Posts Tagged ‘Triste mil’

O dia em que tivemos que reconhecer que perdemos a guerra para a Evil Mendes. Humpf!

Julho 11, 2014

baby evil

Pois é, hoje acordamos mais tristes porque ao que tudo indica, fomos definitivamente passados para trás pela Pure Evil herself, que também atende pelo nome de Evil Mendes e que mesmo com essa cara de arrogante de quem finalmente venceu na vida e turbante completamente meio assim, conseguiu ser a futura mãe do primeiro filho do Ryan Gosling. Humpf!

Sim, Evil pegou barriga e dizem inclusive que ela já estaria de 7 meses, ou seja, não falta muito para essa criança chegar ao mundo… (o que nos faz no mínimo desconfiar de um delivery, vai?)

Como não somos pessoas más e sabemos reconhecer quando perdemos, não vamos conseguir desejar nada além de uma boa hora para o casal, tudo é claro que em consideração ao seus 50% de ações da magia que nos interessa no mercado da magia à sedução.

Que o cão George seja a luz e proteja essa criança.

R.I.P esperança

 

♥ Já está seguindo a magia do Guilt no Twitter? Ainda não? @themodernguilt

Maio 17, 2012

Detesto notícias tristes de fim de tarde. Humpf!

E o que estaria acontecendo com as nossas divas?

As poucas que sobraram e que ainda não se despediram, apesar de ainda estarem na categoria trainee, se renderam e hoje ocupam cadeiras cativas em realitys cada vez mais preguiçosos…

E vc que acha que o preplum é a última novidade da moda, lá estava ela, Donna Summer, em 1983, com a sua voz maravileeeandra e todo o seu own fundamento provando que hoje em dia vivemos de releituras.

Se hoje a gente vai linda para a buatchy sem medo de ser feliz, é porque lá atrás, alguém abriu as portas, muito provavelmente embalados por hits de uma das maiores divas ever.

Aliás, como eu adoraria ter vivido a era disco… Ai ai

Mas como isso não foi possível, podemos ligar o rádio bem alto hoje e nos despedirmos adequadamente da maravileeeandra Donna Summer, não?

Triste mil…

R.I.P Donna Summer

Maio 4, 2012

Notícia triste mil de final de tarde, humpf!

R.I.P MCA

P*rra HBO!

Dezembro 21, 2011

Que tapa na nossa cara foi esse nessa quarta feira de sol, perto do Natal, hein?

3 cancelamentos de uma só vez? DaF*ck?

HBO, um canal sem coração (fikdik de graça para vcs HBUÓ)

Não acredito até agora que eles tiveram coragem de cancelar How To Make It In America…sério, não acredito.

A série é tão bacana, tão fundamento, tão delicinha, que eu não consigo me conformar. É, não consigo.

Mas com aquele final, com os meninos da Crisp NY finalmente lançando os seus sonhados jeans, a gente já deveria ter suspeitado…

Recomendo muito que quem não viu ainda, veja!

Ou melhor, nem veja, pq se estivessem assistindo, a série não teria sido cancelada e eu não estaria me sentindo viúvo no dia de hoje. Humpf…(sim, eu fico magoado e levo para o lado pessoa…)

Agora é torcer, mesmo sem a menor esperança, para eles lançaram os DVDs da Season 1 e da Season 2 por aqui e a gente poder guardar essa delícia.

R.I.P How To Make It In America

 

ps: estou inconsolável…Me liga Bryan Greenberg? Me liga para a gente curtir essa barra juntos (rs)

Outro cancelamento surpresa da HBO foi Hung. Zzzz

Tá, vou confessar. Eu assisto Hung. E pior, eu não só assisto, como gosto, rs. (AMO  Thomas Jane, mesmo achando que ele tem uma voz pavorosa e tmbm passei a amar a Jane Adams como uma pimp toda apatralhada. Yo!)

Mas também, com aquele final da última temporada com a mulher do Ray descobrindo o que ele fazia para ganhar a vida e com a realização do centro de “terapia”  para mulheres da Tanya, a gente também deveria ter suspeitado que talvez esse fosse o final da série…

E só eu acho que para um final de temporada, eles deveria ter se inspirado naquela cena final de “Boogie Nights”, pra gente ter a chance de gritar “Confirnou” ou não neam? Perderam a chance hein HBUÓ?

E a outro cancelamento que deve estar sendo sentido por muitos é o de Bored To Death, série que eu não assisto (mentira, assisti um pouco da Season 1 sim), mas que estava na minha lista para essas férias.

Essa eu aceito um pouco de culpa por não fazer parte da audiência, ainda mais com esse elenco todo sensacional hein? (shame on you, Essy…)

E tudo isso para salvar “Enlightened”, que ninguém assiste…Hump!

Outubro 5, 2011

Triste…

Triste mil

Setembro 22, 2011

Triste mil o fim do R.E.M, hein?

Quer dizer que eu não vou poder vê-los mais tocando ao vivo? Humpf…

Perdeu Essy

ps: e quem não sentir a menor vontade de fazer uma coreô à la Michael Stipe ouvindo essa música e sair cantando loucamente à la Glee, eu desconfio que não tenha coração (eu estava cantando e dançando enquanto escrevia esse post, portanto eu tenho um coração, rs)

Ainda não é oficial (tisc tisc), mas parece que a tragédia se confirmou

Setembro 22, 2011

PÁ! Não sabemos ao certo o número de vítimas, mas parece que o possível relacionamento entre a Evil Mendes e o Ryan Gosling já esta causando um problema sério pelo mundo. Todas choram inconsolavelmente, humpf!

Quem não esta revoltada, esta chorando pelos cantos. Ou as duas coisas? (rs)

Dizem que não é oficial ainda…mas eles já foram vistos juntos 2 vezes, ou seja…já temos motivos suficientes para sofrer, rs.

E o que todas gostariam de dizer para o Ryan agora é: Ryan, seu fraco. Achei que vc fosse melhor do que isso…

#DECEPÇÃO

ps: ando meio sensacionalista esta semana ou não?

Julho 23, 2011

Triste, muito triste… (tears)

Normalmente em momentos como esse eu fico sem palavras, mas acho que nesse caso eu preciso dizer alguma coisa…

Todo mundo já fez piada, todo mundo diz que sempre “previu” o que de fato acabou acontecendo, todo mundo lamentou, mas talvez ninguém ainda tenha parado para pensar o tamanho da artista que acabamos de nos despedir tão precocemente. Novamente ficamos mais caretas, no bom e principalmente no mau sentido.

Me lembro da primeira vez em que eu ouvi a voz de Amy, anos atrás e acabei tomado pela curiosidade de descobrir logo a mulher por trás daquela voz toda que havia me deixado arrepiado. Pouco tempo depois descobri o ícone Amy Winehouse, com suas sapatilhas sujas, olho delineado, cabelo no alto, com um estilo retrô delicioso, uma menina aparentemente frágil, mas com uma força impressionante escondida em sua voz, de um talento absurdo e que me lembrava as divas antigas de outros tempos.

Tamanho foi o meu amor por Amy, que eu a escolhi como musa da minha coleção de formatura (2008), usando o seu estilo como inspiração para toda a temática da coleção, que falava de mulheres problemáticas da moda, música e do cinema e é claro que Amy virou o meu símbolo naquele momento. E quem nunca sonhou em fazer um cabelo mais alto do que a Amy que atire o primeiro spray de laqué ultra fixante, hein?

Amy rapidamente se transformou em um ícone da moda e essa foi a minha forma de tentar homenageá-la de alguma forma naquele momento.

Back to Black é um dos meus cds preferidos ever, talvez um dos que eu mais tenha ouvido na vida e certamente um dos que mais me emocionou nos últimos tempos. Durante um bom tempo ele foi a minha companhia diária no caminho até a faculdade.

Fico triste, emocionado e sentindo muita pena da forma como perdemos Amy, que talvez não tenha se dado conta de que seu talento era muito maior do que qualquer outra coisa na sua vida, humpf!

Engraçado como uma pessoa com tantos pontos negativos a seu favor tenha conseguido ganhar a admiração de tantas pessoas pelo mundo todo. Certamente, essa é outra prova do tamanho do seu talento. Tudo bem que símbolos de rebeldia sempre caem na graça do púlbico, mas acho impossível alguém lembrar dela por uma situação exótica qualquer, sem lembrar principalmente da sua voz forte e marcante. Sabe quando o seu talento é muito maior do que qualquer outra coisa? Talvez Amy não tenha tido tempo o suficiente para se dar conta disso…

Sinto pena de mim mesmo por não ter ido ao seu show aqui em SP, que mesmo que tivesse sido cancelado por um motivo qualquer ou sido meio assim (como de fato foi…), teria sido uma ótima história para contar.

Acho que eu não tenho muito mais para falar agora, quando bater a saudade, pelo menos vamos ter como ouvir Back To Black para sempre, um dos melhores álbuns de todos os tempos.

No site oficial, a imagem de despedida é essa, sem nenhuma palavra e apenas um fundo preto em um sinal de profundo respeito.

Talvez a melhor despedida nesse momento seria colocar o cabelo para o alto, sóbrio e me despedir da Amy Winehouse com a minha apresentação preferida dela que foi no Grammy de 2008, onde mesmo barrada nos EUA, ela conseguiu colocar o seu talento a frente de qualquer outra coisa e em casa, na Londres antiga, maravileeeandra como nunca, ela colocou de lado toda a sua timidez e fez uma das melhores apresentações da sua vida.

 

She was my musical soulmate & like a sister to me. This is one of the saddest days of my life

 

E ai a gente se depara com declarações como essa do  Mark Ronson e pensa: o que dizer agora?

Sabe quando vc fica triste de verdade? Então…

R.I.P Amy Winehouse

Triste mil…

Março 23, 2011

Acho uó quando perdemos um ícone, humpf

E o que foi maravileeeandra, não?

Triste mil…

R.I.P Elizabeth Taylor

R.I.P The White Stripes

Fevereiro 3, 2011

Tudo em preto, branco e vermelho. Uma casal, uma banda de dois. Dois branquelos de cabelo escuro e um rock de primeira, sujo, com vocais absurdos e o melhor de tudo: diferente!

Casados? Irmãos? Roommates? Sócios? Apenas 2 amigos apaixonados por rock?

Vai saber…

Fato é que ontém no site da banda, apareceu a triste notícia que anunciava o fim do White Stripes (glupt!). Algo mais ou menos assim:



O The White Stripes não pertence mais a Meg e Jack. O The White Stripes pertence agora a você, e você pode fazer com ele o que quiser. A beleza na arte e na música é que ela pode durar para sempre se as pessoas quiserem. Obrigado por compartilharem essa experiência. O seu envolvimento jamais será esquecido por nós e somos realmente gratos por isso

 

Sempre gostei muito de White Stripes. Do som, do fundamento, das lendas em torno da banda, de tudo.

Não fui aos shows que eles fizeram aqui no Brasil, algo que eu me arrependo amargamente (ainda mais agora)

Fisicamente eu tenho apenas “Elephant” (tenhos os demais graças ao Paolo Torrento), que é um dos meus discos preferidos ever e o DVD “Under Blackpool Lights”, que tem um acabamento em papel que é  incrível e que eu não troco, não vendo e não empresto por nada nesse mundo.

Quando ouvi o Jack cantando pela primeira vez a música “Jolene” (que é uma música antiga na verdade), eu decidi que esse seria o meu nome na noite, rs

Jolene tornou-se também o nome da minha muse, em quase todos os  cróquis que eu faço ela aparece. Ela foi tmbm a musa do meu TCC da Faculdade de Moda. Talvez esse seja o nome da minha alma feminina. Jolene!

Bom, que é triste ver uma banda tão boa assim acabar eu não preciso nem dizer, mas antes terminar bem assim do que acabar estragando um trabalho tão impecável.

E os videos hein? Um melhor do que o outro, fatão!

Quem não ficou hipnotizado ao som de “Seven Nation Army” que atire a primeira white stripes peppermint.

Enfim, sentiremos falta desses dois branquelos juntos outra vez…

R.I.P The White Stripes


%d bloggers like this: