Posts Tagged ‘prontofalei!’

It Girl em crise

Julho 19, 2012

Sim elas estão em crise e agora que conseguiram atingir o sonho de ser uma it girl, não querem mais ser considerada como tal. (tisc tisc… isso segundo um texto que correu por aí não tem muito tempo… tisc tisc)

Mas será que esse é realmente um sentimento verdadeiro ou elas finalmente conseguiram entender que não é tão legal assim ser a garota do momento, um sonho que hoje em dia já tem quase que uma fórmula certa para ter mais chances de acontecer, tornando-se possível para cada vez mais pessoas e talvez por isso tenha perdido muito de sua graça? Será que elas cansaram mesmo de suas vidinhas de it girl ou finalmente acordaram do sonho que descobriram tardiamente que estavam compartilhando com quase todo mundo?

Segundo elas, agora o legal não é mais ganhar brinde caro de marca poder e se exibir carregada com os mimos em fotos de redes sociais, não é mais bacana entrar de graça em buatchy passando na frente de quem também só que ser divertir, ou adquirir aquele celular do momento que de tão necessário, todo mundo já tem, mesmo que diferente de vc (as vezes nem tanto) alguns tenham que parcelar em 24 vezes no cartão para pagar depois. E aquele aplicativo novo? Todo mundo já descobriu também e daqui a pouco até a filha da sua empregada pode ter o mesmo. It agora é ser normal, cafona é ser mainstream. É isso mesmo? (e quando foi diferente, me diga?)

Mas desde quando ser normal virou apenas isso? Desde quando ser normal não é mais só ser vc mesma e não se interessar entusiasmadamente por tudo aquilo que todo mundo está falando em tudo quanto é blog e vc que se acha muito bem informada, acabou descobrindo primeiro, mesmo tendo caído como presa fácil nas armadilhas que quase todo mundo também cai diariamente, todas elas escondidas no “tem que ter”, “tem que ver” ou “tem que saber”?

Normal não é ser desinformada, não é ignorar as novidades ou ter menos grana para poder bancar isso ou aquilo. Ser normal é simplesmente ser e não tentar parecer ser, é não se importar se vc tem ou não aquilo que todo mundo está comentando em tudo quanto é lugar. Ser normal é achar bacana que até a filha da empregada tem o mesmo app que vc e sabe usar ainda melhor e por isso pode te dar aquela aula de graça. Ser normal é pagar entrada em buathy porque vc sabe que ninguém trabalha de graça, é esperar na fila por vc ser apenas uma pessoa educada, como a gente sonha que todo mundo seja um dia. Ser normal é agradecer quando se ganha um presente qualquer de alguém que não tinha a menor obrigação de lembrar de vc, mesmo que esse alguém seja uma empresa cheia de segunda intenções.

Nesse caso, acho que existe um equívoco enorme em relação a “ser normal” e não ser uma pessoa muito bacana.

Soa quase como um “agora que todo mundo pode brincar, eu não quero mais”, como se a sua boneca poder que ninguém da turma tinha ainda já estivesse a venda na lojinha da esquina para quem quiser comprar, ou como se todos os seus amiguinhos também tivessem uma bola e por isso não adianta mais fazer bico e ameaçar de levar a sua para casa só porque vc está perdendo no jogo. Como se a exclusividade fosse a alma do negócio e algo só fosse interessante enquanto caro, assinado ou inatingível para uma maioria. Uma grande bobagem, além de ser um tanto quanto contraditório, onde nesse mundo da internet em que todos nós nos encontramos o tempo todo e onde muitas dessas it girls agora em crise se criaram, esse universo só se tornou o que é hoje por conta de uma ação: compartilhar.

Compartilhe. Aceite que o outro conhece mais ou menos do mesmo assunto que vc, mesmo ele não fazendo parte dos seus 8573548 seguidores no Twitter. Desça desse Louboutin que vc só comprou porque aquela it girl do seriado de TV disse que era o must have da estação  e lembre-se que ela é paga para isso e provavelmente ganhou de presente os 687 pares que usa diariamente ou pegou emprestado e tem que devolver em até 48 horas depois daquela premiere e aceite que outras pessoas possam compartilhar desse mesmo desejo, mesmo que muitas delas não consigam sequer pronunciar direito o nome da marca dos sonhos de todas. Doe para um morador de rua aquela Chanel de corrente que vc só comprou porque todo mundo tinha e não porque vc achou por vc mesmo a bolsa mais necessária ever. Compartilhe da sensação de que outras pessoas possam chegar no mesmo it estado que vc e fique na torcida para que elas sejam pessoas it bacanas, que mereçam a nossa atenção não só pela embalagem, pelas marcas que carregam ou pelos lugares que frequentam e sim por esse ou por aquele motivo.

Elas se dizem cansadas de ter que fazer as unhas semanalmente, sendo que no passado sorteavam kit esmalte quase todos os dias em seus blogs e adoravam quando recebiam alguma amostra como mimo, que a gente bem lembra. Reclamam de ter que saber o nome da editora da Vogue francesa, sendo que se vc perguntar qual é a função dela dentro da revista, temos certeza que muitas vão tropeçar na resposta e podem responder que é ganhar roupa cara e sentar na primeira fila de desfile, chegando no escritório depois jogando casacos e bolsas mais caros ainda na cara de suas assistentes submissas. Elas dizem não aguentar mais ter que fazer visitas diárias a todos aqueles blogs fundamento que vasculham todos os dias para buscar algumas inspiração que elas repetem nos mínimos detalhes em seu próprio fundamento do dia a dia, muitas vezes ganhando crédito por isso e também dizem que não aguentam mais ter que fotografar cada passo de suas vidas no Instagram, só para fazer valer aquela permuta amiga que é sempre bem vinda e a gente também sabe que quando não tem pacote de presente certo no correio é uma tristeza só.

Cansou de brincar de ser it girl?

Abra mão, siga outros caminhos, só não seja mal agradecida. Existem caminhos mais interessantes do que a ingratidão, temos certeza disso. Nós gostamos de ler o seu blog, de assistir o seu programa na TV, de admirar o seu fundamento, mas isso não significa que o sonho de todas é ser uma it girl como vc, tão pouco ser “normal” dessa forma tão equivocada que vc imagina.

Não nos it decepcione!

 

ps: esse post não é uma resposta, ou uma provocação direta para esse ou aquele e também não tem a menor intenção de causar intriga. Sua verdadeira motivação foi a de apenas mostrar um conceito diferente do que muitos também podem considerar sobre o que é ser “it normal”. Peace! \\//

 

♥ Já está seguindo a magia do Guilt no Twitter? Ainda não? @themodernguilt

10h35

Fevereiro 17, 2012

Quem nunca teve vontade de ser super sincero?

#MEAGUARDEMUNDODOENTRETENIMENTO

Só eu fico constrangido com esse tipo de coisa?

Fevereiro 16, 2012

Pq quando vc passa dos 40, está na hora de abandonar o combo saia curta bem curta e o top.

Mas eu não sou do tipo radical e acho que a saia curta bem curta ainda pode se vc estiver se garantindo bonitona, só não precisa deixar a rabiga de fora, não é mesmo Jennifer Aniston?

Totalmente desnecessário.

E o Paul Rudd, hein?

Como eu tenho esperança de um dia participar do SNL, não vou me arriscar em dizer que ele é um quase bonito que é quase engraçado. Tipo um projeto inacabado (mas adoro ele como marido da Phoebe, no casamento mais foufo e maravileeeandro de Friends ever!). WOO!

Qual o sentido?

Janeiro 23, 2012

Qual o sentido de trazer alguém de tão longe para apenas “assistir” ao seu desfile?

Ainda mais se essa pessoa for o Ashton Kutcher e ele não trabalhar com moda…

E pior ainda, qual o sentido de fazer ele aparecer vestindo esse  jeans com essa lavagem pavorosa todas detestam e essa parte de cima que poderia ter sido feita por qualquer uma das outras milhares de marcas preguiça que existem no mercado, hein?

Agora, pior ainda do que tudo isso, é homem que faz cara de lobo faminto de cartoon, quando está sentado na primeira fila e não consegue resistir a uma magia qualquer.

Acho sempre um ve-xa-me!

Pelo menos a gente disfarça e se esconde atrás daquele óculos escuro poder (Smacks Constanza, MUSE, Smacks Gloreeenha!, MUSE, Smacks Palomino! MUSE!) ou atrás dos bloquinhos de anotação, onde a gente desenha corações para nossas magias preferidas que aparecem e enfeitiçam na passarela, mas fingimos que anotamos algum fundamento sensacional do desfile, neam? rs

Precisava vir cortar a grama tão cedo?

Junho 14, 2011

Precisava?

Esse post foi apenas um desabáfu…humpf!

Lancheira de bloco de Lego também é muita covardia!

Março 29, 2011

Como já passamos da idade escolar, pensei em comprar e colocar coisinhas mil, que tal? Acho chic!

Da para levar para o trabalho tmbm e matar as colegas de inveja da lancheira e do recheio, com o combo Doritos + Sprite + Barra de Chocolate. Euri

Euquero!

Gostaria de aproveitar o momento e fazer um apelo. Um apelo bem sério:

Em nome de todos que sofrem por ter o paladar infantil, eu gostaria de dizer aos meus colegas de trabalho (e para todos que sofrem do mesmo problema, ou para qualquer pessoa que costume fazer algo parecido) que o meu almoço, mesmo que tenha cara de aperitivo para vcs, ele ainda é o meu almoço. Aquela bolacha, aquele salgadinho, chocolate os as jujubas, são o meu almoço, o equivalente ao cimentão de vcs, acreditem!

Então, nada de todo mundo ficar na mão grande neam? Afinal, eu não coloco a mão no prato de  vcs neam? Prontofalei!

Acho uma grande sacanagem de quem costuma fazer isso e eu sempre acabo ficando sem o meu own almoço! (faz tempo que eu queria dizer isso, desabafei…)

Cada um com o cimento que merece… (rs)

Carta aberta para os fabricantes de bolachas recheadas

Janeiro 10, 2011

Essa é uma carta aberta escrita por um consumidor frustrado…

Desde criança eu mantenho um ritual sagrado: assistir tv comendo bolacha (ou biscoito para vcs que são de outras regiões)

Me lembro como se fosse hoje de passar horas e horas em frente a tv, ainda quando criança, me deliciando com um pacote de bolachas de chocolate, que sempre foram as minhas preferidas. Trakinas por exemplo ficava entre o meu Top 5 de preferidas, ao lado da Negresco, Passatempo, Bono e uma Waffer que o meu pai trazia de um lugar mágico, que era coberta de chocolate e tinha recheio de baunilha (tipo um Bis só que gigante, yummy!)

Os anos se passaram e eu cresci (mas não envelheci, filkfik, rs), alguns hábitos foram mudados na minha vida, mas um deles eu sentia prazer em manter: assistir tv comendo bolacha (rs)

Bom, isso até que para minha surpresa as coisas mudaram. Comecei a reparar que algo estava diferente e essa preocupação universal, tardia e bunda mole com a alimentação alheia estava começando a me afetar.

Vcs já pararam para comer um pacote de bolacha Trakinas atualamente, por exemplo?

Não? Já superaram o paladar infantil? Sei… (tisc tisc tisc)

Bem, pois eu que continuo cultivando e muito bem esse meu paladar versão kiddo, digo para vcs que atualmente já não é a mesma coisa…humpf!

Eu não sei bem o que eles fizeram, mas acho que tem algo relacionado com uma farinha especial (dessas “policamente corretas”) que eles andam colocando na new generation da bolacha que transformou a minha sagrada experiência em um total pesadelo. Sinto como seu eu tivesse comendo bolacha com areia, na beira da praia (e eu odeio comer na praia pq tenho a sensação de que tudo fica coberto de areia, fatão!). Um horror!

O sabor mudou, dizem que a bolacha ficou mais nutritiva e eu dou o meu parecer como consumidor cativo por anos e  mais anos: pode até ter ficado mais nutritiva, mas ficou pavorosa também!

Naquela época (quando cirança) eu comia Trakinas porque era gostosa, um pouco também porque tinha “carinhas” divertidas e meus pais nunca foram alienados o suficiente para acharem que tratava-se de um alimento super nutritivo. Hoje eu cresci, me tornei um adulto sem grandes problemas de saúdes, oscilando na balança (confesso!) como todo mundo e continuo comendo bolacha de chocolate assistindo tv e nem confi. Pelo menos eu continuava, até a drástica mudança.

Agora como adulto, eu continuo consumindo bolachas (as outras 4 marcas do meu Top 5), não porque elas são nutritivas ou porque oferecem algum tipo de benefício e sim porque elas continuam gostosas, simplesmente por isso.  Mas se algum dia eu vier a me preocupar seriamente com esse qualquer coisa relacionada a minha alimentação, certamente não vai ser em um pacote de bolachas que eu vou procurar o caminho para uma vida mais saudável, afinal, sou uma pessoa inteligente neam? rs

Não sei se os pais de hoje em dia são tão alienados assim, que acham que comprando um pacote de bolacha recheada para o seu filho estão colaborando para uma alimentação saudável, ou que a tal farinha mágica (e horrorosa) vai colaborar para isso, mas eu aviso que se vcs estão procurando algo saudável para os seus filhos é melhor começar a dar uma atenção a mais para uma cenoura, ou um pé de alface por exemplo. (rs)

Essa preocupação com uma realidade tão presente em nosso dia a dia que é a obesidade, eu até acho considerável e realmente preocupante. Só não consigo entender o porque da grande mudança em produtos que todos nós sabemos muito bem que não são grandes ganhos para a nossa saúde. Se quiserem lançar uma nova fórmula de bolacha, com a tal farinha especial, enriquecida em fibras e vitaminas eu sugiro um nome novo: Sem Graça!

Agora não me venham mudar o que já existe e transformar em algo completamente diferente, aproveitando a embalagem para garanrir as vendas, que isso não da para engolir. Literalmente! (prontofalei!)

Eu gostaria por exemplo de ter a opção de daqui alguns (muitos) anos, abir um pacote de bolacha (Trakinas que seja) assistindo tv, sentado no sofá ao lado dos meus filhos e sentir o mesmo prazer de quando eu era um garotinho e ficava horas e horas em frente a tv assistindo aos clássicos da Hanna Barbera. Mas corro o risco de que até lá, esse que pra mim um dia foi um ritual delicioso de infância, se torne um pesadelo em forma de dois brócolis cozidos no vapor, recheados com creme de espinafre. Ew!

Digo e repito, quem compra um pacote de bolacha de chocolate não compra porque é nutritivo e sim porque é gostoso!

Esse não é um chocho gratuito ou uma campanha negativa sobre a marca em questão. Trata-se apenas da opinião particular de um consumidor de anos que se encontra completamente insatisfeito)

ps: e o mesmo recado vale para quem fabrica o Fandangos, ou para quem inventou o novo Tang (rs). Pura sacanagem!

E ai Dona Dilma?

Novembro 1, 2010

Tem jeito? …

Esperamos que sim e vamos ver o que a Sra consegue fazer durante os próximos 4 anos neam?

Presidentismo não é o meu assunto preferido (não mesmo…), mas sinto  a eleição de uma mulher para o poder  como um respiro, um passo para uma evolução que demorou tanto. Ufa, quem sabe estamos a caminho da igualdade hein?

Eu por exemplo, sempre tive chefes mulheres, fatão! Com algumas diferenças e não concordando com muitas de suas atitudes, no final, eu sempre acabo admirando todas elas, de uma forma ou de outra, outro fatão!

Sem preferir esse ou aquele partido, espero sinceramente que as coisas melhorem para todos hein?

Chato só é ter que ser obrigado a sair de casa em pleno domingo, especialmente esse que era o dia das bruxas (será que elas colaboraram para o fato?), mas se é preciso se envolver para poder reclamar depois, que assim seja não é mesmo?

Boa sorte para vc e quem sabe para todos nós!

#GIRL POWER

Guilt desabáfu: momento The (ex) Office

Dezembro 9, 2009

Quando vc começa a escrever um blog, vc nem imagina que alguém além de vc mesmo vai parar para ler a bobagens que vc escreve, mas quando vc menos imagina algumas pessoas, amigos, desconhecidos e anônimos começam a considerar e a seguir as bobagens que vc escreve o tempo todo.

Logo começam a chegar os comments, muitos foufos, outros nem tanto, uma série de opiniões e loucureeenhas. Pura diversão! Pelo menos comigo é assim, até quando é um chocho eu me divirto, pelo menos por enquanto, já que eu não recebi nenhum chocho daqueles bem pesados neam? Thnks leitores foufos do Guilt.

Tudo que vc publica no blog se torna público e as sua palavras e imagens passam a ser interpretadas de formas diferentes, por olhares diferentes que muitas vzs vão muito além do que vc realmente gostaria de ter dito quando fez aquele post inocente que se torna super paul lêmico rapidamente. E o que fazer? Como controlar isso? Resposta: pare de escrever no blog, feche a sua conta e vá djá fazer um diário, pq essa é a única maneira de controlar o que as outras pessoas tem a dizer sobre as suas bobagens públicadas online.

Esse post na verdade foi um pequeno desabafo, de uma suspeita de fofoca sobre mim que eu ando investigando, na verdade fechei a investigação com esse post aqui mesmo. Detetivão que sou, achei muito estranho algúem do meio do nada demosntrar qualquer tipo de interesse em minha vida, ainda mais isso vindo de alguém que  eu nem lembrava mais que existia e que até então não havia demonstrado qualquer interesse em meu universo, com colocações do tipo: “ah, vc fala umas coisas que a gente nunca entende…” ou “nossa, mas vc vem com uns assuntos que a gente nunca ouviu falar”.

É claro que conhecimento é algo muito particular e as possibilidades são infinitas e as diferenças mais ainda, variando muito de pessoa para pessoa, mas um pouco de esforço e o mínimo de conhecimento com o que vc trabalha deveria ser essencial para um bom profissional…o que nem sempre acontece no mundo real, fikdik. Não é mesmo Michael Scott? Tah, isso esta parecendo um episódio de The Office, onde na verdade a história é velha e a piada mais ainda, conhecidíssima no mundo da moda, para quem realamente vive nesse universo neam? Fikanovadik!

Acho incrível vc poder compartilhar de diversas opiniões, sejam elas parecidas ou não com as suas, acho sempre que existe uma possibilidade de um debate interessante, de uma conversa solta ou de um papo loucureeenhas. E o anonimato faz parte do mito neam? Como se um nome fizesse a diferença, fato é que vc recebeu uma crítica e precisa deixar de ser mimada e aprender a lidar com isso. Pode ser um sinal de covardia quando vc não assina aquilo que diz? Talvez…mas qual a diferença entre o anônimato e o seu nome? A possibilidade de creditar uma cara ao fato? Bobagem, tem coisas que não vão mudar, seja elas assinadas ou não, assim como o mau gosto, falta de carater, cruelade, o julgamento, precipitações, ou seja tudo que esta presente o tempo todo nos seres humanos, tendo eles um nome ou não. Particularmente eu prefiro assinar tudo que eu escrevo, acho mais digno. E ao contrário do que alguns podem pensar ao meu respeito, eu tenho coragem!

Não que eu credite à minha coragem ao fato de sempre assinar os meus comentários, pq não acho que o anonimato seja uma falta de tal caracterisitca, mas eu credito à minha coragem a minha personalidade, ousadia, criatividade e todas as outras loucureeenhas que fazem parte do meu universo. Se bem que uma vez eu bem postei algo como anônimo, mas foi só para gerar uma certa curiosidade em quem escrevia naquela época, para despertar o desejo de saber quem eu era, o que no final das contas não deu muito certo, mas isso é história para um novo post e não esse. Agora o que eu detesto é ser acusado de algo que eu não fiz, mesmo não tendo sido acusado diretamente, mas essa possível suspeita me irrita e isso sim eu considero burrice e acho muita prentenção acharem que algumas pessoas que fizeram parte do meu passado ainda façam parte dos meus pensamentos. Tolice! Ainda mais quando essas pessoas nem foram importantes para mim, fatão!  A não ser por Michael Scott, essse sim continua sendo o meu queridão!

E vamos parar com essa bobagem de achar que só pq eu tenho o humor super ácido, recheado de piadas de humor negro, ou porque eu não me preocupo em parecer politicamente correto sempre, que eu não tenho coração e que provavelmente  é por isso que eu devo odiar todo mundo. Isso não é verdade, sou super 60’s, faço a linha Peace And Love. Mas não com todo mundo neam? Que eu tmbm faço a vingativa quando preciso, mas nesse caso em específico não foi o que rolou, dessa história escondida nas entrelinhas desse texto, história essa que eu só levei um inimigo, o que nunca foi segredo para ninguém e tmbm não por minha escolha mas sim porque ela me escolheu como inimigo e sendo assim, nunca nem precisei fazer a vingativa pq eu não me importava nem um pouco com a situação. E jamais que eu vou ficar arquitetando um plano infalível para destruir meu inimigo ou algo do tipo, não que ela não mereça,  mas prefiro deixar a vida seguir seu curso e não me preocupo com o que essa pessoa anda fazendo da sua vida, afinal suas escolhas nunca foram das melhores mesmo e em um mundo recheado de cafononas pq é que eu iria precisar de mais uma cruzando o meu caminho diariamente neam?

Mas também não facilita e jamais cruze o meu caminho, prontofalei (rs). Isso pra mim é  mais do que uma prova de que coragem não me falta, pq todas as vzs que foi necessário eu enfrentei os meus problemas com quem precisava enfrentar, batendo de frente e nem sempre levando a melhor porém sempre deixando bem claro a minha posição, ética tmbm não me falta pq em nenhum momento eu corri para o colo dos amigos que se encontravam em uma posição de maior poder para fazer fofoca ou ficar envenenando ninnguém contra ninguém, aproveitando da situação favorável e agindo pelas costas dos outros. E frustracões fazem parte da vida de todo mundo mas essa passagem na minha vida esta longe de deixar qualquer marca tão pouco algo parecido com uma frustração, nem de longe. Frustração deve sentir quem fez  opção pela pessoa errada e pelos motivos errados, quem perdeu de conhecer uma pessoa incrível, que entende e realmente é apaixonada pelo que faz. Mas fazer o que neam? Perdeu! Eu é que não volto mais para o The (ex) Office.

Meu nome é Essy e se algum dia eu tiver vontade por qualquer motivo que seja de escrever qualquer coisa sobre vc, vc, ou vc, é exatamente assim que eu vou assinar o meu comment. E nem confi!

ps: Essy veste Ropahrara (euri) só pra provocar! E ainda cantando Russian Roulette da Rihanna, rá!

Me desculpem utilizar o meu blog para algo tão pessoal como esse desabafo, mas é que eu achei necessário e foi meio que uma virada de página que já estava virada faz pencas de tempo, post do tipo comemorativo de 1 ano! E não vou mais falar do assunto por aqui, pq já deu e fazânus que eu nem penso mais nisso. Fora que esse desabafo foi baseado numa hipótese e caso não tenha nenhum fundamento e as suspeitas sejam apenas loucureeenhas e mania de perseguição como diria a minha sábia mãe, no hard feelings,  esse post servirá apenas como um simples texto ilustrado de alguém que jura que sabe escrever neam? E além disso tudo, estou  em busca do meu futuro  e não tenho tempo para intrigas do The (ex) Office? Smacks Miss Envy


%d bloggers like this: