter legal muito bem definido e tudo ainda parecia meio confuso (rs), mesmo quem não queira assumir. Mas 5 minutos depois da piada antiga, mesmo ainda adolly, tenho certeza que se vc for uma pessoa legal hoje em dia, naquela época nesses poucos minutos depois da piada vc pensou: é, nem foi tão engraçado assim…

E o Chris Pratt é o Andy de Parks And Recreation e só isso basta para o nosso amor valer pelos 2.

Archie, nosso careteiro preferido esta de volta!

Agosto 24, 2011

Que saudades! E como vc cresceu hein?

A gente acompanha tanto o crescimento dessas crianças, que eu tenho certeza que todo mundo se sente meio “tia” deles, rs.

Foufo mil como sempre, ainda mais fazendo careta (que ainda combinou com a estampa da sua t-shirt, rs) para os paparazzis neam? #TEMCOMONAOAMAR

E eu acho que a Amy Poehler deveria colocar ele para fazer um participaçán em Parks And Recreation (embora eu suspeite que isso já aconteceu, mas não estou lembrado agora…)

E os indicados ao Emmy 2011 são:

Julho 14, 2011

(esse ano com comentários de Essy Ewald Filho Wilker, rs, e com corações nos meus preferidos como sempre)

 

Melhor Série Dramática

 

Dexter

♥ Mad Men

The Good Wife

♥ Game of Thrones

Friday Night Light

Boardwalk Empire

Dexter deixou de ser legal já tem algum tempo. The Good Wife não deu pra mim. Acho possível que Friday Night Light leve, por ter sido a sua última temporada. Das novatas, ambas são muito bem feitas, mas eu me animei mais com GOT. Mas Mad Men é sempre excelente, então fico entre as duas…


Melhor Série de Comédia

 

Modern Family

♥ Parks & Recreation

The Office

♥ 30 Rock

Glee

Big Bang Theory

Novamente ignoraram Community completamente hein? Sério, essa gente não deve ver televisão…E outra que me fez rir como nunca nessa temporada foi Raising Hope, que também não aparece na lista., humpf! 30 Rock também voltou a boa forma, mas Parks And Recreation foi além, então meu voto vai em homenagem ao Li’l Sebastian, rs


Melhor Ator em Série Dramática

 

Hugh Laurie (House)

♥ Jon Hamm (Mad Men)

Michael C. Hall (Dexter)

♥ Kyle Chandler (Friday Night Lights)

♥ Steve Buscemi (Boardwalk Empire)

Timothy Olyphant (Justified)

 

Dizem que o Timothy Olyphant esta ótimo em Justified, série que eu pretendo começar a ver em breve. Jon Hamm tem a magia que encanta todas, mas estou achando que o coach Taylor esta merecendo esse prêmio pelo conjunto da obra hein? Mesmo com o Steve Buscemi (que levou o Golden Globe, fikdik) atropelando todo mundo em Boardwalk Empire.

 

Melhor Atriz em Série Dramática

 

Julianna Margulies (The Good Wife)

Mariska Hargitay (Law & Order: Special Victims Unit)

♥ Elizabeth Moss (Mad Men)

Kathe Bates (Harry’s Law)

Connie Britton (Friday Night Lights)

Mireille Enos (The Killing)

 

Difícil. Eu sempre acho que a Elizabeth Moss merece ganhar todos os prêmios nessa categoria, só pelo delicioso desconforto da sua personagem Peggy. E a Mireiille Enos, quando aprender pelo menos mais duas caras diferentes, a gente pensa no seu caso…

 

Melhor Ator em Série de comédia

 

Steve Carell (The Office)

♥ Alec Baldwin (30 Rock)

Jim Parsons (Big Bang Theory)

Matt LeBlanc, (Episodes)

♥ Louie CK (Louie)

Johnny Galecki (The Big Bang Theory)

 

De todos, o Alec Baldwin foi que me fez rir mais. Mas o Louie além de rir me fez pensar, então fiquei balançado, rs. Agora, alguém me explica o que é que o Matt LeBlanc esta fazendo nessa lista? O mesmo vale para o Johnny Galecki…

 

Melhor Atriz em Série de Comédia

Tina Fey (30 Rock)

♥ Amy Poehler (Parks and Recreation)

Melissa McCarthy (Mike & Molly)

Laura Linney, (The Big C)

♥ Martha Plimpton (Raising Hope)

 

Amo The Big C, mas eu acho que esta mais para uma dramédia (assim como a finada United States Of Tara, Nurse Jackie, Glee). Tina Fey escreve melhor do que atua, fato. Agora a Amy Poehler é sensacional, não? Meu voto é dela, mesmo com o coração partido pela Martha Plimpton que eu também amo! (ainda mais pq ela fez Os Goonies neam?)

 

Melhor Ator Coadjuvante em Série Dramática

♥ John Slattery (Mad Men)

Andre Braugher (Men of a Certain Age)

Alan Cumming (The Good Wife)

♥ Peter Dinklage (Game of Thrones)

Josh Charles (The Good Wife)

Walton Goggins (Justified)

 

John Slattery, foi o único que eu não precisei me esforçar para lembrar. Mas graças ao IMDB, descobri que o Peter Dinklage é ninguém menos do que o anão de Games Of Thones e ai, não tem para mais ninguém. Pode preparar a forma especial para o mini prêmio, rs

 

Melhor Atriz Coadjuvante em Série Dramática

 

Margo Martindale (Justified)

♥ Michelle Forbes (The Killing)

Christine Baranski (The Good Wife)

♥ Christina Hendricks (Mad Men)

Archie Panjabi (The Good Wife)

Kelly Macdonald, (Boardwalk Empire)

Margo Martindale (Justified)

 

Eu tenho uma implicância enorme com a Michelle Forbes, mas tenho que reconhecer que ela foi excelente em The Killing.

 

Melhor Ator Coadjuvante em Série de comédia

 

♥ Chris Colfer (Glee)

Jesse Tyler Ferguson (Modern Family)

Jon Cryer (Two and A Half Men)

Eric Stonestreet (Modern Family)

♥ Ty Burrell (Modern Family)

Ed O’Neill, (Modern Family)

 

AMO o Kurt, mas acho que Glee exige muito mais do lado dramático dele do que do cômico por exemplo, e assim ele acaba prejudicado. Como todos os outros são de Modern Family e durante essa Season 2 eu já não dei mais tanta risada quanto na Season 1, whatever. Mas mesmo assim eu voto no Phill, que foi quem salvou a temporada ao lado do Luke e da Gloria. Mas não vou ficar surpreso se o outro de Two And A Half Men levar, só para eles terem mais um motivo para fazer piadinha batida com o Charlie Cheen…

 

Melhor Atriz Coadjuvante em Série de comédia

 

Jane Lynch (Glee)

Kristen Wiig (Saturday Night Live)

Jane Krakowski (30 Rock)

Julie Bowen (Modern Family)

♥ Sofia Vergara (Modern Family)

♥ Betty White (Hot in Cleveland)

Kristen Wiig (Saturday Night Live)

 

Gloria! Gloria! Gloria! Ela merece vai? Se bem que, a Betty White além de ser um senhora foufa, me faz rolar de rir com a sua Hot In Cleveland. E agora?

 

Melhor Ator Convidado em Série de comédia

 

Idris Elba (The Big C)

Nathan Lane (Modern Family)

Zach Galifianakis (Saturday Night Live)

Justin Timberlake (Saturday Night Live)

Matt Damon (30 Rock)

Will Arnet (30 Rock)

 

Fico com o Will Arnet inimigo nº1 de Jack Donaghy. Mas eu morri de rir com o episódio no avião de 30 Rock, com a participação do Matt Damon também…

 

Melhor Ator Convidado em Série Dramática

 

Bruce Dern (Big Love)

Beau Bridges (Brothers & Sisters)

♥ Michael J. Fox (The Good Wife)

Paul McCrane (Harry’s Law)

Jeremy Davies (Justified)

Robert Morse (Mad Men)

 

Estou achando que o Michael J. Fox leva essa hein? Mesmo com a torcida contra…

 

Melhor Atriz Convidada em Série de Comédia

 

Kristin Chenoweth (Glee)

Dot-Marie Jones (Glee)

Gwyneth Paltrow (Glee),

♥  Cloris Leachman (Raising Hope)

Tina Fey (Saturday Night Live)

♥ Elizabeth Banks (30 Rock)

 

Elizabeth Banks esta sensacional em 30 Rock, fatão! Mas e a avó de Raising Hope, hein?

 

Melhor reality show de competição

 

So You Think You Can Dance

Top Chef

The Amazing Race

American Idol

Dancing With the Stars

Project Runway

 

Preguiça…Mas ano que vem, meu voto vai para The Glee Project, meu novo vício!

 

Melhor minissérie ou filme para a TV

 

Cinema Verite

Downton Abbey

The Kennedys

Mildred Pierce

The Pillars Of The Earth

Too Big To Fail

 

Será que alguém consegue tirar essa dos Kennedy?

Bom, depois de nos decepcionar mais uma vez com a ignorada que as nossas preferidas sempre acabam levando em toda e qualquer premiação (Fringe, Community, It’s Always Sunny, Sons Of Anarchy) agora só nos resta esperar a premiação, que acontece no dia 18 de Setembro lá na america antiga e que dessa vez terá como hostess a deliciosa Sue Sylvester (Janie Lynch)

A divertidíssima tarefa de criar Hope

Junho 10, 2011

Comecei a assistir Raising Hope meio que as cegas e sem ter grandes expectativas. Não sabia  muito do que se tratava (além do óbvio) ou o que esperar, comecei a assistir mesmo apenas por ter ouvido alguém falar bem da série aqui e ali. E honestamente? Estava perdendo uma das comédias mais foufas e divertidas de todos os tempos!

Eu sei que a essa altura, vc que é leitor do Guilt e que sempre passa por aqui deve estar pensando “lá vem esse Essy tentando empurrar mais uma série sobre uma família engraçadona para a gente assistir, humpf…”, mas tenham certeza que Raising Hope é muito mais do que isso. A começar pelo cenário: sai a família rica do suburbio americano que estamos tão acostumados a ver a todo momento na tv e no cinema e entra uma família apatralhada, pobre e divertidíssima.

A história gira em torno de uma família moderna que cabe perfeitamente como exemplo dos novos modelos de famílias. Pais jovens, que tiveram um filho ainda quando adolescentes e com isso tiveram que aprender a lidar com todas as dificuladades de criar um filho ainda muito jovens, onde tiveram também que abandonar de certa forma alguns dos seus sonhos para realizar essa tarefa de criar um bebê  (embora sejam felizes com isso) e tudo isso  sem ter a menor preparação e nenhum suporte. Morando de favor na casa da avó, que sofre de “demência”, eles criaram Jimmy, o seu filho fruto da gravidez indesejada do tempo da adolescência. Jimmy por sua vez, em uma aventura de apenas uma noite, acaba engravidando uma procurada serial killer, que como esta próxima a ser executada, aguardando a sua vez no corredor da morte, acaba deixando a sua bebê para ele criar, bebê essa que nasceu após aquele tal “erro” de uma noite apenas, uma garoteeenha foufa com o nome de Princess Beyoncé. Howcoolisthat? Jimmy não pensa duas vezes e decide assumir a responsabilidade e criar a sua filha sozinho.

A partir disso, passamos a acompanhar a vida dessa família que acaba ganhando um novo membro, que no final do primeiro episódio acaba recebendo o novo nome de Hope. Mas Princess Beyoncé era um nome sensacional, hein? (rs)

Um dos pontos fortes da série é poder acompanhar o dia a dia de Jimmy tentando criar Hope e aprendendo a lidar com aquela nova realidade em sua vida, tudo isso sem muito dinheiro, algo que costuma facilitar e muito. Como “tutores” ele tem os próprios pais, que não foram assim grandes exemplos de pais no passado, pelo fato de serem jovens também e assim eles vivem relembrando das próprias situações que ambos tiveram que enfrentar para criar Jimmy no passado, lembrando de momentos do filho ainda bebê, ou criança, em situações que fazem um contraponto bem engraçado entre a forma de como tudo é diferente hoje em dia, porém permanece tudo igual, pq o fundamento é o mesmo quando se trata de criar uma criança. Tudo com muito humor e muita foufurice, em uma combinação perfeita.

Raising Hope me lembrou um pouco de “Juno” e esse climão de suburbio pobre americano vem da escola do criador da série, Gregory Garcia, que também foi a mente por trás de My Name is Earl. Inclusive durante essa primeira temporada, tivemos algumas participações do atores de sua série antiga, além da divertidíssima Rochelle de Everybody Hates Chris. (AMO a Rochelle, AMO! E meu marido tem dois empregos! rs)

E as situações são as mais aburdas possíveis, em meio a uma casa cheia de quinquilharias e pouca higiene (e o episódio em que eles descobrem esse fato é excelente!). Todas as situações são tão absurdas, que é impossível de se conter e não rolar de tanto rir com toda aquela pobreza, com direito a ferro de passar roupa que dá choque e vc tem que morder uma colher de pau para evitar de morder a própria língua enquanto é eletrocutado ao passar roupa (rs), trocar o vinho barato e colocar na garrafa vazia roubada do lixo de vinho caro para servir para os novos amigos ricos (euri) ou a tv que precisa de unas tapas para funcionar direito, rs. Tudo é decadente, com cara de sujo e as piadas são bem politicamente incorretas, detalhes que deixam a série ainda mais engraçada.

Além da família, a série ainda conta com vários personagens muito engraçados que são as figuras exóticas da vizinhança. Sério, o que é a garota do dente podre? Rolei! E na minha opinião, o único erro da série até agora foi ter arrumado o dente podre dela. Humpf!

Outro fato que eu acho bem aproveitado dentro de Raising Hope, é que eles usam referências de várias outras séries, citando o crédito (como por exemplo a garota do dente podre, que saiu de It’s Always Sunny In Philadelphia) e na maioria das vezes, eles conseguem fazer uma piada ainda mais engraçada sobre a referência alheia. Well Done!

Os episódios temáticos como o de Thanksgiving ou o de Natal são deliciosos, mas nada nesse mundo foi mais foufo do que o episódio de Halloween da série. Awnnn!

Eu geralmente não sou do tipo de pessoas que morre de rir com piadas sobre “pum” por exemplo, mas em Raising Hope eles conseguiram o impossível: fazer a piada de pum mais engraçada e ao mesmo tempo mais foufa ever, em um momento de foufurices entre pai e filho. Talvez esse seja até o meu episódio preferido (acho que empata com o episódio com todas as fotos do álbum de família, que  me fez ter um ataque incontrolável de riso com o Jimmy arrancando e comendo os próprios cabelos, ka ke ki ko ku).

E a graça de Raising Hope esta exatamente nessa mistura entre o humor escrachado e o humor foufo, que eles conseguem misturar e resolver muito bem na série. As situações são absurdas, os personagens são enlouquecidos, mas sempre no final, tem uma narrativa foufa que amarra toda a história e faz vc terminar o ep soltando um: Awnnn! Série foufa mil!

No começo, vc pode até achar tudo meio exagerado (característica do humor escrachado), mas com o pouco tempo da série, todos os personagens vão evoluindo, ganhando novas camadas e mais profundidade e todo aquele tom de “exagero” do começo da série passa a fazer todo o sentido para cada um dos personagens.

Sabe aquele tipo de série que vc não consegue escolher o seu personagem preferido? Então, eu já criei um amor especial por todos eles a essa altura no meu coração. Burt (Garret Dillahunt) que o pai meio goofy  mais foufo desse mundo (empatando em foufurice com o pai do Kurt em Glee) que no fundo é só uma criança grande, Virginia (Martha Plimpton) a mãe mais politicamente incorreta da história,  Maw Maw (Cloris Leachman) a avó mais sacudida do pedaço,  o adorável Jimmy (Lucas Neff), que é um dos personagens mais foufos e inocentes ever, Sabrina (Shannon Woodward),  a caixa do mercado que é o grande amor do Jimmy (e que nós descobrimos no final que ele já teve a sua chance com ela no passado sem saber, fikdik)  e Hope (Bayley e Rylie Crecut), que é a bebê mais foufa e careteira da tv.

AMO quando eles fazem ela falar com aquela boqueeenha tipo South Park. Euri

O melhor também é que vc passa a temporada inteira pensando que eles são uns encostados, meio preguiçosos e que estão morando naquela casa por estarem acostumados à aquela situação (o que de fato eles até são um pouco…), mas o episódio final é de uma foufurice absurda, além de ser muito, mas muito engraçacado e que acaba nos explicando que na verdade eles se encontram naquela situação pq a vida é mesmo uma troca e vc passa a amar ainda mais essa família.

Aliás, que final de temporada mais excelente foi esse com aquele flashback da vida deles 5 anos atrás hein? Muito, muito engraçado, rolei com a cena deles roubando comida no mercado e comendo nos corredores, rs. Agora, nada se compara com os pais do Jimmy morrendo de medo dele em sua fase Drakkar Noir, euri (uma mistura de Punk + Edward Scissor Hands + Kiss + Palhaço Antigo). Divertido mil!

E se tem uma série de comédia que soube encerrar bem a temporada, essa série foi Raising Hope, empatando com Parks And Recreation e Community, só para vcs sentirem o nível.

E não se espante se depois desses 22 episódios divertidíssimos (que valem super a pena e que me fizeram colocar Raising Hope no meu Top 5 das melhores comédias no ar atualmente) vc se ver na situação de querer muito ter uma Hope para chamar de sua.

Ansioso para a Season 2 em Setembro. Yei!

R.I.P Li’l Sebastian – A sensacional porém curta Season 3 de Parks And Recreation

Junho 2, 2011

Sim, antes de começar a escrever qualquer coisa vamos fazer um minuto de silêncio em memória ao grande ídolo, Li’l Sebastian…(tears)

58, 59, 60. Pronto. Agora já posso começar a falar que foi uma temporada excelente essa Season 3 de Parks And Recreation hein? Só não entendi muito bem o porque foi tão curta, encerrada no episódio 3×16. Eu bem já estava esperando mais eps pela frente, ainda mais agora que todas a séries encerraram suas temporadas e nós acabamos ficando tão carentes nesse período até Setembro. Humpf!

Sinceramente, eu não vejo o porque de vc não estar assistindo Parks And Recreation nesse exato momento ao invés de estar lendo esse post. Sério, isso só se justifica no caso de vc já ter assistido a série e assim como eu, ter rolado de rir até agora com tudo o que vimos. E se for essa a sua justificativa para ainda estar aqui, então tudo bem.

Antes desse final de temporada perfeito e divertidíssimo, eu preciso dizer que eu rolei de rir com o ep da briga com a cidade vizinha e rica, com aquela prisão que é melhor que as nossas casas (e certamente muito melhor do que a casa da Leslie) e que de quebra ainda serve bolinhos. #TEMCOMONAOAMAR?

Outro episódio que me fez rolar de rir foi aquele com todos bêbados na buatchy e a Leslie e a Ann discutindo a relação.

Mas nada foi mais foufo do que o casamento do Andy com a April, NA-DA.

O mais engraçado é que embora Parks And Recreation já tenha encerrado a sua Season 3, a série tem um número de menos de 50 episódios e até agora todos os personagens secundários e que aparecem apenas de vez em quando, já nos deixam com saudades. E isso só acontece em série boa, que consegue com pouco tempo tornar os personagens recorrentes em personagens queridos da audiência. E a promessa para a próxima temporada é a chegada da primeira Tammy, a primeira ex mulher do Ron, que apareceu no truque no final dessa temporada. Por curiosidade, eu descobri um dia desses que o ator Nick Offerman que interpreta o sensacional Ron Swanson, é casado com a Megan Mullaly na vida real, que vem a ser a Tammy #2 na série e que é um ótimo exemplo desses personagens secundários recorrentes que eu estava falando. Howcoolisthat? Eu diria: Perfect Match!

E o melhor ainda é que em Parks And Recreation além dos personagens serem absurdamente engraçados e totalmente surtados, eles são todos uns foufos e se revezam em momentos de muita cretinice e pura foufurice. Por exemplo, eu AMO a história de amor do Andy + April e até acho que a personagem dela só melhorou com toda a foufurice que o casal trouxe para a trama. Duas pessoas surtadas, ela com sua alma da depressão e ele que é o idiota com meio cérebro mais adorado da tv atualmente, formam um dos casais mais foufo ever. Coisa que os criadores da série entendem, já que eles foram responsáveis também por outra das minhas histórias de amor em seriado preferidas, que é a história do Jim & Pam em The Office. Awnnn!

Agora, outra dinâmica que eu venho gostado bastante na série é o namoro da Leslie com o Ben. Sério, howcuteisthat?

Primeiro que a Leslie esta melhor do que nunca e quando ela fica apaixonada, ninguém segura e a essa altura todos nós já sabemos disso. Ela fica desconfortável, tola, falando coisas totalmente aleatórias, tomando atitudes completamente sem o menor sentindo, tudo de uma forma tão engraçada e real, que vc acaba acreditando naquela história por provavelmente já ter agido assim em algum momento da sua vida. Quemnunca?

Em um dos últimos eps, quando eles foram viajar de carro e ela gravou aquela mixtape totalmente sem noção com direito a solos de banjo, só para evitar qualquer climão no carro com o Ben, eu quase que cai da minha cadeira quando assisti. Como pode alguém ser tão maluca? E o pior é que pode sim e eu tenho certeza que vc conhece alguém pelo menos parecido.

Deixando um pouco as relações de amor de lado, mas ainda falando no assunto, eu acho deliciosa a cumplicidade que a essa altura os funcionários daquele departamente da prefeitura mantém entre eles. Um cuidando do outro e todos focados em um bem maior, que é o de trabalhar cada vez menos e ainda ganhar para isso, rs. Tirando Leslie é claro, que sozinha provavelmente faria (ou faz) o trabalho de todas aquelas pessoas.

Mas de todos os personagens, em quem eu não vejo a menor graça é mesmo a Ann (Rashida Jones) e eu juro que isso não é mágoa do caboclo por ela já ter pego o Jim (argh!) em The Office, rs. Acho a sua persoangem tão sem graça, que ela só funciona mesmo quando esta de parceira da Leslie, pq convenhamos que a essa altura a Amy Poehler salva qualquer cena com o seu olhar de maluca neam? Acho mesmo que ela só esta ainda na série para cumprir a cota da beleza, porque sempre tem que ter uma neam? Zzzz

Voltando a falar da Amy, eu inclusive voto em Amy Poehler para todos os prêmios na categoria melhor atriz de comédia dessa temporada hein? Fikdik…Ninguém mereceu mais durante essa temporada. Ninguém!

E outro que não me desce é o Rob Lowe. Eu até acho ele bom, mas não sei, tenho a impressão que ele é sempre a mesma pessoa desde muito tempo. Acho o seu personagem carregado demais, exagerado até. Sabe quando vc percebe que o ator não tem tanta graça assim mas esta se esforçando? Então…

E o pior é que esse tipo de atuação não cabe em Parks And Recreation, pq aquelas pessoas são tão naturais, que eu quase que acredito que aquele escritório da prefeitura de Pawnee realmente existe e não me parece que nenhum deles esta fazendo um grande esforço para ser engraçado, exceto por ele. Para vc ter uma idéia, até o nome do seu personagem eu não consigo lembrar. E o mesmo vale para uma cena dele que tenha sido de fato engraçada até agora, sorry. E o pior é que ele é o chefe de todos e isso não me convence, pelo menos não convenceu até agora.

Algumas pessoas consideram a série realmente boa a partir de sua Season 2, mas eu discordo e acho a Season 1 deliciosa, com toda aquela história do buraco. Buraco do qual eu venho sentindo falta hein? (ok, essa frase não pegou bem, reconheço, rs)

Parece que eles esqueceram de que aquele buraco gigante e que foi o ponto de partida de tudo, que hoje em dia até  já foi preenchido e que  precisa virar um parque  alguma dia, neam? Mas tudo bem, acho que eles só vão voltar nessa história perto do final da série, afinal, esta indo tudo tão bem da forma como esta, não é mesmo?

E para esse final de temporada, eles decidiram emocionar a todos com a despedida de um dos personagens mais queridos da série: Li’l Sebastian. Que ele descanse em paz, amém (“5000 Candles in The Wind”tocando ao fundo, euri, mas com respeito)

Agora, terminar a temporada com o Ron Swanson com a cara chamuscada, sem sobrancelha e com o bigode tostado não é para qualquer série, chega a ser até covardia. Ka ke ki ko ku!

Mas e ai? Será que a Leslie vai mesmo concorrer a vaga de prefeita na próxima temporada? Eu já até declarei recentemente que eu quero ela para presidente da America antiga hein? rs

Pois bem, para saber disso vamos ter que aguardar até a próxima temporada. Humpf!

E essa espera seria menos sofrida se os DVDs da série fossem lançados por aqui hein? Eu compraria, fikdik

Leslie Knope para presidente!

Abril 15, 2011

Acabei de fazer a minha maratona de Parks & Recreation e só tenho uma coisa a dizer: eu me sinto envergonhado por não ter descoberto a magia da série antes, fatão! P*ta série boa!

Uma das melhores comédias no ar atualmete, sem nenhuma dúvida, para ficar na prateleira especial ao lado de Community, Modern Family e 30 Rock. Vão por mim. Coincidência ou não, três delas são da NBC.

A série é dos mesmos criadores de The Office, com eu já disse antes e tem o ritmo parecido, com aquele clima de documentário que todas amam, recheado de olhadeeenhas indiscretas para a câmera. Cool!

Leslie Knope (Amy Poehler) é a cabeça do departamento de Parks And Recreation da cidade de Pawnee e a sua missão de vida, além de se tornar a primeira mulher presidente dos USA (Go Leslie!) é a de transformar uma buraco enorme em um terreno abandonado da sua cidade em parque. Divertidíssima, ela é do tipo de nerd que vc sente orgulho sabe? Apaixonada pelo trabalho, completamente maluca e com sérios problemas de relacionamento, praticamente não consegue dormir de tanto que trabalha e ainda é viciada em doces. Se identificou? #TEMCOMONAOAMAR?

E durante a primeira temporada e parte da segunda, tudo acontece em torno desse buraco e as situações são todas hilárias. Cada vez que uma pessoa rolava buraco abaixo, eu morria de rir e duvido qualquer um conseguir existir.

No elenco do departamento da prefeitura ainda temos as figuras mais engraçadas desse mundo. Sério, o que são aquelas pessoas? Nem sei de quem eu gosto mais…

Temos o amado chefe Ron Swanson (Nick Offerman), que é do tipo de chefe que não liga para nada que não esteja enrolado em uma fatia de bacon (rs) e que faz de tudo para não ser incomodado no trabalho. Donna (Retta) é a gordeeenha com a autoestima mais elevada ever, divertida mil. Jerry (Jim O’Heir) é o mais velho do escritório e é aquele de quem todo mundo gosta de tirar o sarro, o qual sofre bullying constante por parte de seus colegas. O que foi ele caindo no rio em busca de comida? Rolei!

April The Stranger (rs, Aubrey Plaza) é a assistente mais incompetente e engraçada da face da terra. AMO a sua relação de afeto com Ron e AMO o modo como ela maltrata todo mundo, principalmente a Ann, rs. Tom Haverford (Azis Ansari) é o braço direito de Leslie, mas é do tipo que tmbm não esta nem ai para nada, a não ser que envolva o lançamento da sua nova colônia (euri), ou uma reunião no strip club da cidade. Completando a turma do escritório temos Mark (Paul Schneider), o boy magia da série que é  foufo mil e que ainda não sabe, mas também ama a Leslie, fikdik.

Fora do escritório temos o casal Ann (Rashida Jones) e Andy (Chris Pratt). Ann é a moça perfeira, responsável, trabalhadora e linda…Zzzz. A chata da turma, é claro! Com o detalhe de que ela namora um fracassado (durante a Season 1), que sofreu um acidente ao cair no tal buraco em que gira toda a história, o adorável vagabundo Andy. Sério, ele é apaixonante!

Além da Leslie, que conquistou o meu coração com o seu comprometimento e seus milhares de arquivos de idéias, Andy foi outro personagem me chamou a atenção desde o começo.

Tem pessoa mais foufa nesse mundo? Com as duas pernas quebradas na primeira temporada, o cara é a pessoa mais folgada da face da terra. Depois ele toma um fora da namorada (Ann), vai morar no buraco, ganha um emprego na Prefeitura e agora divide o coração com a assistente mais incompetente desse mundo (April)? #TEMCOMONAOMAR? Sem contar a sua sensacional banda, a Mouse Rat (rs)

E a música que ele fez para a April, chamada “November”, hein? Euri

Se alguma dia a série tiver um fim (e que esse dia demore para chegar) e também se algum dia It’s Always Sunny in Philadelphia chegar ao seu fim, eu acho que eles deveriam aproveitar e fazer um spi- off/crossover, com o Andy e o Charlie (IASIF), que são praticamente gêmeos das séries!

Não sei, ando com uma tendência a gostar dos personagens mais sujeeenhos, que eu espero que não afete a minha higiêne pessoal. Todas esperam!

No começo da Season 1 eu amava a relação de amor platônico entre a Leslie e o Mark Brendanawicz (AMO como eles valorizam os sobrenomes, rs), que era o boy magia de Parks And Recreation. Dai veio a Season 2 e eles distanciaram os personagens, fazendo com que ele ficasse com a melhor amiga da Leslie (Ann…humpf!). Mas ai, recebemos uma punhalada em nossos corações logo no final da Season 2, com a saída do ator do elenco da série. Why God? Why?

Ele que era o planejador da cidade, saiu, mas não sem antes deixar o presente mais foufo ever para a Leslie, que foi o desenho da planta do seu parque. Howcuteisthat? Eu epsero que ele volte um dia para busca-la em um cavalo branco, sinceramente!

Com a sua saída, tivemos a entrada de Rob Lowe para o elenco,  que eu achei meio assim, além do ator Adam Scott (que todas conhecem de Party Down), esse segundo eu achei que combinou mais com todo o resto.

Todo o elenco é sensacional, afiadíssimo e do tipo super desconfortáveis com as situações mais absurdas que acontecem naquela pequena cidade com todos eles.

O mais legal em Parks and Recreation é que com pouco tempo no ar eles já criaram uma rotina, um hábito, de personagens e cenários recorrentes na série. Como a excelente ex mulher bitch de Ron Swanson que sempre aparece, vivendo uma relação violenta de amor/ódio/sexo com seu ex,  interpretada pela deliciosa 4ever in my heart Megan Mullally (Will & Grace), ou as visitas constantes ao programa “Goog Morning Pawnee”, que já renderam vários momentos excelentes e memoráveis a série.

Falando em momentos memoráveis, eu nem sei do que eu mais gostei até agora. Bom, vamos lá, tem o episódio da caça, que é muito engraçado, tem aquele com o casamento dos pinguins gays da cidade, que rendeu aquele video com a Amy Poehler cantando Poker Face, que eu já mostrei para vcs aqui no Guilt. Tem um outro com os representantes politicos da Venezuela e um “Viva Chavez” de rolar de rir e que conta com a participação de um velho conhecido da Amy Poehler dos tempos de SNL. Tem aquele com o gambá maldito, que me fez chorar de tanto rir. E é claro que temos também aquele com o maior inimigo de Leslie Knope por todos esses anos, o garoto de 16 anos, Pikitis. Rolei!

Na verdade,  tudo naquela cidade é  muito absurdo e muito bom, do tipo de série obrigatória para quem gosta de comédias nada óbvias. Ahhh e aqui, a própria Amy Poehler faz uma lista com os seus 10 momentos preferidos em Parks And Recreation.

Fiquei esperando pencas pela participação do Will Arnett na série (ele que é o marido de Poehler na vida real), que aconteceu como um dos pretendentes amorosos da Leslie, de quem ela ganhou uma tomografia completa (euri) e aguardo mais do que ansiosamente a participação da Tina Fey em Parks And Recreation. Em um dos eps se eu não me engano, Leslie diz que talvez tenha uma irmã e se isso for verdade, bem que poderia ser a Tina Fey, neam? Torço por isso…

E o que é aquela casa mega bagunçada dela hein? Muito pior do que o armário da vergonha da Mônica em Friends. Aliás, imagine a casa inteira daquele jeito, rs. AMO tmbm a relação de medo que ela mantém com a sua mãe, que me fez lembrar de um outro melhor momento da série, que é quando ela vai no barbeiro da cidade e me aparece com o penteado masculeeeandro, na festa em homenagem a sua mãe, imprimindo uma versão lez. Rolei!

Juro que só de procurar as imagens para esse post eu morri de rir novamente com todos esses momentos. Serião!

E o humor em Parks And Recreation, embora seja bem escrachado e tratar-se de uma série que lida bem com os absurdos, é recheado de piadieeenhas feministas e muito inteligentes, que vão aparecendo sutilmente nos diálogos mas que não deixam a série com cara de sexista. Coisa phina!

E parece que por aqui, nada da série sair em DVD hein? Que puxa!

Parks And Recreation atualmente esta perto da metade da Season 3  na America antiga (3×09, que eu alcancei depois da minha maratona, ufa!) e se vc estiver procurando por mais pelos menos 21 minutos de diversão em sua semana, esta mais do que recomendado.

Até o momento, Leslie conseguiu apenas cobrir o buraco e nada do parque sair do papel. Mas quer saber? Esta divertidíssimo acompanhar essa tarefa do departamento de Parques e Recreação de Pawniee.

Voltem logo em IMAX 3D (euri)  que eu já estou beeem viciado e incorporei Parks And Recreation na minha vida como a minha série política preferida. Pq as vzs a a gente tem que falar sério neam? rs

Aliás, tem uma praça precisando de uma reforma em frente a minha casa…será que eles aceitam um novo projeto?

Minha nova diversão do momento: Parks And Recreations

Abril 7, 2011

Dos mesmos criadores de The Office, a minha nova série querida do momento, Parks and Recreation, quetem animado as minhas noites.

Comecei agora a segunda temporada e tenho gargalhado compulsivamente. Recomendo!

Meosonho agora é sair um dia com a Amy Poehler e a Tina Fey (com que eu fiz as pazes, e que esta grávida do seu segundo filho, yei!), fatão! E se a Amy ainda quiser levar o maridão, o excelente Will Arnett, melhor ainda, que ele é divertidíssimo! Imagina esse casal em casa? E isso justifica aquela cara foufa e de bem com a vida do filho do casal, Archie, neam?

E só essa cena, me fez rolar de rir umas 15 vzs, ó:

MAMAMA Poker Face MAMA Poker Face (euri)

ps: quando eu terminar minha maratona, conto tudo para vcs

Quem nunca ficou assim quando entrou em uma loja de brinquedos que atire o primeiro bloco de Lego!

Fevereiro 2, 2011

Liga não Archie, eu fico emocionado assim até hoje, fatão!

Quanta foufurice esse momento, não?

I ♥ Archie, o it baby mais careteiro de Hollywood


%d bloggers like this: