Posts Tagged ‘Sarah Solemani’

Him ♥ Her (Season 3)

Março 1, 2013

HAH

Mais uma temporada sensacional de Him & Her, o casal mais sujinho e adorkable da TV (bem atrasado eu sei, mas juro que estava ensaiando essa review faz tempo. #MyBad) . Mais uma temporada em que acompanhamos esse casal de preguiçosos vivendo à sua forma em meio a uma verdadeira bagunça deliciosa (as vezes nem tanto e quando vejo o tanto de lixo acumulado naquela lixeira, vai me batendo o desespero. Isso sem contar o meu nível avançado de TOC, que me faz ter pelo menos vontade de organizar aquilo tudo), recebendo visitas cada vez mais constantes e nada convenientes, naquele apartamento onde de tudo acontece.

Se tem um comédia brilhante sobre o nada na TV atual, essa é Him & Her, que realmente consegue ser muito especial tratando absolutamente sobre nada. Chega a ser um absurdo o volume de situações que eles conseguem nos propor dentro daquele pequeno apartamento, que acaba servindo como o único cenário da série, o qual a essa altura, já exploramos muito bem cada um dos seus quatro cômodos (sendo um deles apenas um hall e sem contar a escadaria, agora também bastante presente como cenário da série). Ainda mais pensando que todas essas situações surgem de um cotidiano onde quase nada acontece, falando sobre que aquele casal está fazendo no momento em que paramos para observar suas vidas de frente com a TV, eles que por serem totalmente preguiçosos e não terem quase nunca muito o que fazer, poderiam ser as pessoas mais tediosas do mundo, mas estão completamente longe disso.

Esse na verdade é o brilhantismo da série, que com um excelente texto do seu criador, Stephan Golaszewski, consegue nos entreter com toda aquela monotonia que é a vida do casal e no caso, como normalmente de vez em quando bem pode ser a nossa também. Um texto realmente muito bom e que ao longo dessas três temporadas foi o que acabou nos fazendo notar uma visível evolução de seus personagens, tanto quanto de suas próprias histórias. Apesar da série não ter exatamente uma continuidade e não utilizar de recursos simples que várias outras comédias utilizam (as vezes de forma totalmente sem medida) para contar sua história, eles conseguiram aprofundar muito bem cada um de seus personagens, assim como suas relações e isso em um espaço totalmente limitado e que certamente nunca chegou a ser um problema para Him & Her e na verdade, acaba sendo o seu charme.

Muito embora precisamos reconhecer que essa foi uma temporada um tanto quanto diferente para a série, porque pela primeira vez tivemos um plot central em meio a todas aquelas situações do cotidiano do casal, com Steve (Russell Tovey) planejando a melhor forma ou o melhor momento para finalmente pedir a mão da Becky (Sarah Solemani) em casamento, que para quem não se lembra, foi exatamente o motivo do quase término do casal durante a Season 2, quando ela descobriu que ele havia pedido a ex namorada em casamento, algo que até então ele nunca havia sequer mencionado como possibilidade para ela e que nos trouxe um dos poucos momentos dramáticos para a série no seu passado. (dramático no limite e por sinal, super foufo também)

HAH

E essa proposta ideal foi o plano de Steve durante toda essa Season 3, onde observamos ele se preparando para o tal momento, mas sempre encontrando alguma dificuldade em seu caminho (apesar de não ter a menor dúvida sobre o assunto), como as inconvenientes visitas de todos ao apartamento do casal a todo e qualquer momento, assim como a sabotagem da irmã da Becky, a adorável detestável Laura (Kerry Howard), que agora estava grávida e como toda boa megabitch extremamente egoísta e egocêntrica ao extremo,  não queria dividir as atenções com a irmã e por isso, fez questão de tentar sabotar o plano do Steve a todo momento, inclusive tentando se livrar a todo custo do anel comprado pelo próprio para o momento do pedido e tudo isso sem carregar a menor culpa.

Uma reclamação antiga a respeito de Him And Her que eu sempre tive foi exatamente esse tipo de comportamento da Laura em relação aos demais personagens, sempre sendo cruel demais e até mesmo grossa o tempo todo. Não que eu ache que isso não agregue em nada, porque todas as suas grosserias acabam trazendo ótimos momentos para a série, causando um desconforto geral entre todos eles, mas sempre achei estranho que ninguém expressasse qualquer tipo de reação de repudio a essa comportamento extremamente ofensivo e grosseiro de sempre da personagem.

Até que, em um dos melhores momentos da temporada, Shelly (Camille Coduri, que só depois da minha maratona em Doctor Who, eu fui descobrir que é também a mãe de Rose), a amiga que mais sofre na mão da Laura (e que finalmente acabou encontrando no Dan – Joe Wilkinson – a sua outra metade) acabou explodindo em um momento de fúria em relação a forma como a amiga sempre tratou todos e especialmente sobre o modo como ela havia tratado o seu filho naquela ocasião (sim, Shelly tem um filho), vomitando uma série de verdades na cara da amiga, que já estava mais do que na hora que ela acabasse ouvindo de alguém. Finalmente! (Clap Clap Clap) E a cara de realização de todo mundo nesse momento também foi sensacional, assim como a forma com que Laura conseguiu se defender daquele momento constrangedor e sair daquela situação, alegando que a amiga “totalmente fora de si”, estava gritando com uma grávida e isso ninguém jamais deveria fazer. Sério, #TEMCOMONAOAMAR? (talvez Laura devesse permanecer grávida para sempre, para evitar qualquer tipo de confronto)

Shelly que inclusive fez sucesso com o pai da Becky, que não conseguiu disfarçar o seu entusiasmo para cima da personagem, para desespero do Steve, que teve que lidar com a empolgação do sogro, mesmo sendo um homem casado e ainda se achando no direito de não aceitar o próprio como futuro marido da sua filha. Sem contar que Shelly e o Dan formam um casal adorkable (e mais esquisito impossível ao mesmo tempo) e eu desde sempre achei que eles deveriam ficar juntos. Confirmou!

Durante essa Season 3, ainda tivemos um plot sensacional com a possibilidade do Paul (Ricky Champ), pai do filho da Shelly, na verdade ser gay (ou pelo menos bi), com ele revelando algumas dúvidas em relação ao futuro do que ele tem hoje com a Laura e ao mesmo tempo com um amigo que conhecemos durante o mesmo episódio, com quem acabou ficando mais do que na cara que ele tinha alguma coisa especial. Aliás, esse seria um castigo ótimo para a Laura. Sorry Laura, mas você vem fazendo por merecer.

HAH

Mas essa foi realmente uma temporada para que a gente se aprofundasse ainda mais na relação do casal, onde inclusive ganhamos um flashback, que nos trouxe a lembrança o adorável primeiro encontro do casal, que honestamente, não poderia ter sido mais foufo ou o começo para uma relação perfeita (nesse caso, claro). E quem já não tinha pelo menos a impressão de que tudo havia acontecido exatamente naquele apartamento, desde o começo? E o Steve tentando esconder toda a sua bagunça (sim, ele sempre foi o mesmo e já ouvia Stereophonics. Repito: #TEMCOMONAOAMAR?), foi ótimo também  e ela tentando esconder que havia quebrado sem querer a pia e ao mesmo tempo se dando conta que aquela seria a bagunça perfeita para ela mesmo viver, foram momentos bem bacanas e super especiais para quem acompanha a série. Um episódio cheio de referências a mitologia de Him & Her, como uma série de símbolos importantes do que apreendemos a AMAR de tudo que já vimos da série, especialmente da relação de amor daqueles dois até então.

Até que finalmente chegamos ao episódio com a elaborada e ensaiada proposta de casamento do Steve para a Becky, que obviamente acabou fugindo completamente dos seus planos por conta dos acasos da vida e as interferências de todos que circulam a todo momento pelo seu apartamento, algo que inclusive quase acabou em um briga entre ambos (tudo por conta de um desentendimento), mas que também acabou nos levando para um dos momentos mais foufos da história do casal. Ele só de roupão, morrendo de vergonha por primeiro, ter que revelar qual era o seu plano e segundo por ele não ter dado nada certo, mesmo depois de todo aquele trabalho, vestindo o pedido de casamento super bem elaborado, carregando as caixas com as possíveis respostas dela e o detalhe dos balões de corações presos no armário aguardando o “Sim” para serem soltas, foi mais do que especial. Um dos meus momentos de relações de amor preferidos da TV (♥), principalmente por sua originalidade, mas especialmente por tudo que ele representava naquele momento para ambos os personagens, que desde que os conhecemos, percebemos que foram mesmo feitos um para o outro. Juro que eu até chorei naquela cena (sabe quando você chora e ri ao mesmo tempo? Então…) e acabei a revendo por pelo menos umas 5 vezes.

Depois disso ainda tivemos mais uma momento bem bacana para a série, com a visita do pai do Steve, tão adorável quanto o filho (muito engraçado como ambos representam muito do que são os seus pais, não?), dividindo um momento afetivo super especial com ele entregando o livro preferido do filho quando criança, em um episódio especial de Natal que acabou encerrando essa Season 3 de forma deliciosa. (até o momento, não há a confirmação da BBC a respeito de uma possível quarta temporada, que nós mais do que torcemos para que aconteça embora ambos atores principais estejam envolvidos em outros projeto – o que não é nenhuma novidade e pode não significar nada uma ver que por se tratar temporadas curtas, eles sempre fizeram outras coisas além da série)

Mas não adianta e toda vez que termina uma temporada de Him & Her, a sensação é a de que ela foi curta demais (dessa vez foram novamente apenas 7 episódios). Humpf! Assistindo a série e AMANDO todo o seu fundamento desde sempre, fico com a impressão que se todos eles estivessem dispostos, poderíamos continuar assistindo aquele casal envelhecer lindamente na TV por vários anos.

♪ Come closer and cuddle me tight/ My heart goes/ Boom bang-a-bang, boom bang-a-bang/ When you are near ♪

♥ Já está seguindo a magia do Guilt no Twitter? Ainda não? @themodernguilt

Him & Her Season 3, o trailer

Outubro 31, 2012

O casal mais sujinho do mundo indeed (Season 1, Season 2) está de volta para a sua Season 3, dessa vez um pouco mais limpos do que o normal e porque não dizer até organizados?

Será que vai ter pedido de casamento mesmo?

Russell Tovey = Höy + (♥)

 

♥ Já está seguindo a magia do Guilt no Twitter? Ainda não? @themodernguilt

A nova má educação indeed

Outubro 23, 2012

Comédia inglesa da BBC3  com o melhor do humor da terra da Rainha, que obviamente eles melhor do que ninguém, sabem muito bem como fazer na medida certa.

Confesso que eu gosto muito desse tipo de humor inglês, que quando é ácido é ácido mesmo, sem meio termo e é exatamente isso que encontramos em Bad Education.

Seu cenário é uma escola, um high school qualquer repleto das mais diferentes figuras, mas o foco da série não são exatamente os seus alunos e sim o pior professor de todos os tempos, Alfie. Irresponsável, muitas vezes bem mais infantil e imaturo do que os próprio alunos, ele apesar de todas as suas falhas é super querido entre os estudantes (não do tipo que todos ficam o observando como se ele fosse um grande exemplo de comportamento e mais como amigo mesmo, como mais um da turma), que é claro que adoram o perfil do professor, isso até a coisa apertar e todos eles se encontrarem prestes a repetir de ano.

Apesar de título de um dos piores professores dos últimos tempos, Alfie também poderia ser considerado com um ótimo professor, pelo que ele consegue fazer com a sua sala de aula, tornando suas aulas bem mais interessantes (e elas ficam mesmo bem interessantes), mesmo que cinco minutos depois ele perca totalmente o foco. Na verdade, nunca entendi muito bem o porque que para ser considerado um bom professor, o profissional precisa ser extremamente sério. Meus melhores professores ao longo da vida (ou os que eu lembro com saudades) foram todos contadores de histórias e super bem humorados.

Claro que dentro desse cenário, todos os personagens acabam sendo umas figuras, como o diretor invejoso, a vice-diretora que fica no pé de Alfie, além da professora de biologia, interpretada pela Sarah Solemani, de Him & Her. Sem contar os alunos, que são todos caricatas e divertidíssimos. As piadinhas com o cadeirante ou o aluno gay da turma, foram todas excelentes nesse piloto.

O bacana também é que a série é uma criação do próprio Jack Whitehall (Höy!), que interpreta o professor Alfie, uma das grandes apostas do novo humor inglês. Tanto que a série mesmo com apenas dois episódios exibidos, já havia garantido a sua segunda temporada.

Uma comédia divertidinha, inglesa, o que por si só significa que é curta, objetiva e sem muita enrolação, mas que não é nada demais também,  do tipo para assistir sem muita ansiedade ou compromisso. (sabe quando nossas preferidas entram naquele hiatus e ficamos todos carentes? Então…)

♥ Já está seguindo a magia do Guilt no Twitter? Ainda não? @themodernguilt

Him ♥ Her (Season 2)

Dezembro 20, 2011

Eles continuam com hábitos de higiene nada saudáveis, vivendo agora juntos, em um apartamento praticamente inabitável, deixando restos de comida e roupas sujas por todos os cantos, muitas tralhas, caixas de mudança que aparentemente ainda nem foram tocadas e muita sujeira por todos os cantos. Mas mesmo assim, esses dois conseguiram conquistar os nossos corações e são hoje o casal mais foufo da tv britânica.

Pode até parecer um exagero, mas Becky (Sarah Solemani) e Steve (Russell Tovey) são mesmo um casal muito do especial, tanto que no meio da recém encerrada segunda temporada, eles já ganharam a confirmação de uma Season 3 para 2012. (Yei!)

Isso considerando que Him & Her é  uma comédia bem simples, onde os protagonistas passam o tempo todo dentro de casa e tudo acontece também dentro daquele apartamento super pequeno. O que me faz lembrar dos episódios antigos e de pouco orçamento de Friends por exemplo (em suas devidas proporções é claro), onde os 6 amigos ficavam praticamente o episódio inteiro dentro do apartamento da Mônica e que sempre acabavam sendo os melhores episódios da série.

Durante essa Season 2 ganhamos um pouco mais de intimidade com o dia a dia do casal, já que agora a Becky se mudou de vez para o apartamento de Steve. Mas eles continuam desempregados, preguiçosos e vivendo do seguro desemprego, rs.

Passamos a conhecer um pouco mais também dos coadjuvantes, que tiveram um maior destaque dessa vez, com visitas cada vez mais frequentes ao apartamento do casal a todo momento.

Achei que dessa vez nós iríamos acabar conhecendo o ex da Becky, do qual o Steve morre de ciúmes e que foi um dos plots da Season 1, mas nessa Season 2,  foi a vez da ex dele entrar em ação, uma garota insuportável, daquela que não aceita muito bem o fato de ter perdido o ex namorado e que de quebra, ainda mantém uma amizade com a irmã da Becky, a recém casada  e muitas vezes totalmente insuportável, Laura.

Laura (Kerry Howard) que por sinal, esteve mais sincera do que nunca hein? Muitas vezes eu me pergunto se aquela garota não tem algum tipo de síndrome qualquer, porque todo aquele comportamento dela não me parece normal e todo mundo até que aceita muito bem, sem dar o troco, o que me parece menos normal ainda. O engraçado é que ela consegue deixar todo mundo super desconfortável falando as suas verdades o tempo todo, ou até mesmo quando ela começa a contar alguma vantagem que ninguém por ali está muito interessado em ouvir. Mas gosto mesmo é quando ela trata o Steve feito criança, e o pior de tudo é que ele ainda a obedece. E o que foram aquelas fotos da lua de mel dela e do Paul hein? Euri com ela montada naquela moto.

Pausa: e não tem nada mais chato do que pessoas que fazem questão de mostrar TODAS as fotos de sua viagem, com direito a comentários para cada uma delas. Pior que isso, só se o pesadelo for em formato de vídeo e a pessoa ainda ficar pedindo para voltar a todo momento. Ai eu prefiro a morte, rs.  

E só eu acho que o vizinho Dan (Joe Wilkinson) tem que ficar com a Shelly (Camille Coduri)? Os dois são tão esquisitos, que eu não consigo não pensar neles como um casal do tipo perfeito! E pior é que eu  AMO as roupas completamente inadequadas da Shelly, sempre curtas demais, apertadas demais, decotadas demais, ou tudo isso junto. E eu AMO também o cabelo dela, AMO! E quase não me aguentei quando o Dan apareceu no episódio final, com a cabeça raspada e cheia de curativos. (rs)

Paul (Ricky Champ) também foi outro que esteve mais revoltado do que nunca durante essa temporada, demonstrando ter sérios problemas em controlar toda a sua raiva, se metendo em brigas de rua e levando a pior, é claro. E também foi impagável quando ele pediu para o Steve examinar as suas partes avantajadas, a procura de um caroço ou algo do tipo (rs). E o melhor de tudo foi a descrição depois que o Steve fez para a Becky das partes baixas de seu cunhado. (e a Becky percebeu que ele andou traindo a irmã dela já na lua de mel, hein?)

Nessa temporada, o meu episódio preferido foi aquele com a visita dos pais do casal. De um lado a mãe e o pai da Becky, completamente desconfortáveis com o modo como a filha estava vivendo ultimamente ao lado do namorado e principalmente o se pai , ele que nunca foi assim muito fã do Steve. E do outro lado, a mãe do Steve e o seu namorado do tipo grosseirão, ela muito mais carinhosa do que os pais da Becky diga-se de passagem, protegendo o filho dos insultos do sogro e ainda mantendo um certo orgulho do fato dele estar feliz e se virando sozinho (mesmo sabendo que do meio daquelas tralhas todas podem surgir um racum a qualquer momento, #TENSO), onde também ficou bem evidente o porque que o Steve ainda não cresceu direito até hoje, fikdik.

Sério, eles passaram um bom tempo esperando pelo jantar em família, que aconteceu no quarto do casal (como sempre), para receber um prato de macarrão com nuggets, molho de catchup e refrigerante em lata, pode?

Pode sim e é dessa forma que esses dois escolheram viver juntos e apesar de nos deixar com um certo nojinho em diversos momentos, eles não deixam de ser adoráveis e provam a cada momento que foram mesmo feitos um para o outro.

E isso ficou ainda mais claro na season finale (2×07 The Split, que só pelo título já me deixou tenso…), com a Becky sofrendo de verdade ao saber que o Steve  havia pedido a sua namorada antiga em casamento, algo que ele nunca fez com ela. Um momento dramático que não estamos acostumados ver em Him & Her, mas que acabou se encaixando perfeitamente, mesmo tratando-se de uma comédia.

Mas foufo mesmo foi como ele resolveu toda a situação na mesma hora, quando percebeu que tinha a magoado de verdade, colocando para fora aquela ex namorada pra lá de inconveniente e provando para Becks o porque ainda vale a pena querer dividir o bolo de €2 com ele no final das contas, em um momento de pura foufurice que encerrou essa temporada deliciosa.

Tenho que dizer também que outro episódio que me fez rir muito, a ponto de sentir dor,  foi aquele em que eles receberam a visita do primo do Dan (2×05 The Rollover), um cara super bacana, educado, divertido, mas que deixou de ser tudo isso no exato  momento em que todos eles acabaram descobrindo que ele havia saído recentemente da cadeia por motivos de um crime sexual. #TEMCOMONAOAMAR?

Agora, nada nesse mundo vai superar aquela sequência inicial desse mesmo episódio (2×05) com o Steve de roupão, comendo yogurte e jogando The Sims, tudo isso ao som de “Dakota” do Stereophonics, banda que faz inclusive parte do cenário da série. Praticamente eu mesmo em um dia de preguiça,  na versão “Curtindo a vida adoidado”. Porém, a minha versão é bem mais limpinha e isso eu posso garantir, com certeza!

Infelizmente não temos a cena no Youtube ainda, então ficamos como vídeo da faixa, que também é sensacional! (e que foi uma das minhas trilhas preferidas durante o caminho para a minha faculdade antiga por muito tempo no passado)

Procurando por imagens da Season 2 para ilustrar o meu post, acabei achando essa foto super foufa do ator Russel Tovey (que eu AMO!), com o meu outro querideeenho, o Matt Smith (que eu tmbm AMO!), que todo mundo sabe quem é neam? Awnnnn! E o que eu não daria para estar nesse date? Hein? CATAPLOFT!

Mas eu sempre acho uma pena a temporada ter apenas 6 episódios. Tudo bem que dessa vez foram 7, mas eu sempre fico com uma sensação de que eu queria ver muito mais da monotonia do dia a dia do casal mais sujinho e adorável da tv.

E não tem como não terminar de assistir qualquer episódio de Him & Her, se não for cantando alto com a música tema da série:

My heart goes

Boom bang-a-bang, boom bang-a-bang

When you are near

Boom bang-a-bang, boom bang-a-bang

Loud in my ear

Pounding away, pounding away

Won’t you be mine?

Boom bang-a-bang-bang all the time

It’s such a lovely feeling

When I’m in your arms

Don’t go away

I wanna stay my whole life through

Boom bang-a-bang-bang

Close to you


%d bloggers like this: