Posts Tagged ‘Sons’

A crise em família na Season 4 de Sons Of Anarchy

Dezembro 12, 2011

A essa altura, nós já superamos o fato de assistir a uma série de TV e acabar torcendo pelos criminosos, os bad guys da história (que apesar de bad, poderiam ser bem piores, fikdik). Já passamos por três temporadas. Já vimos Jax sofrer lendo o diário do seu pai no passado, ele que foi o fundador dos Sons. E ao mesmo tempo em que Jax descobria sobre as verdadeiras intenções e ideais do clube criado pelo seu pai, ele acabou vendo também que o sonho do seu velho estava ficando cada vez mais distante com os atuais rumos do clube. Já vimos eles declarando guerra, lutando com todas as gangues rivais, negros, arianos, mexicanos, irlandeses que se diziam irmãos e até mesmo com a política local. Já tivemos o sequestro do filho do Jax e com isso uma viagem de alguns episódios pela Irlanda, país onde o clube tem fortes ligações e negócios.

Depois disso tudo, tivemos aquele final sensacional da Season 3, cheio de surpresas, que ao meu ver foi o ápice da série, mesmo não sendo essa a melhor temporada de SOA. Os Sons enfrentando o seu pior inimigo até então, uma agente sem muitos escrúpulos, apenas preocupada em fazer seu nome na história da polícia. Com uma reviravolta surpreendente naquele final da temporada, tivemos uma parte importante do clube seguindo para a prisão, para cumprir uma pena que comparada aos crimes que eles cometem a cada episódio, sem contar os que já cometeram no passado, pode ser até considerada uma pena mais do que leve.

Alguns meses se passaram e finalmente eles se viram livres novamente, em uma passeata a caminho de Charming. Mas a cidade já não era mais a mesma. Com novas autoridades locais, uma nova administração (corrupta), novos obstáculos para que eles conseguissem seguir com os seus negócios acabaram surgindo. Além da quase concretização do maior pesadelo do clube, que viria a ser o progresso de Charming, com os Sons avistando um anúncio ainda na estrada da cidade, enquanto voltavam para a casa, de que os grandes condomínios de luxo haviam chegado na terra que eles acham que são os verdadeiros donos.

A partir disso eles tiveram que mexer os seus pauzinhos e em um curto espaço de tempo mostrar para as gangues rivais que os donos do pedaço estavam de volta e para isso, muito sangue eles acabaram derrubando naquelas terras.

Mas um período na cadeia acabou pesando no bolso dos nossos motoqueiros tatuados e com isso, novas alianças foram necessárias para aumentar os lucros e garantir os pacotes de dinheiro sujo porém suado (tisc tisc) chegando toda semana.

Nesse momento ganhamos a nova perspectiva da história para essa Season 4, com a entrada do Cartel mexicano na jogada. Sim, os Sons passaram a trabalhar como mulas, algo que eles consideravam fazer temporariamente, apenas para recuperar as forças e fazer aquele pé de meia que todos precisam (mas alguns escolhem fazer honestamente, tisc tisc). Mas os grandes montantes de dinheiro vindos do novo negócio acabaram subindo a cabeça de alguns deles e com isso tivemos os membros do clube cada vez mais envolvidos agora também com o tráfico de drogas, que caso eles acabassem sendo pegos, certamente seria o suficiente para levá-los a uma viagem e dessa vez sem volta da prisão.

É claro que como essa não foi uma decisão unânime, tivemos a primeira divisão do grupo. Como aquele negócio fugia completamente dos princípios do clube, tivemos alguns personagens (os mais antigos) indo contra as decisões do presidente, Clay, que por sua vez precisou engrossar a voz e mostrar quem ainda era ela quem batia aquele martelo. PÁ!

Isso foi o começo da crise familiar dos Sons, com o clube dividido a respeito das decisões do seu presidente e ele por sua vez se sentindo pouco apoiado pelos demais membros e amigos de longa data. Estava instaurada a crise na casa dos Sons. Jax por sua vez, enxergou esse novo negócio com o Cartel como a sua grande chance de enfim conquistar a sua saída definitiva do clube, algo que ele vem ensaiando desde o começo da série (Zzzz), mas que nunca acontece de fato, por um motivo ou por outro. Com isso ele acabou aceitando apoiar o Clay no que fosse necessário em relação a entrada do clube no negócio do tráfico, desde que ele estivesse ciente que assim que os negócios com o Cartel estivessem encerrados, ele estaria fora do clube de uma vez por todas. Mas ele não imaginava que algo muito maior estava por trás dessa história toda. Aliás, ninguém imaginava.

Do lado da lei, ganhamos um novo vilão, Lincoln Potter. Diferente do perfil de vilão da temporada anterior, ele era muito mais metódico, esquisito e já estava a vários passos a frente de desvendar toda a história do crime organizado na cidade, inclusive internacionalmente, tendo um mapa detalhado de quem fazia parte do que no mundo do crime de Charming e seus associados. E isso sem derrubar uma gota de sangue e talvez sem nem ter que sair muito do seu escritório.

O que ninguém contava é que os chefões do cartel haviam sido comprados pela polícia (CIA, FBI, SWAT, ou whatever), o que levaria a operação arquitetada minunciosamente por Lincoln a falência na última hora, uma vez que outros interesses, políticos, econômicos e até diplomáticos estavam em jogo. Assim, os Sons conseguiram se safar da prisão perpétua mais uma vez, sem ter que fazer o menor esforço, só não sabemos muito bem até quando. O que prova que alianças são sempre muito importantes. Importantes e muitas vezes sujas, fikdik.

Embora o novo negócio com o mundo das drogas tenha movimentado e bastante a temporada, não deixando que o clube tivesse um momento sequer de paz em Charming (e essa movimentação toda é sempre bem bacana na série), a questão maior dessa Season 4 de Sons Of Anarchy foi mesmo no âmbito familiar, em todos os sentidos.

Clay foi percebendo que o controle como presidente do clube esteve escapando das suas mão trêmulas durante toda essa temporada, seja pela divisão de interesses que acabou acontecendo naturalmente no clube, ou pelo seu passado duvidoso envolvendo a Gemma e a possível culpa que ambos tenham em relação a morte do pai do Jax. E pior, tendo o conhecimento de que outras pessoas bem próximas envolvidas nessa história tinham informações comprometedoras a seu respeito.

Ainda falando no clube, tivemos Juice sendo usado pela polícia para entregar os negócios dos SOA e evitar que um problema maior acontecesse por ali. Aliás, ninguém sofreu uma violência maior que o seu personagem durante toda essa temporada e isso ficou bem claro quando ele tentou o suicídio ao se pendurar em uma árvore com uma corrente. Resta saber se essa sua parceria forçada com a polícia algum dia vier a tona, se ele será tratado como um “rato”, ou não…

Além disso, dentro da cadeia, tivemos outro momento importante da temporada, que foi  o membro antigo (Otto) entregando alguns crimes do clube para o Lincoln, isso como sinal de vingança pelo caso da sua mulher com o Bob e as mentiras que lhe foram contadas a respeito da sua morte, desrespeitando o seu comprometimento com o clube por todos esses anos atrás das grades. Resta saber se ele também será tratado como um “rato”, ou se o que lhe aguarda é mesmo o dia da sua execução, algo que ele inclusive pediu para ser adiantado.

Já na casa do Jax, o problema maior seria o conhecimento de Tara em relação a história antiga do clube, tendo ela sem suas mãos as famosas cartas do pai do Jax. Outra que acabou sofrendo sérias consequências em relação ao seu envolvimento com essa história e que mais uma vez não conseguiu fazer com que o seu marido abandonasse todo aquele passado de uma vez por todas. O que de certa forma garantiu ótima cenas para a sua personagem, como o surto que ela teve quando recebeu a visita da ex mulher do Jax no hospital, que a levou a destruir ainda mais o seu braço recém operado. Dra-ma.

SOA é uma daquelas séries imprevisíveis, onde a cada momento algum dos seus personagens preferidos pode levar um tiro no meio da fuça, ou explodir em um campo minado. Dessa vez, acabou sobrando para o velho Piney, que acabou pagando a conta por defender o idealismo antigo do clube e assim, encarou o seu adeus a série através da fúria de Clay. R.I.P Piney.

Clay que foi responsável por uma das melhores cenas da temporada, com a briga dele com sua mulher, a nossa adorada Mamma Gemma, que mesmo que ele não seja homem o suficiente para assumir, é ela quem manda naquele clube e sempre foi assim. Uma briga covarde, que deixou o rosto da sua old lady praticamente irreconhecível. Algo que uma mulher como a Gemma não poderia deixar passar em branco. É, não poderia.

Que Gemma é altamente manipuladora, não é de hoje que nós sabemos, mas como eu já disse, por mais que aquele bando de homens barbudos não reconheça nenhuma mulher no clube, quem realmente manda naquele pedaço sempre foi ela. E com a sua arte da manipulação ela sempre conseguiu fazer o que queria com o pai do Jax, fundador de toda essa história, em seguida, com algum esforço ela fez o mesmo com Clay, e consequentemente com o próprio filho, Jax. Gemma pode não ser um membro reconhecido do clube, pode não andar pela cidade com o seu colete de couro com estampa de caveira nas costas, mas ela é o membro remanescente ao lado da presidência do clube durante todo esse tempo e isso ninguém pode negar.

E tudo isso que aconteceu durante essa temporada funcionou para nos levar até os episódios finais, o acerto de contas dentro do próprio clube e a inevitável dança das cadeiras. Com a história ficando clara para todo mundo,(aparentemente clara, porque não sabemos até agora o quanto de verdade Gemma acabou revelando sobre a morte do seu ex marido para o filho), tivemos o acerto de contas final como conclusão dessa Season 4.

Confesso que eu achei que teria sido muito mais impactante se o shock value da temporada tivesse sido na cena em que o Opie chutou a porta da sala de reuniões do clube, para acertar as suas contas com Clay, assassino do seu pai e também da sua mulher no passado (por engano, porque na verdade ele queria matar ele, Opie). E o personagem merecia aquele momento de vingança, por toda a sua trajetória dentro do clube e nada mais justo que essa vingança acontecesse através das suas mãos. Uma pena esse não ter sido o encerramento da temporada, algo que eu acho que seria muito mais impactante, como o final da temporada anterior por exemplo. Embora eu tenha gostado dessa sequência final também, ainda mais com aquela trilha perfeita para o momento. (e vale a pena dizer que a trilha da série é também sempre bem bacana)

Mas não foi bem isso que aconteceu, embora o Opie tenha ganhado o seu momento de vendetta, mas após essa cena sensacional, ainda tivemos mais dois episódios para a conclusão dessa história, o que ficou um pouco arrastado demais eu diria. Tudo isso para concluir a história com o cartel e ainda levantar o que viria pela frente, com os Sons se vingando “por engano” da gangue errada e assim, acabar despertando a ira da gangue dos negros, conforme já foi anunciado no episódio final como promessa para a próxima temporada.

Não sei quanto a vocês que assistiram a série, mas eu achei que a conclusão em relação a investigação da tal RICO acabou acontecendo de forma fácil demais. Se bem que, foi bem bacana mostrar que até os mocinhos tem seus vilões e que nessa hora, envolvidos com a decepção de ter membros do seu lado também envolvidos em algo ainda mais sujo, até eles acabam torcendo para os vilões de Charming. Foi bacana, mas foi quase que fácil demais, como se os Sons tivessem uma sorte fora do comum.

Ao final da temporada tivemos Jax tendo que se controlar e não terminar de vez com a vida de Clay, afinal ele ainda vale alguma coisa vivo, mesmo sabendo que foi ele o possível assassino do seu pai e que também foi ele quem matou o pai do seu melhor amigo e de quebra ainda havia encomendado a morte da sua mulher, além de espancar a sua própria mãe, ou seja, motivos não faltavam para ele acabar com tudo naquele quarto de hospital. Mas mesmo com muita coisa para ser digerida, Jax acabou fazendo a coisa certa, colocando Clay vivo em seu lugar e tomando aquilo que ele sempre mais amou, que seria o posto de presidente do clube e todo o poder que isso  sempre representou para aquele homem.

Assim, Jax acabou assumindo um lugar que sempre foi dele e que o estava aguardando por muito tempo, cumprindo a vontade de Gemma, mesmo sem ser essa a sua intenção naquele momento e mais uma vez por estar encurralado em uma situação que ele não imaginava. Dessa vez, com o apoio da sua mulher, Tara, que acabou assumindo a posição que foi da Gemma por tanto tempo, algo que a deixou visivelmente descontente, como podemos observar naquela cena final, onde ela conseguiu enxergar o casal como ela e o seu marido antigo já foram um dia. Mas quem mandou ela ser uma tutora tão boa? rs

Com isso eu acho que Sons Of Anarchy chegou ao seu limite. Digo isso, porque apesar dessa temporada não ter sido assim tão excelente, embora muito mais profunda do que as demais, ela ainda assim foi muito boa, mas eu não vejo um futuro longo para a série, não dessa forma, girando sempre em torno de uma mesma história, ou de algo sempre tão parecido. Acho que agora, finalmente chegou a chance de Jax concluir de vez a sua trajetória com o clube, assumindo o posto de presidente e levando a trama para o seu capítulo final, seja ele qual for (vejo Opie na presidência, Gemma morta, Clay morto, quase todo mundo morto, talvez até o Jax. Mas o que eu torço mesmo é para que as mulheres assumam o controle daquilo tudo. Imagina como não seria legal e revolucionário, hein?). Acho até que estamos muito perto do final de SOA, algo que eu acho que se acontecer na próxima temporada (sorry, mas eu não sei se isso já foi anunciado), por mais difícil que seja reconhecer, vai acabar acontecendo no momento certo.

Melhor torcer para que isso aconteça e seja um final digno, do que ver uma história tão bacana se arrastando por anos e anos perseguindo o próprio rabo, por mais que a nossa voltinha de Harley semanal possa parecer tentadora, rs.

Veremos…


%d bloggers like this: