Posts Tagged ‘Walter Bishop’

#GUILT (♥)

Dezembro 21, 2012

#GUILT

A reta final de Fringe continua bem sensacional e como se isso não fosse o suficiente, na semana passada ganhamos mais um episódio especialíssimo (5×09 Black Blotter), outro daqueles onde embarcamos na mente do Walter em suas viagens a base de ácido. Mais um daqueles episódios bem especiais da série e que além de fora do comum, acabam sendo sempre bem bacanas e funcionam muito bem com um “experimento”.

E mesmo em uma temporada final, com um número reduzido de episódios e onde não há mais muito tempo para brincadeira, encontramos um episódio mais do que especial como esse que ao seu decorrer, acabou se revelando praticamente como uma instalação de arte, com uma série de elementos absurdos e muito, mas muito especiais para todos os fãs de Fringe e acima de tudo, desse personagem que hoje é sem dúvidas um dos melhores da TV (pouco reconhecido até),  Walter Bishop. (♥)

Trilha sonora perfeita, fadas, projeções de momentos importantíssimos da vida do Walter e uma animação que quando apareceu, me fez sorrir de mamilo a mamilo de tanto que ela foi maravileeeandra. Detalhe, nela ainda ganhamos a participação mais do que especial de uma personagem que nós sempre AMAMOS na série, a saudosa vaca Gene, que serviu de meio de transporte para o Walter na floresta, enquanto ele tinha a tarefa de conseguir se lembrar da senha necessária para “salvar o mundo”. Sério, #TEMCOMONAOAMAR?

Não sou do tipo que anota os glyphs codes da série, mas dessa vez, por algum motivo, acabei me atentando mais ao detalhe, sempre tão especial também para cada episódio. Claro que como toda pessoa muito distraída (ainda mais em um episódio como esse, cheio de elementos visuais), acabei pulando uma letra (U) e no final acabei me esquecendo completamente da tarefa, ainda em estado de êxtase pela extraordinária viagem que acabou sendo aquele momento. Até que, nos minutos finais desse episódio primoroso, encontramos qual palavra?

Resposta: GUILT (#CATAPLOFT)

Sério, na hora eu dei um pulo da minha cadeira e fiquei super emocionado e por todos os motivos possíveis. E mesmo sabendo que a palavra não apareceu por acaso (porque se tem alguém que é movido pela culpa, esse alguém é o Walter) e tão pouco foi uma homenagem direta a esse blog, acabei comprando a ideia e como fã da série, aceitei SIM esse episódio como uma homenagem de Fringe para o Guilt. Lidem com isso… rs

Claro que falaremos muito mais sobre essa jornada que vem sendo a reta final da série assim que ela se encerrar, mas por enquanto, a minha intenção só foi mesmo a de me gabar sobre o fato de termos ganhado um episódio tão especial em nossa homenagem afinal, Fringe não sempre foi entre várias outras coisas, uma série sobre padrões? (♥)

#GUILT

 

♥ Já está seguindo a magia do Guilt no Twitter? Ainda não? @themodernguilt

Maravileeeandro o box da Season 4 de Fringe, não?

Dezembro 11, 2012

310279_1618154_20121114145437

DVD da Season 4 de Fringe, já em pré-venda por aqui…

Presentão de natal para ajudar a ir completando a coleção, hein?

Euquero!

 

♥ Já está seguindo a magia do Guilt no Twitter? Ainda não? @themodernguilt

Eu teria proposto um abraço em família…

Novembro 14, 2012

… e teria puxado o Walter, porque já me sinto um Bishop, rs. (Etta, Essy, está tudo em família, rs #RESIST)

E sabendo que Fringe encerrará suas atividades definitivamente em 18 de Janeiro com um series finale de duas horas de duração (a realização do nosso sonho), eu já estou me preparando psicologicamente para perder o meu Sci-Fi preferido e principalmente, para ficar longe dos meus encontros semanais com Walter. Me abraça? (mas tem que ser um abraço para cada universo, tsá?)

Vou precisar de toda alcaçuz desse mundo, rs (que a propósito, eu detesto)

#ESSY #ESSO #ESTER #JERSSY #MERSSY #FRESHY

 

♥ Já está seguindo a magia do Guilt no Twitter? Ainda não? @themodernguilt

Transilience Thought Unifier Model-11 (a volta de Fringe para a sua temporada final)

Outubro 3, 2012

Sim, Fringe finalmente está de volta para a sua última temporada e com um título confuso como esse, Transilience Thought Unifier Model-11 (5×01), rs. Mas não é de hoje que sabemos que nada é muito simples na série ou fácil de ser compreendido (embora tudo sempre tenha sido explicado), por isso perdoamos e deixamos passar esse detalhe que na verdade, não faz a menor diferença, rs. E essa talvez seja a maior virtude de Fringe, que é uma série que nos diverte, nos apresenta a sua mitologia, nos entrega suas respostas ao seu tempo, mas que também nos coloca para pensar por nós mesmos. Quem nunca arriscou um teoria dentro desse universo sensacional que atire a primeira pedra de Âmbar. NOW!

Não estou aqui para comentar o episódio em si ou tornar isso um hábito, porque eu não teria tempo para fazer do Guilt um blog que se ocupasse dessa forma (e normalmente nós apenas comentamos pilotos, temporadas inteiras ou em raras exceções, alguns episódios soltos, quando acabo me empolgando muito por um motivo ou por outro), mas estamos aqui para celebrar a volta de série, em um temporada que desejamos tanto que acontecesse no passado (e que quase não aconteceu) e que finalmente começou. Fringe, Season 5. PÁ!

E continuamos no futuro, em 2036, ainda vivendo em um mundo tomado e comandado pelos Observadores, onde comemos “palitos de ovos” e a expectativa de vida está prestes a atingir a marca de apenas 45 anos para os não observadores devido as péssimas condições do ar (por culpa deles inclusive…) e dessa vez ganhamos a participação de uma personagem que havia ficado de fora desse cenário, quando o visitamos pela primeira vez perto do final da temporada anterior, em um dos melhores episódios da série e que além de tudo nos prometia um futuro diferente do que poderíamos imaginar. E essa também é uma característica forte da série, que é o poder de se reinventar sempre.

Nesse futuro, Olivia era a personagem faltante, ela que só agora também foi liberada do Âmbar e se juntou ao time de sempre para tentar salvar o mundo das mãos dos Observadores, em um plano que descobrimos ter sido planejado em conjunto com Walter e o September, lá no passado (ainda não vimos quando ou como, só imaginamos o porque), antes do caos se instaurar em todo mundo. O bacana desse episódio foi que além dele nos ter situado novamente no futuro, ele ainda nos apresentou pequenos fragmentos do que teria acontecido no passado, vinte anos atrás e pós invasão dos Observadores, onde além de termos descoberto que existia um plano desenvolvido pelo Walter e o September para derrotar os vilões da vez, descobrimos também que a relação entre Peter, Olivia e Walter acabou sendo abalada, quando Peter assim como seu pai, acabou “perdendo” a própria filha em meio a invasão. (e isso além de nos ter sido contado, ainda nos foi parcialmente mostrado em um sonho/pesadelo do próprio Peter)

Achei bem bacana eles terem mantido esse lado mais real das relações humanas, mostrando que as pessoas reagem de forma diferente diante da perda. Bacana também que tudo isso foi mencionado e resolvido em pouco tempo, porque tratava-se de uma questão que todos eles já haviam visitado de outra forma no passado e eu achei bem especial a forma como esse issue foi tratado dessa vez, mesmo porque, seria meio fora de propósito trazer uma discussão sem fim sobre as atitudes do passado, quando eles se encontravam em um futuro do qual o que eles precisavam realmente se preocupar era em salvar o mundo do que estava acontecendo pós invasão. Não que esse fosse um assunto que não precisasse ser discutido, mas achei bem sensata a importância que lhe foi dado dentro do episódio.

Mesmo deixando de lado essa carga mais emocional para colocar o andamento da série em prática, tivemos momentos excelentes e carregados de uma emoção também muito especiais, como na cena de reencontro entre a Olivia e sua filha,  20 anos, 1 mês e cinco dias depois, que foi lindíssima, mesmo tendo durado bem pouco tempo dentro do episódio. Mas acho até melhor que tenha sido assim, porque melodramas não parecem cabíveis em uma série como Fringe, não a essa altura. E essa mesma emoção nós sentimos quando Walter foi resgatado da sua sessão cruel de tortura, acordando do seu drama e reconhecendo a Olivia, ficando feliz por eles a terem encontrado viva. Ele que além de nos emocionar, consegue nos fazer rir no mesmo momento, acordando e já achando tempo para encontrar um novo apelido para chamar Astrid, que dessa vez foi Afro, rs. #TEMCOMONAOAMAR?

Mas o que realmente nos abalou nesse retorno de Fringe para a sua reta final foi exatamente essa tortura que Walter acabou sofrendo nas mãos dos Observadores e ver um personagem que nós gostamos tanto sofrer daquela maneira, não nos agrada em nada. Engraçado como o personagem consegue manter essa relação com a gente enquanto audiência desde sempre, mas principalmente depois desses anos todos, mesmo com a gente conhecendo o seu passado meio assim que nós todos não podemos ignorar que existiu (embora haja uma explicação) , mesmo observando o que a sua genialidade foi capaz de trazer em efeitos colaterais para o mundo atual e isso em mais de um universo (culpa que sabemos que ela carrega de qualquer jeito, mesmo já tendo se redimido) e mesmo com tudo isso, continuamos nutrindo um amor fora do comum por esse personagem, que praticamente não poderia ser mais genial do que é e tão pouco mais adorável e por isso, confesso que foi bem difícil assistí-lo sangrando daquela forma em uma sessão de tortura interminável.

E com aquele final lindo do Walter em meio ao caos, finalmente ouvindo uma música (perfeita para o momento, diga-se de passagem) e encontrando naquela pequena e única flor a esperança que ele precisava para continuar a sua missão, voltamos a nos emocionar com Fringe, onde em uma cenas simples como aquela do seu episódio de retorno para o que será a sua temporada final, conseguimos enxergar exatamente tudo o que a série sempre foi para todos nós. E como é bom ter Fringe de volta e notarmos que tudo está ali, sua essência, seu fundamento, tudo no exato mesmo lugar de sempre, onde deveria estar, apesar de estar tudo diferente e reinventado. Quem sabe da próxima vez Walter não encontra sua tulipa branca?

#DOUBT

 

♥ Já está seguindo a magia do Guilt no Twitter? Ainda não? @themodernguilt

Fringe Season 5, o promo

Agosto 21, 2012

Finalmente um promo com cenas inéditas e ao que tudo indica, importantíssimas da Season 5 (e última) de Fringe.

Só eu me arrepiei inteiro com os observadores chegando no parque, próximos da Etta?

Ansiosos?

Anota ae 28/09 (sim, só no final do mês também, humpf!)

ps: aliás, falando em parque, agora entendemos  mais do porque daquela cena antiga que começou um dos episódios da séirie, hein?

 

♥ Já está seguindo a magia do Guilt no Twitter? Ainda não? @themodernguilt

Acorda Walter!

Agosto 30, 2011

Acorda ae que a Season 4 de Fringe esta chegando. Yei!

Ansioso mil!

Walter ♥ Peter

Agosto 8, 2011

Difícil ver um John Noble fora do trabalho hein? (e esse cabelo escuro? Seria a luz? Seria o trabalho? Seria uma crise da meia idade? rs)

Momento raro e foufo mil entre esses dois que nós amamos e acreditamos que são mesmo pai e filho, rs (e ai de quem disser o contrário, humpf!)

ps: e setembro esta chegando. Yei!

#WHEREISPETERBISHOP

Julho 18, 2011

Teaser  covarde da Season 4 de Fringe, com apenas 10 segundos,  só para deixar a gente assim…Humpf!

Não faço idéia do que o Peter quis dizer, mas estou mais do que ansioso.

23 de Setembro Fringe volta para a sua aguardadíssima Season 4 e quem sabe a gente tem alguma resposta?

#WHEREISPETERBISHOP?

Renovou! Fringe acaba de garantir sua Season 4

Março 25, 2011

Que notícia boa, não? Ufa!

Depois de mudar para as sextas, que é considerado o dia de fuzilamento das séries capengas,  de ter uma melhora em sua audiência (com um declínio comsiderável no último ep) e um certo suspense quanto a sua possível renovação, eles acabaram de confirmar que sim, nós teremos mais uma temporada ao lado de Walter, Peter e Olivia, Yei!

Animados? Eu fiquei bem animado, Yei! (dei até um griteeenho quando recebi a notícia de uma leitora, Smacks A.B)

E depois dessa sensacional Season 3, recheada de episódios sensacionais e deliciosos, nada mais do que justo uma Season 4, pelo menos neam?

Para comemorar, podemos assistir ao episódio inédito de hoje com sorriso de mamilo a mamilo, rs

Animado mil!

Parece que o encosto do Willian Bell na Olivia não agradou…

Março 20, 2011

Diz que essa semana em Fringe foi drama (3×17 Stowaway), um episódio que registrou a pior audiência ever da série. Dafuck?

Não foi dos meu episódios preferidos, mas mesmo assim, achei estranho essa queda de uma hora para a outra.

Seria isso um reação negativa ao exu do Willian Bell, que agora habita o corpo da Olivia, ou pura coincidência? Hmm mmm, não sei não viu?

Por mais estranho que pareça essa história toda de “imã de almas” e o resultado, com o encosto da alma de William Bell em Olivia, tudo em Fringe é tão bem feito, tão explicado e tão pensado antes, que vc acaba acreditando naquilo. A essa altura, muita dessa credibilidade que Fringe conquistou (pelo menos comigo), deve ser creditada a genialidade de Walter Bishop, que é a mente brilhante da série. Mente da qual eu não ouso duvidar, rs.

O que não pode acontecer é a série que já estava fora de qualquer perigo, voltar a sentir a ameaça do cancelamento. (Todas gritam: NÃO!)

Imagina? Fringe acabando para todo o sempre daqui sei lá, 6 eps? Dra-ma!

E o que eu faço dos meus Sábados? rs (que é quando eu assisto os eps atualmente)

Todas torcem para que isso não aconteça

Agora, algo precisa ser reconhecido: que sensacional a interpretação da Anna Torv para a sua Bellívia, não?

A voz, a postura e a dobradinha com o Walter? Simplesmente impagável. E a Astrid apavorada?

Adorei tmbm a entrada do Lincoln no universo azul e acho que ele deveria ser aproveitado por aqui. Quem sabe até fazer par com a Astrid? Afinal, aquela assistente esta precisando de uma recompensa, não?

E a possibilidade de passar a alma de Belly para o corpo da Gene, a vaca mais querida da tv? Ro-lei!

Agora responde ae: como é que uma série que consegue misturar com perfeição universos tão distintos, com um toque de humor e com insterpretações absurdas de encher os olhos,  ainda assim, com tudo isso ir tão mal de audiência, hein?

Nada justifica. Vc que assiste qualquer outra coisa deveria colocar Fringe em sua lista para tentar se redimir (comigo, rs), pq se a minha série preferida do momento for cancelada, eu vou culpa-lo,  tenha certeza disso! Fikdik…


%d bloggers like this: