Posts Tagged ‘Show SP’

House of “falling” cards

Março 29, 2010

E não é que no último dia 22 completou 1 ano da minha viagem ao arco-íris? Uia!

Show do Radiohead, até que enfim neam? Para quem passou parte da adolescência ouvindo a voz suave e as letras tristes de Tom Yorke, já estava mais do que na hora de ver a magia de uma das melhores bandas do mundo ao vivo.

O show foi perfeito é claro, todos os hits da banda que embalaram a minha turbulenta adolescência, passando pelas músicas incríveis do In Rainbows, álbum mais recente da banda, até terminar com a música que mais representa todo jovem nerd desse mundo: Creep! (tears)

Lindo, colorido, quase que hipnótico. Mas eu preciso corrigir alguma coisa aqui, não posso dizer que o show foi perfeito porque pra mim ele teve gosto de despedida e digamos que esse gosto não é dos melhores.

Mas enfim, acho que a história encerrada nesse dia não poderia ter uma trilha sonora mais perfeita. E foi triste, bem triste e foi também muito difícil, como toda despedida costuma  ser…

Tudo isso com as cores da turnê de In Rainbows como plano de fundo para essa história cheia de páginas viradas, algumas até que nem tanto. Tantos capítulos, tantas lembranças…

E foi bastante sincero também, sem grandes mágoas ou ressentimentos, alguns arrependimentos e muitas, mais muitas memórias de coisas incríveis, que não foram feitas para serem esquecidas. Jamais!

Cada música era um passo mais perto do inevitável final, que já havia sido acertado antes em comum acordo, mas que nem por isso tornou o processo menos doloroso e acho que posso falar pelos dois protagonistas dessa história.

Em “Nude” eu flutuei sobre aquelas milhares de pessoas hipnotizadas na Chácara do Jockey, como o jovem Max em um dos memoráveis promos de Skins, perdi completamente a noção do meu corpo no espaço e flutuei, literalemte. (tears)

E eu posso dizer que em “All I Need” mesmo com o climão de despedida no ar, o refrão chiclete não perdeu a sua força e nem o seu sentido, honestamente. E foi outro momento lindo, inesquecível eu diria.

E teve ainda Karma Police, 15 Step, The National Anthem, All I Need, Pyramid Song, Weird Fishes/Arpeggi, The Gloaming, Talk Show Host, Optimistic, Faust Arp, Idioteque, Climbing Up The Walls, Exit Music (For A Film), Bodysnatchers, Videotape, Paranoid Android, Fake Plastic Trees, Lucky, Reckoner, You And Whose Army,  separando o começo e o fim daquela noite de despedida, de um novo começo para os envolvidos, de olhar de volta para a minha vida e ser “eu” novamente e não mais “nós”. E se é para ser assim, que seja bom para todo mundo não é mesmo?

“There, There” serviu para consolar, para buscar refugio em um amigo? E porque não? Ainda mais quando esse amigo precisa encontrar exatamente a mesma força que vc, afinal estamos compartilhando esse momento.

E para fazer valer a pena “Jigsaw Falling Into Place” garantiu o momento jogaçán na pixxxta, afinal dizem que foi onde nos conhecemos não é mesmo? euri. Dancei enlouquecidamente até o último acorde da música, mostrando que definitivamente eu sou alguém na noite, sozinho ou não! E nem confi! Se é para ter um final, que ele tenha de tudo, do drama a comédia. Jogaçón digna, sem apelar para turma do “WooHoo people” da qual eu definitivamente não faço parte.

Confesso que foi bem difícil ouvir o ínicio de “House of cards” compreendendo ao máximo o seu significado: I don’t wanna be your friend, I just wanna be your lover…(tears). Alguma coisa ainda fazia sentido naquele momento, que talvez tenha me feito começar esse post de forma errada. Mas como esse foi realmente “Aquele com o último episódio”, eu talvez  tenha aqui justificado a minha escolha para o título desse texto.

Coincidência ou não, a sequência final do show ficou por conta de ” True love waits / Everything In Its Right Place”  ou seja, o que é certo é certo e se for preciso esperar para entender alguma coisa, fazer o que neam?

A espera pode até ter sido longa, pelo Radiohead e por todo o resto da história, mas pode ser uma espera inspiradora e criativa também, o que me levou a esse pôster que eu fiz em uma das primeiras aulas da Pós-Graduação, um dos quais eu mais gosto, embora tenha sido chochado do meu projeto…

…que dizem ter virado poster na parede de alguém ae…vai saber neam?

E com “Creep” encerramos essa história e todo aquele clarão que vinha direto da iluminação do palco de Tom Yorke só serviu para tentar animar algo que naquele momento parecia impossível. Na sequência o  último smack e muita saudades a partir daí. Bye bye Tom York! (volte logo)

Oh Crap!

A história nem tão feliz acima pode servir para justificar a ausência de novos posts no finde, porque embora não pareça, eu tenho sim um coração tah? Euri!

E sim, eu uso o meu espaço aqui para passar mensagens subliminares. E eu quase sempre faço isso com humor, mas as vezes eu sou apenas sincero, como hoje por exemplo.

Sorry por aborrece-los com coisas tolas, meus 5 leitores.

Essy, The Sad Reckoner

ps: cidade grande é o cacete…vcs querem saber quem eu encontrei do nada na semana passada, 1 ano depois do episódio final? 😉

Destino? Coincidência? Mais drama?  Saudades? Bata tudo no liquidificador e vejamos no que vai dar no futuro…

Só sei que esse foi o series finale dessa história, mas vai saber se não rola um spin-off, ou quem sabe um filme neam? euri

Say my name Sasha Fierce!

Fevereiro 8, 2010

É claro que eu não cheguei a me recuperar completamente e por isso talvez não estivesse em um dos meus melhores dias, fato. A chuva do caminho para o show talvez tenha colaborado bastante para o meu humor exótico (outro ponto a ser levado em considerção antes do texto abaixo). E com Doritos a $10,00(Que?) e sorvetes de fruta Nestlé a $5,00 (Cuma?) e uma espera razoável (de boas horas…tic toc) eu aguentei firme e forte o momento dela que ainda estava para aparecer com sua silhueta de deevah, no que viria a ser o nosso primeiro encontro, a ricah, phina e com um pezinho no kitsch: Beyonce! Roaw!

E a mulher é incrível, fato! Só a sua silhueta e os carões muito bem acompanhados de coreos que fazem vc querer repetir cada movimento daquele corpo que não pára 1 min…e que corpo hein? Hoy! E o catwalk é de matar de inveja qualquer mortal…que atire a primeira pedra de brilhantes quem não acreditou no catwalk na saída do show hein?

Beyonce tem um carisma gigante e isso ninguém pode negar. Cada rebolado ou batida de cabelo era motivo para gritos enlouquecidos dos fãs na platéia, que para quem é fã mesmo e gosta da Bey antiga (do tempo do Destiny’ Child) estavam aguardando por muito tempo para ver toda a força dessa mulher que hipnotiza, seja vc quem for. E deu para perceber do começo ao fim do show o tamanho da sua entrega para o seu ego “Sasha Fierce”, que sijoga em coreos absurdas durante quase todo o show.

E a bicha é dourada neam? Maravileeeandra! Mas um chocho: precisava usar esse meião de velha gatah? Tah magrona, tah gatona, tah gostosa! E se não estiver garantindo assim um pernão incrível, que tal um novo figurino hein? Thierry Mugler que me desculpe, mas os figureeenos ficaram meio exóticos, não?

Mas a verdade é que talvez os figurinos tenham ficado exóticos porque cá entre nós, Beyonce tem os dois pés no kitsch neam? Prontofalei! Um momento dramático do show foi uma sequência interminável de baladeeenhas, lento…Zzzzzzz! Mas espera ae…ela estava vestida de noiva/flor? Kaka ra kaka! Euri

Beyonce imaculada não rola neam? Eu paguei para ver a Sasha Fierce!

 

De fundo nos talões, ondas do mar  completavam o cenário para a versão Beyonce Iemanja. Euridenovo! Foi triste, confesso que vi a maioria das pessoas sentando nesse momento, ou indo comprar cerveja, ou saindo para fumar…e tudo isso ao som de “Ave Maria”…acreditem, foi drama! Eu senti um pouco de vergonha desse bloco do show, confesso! Não gostei de nada dele, achei bem de gosto duvidoso e lento demais, talvez por isso a reaçán das pessoas. Aliás, que público cansado hein? Era um tal de senta e levanta durante a apresentaçán, que eu não entendi muito bem e eu digo isso durante todo o show e não somente durante esse bloco uó, o que seria bastante justificável.

Mas além desse bloco dramático + o meião uó, eu só tenho mais uma reclamação: Ahhhhhhh Bey, como assim “Sweet Dreams” só tocou em uma versão video interlude hein? Que puxa, maior hit! Euri porque além de tudo o video interlude era meio assim viu? LOVE Sweet Dreams, LOVE. Ae que ela não cantou a música que é incrível, mas ficou horas naquela interminável “Aff Maria”? Não dah neam? (será que todo esse meu mau humor foi mesmo só por conta de que eu estava meio doente? Não sei não viu?)

Achei bem digna a proximidade do segundo palco com o público, onde ela passou parte do show fazendo coreos frente a frente dos fãs que não pagaram um absurdo para estar na pista premium, que por sinal ocupava um espaço gigantesco da pista total. Fiquei imaginando o ódio de quem comprou pista normal e se viu muito distante de palco, mesmo quando o estádio ainda não estava completamente lotado. Mas ae, quando ela seguiu para esse segundo palco, que ficava entre o limite da pista premium com a pista normal, eu comecei a achar mais digna a sua performance e justa com todos. Clap Clap Clap!

Outras músicas tmbm foram injustamente ignoradas e apresentadas em uma versão “medley’, meio que pela metade sabe? Como “Video Phone” por exemplo. E o meu bloco preferido foi o que teve algumas das músicas da época das Destiny’s Child. Ai sim eu senti que empolgou o público, ahazei no “Bootylicious” rs!.

E ela se disse muito emocionada, com o tamanho do seu público aqui no Brasil, onde ela disse que provavelmente foi o seu maior público ever. Howcoolisthat? E todos gritavam “Beyonce”, de forma bem óbvia enquanto eu e minha inseparável ameeega de show báfus gritávamos em alto e bom som “Beyonça”! Rá! Euri

Eu esperava um pouco mais do show na verdade, achei a produção bem simples, o retorno de som ruim mas nada que uma voz incrível de uma das mulheres mais leeeandras e talentosas do mundo não conseguisse superar. E mesmo assim, com algumas reclamações sobre o show, deu para curtir bastante, afinal era a Beyonce neam? A mulher que aparece e já te dah vontade de rebolar, rs.

Smacks Sasha Fierce, adorei te conhecer viu gatah?

Guilt desabafa: Hëteros Troglodictis Ignorantics

Esse é o nome científico de uma espécie que esta longe da extinção…uma pena (snif). Muitos acompanhantes, de suas namoradas “lôras”, fazendo carão o tempo todo, num chocho ignorante e gratuíto a uma grande maioria qeu estava presente no show. Desnecessário neam? Ninguém te contou que embora vc estivesse em um estádio de futebol o evento ali, naquele dia era outro? Show da BEYONCE neam? E qual é o público alvo mesmo? Sono…odeio rótulos.

Só acho que as pessoas deveriam estar mais dispostas a respeitar “novos universos” e não ficar sendo gorsseiro e arrogante com a postura clássica da cuspida no chão e coçada no saco, clássica dos orangotangos. Euri!

Mas o pior de tudo isso são essas futuras jovens senhoras que não conseguem domesticar esse animais selvagens neam? E porque será que não conseguem? Porque eles não foram feitos para viver em sociedade e sim em meio ao ambiente selvagem de que estão acostumados, fikdik. Solta uma boleeenha no meio deles pra vc ver só o que acontece? Babado e confusão versão Menhood. Uí!

O melhor de se fazer nesse caso é sempre o velho e bom: beijo gatoh! E não se relacionar mais com o tipo, nunca mais. Mas se vc fizer muita questão de se prender a esse tipo de animal, tudo bem…talvez algo justifique (rs). Nesse caso, mantenha a relaçán (Ew!), mas deixem o seus bárbaros em casa neam? Fikdik para o futuro: chama aquela ameeega animada ou o  ameeego que ahaza naquela escova do picumã nosso de cada dia e sijoga, mas dessa vez dignamente, sem um ser grosseiro e que não sabe respeitar o espaço das pessoas ao seu redor e que só se sentem fortes quando encontram a companhia de outros orangotangos bárbaros como eles. Vomitei pra vcs!

E esse é um desabafo  direto a um grupo de pessoas que estavam na fileira atrás de mim, onde um orangotango albino do tipo bárbaro foi visto por diversas vezes fazendo comentários completamente idiotas e do tipo que só assina o seu atestado de completa ignorância. Não acho que vá ler o Guilt, porque afinal vc não faz parte do meu público (nem de longe)  mas mesmo assim  essa é a minha forma digna de acabar com vc, em nome de todos aqueles que se sentiram ofendidos diretamente ou indiretamente durante o sohw de ontém em SP. E por favor, se vc não consegue entender o hype de um dos videos mais vistos e copiados do mundo inteiro, por favor vá se informar!

E leia isso tudo com muito som anasalado e carregado no miado e sendo assim: SUCK IT! Meow!

ps: e para o moço loiro de cara amarrada sentado na cadeira atrás da minha eu dedico a minha imagem eterna em sua mente, fazendo uma das coreos mais incríveis e marcantes de todos os tempos. Smacks sabor V de Vendetta (e ficaremos para sempre na sua memória, fazendo todas as coreos com movimenos friamente calculados ala Sasha Fierce!

Guilt declara: O dia oficial da Madonna (pelo menos para mim)

Dezembro 18, 2009

Acordado a noite inteira tomado por toda ansiedade desse mundo, acompanhado da minha amiga inseparável, as vzs ao telefone ou no MSN,  tentando comprar 2 míseros ingressos VIPs para o show da Madonna. Drama, o site não funcionava, pandraz e mais pandraz. O dia clareou e corremos para a fila de um dos estádios que estava fazendo a venda dos ingressos. Sol, calor, 5 min de fila e o anúncio: acabaram os Vips! Ahhhhhhhh…como assim moço? E o meu ingresso para ficar frente a frente com Mad? Não vai rolar? Numacreditonisso? Ódio!

E mais calor e mais fila e o medo de que os ingressos acabassem antes mesmo da gente conseguir comprar o nosso, a essa altura para qualquer setor a gente já estava aceitando, afinal nosso VIP já era mesmo neam? Bom, 13 horas de fila depois, e várias voltas no shopping enquanto alguém guardava o nosso lugar (rs), aguentando de um tudo que vcs possam imaginar, finalmente chegou a nossa vez,  a essa altura já era madrugada até. E fazer o que já que não rolava mais nenhum VIP para contar história? Comofaz? O jeito foi pedir tudo de ingresso, ou seja 2, ingressos para os 2 shows da Madonna, amareleeenhos e ricohs garantidos dentro da minha bolsa (thnks mommy, quem havia me prometido ingressos para o show da Madonna, caso isso um dia chegasse a acontecer por aquiam). Detalhe, só comprei apenas para os 2 dias, pq o terceiro show só foi confirmado depois tah?

E ai que chegou o dia, 18/12/08…o drama do TCC já estava resolvido e agora a minha formatura, que não poderia ser em nenhum lugar melhor neam? Show da Madonna! Ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh (griteeenho fineeenho)

Chegou a hora, primeiro os M’s gigantes na lateral do palco ficaram pink, depois apagaram…faltava pouco para começar! E ai: C.A.N.D.Y, piscando nos leds que se abriam lentamente. Meu coração já estava super acelerado nesse momento e segundos depois, lá estava ela, linda e lôra…Fucking MADONNA! Vcs tem idéia da emoção que eu senti naquele momento? Eu, Essy no mesmo lugar no tempo e espaço que a Madonna? O que me parecia ser super impossível, ou pelo menos distante de acontecer tão cedo, estava realmente acontecendo, bem ali, na minha frente e ao vivo! E o que eu fiz? Gritei e pulei frenéticamente neam? Nesse momento na minha imaginação eu já estava dividindo o palco com ela, a minha muse!!!

Com todas as letras decoradas e coreôs báfus superensaiadas (rs), é claro que eu irritei uma por uma das pessoas que estavam ao meu lado, o que é claro que eu não prestei muita atenção afinal, era o show da Madonna neam meopovo? Vamos sijogar! E assim eu segui, durante as 2h00 de duração do show, música após música, num bate cabelo frenético.

A emoção foi tão grande, mas tão grande que eu não parei nem por 1 min, mesmo estando super longe dela, eu me sentia no palco ao lado de um gigante. Chorei neam? Mas sem desespero, foram mais lágrimas de felicidade, de finalmente estar realizando um dos meus sonhos (agora só faltam os outros bilhões de zilhões)

E é claro que Madonna não deixaria a sua passagem pela minha cidade passar batida neam? Precisava de uma homenagem para mim, afinal, são anos e mais anos de uma relação de amor intenso entre a gente neam?

E assim foi o momento da minha “valsa de formatura” (euri), para coroar o meu ano de realizações aconteceu durante “Into The Groove”, onde ela subiu no palco praticamente vestindo as cores da minha coleção, com um figurino muito próximo ao da minha proposta de trabalho de conclusão de curso, tudo mega colorido, uma coreô loucureeenhas e um remix báfu que eu me senti eleito naquele momento “The Prom Queen”, euri. Thnks Mad, adorei a nossa sintonia, o que só mostra o quanto somos hipsters e o quanto merecemos nos tornar amigos um dia hein? Procura-se Essy desesperadamente! Call me!

O show foi todo perfeito e é claro que eu já tinha visto tudo bem antes no Youtube, mas ao vivo tudo se tornava ainda mais perfeito. Figurinos, cenários, os vídeos que são sempre báfu e os bailarinhos incríveis (e nesse quesito eu me incluo, junto com a minha ameeeega N.), tudo muito maravileeeandro, quase que demais para mim. Fiquei hipnotizado em vários momentos, confesso.

Mas o melhor ainda estava por vir, “Like A Prayer”…ai realmente não teve pra mais ninguém! Eu sei lá quantas mil pessoas estavam presentes naquela noite, mas a energia que rolou no momento em que Madonna mandou as primeiras frases de um dos seus maiores clássicos foi de matar qualquer um de tanta emoção. Achei que eu fosse fazer a passagem naquele momento para o outro lado do arco-íris, sério.

Mas naquele momento, que eu fiz mesmo foi uma viagem ao passado, quando eu me vi aos 11 anos de idade, com o meu primeiro disco da vida, o Like A Prayer da Madonna, ensaiando as coreôs dos clipes frenéticamente no meu quarto, por horas e mais horas. Detalhe, eu fiz essa coreô na minha despedida de escola (#shameonyouessy) , no último dia de aula antes de me mudar naquela mesma época, báfu bafônico, performance digna de bate cabelo na buatchy (isso pq eu era um nerd de apenas 11 anos de idade e ainda bem que era meu último dia naquela escola, ou vai saber o que poderia me acontecer neam? #UnibanFeelings) e no final da performance, todos os meu ameeegos assinaram a capa do disco com mensagens de despedida para mim, o que eu devo ter até hj em algum lugar na casa antiga. Pra mim foi o momento mágico do show, uma sensação que eu nunca mais vou esquecer na vida, thnks Madonna! Pulei, rodei, gritei, exorcizei! Tudo de ruim foi para o ralo naquele momento e nem confi! Lavei a alma com glíter! rs

Perto do final do show, uma batida super alta enquanto um rádio em neon era projetado no palco que fazia as vzs da batida do coração de cada pessoa presente naquele momento e um Game Over enorme ao fundo do palco anunciava o fim do show,  enquanto Madonna me agradecia por toda animaçandráz no show (rs) e sumia lentamente entre seus ricohs leds. Have you confessed? Era só o que vinha na minha cabeça naquele momento, enquanto abraçava minha amiga e seguiamos serelepes para casa ao som de Holiday, que tomava conta do estádio nesse momento. Cheguei em casa e desabei…literalmente, não conseguia dormir por nada nesse mundo e o meu corpo parecia ainda estar no palco com a Madonna, fatão! (happytears)

Maravileeeandro e inesquecível é o que eu posso dizer dessa noite que eu jamais vou esquecer na minha vida. Coincidência a Madonna vir para o Brasil em 2008, 1 semana depois da minha apresentação e aprovação de TCC? I don’t think so…destino meobem e eu digo mais, ainda seremos BFF’s, anota ae! (rs)

É por isso que pronto, esta decidido! O Guilt declara que oficialmente  o dia 18/12 é o dia da Madonna! E isso para sempre viu? Podem marcar ae no calendário de vcs, 18/12, Dia da Madonna. Penso até em falar com o presidente a respeito, rs! Hj eu assisti novamente o vídeo da apresentação que eu tenho fazanus (Sorry a arrogância Paul Torrent), mas com a apresentação da Argentina, o que será o DVD oficial da turnê. Sendo assim, o dia oficial da Madonna esta declarado como todo dia 18 de Dezembro, onde eu prometo rever esse DVD sempre, numa espécie de ritual para tentar reviver aquela noite mágica e inesquecível!

Momento  Je Suis Désolé and Guilt

Como seu sei que talvez por minha culpa, muitas pessoas não conseguiram ouvir ao show como elas gostariam, sem ninguém cantando todas as letras na orelha delas, como eu fiz…fom forom fom fom (perdendo a linha feelings), sendo assim, reconhecendo a minha culpa, como um pequeno gesto nobre de um sincero pedido de desculpas, eu deixo para vcs o meu Sorry! (que eu confesso ter sentido falta no show).

Detalhe, o melhor de tudo isso foi saber que esse seria apenas o primeiro show, eu ainda iria repetir todas essas sensações no dia 20/12, que foi tão incrível quanto, fatão!


%d bloggers like this: